Qual a Religião de Jesus Cristo

É incrível como as pessoas atualmente defendem ferozmente uma religião, em nome de Jesus Cristo, o Salvador. Mas, o que vejo é que Ele não veio deixar uma religião, será se estou enganado? E mesmo que fosse, qual seria? Visto que Ele era judeu, e viveu debaixo da lei judaica, sendo circuncidado, apresentado no templo, e tudo mais… Cumpriu a Lei direitinho. Se houvesse alguma religião autêntica não seria a que Ele praticou? Por outro lado, foram os religiosos que colocaram Ele na cruz, por inveja, inclusive, a bronca maior de Jesus sempre foi com os religiosos; Ele era misericordioso com ladrão, com adúlteros, com assassinos, mas, com os religiosos Ele os chamava de hipócritas. Será porque? Eu fico me perguntando: Será se Deus pactua com essa confusão religiosa que há no mundo? Será que Ele aprova divisão no Corpo de Cristo?

37 pensou em “Qual a Religião de Jesus Cristo

  1. A religião que Deus, o nosso Pai aceita como pura e imaculada é esta: cuidar dos órfãos e das viúvas em suas dificuldades e não se deixar corromper pelo mundo. Tiago 1:27

  2. O senhor JESUS praticou o Judaismo em seus dias como um bom Judeu, foi fiel as Leis de seu dias, mas ELE mesmo implantou uma nova aliança, leia 1º Corintios Capítulo 11, mas não funador de nenuma religião, pois ELE é a própria religião porque a definição de religião vem do latim e sigunifica religari ou traduzudo religar e o ser humano precisa de se religar a DEUS e Ele Jesus faz essa ligação, leia João Capítulo 14 vercículo 6. Que Deus te abençoe.

  3. Jesus não veio deixar uma religião, na verdade religião é uma tentativa frustrada do homem se “religar” a Deus.
    Jesus é a forma que Deus instituiu para “religar’ a comunhão com o homem. Assim, enquanto a religião é uma solução humana, Jesus é a solução divina para o pecado ( que separou o homem de Deus).
    Como homem Jesus nasceu em um contexto judeu e cumpriu os ritos judaicos, ( cumpriu toda Lei), mas ao cumprí-la se tornou digno de sacrificar-se por toda humanidade, realizando o sacrifício perfeito.
    ao realizar o sacrifício se tornou a Nova Aliança, isto é, venceu o pecado e religou a comunhão do homem com Deus.
    a partir deste momento Ele é o elo entre Deus e o homem, quem ne crê não perece mas tem a vida eterna( Jo 3:16).
    A religião não salva, mas sim Jesus. Claro que com isso, surgiu o Cristianismo, que são os seguidores de Cristo, a igreja, que é um organismo vivo de pessoas que comungam da mesma fé e prática. se a pessoa realmente se converteu procurará adorar a Deus e fazer parte de uma igreja, o que é natural desde o início da igreja. Atos 2 ( todos os dias estavam no templo… ) a comunhão é importante para a manutenção da fé… aquele que se diz cristão e despreza a igreja, despreza uma instituição que Jesus deixou para comunhão dos santos.

    • ola Elias em parte você esta certo mais o que me deixa muito triste é saber a maior parte do povo que se diz ser o povo de deus usam a Igreja para tirar proveito dela. por que quando você vai a uma igreja e se converte, a pergunta é! onde você trabalhar qual sua profissão e quanto ganha.por que eles querem saber quanto você ganha. é para você dá 10% para eles então são um bando de safados que usam o nome de jesus para tirar proveito do pobre coitados que trabalhão em quanto muito deles estão sem fazer nada esperando que os fies levem o 10% que ele ganha no dia dia.a palavra diz viveras com o suor do teu próprio rosto;

  4. Jesus não tinha religião definida,ele era sim um judeu,foi circuncidado como judeu,e foram os seus pais,Maria e José,que fizeramse cumprir a lei,e não ele,pois ele era uma criança,um bebê,porém o que ele pregou foi justamente o que Deus queria passar ao mundo,um reino de justiça,amor ao próximo e que respeitem a Deus e tenham amor a ele.Jesus veio ao meio de nós,para nos mostrar que devemos ser simples e termos um coração como o de uma criança,e que nem sempre naquela época existia nos sacerdotes,por isso ele foi tão injustiçado no seu meio.Ele não fazia distinção de pessoas,pelo simples motivo,que ele veio ao mundo para curar os doentes(pecadores) do pecado,e lhes mostrar um novo mundo,uma nova visão das coisas,do que era realmente importante de se fazer.Deus jamais aprovará o que nós estamos fazendo com o mundo que ele mesmo criou com tanto amor para nos dar.Quanto a religião correta a se seguir é só uma: a católica,e eu lhe digo porquê,porque Jesus deu a Pedro o dever de cuidar de seus cordeiros ( que somos nós),para que não nos perdêssemos na fé,e ele se tornou o primeiro Papa no mundo,e nós católicos só nos orientamos,agimos e oramos,de acordo com o que jesus pregou.Deus ficou muito chateado com o homem e por isso mandou Jesus ao mundo,para que todo aquele que nele crêsce,não perecesse no pecado,mas tenha a vida eterna,e que nos mostrasse a verdadeira face de Deus com os homens,o que ele pensava e o que ele queria transmitir ao mundo.

    • pena que a igreja católica se desviou da Palavra… proibindo o casamento, batizando bebês, adorando Maria no lugar de Jesus, inventando um monte de “santos” para tomar o lugar de Cristo.. lamentável!!!!

      • O Elias primeiro que vc faz algumas acusações bem requentadas e fajutas e outras ainda mais absurdas
        QUEM TE DISSE QUE A ICAR É CONTRA O CASAMENTO..
        Na verdade, a IG Catolica ensina o mesmo que disse Cristo sobre casar; “Aquilo que Deus uniu , o Homem não separe”. Ai Lutero no sec XVI disse que o casamento era um mero contrato civil que se PODIA DIVORCIAR E VCS NÃO SEI DE QUE BIBLIA E DE QUE JESUS ACEITARA COMO PALAVRA DE DEUS. Vai ver que Lutero era Jesus disfarçado e com nova opinião sobre o casamento.

        Se não fosse o divorcio vc não veria esta proliferação de casais desfeitos e filhos desajustados e sem rumo como atualmente.
        Sobre batismo infantil vemos que famílias inteiras foram batizadas em Atos e em nenhum momento se fala que as crianças foram excluídas do mesmo. já vi textos datados de 140 DC, 180 e 202 DC, textos escritos por bispos e mártires cristãos atestando que o pedobatismo é ordem dos apóstolos.
        E vê-se logo que vc pouco ou nada sabe sobre a intercessão dos santos, já que se conhecesse a doutrina saberia que nenhum santo(alias leia na sua Biblia que verá Paulo saudando por este nome os fieis. Ele também estava colocando os citados iguais ou superiores a Jesus…), pode fazer qualquer coisa sem a permissão de Nosso Salvador, ou que possa nos salvar.
        É so pegar um folheto de missa pra ver a centralidade da SS Trindade, da saudação inicial até a despedida, em todo momento se evoca e implora a benção, o socorro e a Graça do Deus Criador, de Seu Divino Filho e do ESp Santo.

        • Lamentavelmente percebo que o Leandro nunca leu a Bíblia, só fica lendo os folhetos da missa.. lamentável…
          A querida ICAR PROIBE o casamento de seus padres, bispos etc… Quanto ao divórcio, que disse que somos favoráveis?? pelo contrário!! somos a favor da manutenção do casamento e da família tradicional!!!
          Quanto ao batismo, é um ato de arrependimento e confissão de fé.. como um bebê pode se arrepender??? so na ICAR….
          Sei que “santos” são todos os que se convertem a Cristo e não uns e outros canonizados …
          Só Jesus está autorizado a interceder pois é o único Mediador entre Deus e os homens.. ( At 4:12).
          Abra a mente

          • Mas uma vez se equivoca em seu julgamento. Quem te iludiu que nunca li a Biblia?
            Na verdade li tudo o que achei do Cristianismo nos seus 4 secs iniciais e vi como adoravam os cristãos de verdade.Tem quase naada a ver com o protestantismo que hoje se denonima evangelico.

            Sobre divorcio não negue que nos paises protestantes tornou-se mero contrato civil e basta ver que divorcio se tornou aceito desde o advento da Reforma em Inglaterra, EUA, SUiça, Suecia e norte alemão. Pesquise um pouco de Historia.
            Até sei que muitos evangelicos defendem a manutenção da familia.Mas o divorcio.
            A canonização é apenas um reconhecimento publico das virtudes de um servo de Cristo. Santo é de fato todo que vive para servir a Cristo. O que se percebe é que fala de nossas crenças sem nos estudar primeiro.
            E Cristo é o unico intermediario necessario pra nossa SALVAÇÃO. O que não invalida a intercessão secundaria e SUBORDINADA dos nossos irmãos falecidos mas vivos na visão beatifica perante Cristo o Senhor.

            Abrir a mente?
            Curioso vcs acham que tudo que precisam saber pra ter uma visão completa do Cristianismo como deve ser esta num Livro Apenas. A Biblia contem toda a verdade formal, mas não toda a matria das verdades de Fé cristã. Basta ver o seguinte:

            Vc encontra em um dos livros da Biblia, de Genesis até Apocalipse, uma lista, um catalogo determinando quais seriam os livros exatos ou sequer o numero certo do canon sagrado?

            Pode ter certeza que não encontra. Então foi preciso uma autoridade exterior a Biblia pra determinar seu canon. Adivinhe quem e veja quantos livros possuia esta mesma Biblia quando começaram a definir o que devia ou não nela constar.
            No passado, amigos evangelicos me disseram: Leia tudo que os primitvos cristãos deixaram (tudo antes de 312 DC) e verá como segue uma Igreja corrompida”.
            Pois é eu li o tudo que encontrei mostra que a ICAR tem muito mais em comum com estes cristãos de antes de 312 do que com qualquer igreja evangelica.

      • ‘E uma falsa concepçao dizer que os catolicos adoram Maria, inventam “santos” para tomar o lugar de Jesus. Tenho pena de tamanha ignorancia. Nao vejo que ha proibiçao de casamento, a nao ser que já se tenha unido sacramentalmente em Matrimonio, nao pode contrar segundas núpcias estando ainda vivo o conjuge. E os filhos sao respeitados? Alguém perguntou se eles querem outro pai, outra mae?

    • SIMPLES; JESUS NÃO TEVE, NÃO IMPLANTOU NEM PRETENDEU RELIGIÃO ALGUMA.
      O QUE MAIS ME ASSUSTA É QUE A SIMPLES PERGUNTA: QUAL A RELIGIÃO DE JESUS CRISTO? – NÃO PARECE EM NENHUM INSTANTE OFENDENDO A ESTE OU A ESTA RELIGIÃO OU DOGMA. UMA PERGUNTA SIMPLES, MAS QUE CONTRARIA RESPOSTAS! SABE, O GRANDE PROBLEMA É QUE QUEREMOS A RESPOSTA QUE GOSTARÍAMOS DE OUVIR! QUAL É A VERDADE, PILATOS PERGUNTOU A CRISTO? ELE SE CALOU. ERA PRECISO PROCURAR ISSO DENTRO DELE! PILATOS PRECISAVA DESCOBRIR ISSO DENTRO DELE MESMO, AFINAL CRISTO JÁ HAVIA PROCLAMADO (REGISTRAD0 Lc.17:21) QUE “O REINO DE D’US ESTÁ DENTRO DE NÓS! SENDO O REINO AS BOAS NOVAS DO EVANGELHO, UM SERMÃO MORAL, ÉTICO E ESPIRITUAL NECESSÁRIO PARA MOMENTO EM QUE O POVO DE ISRAEL ESTAVA PASSANDO, ELE MOSTROU O CAMINHO, MAS NÃO “IMPLANTOU” O CAMINHO. NEM EM PEDRO, POIS JESUS FOI BEM CLARO QUE ELE PRECISAVA SE CONVERTER, E ATÉ MESMO DEPOIS DE JERUSALÉM, ELE AINDA CONTINUOU PRECONCEITUOSO. NEM LUTERO, POIS ESTE TEVE VANTAGENS AFINS COM SUA ATITUDE EM RELAÇÃO AO REI DA INGLATERRA. JESUS ABOMINOU A POLÍTICA HIPÓCRITA DE CONTROLE DE MASSAS. ELE PREGOU A LIBERDADE DE EXISTIR DENTRO DE PADRÕES EQUILIBRADOS NO CONTEXTO HUMANO E ESPIRITUAL. POR QUE INSISTIMOS EM NEGAR UMA RESPOSTA PELO SIMPLES FATO DESTA NÃO CONDIZER A NOSSA RAZÃO!!!!
      SOU PASTORA, MAS AS VEZES TENHO VERGONHA DO TÍTULO… NÓS GUERREAMOS CONTRA NÓS MESMOS, PREFERIMOS NOSSAS RAZÕES, MESMO QUE ESTAS NÃO PROPORCIONEM RESPOSTAS AOS DEMAIS. ESTAMOS PRESOS EM DOGMAS PRÓPRIOS E EM SUPOSIÇÕES QUE ARGUMENTAMOS A PARTIR DO QUE NEM COMPREENDEMOS DE FATO!!!!!
      QUER SABER, O COLEGA QUERIA PROPOR ALGO QUE PODERIA DIRECIONAR A UMA TRANSFORMAÇÃO, MAS A MAIORIA DOS “TEÓLOGOS” QUER CATÓLICOS OU PROTESTANTES NÃO COMPREENDERAM… ACHO QUE VOU PRO SITE ATEU! TEM MENOS BARRACO!!!
      MAS VALEU COLEGA, DESISTE NÃO… QUEM SABE ENCONTRAMOS UMA RESPOSTA NOS “SATANISTAS”, AFINAL QUEM MUITO ACHA QUE VÊ, POUCO ENXERGA!!!
      SHALLOM.
      BARUCH HASHEM ADONAI. HA SHEM YEROSHUAH!

      TYNNY RYPHYCA DOULLON

  5. Pessoal, na boa:
    eu fiz apenas 6 perguntinhas com o intuito de obter respostas sábias, bíblicas e contextualizadas – até agora ninguém as respondeu.

    Gente, não é para ficar acusando um ou outro não!

    Paz a todos!

    • Senhor Ricardo ate lhe peço desculpas por fugir do assunto proposto por ti. Mas não aceito acusaçoes infundadas. Se um pessoa fala que a IG Catolica é contra o casamento então ou esta louca ou age de má fé.

      Particularmente te recomendo ficar com a resposta do Eduardo. Pois em se tratando de discussões teologicas a respeito de interpretação Biblica, todos tem suas passagens biblicas pra provar suas certezas devidamente ” inspirados pelo Esp santo”. Espirito que curiosamente é um só, mas da tantas versões diferentes pra um mesmo assunto a cada igreja que vai.
      Até Lutero lamentou isto veja:“Este não quer o batismo, aquele nega os sacramentos; há quem admita outro mundo entre este e o juízo final, quem ensina que Cristo não é Deus; uns dizem isto, outros aquilo, em breve serão tantas as seitas e tantas as religiões quantas são as cabeças” (Luthers M. In. Weimar, XVIII, 547 ; De Wett III, 6l).
      Se deseja um denominador minimo pra crenças em comum de todo cristão fique com O Credo de Niceia de 325 DC . Eis ai:

      Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra, de todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigênito de Deus, gerado do Pai antes de todos os séculos Deus de Deus, Luz da luz, verdadeiro Deus de verdadeiro Deus, gerado, não feito, da mesma substância do Pai. Por Ele todas as coisas foram feitas. E, por nós, homens, e para a nossa salvação, desceu dos céus: Se encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria, e se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou dos mortos ao terceiro dia, conforme as Escrituras; E subiu aos céus, onde está assentado à direita de Deus Pai. Donde há de vir, em glória, para julgar os vivos e os mortos; e o Seu reino não terá fim. Creio no Espírito Santo, Senhor e fonte de vida, que procede do Pai; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele falou pelos profetas. Creio na Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica. Confesso um só batismo para remissão dos pecados. Espero a ressurreição dos mortos; E a vida do mundo vindouro.

      Como o senhor não deve ser catolico, pode bem tirar de seu credo a parte que fala de crer na Igreja, Una, Santa, catolica e Apostolica. E muito cuidado com os novos modismos das igrejas moderninhas que aceitam casais homo, divorcios e metodos anticoncepcionais.

      A todos sempre recomendo estudem o que deixaram escrito os martires e episcopos consagrados pelos apostolos. Tem muito material deixado pelos mesmos e ali vc poderá saber como organizavam a Igreja Antiga é so buscar bons livros como: A Historia da Igreja de Eusebio de Cesareia(escrito no sec IV) e todos os autores da Patristica. São gente como Inacio de Antioquia(martir 107 DC), Irineu de Lyon (martr 202 DC), Polcicarpo de Esmirna( martir de 180 DC), o relato do martirio deste é comovente. E por ai verá o que é cristão e aquilo que nunca o será.

    • Senhor até lhe peço desculpas, mas não vou deixar alguem falar que somos contra o casamento se a IG Catolica é uma das maiores defensoras da Familia e da união permanente entre os casais. Quem fala o oposto ou age de má fé ou esta louco.

      Em particular te recomendo a primeira resposta dada pelo Eduardo, pois, se formos olhar pela visão teologica todos aqui vão mostrar passagens biblicas pra provar que sua visão é a única aprovada por Cristo. Até Lutero que tanto defendeu o livre Exame lamentou-se disto veja:
      “Este não quer o batismo, aquele nega os sacramentos; há quem admita outro mundo entre este e o juízo final, quem ensina que Cristo não é Deus; uns dizem isto, outros aquilo, em breve serão tantas as seitas e tantas as religiões quantas são as cabeças” (Luthers M. In. Weimar, XVIII, 547 ; De Wett III, 6l).
      “Se o mundo durar mais tempo, será necessário receber de novo os decretos dos concílios (católicos) a fim de conservar a unidade da fé contra as diversas interpretações da Escritura que por aí correm” ( Carta de Lutero à Zwinglio In Bougard, Le Christianisme et les temps presents, tomo IV (7), p. 289).

      Outra recoemndação é fugir dos novos modismos das igrejas modernistas que aceitam divorcio, casamentos e ministros homossexuais e coisas do tipo. Se quer, ainda uma opinião baseada na Biblia te deixo uma escrita pelo apologista Alessandro Lima do site veritatis, ali poderá achar muito material da Antiguidade cristã.

      O que ensina a Bíblia?

      A Bíblia ensina que Nosso Senhor Jesus Cristo, deu o governo da Igreja aos Santos Apóstolos: “Quem vos ouve, a mim ouve; e quem vos rejeita, a mim rejeita; e, quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou” (Lc 10, 16). Aqui vemos o testemunho da autoridade dos apóstolos sobre toda a Igreja dada pelo próprio Cristo.

      A Bíblia dá testemunho de que os apóstolos claramente escolheram sucessores que, por sua vez, possuíram a mesma autoridade de ligar e desligar. A substituição de Judas Iscariotes por Matias (cf. At 1,15-26) e a transmissão da autoridade apostólica de Paulo a Timóteo e Tito (cf. 2 Tm 1,6; Tt 1,5) são exemplos de sucessão apostólica.

      Além destes exemplos claros há também os implícitos como o caso de Apolo. Apolo era um Judeu natural de Alexandria que conhece o verdadeiro Evangelho em Éfeso (cf. At 18,24-28). A Bíblia diz que Apolo foi levado aos discípulos de Cristo que se encontravam em Corinto (cf. At 19,1).

      São Paulo ao escrever sua primeira carta aos cristãos de Corinto faz menção de Apolo, vejam:

      “Pois acerca de vós, irmãos meus, fui informado pelos que são da casa de Cloé, que há contendas entre vós. Refiro-me ao fato de que entre vós se usa esta linguagem: ?Eu sou discípulo de Paulo; eu, de Apolo, eu, de Cefas; eu, de Cristo” (1Cor 1,11-12).

      Bem, sabemos de onde surgiu Apolo e que ele foi enviado a Corinto, mas o que ele está fazendo na Igreja de Corinto?

      São Paulo continua: “Pois quem é Apolo E quem é Paulo? Simples servos, por cujo intermédio abraçastes a fé, e isto conforme a medida que o Senhor repartiu a cada um deles: eu plantei, Apolo regou, mas Deus é quem faz crescer” (1 Cor 3,5-6).

      Notaram? São Paulo fundou a Igreja em Corinto, mas quem cuidava desta Igreja era Apolo, era ele que no dizer no Apóstolo, regava, isto é cuidava da Igreja. Apolo era então o Bispo de Corinto, instituído pelos apóstolos.

      Apesar das palavras do apóstolo serem claras, isso explica porque os cristãos dissensores de Corinto, ao criar um partido, escolheram o nome de Apolo, que era o líder daquela comunidade, isto é, o Bispo.

      O episcopado de Apolo fica ainda mais claro, nas seguintes palavras de São Paulo:

      “Portanto, ninguém ponha sua glória nos homens. Tudo é vosso: Paulo, Apolo, Cefas (Pedro), o mundo, a vida, a morte, o presente e o futuro. Tudo é vosso! Mas vós sois de Cristo, e Cristo é de Deus. Que os homens nos considerem, pois, como simples operários de Cristo e administradores dos mistérios de Deus” (1Cor 3,21-22; 4,1).

      Veja como São Paulo coloca o ministério de Apolo em igualdade com o seu próprio. Ver também (1Cor 4,6).

      Vimos que a Sagrada Escritura ao contrário do que ensinam os “entendedores da Bíblia” não nega a existência da Sucessão dos Apóstolos, como meio de perpertuar de forma segura o ministério dos Apóstolos, ao contrário, ela confirma isso.

      O que diz a história da Igreja?

      Se estamos falando a verdade, devemos obrigatoriamente encontrar na história da Igreja, provas de que a Sucessão Apostólica realmente existia. Caso contrário estaremos somente especulando sobre o que realmente existia na Igreja primitiva, como faz atualmente o protestantismo.

      Vamos ver agora se encontramos na história da Igreja alguma prova da existência da sucessão dos apóstolos:

      Clemente de Roma, o 4º Bispo de Roma na sucessão de São Pedro, em sua primeira carta aos Coríntios (90 D.C) escreve:

      “42. Os apóstolos receberam do Senhor Jesus Cristo o Evangelho que nos pregaram. Jesus Cristo foi enviado por Deus. Cristo, portanto vem de Deus, e os apóstolos vêm de Cristo. As duas coisas, em ordem, provêm da vontade de Deus. Eles receberam instruções e, repletos de certeza, por causa da ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo, fortificados pela palavra de Deus e com plena certeza dada pelo Espírito Santo, saíram anunciando que o Reino de Deus estava para chegar. Pregavam pelos campos e cidades, e aí produziam suas primícias, provando-as pelo Espírito, a fim de instituir com elas bispos e diáconos dos futuros fiéis. Isso não era algo novo: desde há muito tempo, a Escritura falava dos bispos e dos diáconos. Com efeito, em algum lugar está escrito: ?Estabelecerei seus bispos na justiça e seus diáconos na fé” (Is 60,17)”

      “44. Nossos apóstolos conheciam, da parte do Senhor Jesus Cristo, que haveria disputas por causa da função episcopal. Por esse motivo, prevendo exatamente o futuro, instituíram aqueles de quem falávamos antes, e ordenaram que, por ocasião da morte desses, outros homens provados lhes sucedessem no ministério.”

      Vejam que desde o início do Cristianismo já se sabia que os Bispos da Igreja são os sucessores dos Apóstolos. Temos uma prova clara de que a Sucessão dos Apóstolos tinha como objetivo perpetuar o ministério dos Apóstolos, já que a Igreja deveria permanecer ainda na terra durante séculos.

      Portanto, ninguém pode ser intitular Bispo, se não tiver recebido as sagradas ordens através da legítima sucessão dos Apóstolos; e ninguém pode se intitular pastor da Igreja se não tiver recebido a sagrada ordem pelas mãos de um legítimo Bispo.

      A Igreja Apostólica é como um Rio, que possui sua nascente na sucessão dos Apóstolos. É do Colégio dos Apóstolos que a Igreja possui a sua origem, segundo designo do próprio Cristo.

      A Sucessão dos Apóstolos foi algo tão real na vida da Igreja, que muitas destas sucessões foram registradas por alguns historiadores como Hegesipo e Eusébio de Cesaréia.

      Veremos algumas das sucessões dos apóstolos registradas pelo Bispo Eusébio de Cesaréia (Séc IV), historiador da Igreja, em sua obra ?A História Eclesiástica? (HE):

      Sucessão Apostólica em Roma

      “No atinente a seus outros companheiros, Paulo testemunha ter sido Clemente enviado às Gálias (2Tm 4,10); quanto a Lino, cuja presença junto dele em Roma foi registrada na 2ª carta a Timóteo (2Tm 4,21), depois de Pedro foi o primeiro a obter ali o episcopado” (HE III,4,8).

      “A Vespasiano, depois de ter reinado 10 anos, sucedeu Tito, seu filho, como imperador. No segundo ano de seu reinado, o bispo Lino, depois de ter exercido durante doze anos o ministério da Igreja de Roma, transmitiu-o a Anacleto.” (HE III,13)

      “No décimo segundo ano do mesmo império [de Domiciano, irmão de Tito], Anacleto que foi bispo da Igreja de Roma durante doze anos, foi substituído por Clemente, que o Apóstolo [Paulo], na carta aos Filipenses, informa ter sido seu colaborador, nesses termos: ‘Em companhia de Clemente e dos demais auxiliadores meus, cujos nomes estão no livro da vida'” (Fl 4,3)

      “Relativamente aos bispos de Roma, no terceiro ano do reinado do supracitado imperador [Trajano], Clemente terminou a vida, passando seu múnus a Evaristo. No total, durante nove anos exercera o magistério da palavra de Deus.” (HE III,34)

      “Cerca do duodécimo ano do reinado de Trajano (…) Evaristo completado seu oitavo ano, Alexandre recebeu o episcopado em Roma, sendo o quinto na sucessão de Pedro e Paulo.” (HE IV,1)

      “No terceiro ano do mesmo governo [do imperador Aélio Adriano, sucessor de Trajano], Alexandre, bispo de Roma morreu, tendo completado o décimo ano de sua administração. Teve Xisto como sucessor.” (HE IV,4).

      “Ao atingir o império de Adriano já o duodécimo ano, Xisto, tendo completado o décimo ao de episcopado em Roma, teve Telésforo por sucessor, o sétimo depois dos apóstolos.” (HE IV,5,5)

      “Tendo ele [Aélio Adriano] cumprido sua incumbência, após vinte e um anos de reinado, sucedeu-lhe no governo do império romano Antonino, o Pio. No primeiro ano deste, Telésforo deixou a presente vida, no undécio ano de seu múnus e coube a Higino a herança do episcopado em Roma.” (HE IV,10)

      “Tendo Higino falecido após o quarto ano de episcopado, Pio tomou em mãos o ministério em Roma.” (HE IV,11,6)

      “E na cidade de Roma, tendo morrido Pio no décimo quinto ano de episcopado, Aniceto presidiu aos fiéis desta cidade.” (HE IV,11,7)

      “Já atingira o oitavo ano o império de que tratamos [Antonino Vero], quando Sotero sucedeu a Aniceto, que completara onze anos de episcopado na Igreja de Roma.”(HE IV,19)

      “Sotero, bispo da Igreja de Roma, chegou ao termo de sua vida no decurso do oitavo ano de episcopado. Sucedeu-lhe Eleutério, o décimo segundo a contar dos Apóstolos, no décimo sétimo ano do imperador Antonino Vero” (HE V,Introdução,1)

      “No décimo ano do império de Cômodo, Vítor sucedeu a Eleutério, que havia exercido o episcopado durante treze anos.(…)” (HE V,22)

      Sucessão Apostólica em Jerusalém

      “Após o martírio de Tiago e a destruição de Jerusalém, ocorrida logo depois, conta-se que os sobreviventes dos Apóstolos e discípulos do Senhor vindos de todas as partes se congregaram e com os consangüíneos do Senhor ‘ havia um grande número deles ainda vivos ‘ reuniram-se em conselho para verificar quem julgariam digno de suceder a Tiago. Todos unanimemente consideraram idôneo para ocupar a sede desta Igreja Simeão, filho de Cléofas, de quem se faz memória no livro do Evangelho (Lc 24,18; Jô 19,25). Diz-se que era primo do Salvador. Efetivamente, Hegesipo [historiador antigo] declara que Cléofas era irmão de José.” (HE III,11)

      “Por sua vez, tendo Simeão morrido segundo relatamos, um judeu, chamado Justo, ocupou em Jerusalém a sé episcopal. Havia um grande número de circuncisos que acreditavam em Cristo e ele era deste número.” (HE III,35)

      “Certifiquei-me, contudo, por documentos escritos, que, até o assédio dos judeus sob Adriano, sucederam-se em Jerusalém quinze bispos. Diz-se que eram todos hebreus por origem e terem acolhido genuinamente o conhecimento de Cristo. Em conseqüência, aqueles que ali podiam decidir, julgaram-nos dignos do múnus episcopal. Com efeito, a Igreja toda de Jerusalém se compunha então de hebreus fiéis. Assim sucedeu desde o tempo dos apóstolos até o cerco que sofreram então, quando os judeus se contrapuseram aos romanos e foram aniquilados em fortes guerras.

      Uma vez que terminaram nessa ocasião os bispos oriundos da circuncisão, convém levantar agora sua lista, desde o primeiro. Com efeito, o primeiro foi Tiago, denominado irmão do Senhor, depois dele, o segundo foi Simeão; o terceiro, Justo; o quarto, Zaqueu; o quinto, Tobias; o sexto, Benjamim; o sétimo, João; o oitavo, Matias; o nono Filipe; o décimo, Sêneca, o undécimo, Justo; o duodécimo, Levi; o décimo terceiro, Efrém; o décimo quarto, José; finalmente, o décimo quinto, Judas.

      Estes foram os bispos da cidade de Jerusalém, desde os apóstolos até o tempo a que nos referimos. Todos dentre os circuncisos.” (HE IV, 5,2-4)

      “[Durante a perseguição aos Judeus sob o imperador Adriano] a cidade [de Jerusalém] foi reduzida a ser totalmente desertada pelo povo e a perder seus habitantes de outrora. Foi povoada uma raça estrangeira. A cidade romana que a substitui recebeu outro nome, e foi denominada Aélia, em honra do imperador Aélio Adriano. A Igreja da cidade foi composta também de gentios, e após os da circuncisão o primeiro dos bispos a receber a múnus foi Marcos.” (HE IV,6,4)

      “Nesta época [do imperador Cômodo, sucessor de Antonino Vero], era famoso o bispo da Igreja de Jerusalém Narciso, até hoje muito conhecido. Foi o décimo quinto sucessor, após a guerra judaica, sob Adriano. Mostramos que, desde então, a Igreja local constava de gentios, substitutos dos membros da circuncisão e que Marcos foi o seu primeiro bispo proveniente dos gentios.

      Depois dele, as listas dos sucessivos bispos desta região registram Cassiano; em seguida Públio, depois Máximo; após estes, Juliano, e em seguida Caio; depois dele Símaco, outro Caio, e ainda Juliano, após Capitão, a seguir Valente e Doliguiano; por fim Narciso, o trigésimo a contar dos apóstolos, na sucessão regular dos bispos.” (HE V,12)

      A Sucessão Apostólica em Antioquia

      “Evódio foi o primeiro bispo estabelecido em Antioquia; depois ilustrou-se o segundo, Inácio, nessa mesma ocasião.” (HE III,22)

      “Após [Inácio], Heros foi seu sucessor no episcopado em Antioquia” (HE III,36,15)

      “É sabido que, na Igreja de Antioquia, Teófilo foi sexto bispo a contar dos apóstolos, pois Cornélio foi instalado como quarto depois de Heros, nesta cidade, e após, em quinto lugar, Eros recebeu o episcopado.” (HE IV,20).

      A Sucessão Apostólica em Alexandria

      “No quarto ano de Domiciano, Aniano, o primeiro bispo da Igreja de Alexandria, após vinte e dois anos completos de episcopado, morreu. Seu sucessor, como segundo bispo, foi Abíblio” (HE III,14)

      “Nerva [imperador, sucessor de Domiciano] reinou pouco mais de um ano e Trajano lhe sucedeu. No decurso de seu primeiro ano, Abílio, tendo dirigido por treze anos a Igreja de Alexandria, foi substituído por Cerdão. Se contarmos desde o primeiro, Aniano, este foi o terceiro chefe. Nesta ocasião, Clemente estava à frente da Igreja de Roma, e foi o terceiro a ocupar a sé episcopal, depois de Paulo e de Pedro. Lino foi o primeiro, e em seguida Anacleto.” (HE III,21)

      “Cerca do duodécimo ano do reinado de Trajano, bispo de Alexandria, de que falamos um pouco mais acima [Cerdão], deixou a presente vida. Primo foi o quarto, depois dos apóstolos, a assumir o múnus da Igreja de Alexandria.” (HE IV,1)

      “No terceiro ano do mesmo governo [do imperador Aélio Adriano, sucessor de Trajano] (…) na Igreja de Alexandria, Primo morreu no décimo ano em que presidia e sucedeu-lhe Justo.” (HE IV,4).

      “Decorridos um ano e alguns meses [depois do duodécimo ano do império de Adriano], Eumenes teve a presidência na Igreja de Alexandria, em sexto lugar. Seu predecessor [Justo] permaneceu durante onze anos.” (HE IV,5,5)

      “[durante o tempo de imperador Antonino], em Alexandria, Marcos foi nomeado pastor, depois que Eumenes completou treze anos; e tendo Marcos morrido após dez anos de ministério, Celadião assumiu o múnus da Igreja de Alexandria.” (HE IV,11,6).

      “Já atingira o oitavo ano o império de que tratamos [Antonino Vero] (…) Na Igreja de Alexandria, depois que Celadião a presidira durante catorze anos, Agripino assumiu a sucessão” (HE IV,19).

      “Depois que Antonino esteve dezenove anos no governo, Cômodo obteve o poder. No primeiro ano de seu reinado, Juliano assumiu o episcopado das Igrejas de Alexandria, depois de ter Agripino desempenhado suas funções durante doze anos.” (HE V,9)

      “No décimo ano do império de Cômodo, (…) tendo Juliano completado o décimo ano de seu múnus, Demétrio tomou em mãos o ministério das comunidades de Alexandria (…)” (HE V,22)

      Sucessão apostólica em outras localidades

      “Não é fácil dizer quantos discípulos houve e quais se tornaram verdadeiramente zelosos a ponto de serem considerados capazes, depois de comprovados, de apascentar as Igrejas fundadas pelos apóstolos, exceto aquelas cujos nomes é possível recolher dos escritos de Paulo.

      (…)Relata-se ter sido Timóteo o primeiro a exercer o episcopado na Igreja de Éfeso (1Tm 1,3), enquanto o primeiro nas Igrejas de Creta foi Tito (Tt 1,5)” (HE III,4,3-5).

      “Acrescente-se que acerca do areopagita, de nome Dionísio, do qual afirma Lucas nos Atos que, em seguida ao discurso de Paulo aos atenienses no Areópago, foi o primeiro a crer (At 17,34), outro Dionísio, um ancião, pastor da Igreja de Corinto, assevera que ele se tornou o primeiro bispo da Igreja de Atenas” (HE III, 4,10).

      “Policarpo, não somente foi discípulo dos apóstolos e conviveu com muitos dos que haviam visto o Senhor, mas ainda foi estabelecido pelos apóstolos bispo da Igreja de Esmirna, na Ásia. Nós o vimos na infância.” (Melitão de Sardes em apologia ao imperador Vero, conforme HE IV,14,3).

      “(..)Havendo Potino consumado sua vida aos 90 anos em companhia dos mártires da Gália, Ireneu recebeu a sucessão no episcopado da comunidade cristã de Lião, que era dirigida por Potino. Tivemos notícia de que na juventude ele [Ireneu] foi ouvinte de Policarpo” (HE V,5,8)

      Enfim, citamos estes poucos casos porque apresentar todos os testemunhos dos antigos sobre a sucessão dos apóstolos seria demasiadamente trabalhoso. Os exemplos aqui transcritos já são suficientes para provar a existência da sucessão dos apóstolos na história da Igreja de Cristo.

      Conclusão

      Jesus revestiu aos apóstolos da Sua autoridade. A Bíblia em local algum indica que esta autoridade dentro da Igreja iria cessar com a morte dos apóstolos e em lugar algum diz que uma vez morto o último apóstolo, a Palavra de Deus escrita tornar-se-ia a autoridade final.

      Não há fidelidade à Bíblia, sem fidelidade à Igreja de Cristo. A Igreja sempre foi “a coluna e o fundamento da verdade” (cf. 1Tm 3,15) para os cristãos. Quem conhece a memória cristã sabe, que a Bíblia demorou séculos para ser discernida pela Igreja, e que os ensinamentos sucessores dos apóstolos eram recebidos como ensinamentos dos próprios apóstolos:

      “Impossível enumerar nominalmente todos os que então, desde a primeira sucessão dos Apóstolos, tornaram-se pastores ou evangelistas nas Igrejas pelo mundo. Nominalmente confiamos a um escrito apenas a lembrança daqueles cujas obras agora representam a tradição da doutrina apostólica” (HE III,37,4).

      É exatamente através da sucessão apostólica, que podemos identificar onde está a Igreja de Cristo. O colégio dos apóstolos é o que faz visível a Igreja Espiritual. Sem o ministério dos apóstolos não há Igreja; e a perpetuação deste ministério está no ministério dos sucessores dos apóstolos. Como vimos é isto que ensina a Bíblia e é este o testemunho da história do Cristianismo.

      • Incrível como sou julgado por levar em consideração “apenas’ a Bíblia. Pois ratifico que a Bíblia ésuficiente para nos conduzir às verdades eternas. Lâmpada para os meus pés é a Tua palavra… luz para o meu caminho.
        Por falar em livro de história,,, aprendi que a Reforma se deu em decorrência dos abusos da ICAR no passado, que inclusive ñ permitia que as pessoas tivessem acesso às escrituras…. era escrita em Latim.. Lutero foi excomungado po traduzí-la para a língua alemã… A ICAR esqueceu do Sl 1… … antes tem o seu prazer na lei do Senhor e nela medita de dia e de noite.
        É fato que Deus levanta seus ministros e lhes dá autoridade.. porém sempre que esse líder se desvia da verdade Ele levanta outro… Você percebe isso ao ler a história de Saul, que foi o 1º rei de Israel.. porém se desviou … Deus então levantou Davi… Tudo passa .. mas a palavra do senhor não passará!!!
        fácil evocar autoridade pela sucessão dos apóstolos… porém esquece que a maior autoridade continua sendo o Palavra.
        Incrivel como se defende a intercessão por parte dos “santos”… Como se Jesus não tivesse poder suficiente para interceder diante do Pai e precisasse de “ajuda”.. Nunca li na Bíblia um cristão rogando a um “santo” para que este intercedesse diante de Jesus.. pra depois Ele ir ao Pai… Ele disse : tudo quanto pedirdes EM MEU NOME, isto farei…
        só por este motivo já percebemos o desvio da ICAR… repondendo a pergunta… Jesus certamente estaria na igreja que preserva os Seus ensinos deixados na Palavra. Ele disse… Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, este é o que me ama!

        • Veja só senhor Elias, vc me fala para “abrir a mente”. O senhor acha mesmo que nunca antes nenhum evangelico tentou me dizer a mesma coisa? Alguns até usaram de palavras e afirmativas maldosas.

          No passado, outros me disseram: ” Busque conhecer os escritos dos primeiros cristãos, aqueles de antes de Constantino I, o imperador que “fundou ” a IG Catolica” (ha ha haha ha).

          Sabe o que fiz ? Segui o conselho deles e li tudo o que achei. O que encontrei foi praticas e crenças tidas hoje me dia como “romanizantes” e “pagãs” por gente que se considera os autenticos servos de Cristo e tudo isto muito antes de qualquer Constantino.

          Sobre Lutero, eu gostaria de ver este autor e livro de História que disse que Lutero foi excomungado por traduzir a Biblia para o alemão. Que eu saiba ele já estava excomungado e posso te provar que ja havia uma dezena de traduções somente em alemão da Biblia antes deste senhor.
          Ademais vc viu a citação que postei do mesmo Lutero sobre os excessos e desvios que acabavam com toda unidade de Fé no Cristianismo. Hoje so piorou pois em nome da Livre Interpretação já temos igrejas com pastores travecos e autorizando divorcio e casamentos homo. Tudo em nome do amor de Deus e do Esp santo .

          Quem disse a vc que os santos servos de Deus tem poderes de intercessão concorrentes com Cristo. Ou que a ICAR ensina que adotamos esta intecessão porque Cristo é um deus fraco e precisa de auxiliares?

          Vc como 90 % ou mais dos ditos evangelicos fala o que não sabe. Seria o mesmo que eu falar que a Biblia de vcs tem 50 livros.

          outra coisa: SOLA Biblia ou so a palavra?
          Pesquise na antiguidade crstã, no tempo dos martires quem repetiria isto que vc disse.
          Ninguem o diria ate porque antes do sec IV não havia um canon definido para o mundo cristão. A primeira grande reunião definidora de canon foi em Roma no ano de 382 com o concilio liderado pelo papa Damaso I. E canon de 73 livros. Ou seja coube a Ig catolica estabelecer o que é ou não palavra de Deus. E vc aceita isto sem saber.
          Vc sabe que a Biblia foi escrita em grego, aramaico e hebraico. O laitm devemos a tradução de S Jeronimo, bispo e que o fez a pedido deste mesmo papa que citei acima.

          E porque? As pessoas eram em sua grande maioria analfabetas ate o sec XIX( mesmo em paises evangelicos, a Inglaterra protestatante e pais mais rico do mundo, tinha mais analfabetos que a catolica França).
          O latim foi a lingua universal dos homens alfabetizados( era tão ou mais popular que o ingles e espanhol juntos) até o sec XVIII, ao traduzir a Bilbia para o latim a ICAR facilitou seu conhecimento. Ja postei um texto bem longo expilcando isto numa das perguntas do link de pergs populares.

        • E uma outra obs.
          Saul era um rei, não um sacerdote. Foi ungido por Samuel profeta e juiz escolhido por Deus. De fato Cristo levantou gente como Inácio de Loyola e Francisco Xavier para reerguer a ICAR num tempo onde muitos usavam a batina apenas para enriquecer e mandar mais. Mas qual foi o profeta que ungiu Lutero, ou Calvino ou Henrique VIII….

          Ademais tratava- se de desvios morais, não desvios doutrinários. E , se assim for como Lutero, que afirmou que Cristo que Jesus adulterou com a samaritana do poço, pode ter sido um homem eleito por Deus para restaurar algo…..
          Nem o pior dos papas disse tal blasfêmia sobre o Salvador do Mundo. E aquele que duvidar do que eu disse acima pode me pedir a prova das palavras profanas e imundas de Martin Lutero que mostro COM TODA SATISFAÇÃO.

          A maior autoridade da Biblia, mas uma vez te desafio a mostrar nesta que vc julga ser poder acima da autoridade dos apóstolos e de seus sucessores sequer o seu canon descrito num dos apenas 66 livros de seus canon protestante.

          Se tudo o que temos que saber esta ali, então porque Deus não fez com que um de seus servos escrevesse ali o numero e os nomes dos componentes da Biblioteca santa…..muito curioso.

          Assim sendo, tivemos que ter uma autoridade EXTERIOR A BIBLIA PARA DETERMINAR O QUE ERA OU NÃO SAGRADO E ORTODOXO , O QUE DEVIA OU NÃO DEVIA SER CHAMADO DE LIVROS SAGRADOS. Aqueles que isto o fizeram tem, portanto, a função de interpretar corretamente as verdades de Fé da Biblia e não porque são especiais por si mesmos, mas porque receberam a imposição de mãos de homens continuadores da devida doutrina cristã apostólica.

          • ha ha ha vc me diverte com suas fábulas !!!!
            Claro que sei que a Bíblia foi inicialmente fruto de um concílio da ICAR.. Mas isso foi muito antes da cisão, antes da união do Governo e a Igreja. Esqueceu que os protestantes surgiram da cisão da ICAR, pois não aturavam mais tantas heresias e abusos???? Se alguem mandou vc ler história antes de Constantino, realmente errou.. aconselho vc a ler a Bíblia e se ater ao Canon… certamente o q vc encontrará será suficiente para basear a sua fé!
            Quanto a perseguição pela tradução da bíblia vc pode se divertir vendo um filme secular (ñ é evangélico) chamado LUTERO.
            Quanto a Lutero, quem o ungiu foi exatamente a ICAR, esqueceu que ele foi um dos monges da ICAR.. assim… a unção se deu exatamente pelas autoridades proféticas da linha de sucessão da sua querida ICAR!!! ( contraditório não?)
            Só não contavam com o fato de ele ser tão estudioso das escrituras e perceber tantas contradições na ICAR.
            Por que toda instituição que deseja iludir as pessoas se arrogam com a exclusividade de interpretação das escrituras?
            pense nisso..

          • Olha Elias eu não venho aqui contar fabulas pois não sou mentiroso. Se vc ou no seu meio as pessoas gostam de dar falso testemunho azar o teu; agora não me venha medir por sua regua. Mais uma vez não sei se vc fala isto por má fé ou por desconhecimento.

            Mas vamos aos absurdos de suas invectivas:

            Ja ate me acostumei com este tipo de acusações da parte de vcs, haja visto que as injurias são as razões de quem ja perdeu toda razão.

            O concilio de 382 DC é posterior a suposta fusão que vcs acusam -nos de ter feito com o Estado Romano via Constantino I e sua dinastia. ele reinou entre 306 /336DC. Então o concilio dirigido por Damaso já seria depois da suposta união Estado Igreja. Mas muito antes disto é possivel mostrar que os cristãos e martires já se utilizavam da Biblia de 73 livros.

            Outa coisa se a IG Catolica fosse una aos Estado e a familia de Constantino o papa Liberio I não teria sido exilado pra Romenia por Constancio I, filho de Constantino. O imperador era hereje e renegava a SS Trindade e Liberio ficou oposto ao mesmo.
            Então Lutero não tinha poder pra remover nenhum livro.Quanto mais 7.E isto é so uma amostra de que o velho discurso de vcs é falso.
            Ou vai negar que muitos de vcs sempre falam: ” A Ig Primitiva era TOTALMENTE OPOSTA A ICAR, e depois de Constantino a igreja adotou mil praticas pagãs” e etc…

            Tai senhor veja como os cristãos de verdade agiam e pensavam. Mas duvido muito que vc faça isto já que prefere seguir as ideias luterano- calvinistas que NÃO SÃO CRISTÃS.

            Lutero ungido???????

            É vc outra vez so mostra desconhecimento(tai uma coisa que poderia corrigir se estudasse so um pouquinho), mas deixa pra lá afinal não se pode pedir de alguem o que este não tem pra ofertar.
            Ele era padre, um presbitero e somente um bispo(que é sucessor dos apostolos com plenos poderes que pode ordenar outros legitimos sucessores). Alem disto, mesmo que fosse um bispo teria que ensinar o certo e não negar por exemplo o cano de 73 livros.
            Ai o senhor me diz que basta o canon se nem usa o numero certos de livros sagrados. Muito contraditorio.

            O filme que vc me citou não é secular. Se olhar os creditos verá que foi bancado pela união das Igrejas Luteranas. E de todo modo mostra que ele era louco e via demonios o tentando o tempo todo. Fora que mostra de forma obliqua sua subserviencia aos nobres alemãos que so queriam tomar terras e bens eclesiasticos.

            Se de fato ele quissesse seguir a Biblia não teria dito que matrimonio é dissoluvel por divorcio e que o mesmo não passa de um mero contrato civil. Assim falando transformou Cristo num mentiroso.
            Alem disto ja trasncrevi a palavra do proprio apostolo Paulo mandando guardar as suas instruções orais e as escritas, portanto o discurso sola Biblia não é cristão.

            Em1 Cor 11,2, por exemplo, lemos: “Eu vos felicito por vos lembrardesde mim em toda ocasião e conservardes as tradições tais como euvo-las transmiti” (4). São Paulo está claramente recomendando quemantenham a tradição oral, e deve ser notado em particular que elecongratula os fiéis por fazê-lo (Eu vos felicito…). Também é explícito notexto o fato de que a integridade desta Tradição oral apostólica eraclaramente mantida, da mesma forma como Nosso Senhor haviaprometido, sob o auxílio do Espírito Santo (cf. Jo 16,13).

            Talvez o mais claro apoio bíblico para a Tradição oral seja 2 Ts 2,15, onde os cristãos são enfaticamente advertidos: “Assim, pois, irmãos, ficai inabaláveis e guardai firmemente as tradições que vos ensinamos, de viva voz ou por carta”. Esta passagem é significante porque: a) mostra uma tradição oral apostólica vivente, b) diz que os cristãos estarão firmemente fundamentados na fé se aderirem a estas tradições e c) claramente afirma que estas tradições eram tanto escritas como orais. A Bíblia distintamente mostra aqui que as tradições orais – autênticas e apostólicas em sua origem – deveriam ser seguidas como componente válido do Depósito da Fé, então por quais razões ou desculpas os protestantes a rejeitam? Com que autoridade podem rejeitar uma exortação clara do apóstolo Paulo?

  6. Como bem imagino que vc vai falar que os mortos estão “dormindo” e não podem nos ouvir vou te postar uma boa explicação de como estão sim conscientes e intercedendo pelos fieis na presença de Nosso Salvador o Cristo.
    E veja que tais explicações são confirmadas pelos discipulos diretos deixados pelos apostolos para pregar o evangelho apos a morte deles. Quem merece mais credito, um martir e que foi ensinado diretamente por algum dos 12 apostolos ou Lutero e Calvino que ensinaram este absurdo de que os justos falecidos adormecem?

    Quando a Escritura diz que alguém que morreu está dormindo, ou descansando, está se referindo à bem-aventurança alcançada por ter morrido na amizade de Deus, e não porque a alma esteja dormindo.

    Na linguagem semítica utilizada pela Bíblia, o prêmio daqueles que permanecem fiéis a Deus é comparado a um descanso.

    Os israelitas passaram 40 anos no deserto, após o Senhor tê-los libertado do cativeiro no Egito. Devido à grande murmuração do povo, nem todos chegaram à Terra Prometida. É o que recorda o Salmista:

    “Não vos torneis endurecidos como em Meribá, como no dia de Massá no deserto, onde vossos pais me provocaram e me tentaram, apesar de terem visto as minhas obras. Durante quarenta anos desgostou-me aquela geração, e eu disse: É um povo de coração desviado, que não conhece os meus desígnios. Por isso, jurei na minha cólera: Não hão de entrar no lugar do meu repouso” (Sl 94,8-11) (grifos meus).

    Também ensinou Isaías: “Aquele que à direita de Moisés atuou com o seu braço glorioso, e dividiu as águas diante dos seus para assegurar-se um renome eterno; e os conduziu através dos abismos, sem tropeçarem, como o cavalo em descampado. Como ao animal que desce ao vale, o espírito do Senhor os levava ao repouso. Foi assim que conduzistes vosso povo, para afirmar vosso glorioso renome” (Is 63,12-14).

    O início desta teologia se encontra em Deuteronômio: “Quando tiverdes passado o Jordão e vos tiverdes estabelecido na terra que o Senhor, vosso Deus, vos dá em herança, e ele vos tiver dado repouso, livrando-vos dos inimigos que vos cercam, de sorte que vivais em segurança” (Dt 12,10) (grifos meus).

    Povo chegou ao Jordão pelo comando de Josué, sucessor de Moisés. Moisés foi proibido de entrar na Terra Prometida por ter quebrado as primeiras tábuas dos Dez Mandamentos (cf. Ex 32,19; Dt 32,50-52; Dt 34,1-4).

    Josué, testemunha em seu livro o cumprimento da promessa do Senhor: “E o Senhor deu-lhes repouso em todo o derredor de sua terra, como tinha jurado a seus pais; nenhum dos seus inimigos pôde resistir-lhes, pois o Senhor entregou-os todos nas suas mãos” (Js 21,44) (grifos meus).

    A peregrinação que os Israelitas fizeram no deserto durante 40 anos e a posse da Terra Prometida dada aos fiéis, é figura da nossa peregrinação terrestre, na qual os que vencerem tomarão posse da Pátria do Povo de Deus, isto é, o Céu.

    Este é o ensinamento que encontramos na Carta aos Hebreus:

    “Se, pois, ele repete: Não entrarão no lugar do meu descanso [cf. Sl 94,11], é sinal de que outros são chamados a entrar nele. E como aqueles a quem primeiro foi anunciada a promessa não entraram por não ter tido a fé, Deus, após muitos anos, por meio de Davi, estabelece um novo dia, um hoje, ao pronunciar as palavras mencionadas: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações. Se Josué lhes houvesse dado repouso, não teria depois disso falado dum outro dia. Por isso, resta um repouso sabático para o povo de Deus. E quem entrar nesse repouso descansará das suas obras, assim como descansou Deus das suas. Assim, apressemo-nos a entrar neste descanso para não cairmos por nossa vez na mesma incredulidade. Porque a palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes e atinge até a divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração” (Hb 4,5-12) (grifos meus).

    O autor chama o prêmio dos justos de “repouso sabático” pois o compara com o descanso de Deus após a criação, que se deu num sábado.

    A Carta aos Hebreus, além de confirmar que o sono, repouso ou descanso dos justos é a posse da bem-aventurança, também dá testemunho da realidade dualística do homem: alma e corpo.

    O ensinamento desta epístola é confirmado pelo salmista: “Apenas me deito, logo adormeço em paz, porque a segurança de meu repouso vem de vós só, Senhor” (Sl 4,9).

    Também ensinou o Profeta Isaías: “Porque aqui está o que disse o Senhor Deus, o Santo de Israel: É na conversão e na calma que está a vossa salvação; é no repouso e na confiança que reside a vossa força” (Is 30,15).

    Por isso que Jesus ao ressuscitar a filha do centurião (Mc 5,35-39), a filha do chefe da sinagoga (Mt 9,23-25) e Lázaro (cf. Jo 11,11-14), diz que estão dormindo. Pois, morreram na amizade de Deus. Se fossem ímpios Jesus não os ressuscitaria, pois já estariam perdidos. Mas, antes mortos e agora ressuscitados, serviriam como testemunhas da Majestade de Jesus, tanto por terem visto o Céu quanto por serem ressurretos.

    O destino do espírito após a morte do corpo

    Veja o que ensina o Salmo: “Este é o destino dos que estultamente em si confiam, tal é o fim dos que só vivem em delícias. Como um rebanho serão postos no lugar dos mortos; a morte é seu pastor e os justos dominarão sobre eles. Depressa desaparecerão suas figuras, a região dos mortos será sua morada. Deus, porém, livrará minha alma da habitação dos mortos, tomando-me consigo” (Sl 48,14-16) (grifos meus).

    Como vimos o Salmo ensina que o justo é tomado por Deus, isto é, seu destino é o Céu.

    Interessante é também notar que aqueles que citam os versículos 5 e 10 do capítulo 9 do Eclesiástico, parecem que não terminaram de ler esse livro. Com efeito, no último capítulo encontramos a confirmação do ensinamento do salmo 48: “E o pó volte à terra, como era, e o espírito volte a Deus que o deu” (Ecl 12,7) (grifos meus).

    Vimos no Gênesis que Deus formou Adão do pó da terra e depois lhe deu o espírito. Segundo o Eclesiastes, o corpo dos mortos (pó) volta à terra e o espírito vai para Deus.

    Jesus na parábola do Lázaro e do rico (cf. Lc 16,20-31) ensina que o justo é levado à presença de Deus pelos anjos, enquanto o ímpio é jogado no inferno. Estamos falando do espírito humano, pois os dois ressuscitarão no Dia do Senhor (volta de Cristo); o primeiro para a Glória Eterna, o segundo para o Castigo Eterno.

    “Mas, cheio do Espírito Santo, Estêvão fitou o céu e viu a glória de Deus e Jesus de pé à direita de Deus: Eis que vejo, disse ele, os céus abertos e o Filho do Homem, de pé, à direita de Deus. Levantaram então um grande clamor, taparam os ouvidos e todos juntos se atiraram furiosos contra ele. Lançaram-no fora da cidade e começaram a apedrejá-lo. As testemunhas depuseram os seus mantos aos pés de um moço chamado Saulo. E apedrejavam Estêvão, que orava e dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito” (At 7,55-59) (grifos meus).

    Com efeito, Santo Estêvão sabia que seu espírito não estaria dormindo após sua morte, mas que seria levado a Deus.

    São Paulo também ensinou que os espíritos dos justos estão na presença de Deus: “Estamos, repito, cheios de confiança, preferindo ausentar-nos deste corpo para ir habitar junto do Senhor. É também por isso que, vivos ou mortos, nos esforçamos por agradar-lhe” (2 Cor 5,8-9).

    Como poderiam os justos esforçarem-se para agradar a Deus após a morte se estivessem dormindo? Ou ainda, como poderiam ausentar-se do corpo e “ir habitar junto do Senhor” se o espírito dos justos não voltassem para Deus que os deu (cf. Ecl 12,7)?

    Testemunhos Primitivos

    Agora traremos à tona a Memória Cristã, transcrevendo alguns testemunhos primitivos sobre a Fé recebida dos Apóstolos sobre a consciência dos mortos.

    ?Portanto, supliquemos também nós pelos que se encontram em alguma falha, a fim de que lhe sejam concedias moderação e humildade, e para que cedam, não a nós, e sim à vontade de Deus. Então, quando nos lembrarmos deles com espírito de misericórdia diante de Deus e dos santos, nossa oração produzirá frutos e será perfeita […]? (Primeira Carta de Clemente aos Coríntios, 56. São Clemente, Papa. 90 d.C) (grifos meus).

    São Clemente foi discípulo pessoal de São Paulo (cf. Fl 4,3) e o terceiro sucessor de São Pedro, no Episcopado da Igreja de Roma. Ora, se para os primeiros cristãos os justos estivessem ?dormindo?, ele não pediria aos fiéis para apresentarem suas orações diante de Deus e dos santos.

    ?Meus espírito se sacrifica por vós, não somente agora, mas também quando eu chegar a Deus […]? (Carta ao Tralianos, 13. Santo Inácio, Bispo de Antioquia. 107 d.C) (grifos meus).

    Santo Inácio foi discípulo pessoal de Pedro e Paulo. Era também chamado pelos antigos cristãos de Teósforo, que significa “Carregado por Deus”, por ser a criança que Cristo pega no colo em Mc 9,36. Com efeito, se os Apóstolos Pedro e Paulo tivessem ensinado a Inácio que os mortos ?dormem?, ele não acreditaria que os justos estão diante de Deus intercedendo pelos que ainda não completaram o caminho da vida (cf. Ap 6,9-11; Ap 20,4). Mas, ele não só crê, mas ensina que quando chegar ao Céu estará ainda a serviço de Deus pelos que estão aqui na terra.

    “Portanto, eu vos exorto a todos, para que obedeçais à palavra da justiça e sejais constantes em toda a perseverança, que vistes com os próprios olhos, não só nos bem-aventurados Inácio, Zózimo e Rufo, mas ainda em outros que são do vosso meio, no próprio Paulo e nos demais apóstolos. Estejam persuadidos de que nenhum desses correu em vão, mas na fé e na justiça, e que eles estão no lugar que lhes é devido junto ao Senhor, com o qual sofrefram. Eles não amaram este mundo, mas aquele que morreu por nós e que Deus ressuscitou para nós” (Segunda Carta aos Filipenses, 9. São Policarpo, Bispo de Esmirna. 160 d.C) (grifos meus).

    São Policarpo, foi discípulo pessoal de São João Apóstolos e segundo a Tradição, instituído pelo próprio São João, Bispo de Esmirna (na Turquia). Assim como São Clemente e Santo Inácio, São Policarpo, outro discípulo pessoal dos apóstolos não ensinou o “sono da alma”. Mas que após a morte os justos se encontram “no lugar que lhes é devido junto ao Senhor”.

    “O Senhor ensinou clarissimamente que as almas não só perduram sem passar de corpo em corpo, mas conservam imutadas as características dos corpos em que foram colocadas e se lembram das ações que fizeram aqui na terra e daquelas que deixaram de fazer. É o que está escrito na história do rico e de Lázaro que repousava no seio de Abraão. Nela se diz que o rico, depois da morte, conhecia tanto Lázaro como Abraão e que cada um estava no lugar a ele destinado. O rico pedia a Lázaro, ao qual tinha recusado até as migalhas que caíam de sua mesa, que o socorresse; com a sua resposta, Abraão mostrava conhecer não somente Lázaro, mas também o rico e ordenava que aqueles que não quisessem ir para aquele lugar de tormentos escutassem Moisés e os profetas antes de esperar o anúncio de alguém ressuscitado dos mortos. Tudo isso supõe clarissimamente que as almas permanecem, sem passar de corpo em corpo, que possuem as características do ser humano, de sorte que podem ser reconhecidas e que se recordam das coisas daqui de baixo; que também Abraão possuía o dom da profecia e que cada alma recebe o lugar merecido mesmo antes do dia do juízo” (Contra as Heresias, II,34,1. Santo Ireneu, Bispo de Lião. 202 d.C.) (grifos meus).

    Santo Ireneu foi discípulo de São Policarpo. Com sua ortodoxia, ele combate de uma só vez os erros da reencarnação, da inconsciência da alma e da negação do juízo particular pelo qual todos passam logo após a morte.

    Há muitos outros testemunhos dos discípulos pessoais dos apóstolos, mas transcrevi aqui as palavras daqueles que os antigos consideravam os mais importantes e fiéis à Tradição dos Apóstolos.

    E eu chorava muito, porque ninguém fora achado digno de abrir o livro, nem de o ler, nem de olhar para ele.

    E disse-me um dos anciãos: Não chores; eis aqui o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, que venceu, para abrir o livro e desatar os seus sete selos.

    E olhei, e eis que estava no meio do trono e dos quatro animais viventes e entre os anciãos um Cordeiro, como havendo sido morto, e tinha sete chifres e sete olhos, que são os sete espíritos de Deus enviados a toda a terra.

    E veio, e tomou o livro da destra do que estava assentado no trono.

    E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.

    E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação;
    Apocalipse 5:4-9
    E os quatro animais diziam: Amém. E os vinte e quatro anciãos prostraram-se, e adoraram ao que vive para todo o sempre.
    Apocalipse 5:14

    Ou ainda
    E vi os sete anjos, que estavam diante de Deus, e foram-lhes dadas sete trombetas.

    E veio outro anjo, e pôs-se junto ao altar, tendo um incensário de ouro; e foi-lhe dado muito incenso, para o pôr com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro, que está diante do trono.

    E a fumaça do incenso subiu com as orações dos santos desde a mão do anjo até diante de Deus.
    Apocalipse 8:2-4

    De modo que se os mortos servos de Deus adormecem temos 24 anciões sonambulos diante do altar(imagino que Cristo seja ai sim muito fraco para faze-los dormir) e que o Apocalipse deveria ser retirado da Biblia de vcs, bem como a carta aos Hebreus. Alias, bem que Lutero quis mesmo fazer isto e se duvida ainda posso provar.

  7. Olá amados do Senhor!

    Devemos ter em mente, que só Deus é ONIPRESENTE, este atributo é exclusivo de Deus *Pai, de Jesus Cristo e, Espírito Santo – S.O.M.E.N.T.E., – qualquer coisa que passar disso, devemos considerar heresia.

    Para um crente, um santo, uma pessoa comum que crer em Deus interceder por alguém depois de ter partido desta vida para outra, precisaria ser primeiramente ser ONIPRESENTE, para ouvir os pedidos e orações daqueles que invocam os seus nomes, ou sei lá o quê… Ou, deveria atender um (por está perto dele – e aqui já entra espiritismo), e desprezar milhares ou milhões, que também clamam pelo mesmo nome.

    Enquanto ficarmos nessa, de ouvir o que falam e tomar como verdade, e não buscar entendimento primeiramente no Espírito Santo, seremos levados por todo vento de doutrina humana.

    Paz aos que são da paz!
    Deus vos abencoe em nome do Senhor Jesus

    • Lembra-te que Cristo mesmo disse que no Ceu todos seremos como anjos( e estes sabem o que se passa conosco posi estão em comunhão com Deus). HERESIA SERIA SE alguem dissesse que santos e anjos tem poderes proprios e particulares para atender algum pedido sem passar pela autorização de Cristo.
      Este negocio de ensinar que Os fieis falecidos estão em descanço inconsciente so tomou corpo no sec XVI com a Reforma.
      O que mostrei é bem suficiente ´pra mostrar que a Biblia e a IG Primitiva defendem a intercessão subordinada dos santos servos de Deus no pos morte e perante o Salvador.
      Ja que tantos querem servir a Jesus do modo mais correto então aprendam com os mehores cristãos que já existiram e com sua exegese biblica. Eu é que não vou dar credito a heresias que surgiram a 500 anos passados.

      • Outra vez com esse papo de “intercessão subordinada”, que na prática é apenas IDOLATRIA. Perceba como voltaram as práticas idólatras de confecção de imagens de madeira, gesso, louça ( que ganharam status de deuses entre os católicos). Que dedicam suas vidas à adoração, rezas e procissões carregando uma imagem sem vida.. igual nós podemos encontrar nos tempos bíblicos- Is 46: 6- Gastam o ouro da bolsa, e pesam a prata nas balanças; assalariam o ourives, e ele faz um deus, e diante dele se prostram e se inclinam.
        7 – Sobre os ombros o tomam, o levam, e o põem no seu lugar; ali fica em pé, do seu lugar não se move; e, se alguém clama a ele, resposta nenhuma dá, nem livra alguém da sua tribulação.

        Deus fala a respeito dessa prática de adoração a imagens.
        O ferreiro, com a tenaz, trabalha nas brasas, e o forma com martelos, e o lavra com a força do seu braço; ele tem fome e a sua força enfraquece, e não bebe água, e desfalece.
        O carpinteiro estende a régua, desenha-o com uma linha, aplaina-o com a plaina, e traça-o com o compasso; e o faz à semelhança de um homem, segundo a forma de um homem, para ficar em casa.
        Quando corta para si cedros, toma, também, o cipreste e o carvalho; assim escolhe dentre as árvores do bosque; planta um olmeiro, e a chuva o faz crescer.
        Então serve ao homem para queimar; e toma deles, e se aquenta, e os acende, e coze o pão; também faz um deus, e se prostra diante dele; também fabrica uma imagem de escultura, e ajoelha-se diante dela.
        Metade dele queima no fogo, com a outra metade prepara a carne para comer, assa-a e farta-se dela; também se aquenta, e diz: Ora já me aquentei, já vi o fogo.
        Então do resto faz um deus, uma imagem de escultura; ajoelha-se diante dela, e se inclina, e roga-lhe, e diz: Livra-me, porquanto tu és o meu deus.
        Nada sabem, nem entendem; porque tapou os olhos para que não vejam, e os seus corações para que não entendam.
        E nenhum deles cai em si, e já não têm conhecimento nem entendimento para dizer: Metade queimei no fogo, e cozi pão sobre as suas brasas, assei sobre elas carne, e a comi; e faria eu do resto uma abominação?
        Isaías 44:12-19
        Abominação é o que Deus diz a respeitos dessa prática absorvida na ICAR. Não venha com esse papo de que não é adoração .. é apenas VENERAÇÃO… tem que ser muito idiota para engolir essa história!!!!
        Quanto a intercessão já temos o Espírito Santo para interceder por nós, não há a necessidade de outros “ajudantes” . E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis.
        E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que segundo Deus intercede pelos santos.
        Romanos 8:26-27
        Temos também Jesus Cristo junto ao Pai intercedendo por nós>
        Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós.
        Romanos 8:34
        Como podemos perceber apenas aquele que tem atributos da Divindade podem interceder por nós!
        Resgatar escritos não canônicos e fazer disso uma doutrina só pode dar no que deu… a legitimidade da idolatria na ICAR!!! lamentável!!!!!

        • Mas outra rodada de falacias e calunias onde vc nada refutou do que apontei como fundamento biblico. O que mais uma vez mostra um sujeito que não admite que seu discurso de sola Biblia é falso. Ou so é usado nos momentos que melhor e mais lhe convem.

          Apontei passagens de Apocalipse e de Hebreus. Se estes mesmos são apocrifos então rasgue da sua Biblia cara. Faça aquilo que Lutero quis mas no fim não o deixaram fazer. Se ja rasgaram 7 podem muito bem retirar mais 2.

          Talvez o primeiro texto que dá testemunho da veneração dos santos como ainda nós católicos praticamos hoje, com honra, homenagem, celebração dos heróis e modelos da fé, seja a Carta que a Igreja de Esmirna enviou à Igreja de Filomélio, narrando o Martírio de São Policarpo (Bispo de Esmirna e discípulo do Apóstolo São João). Este documento de meados do segundo século é o texto hagiográfico mais antigo que se tem notícia.

          A Carta nos dá testemunho que após o martírio de São Policarpo, os cristãos de Esmirna tentaram conseguir a posse de seu corpo, para dar ao mártir um sepultamento adequado. Mas, foram impedidos pelas autoridades que eram influenciadas pelos judeus rabínicos, que diziam que os cristãos queriam o corpo de São Policarpo para adorá-lo como faziam com Cristo.

          Na carta é interessante o comentário que os cristãos de Esmirna fazem por causa da ignorância que os judeus tinham sobre a diferença da adoração que os cristãos prestavam somente a Nosso Senhor Jesus Cristo e a veneração prestada aos Santos. Semelhantes a nós católicos dos últimos séculos, os católicos do passado escreveram:

          “Ignoravam eles que não poderíamos jamais abandonar Cristo, que sofreu pela salvação de todos aqueles que são salvos no mundo, como inocente em favor dos pecadores, nem prestamos culto a outro. Nós o adoramos porque é o Filho de Deus. Quanto aos mártires, nós os amamos justamente como discípulos e imitadores do Senhor, por causa da incomparável devoção que tinham para com seu rei e mestre. Pudéssemos nós também ser seus companheiros e condiscípulos!” (Martírio de Policarpo 17:2 +- 160 D.C).

          E mais adiante esta importantíssima prova da fé primitiva, dá testemunho do costume que a Igreja tinha em guardar uma data, para celebrar a memória dos Santos, como Ela faz até hoje:

          “Vendo a rixa suscitada pelos judeus, o centurião colocou o corpo no meio e o fez queimar, como era costume. Desse modo, pudemos mais tarde recolher seus ossos [de Policarpo], mais preciosos do que pedras preciosas e mais valiosos do que o ouro, para colocá-lo em lugar conveniente. Quando possível, é aí que o Senhor nos permitirá reunir-nos, na alegria e contentamento, para celebrar o aniversário de seu martírio, em memória daqueles que combateram antes de nós, e para exercitar e preparar aqueles que deverão combater no futuro.” (Martírio de Policarpo 18 +- 160 D.C)

          Portanto, a Veneração dos Santos, não é idolatria e sim uma legítima e piedosa doutrina cristã que tem berço na Tradição da Igreja nascente.
          ++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
          Viu como vc se comporta como os fariseus anticristãos. Mas vamos a Biblia tambem:

          Em Êxodo 20, 4a temos estas palavras de Deus:

          Não farás para ti escultura
          Em Êxodo 25, 18a temos, também de Deus, estas palavras:

          Farás dois querubins de ouro.
          É comum observar a teologia protestante não atribuir importância a esse fato tão óbvio. O protestantismo alega que esses querubins não foram feitos para o mesmo fim que as imagens católicas são. Afirmam que “os Querubins, de asas estendidas, ocultavam a Deus, o véu o cobria e o próprio lugar, tão escondido, de si mesmo o ocultava (Ex 25.17,18,21). Portanto, salta aos olhos que os que tentam defender uma imagem de Deus ou de santos, citando o exemplo desses Querubins, estão enlouquecidos. Suplico, pois: Que significavam essas imagenzinhas senão que não existem formas apropriadas pelas quais se possam representar os mistérios de Deus? Elas foram feitas para, velando com as asas o propiciatório, impedir não só que os olhos humanos vissem a Deus, mas também com quaisquer de todos os outros sentidos e, dessa forma, pusessem um paradeiro à temeridade dos homens”. Essas “imagenzinhas” são, ironicamente, ordens de Deus. O que se discute aqui é a questão de proibir ou não uma imagem, e não de como usá-la. Deus, através da imagem da serpente de bronze, é quem vai nos mostrar como usar uma imagem.

          Voltando ao texto, vemos que alude a uma “tentativa” da Igreja Católica de defender uma imagem de Deus ou de santos, mas vamos observar o seguinte:

          Deus disse:

          Não farás para ti escultura
          E depois disse:

          Farás dois querubins de ouro
          Pode Deus ordenar uma coisa e depois “desordená-la” logo após? Claro que sim, afinal, Ele é Deus e pode tudo. Ele poderia permitir algo que Ele mesmo proibiu? Claro, Ele criou a lei, Ele É acima da lei. Esse detalhe mostra que Deus proibiu a confecção de imagens, mas não o fez de forma absoluta. Para tudo Deus tem motivos, planos. A proibição de imagens teve um motivo, que quem estuda a bíblia mais profundamente, juntamente com a história das civilizações daquela época, consegue discernir. Da mesma forma, a permissão de Deus para que fossem feitas imagens também teve um motivo. Não há aqui contradição, mas uma sabedoria que transcende a nossa razão. Deus permitiu que fossem feitas certas imagens porque elas não teriam a função que as demais imagens porventura feitas pelo seu povo teriam: serem adoradas no Seu lugar. Aliás, não seriam elas, as imagens, o alvo da proibição de Deus, mas a crença em deuses fora dEle, o afastamento da aliança de Seu povo para com Ele. Este era o fim pelo qual o objeto que causava tais coisas, naquele tempo as imagens de deuses estranhos, foram proscritas, pois era assim que os povos representavam seu cotidiano, sua história, seus deuses, etc.

          A ordem de Deus na feitura dos querubins era para proteger a tampa da Arca da Aliança, e era onde Deus se manifestaria, do meio dos querubins (Ex 25, 22). Esses pequenos querubins não seriam adorados, mas com certeza, seriam respeitados como objetos sagrados, assim como toda a Arca, pois era lá que estava a lei de Deus. É isso que a Igreja Católica entende e ensina sob o nome de Veneração.

          Lemos em Números 21, 8-9:

          E o Senhor disse a Moisés: faze para ti uma serpente ardente e mete-a sobre um poste… Moisés fez, pois, uma serpente de bronze
          Se a ordem de Deus em Ex 20, 4 fosse absoluta, sem exceções, Moisés seria, “como os católicos”, idólatra? Mas não é esse o caso. Essa imagem também não era feita para adoração, mas era tida pelos hebreus com o maior respeito (veneração), por ser algo sagrado, mandado por Deus, pois quem olhasse para ela seria salvo, no sentido de obter a saúde, mas também uma figura da salvação oferecida por Nosso Senhor na cruz. E não era a imagem que salvava, mesmo o povo olhando em direção a ela, era Deus quem fazia a obra. Qualquer semelhança com hoje não é mera coincidência. A teologia protestante também vê aqui um “engano” católico. Essa serpente de bronze foi destruída pelo rei Ezequias, filho de Acaz, rei de Judá, pois o povo estava prestando adoração a ela. Vejamos:

          Destruiu os lugares altos, quebrou as estelas e cortou os ídolos de pau, Asserás. Despedaçou a serpente de bronze que Moisés tinha feito, porque os israelitas tinham até estão queimado incenso diante dela (Chamavam-na Nehustã) (2 Rs 18, 4)
          O protestantismo aqui alega mais uma passagem contra as imagens, dizendo que o próprio Deus ordenou a sua destruição. E têm toda razão os evangélicos. Deus realmente ordenou a destruição dessa imagem, mas, como sempre, por algum motivo, qual seria? Os israelitas estão queimando incenso diante dela. Em outras palavras, estavam adorando-a, tanto que deram até nome a ela. Aqui não há semelhança com a queima de incenso usada pelos católicos pelo seu significado. Deus deu tal ordem porque Seu povo começou a confundir algo que deveria ser venerado, e passaram a substituir as honras e adoração devida a Deus pela imagem da serpente.

          Existe uma frase do direito romano que diz Abusus non tollit usus, o abuso não proíbe o uso. Sendo verdade que existem católicos que adoram imagens, o que não é nada impossível, mesmo assim não seria motivo para destruir nem para deixar de usá-las. Aqui não há proibição para a feitura de imagem, mas fica clara a proibição quanto a adoração de imagem como um verdadeiro deus ou deusa, em esquecimento do Deus único e verdadeiro. Daí a proibição de Êxodo 20, 4. Quando, diante de uma imagem, diz-se “tu és meu Deus”, isto é idolatria. Mas é exatamente isto que os católicos não fazem. Veja o exemplo do bezerro de ouro. Os israelitas, com todas as palavras, disseram “Eis o teu deus Israel”. Aos santos e santas da Igreja não é dado outro nome que não o seu próprio, e não outra qualidade que não a que Deus os concedeu, a santidade, não a divindade. Não dizemos “ó São Francisco, nosso deus”… Sobre nós, católicos, dizem: “Eles dizem: ?Não chamamos às imagens de nossos deuses.? Nem os judeus nem os gentios chamavam deuses outrora”. A observação do episódio do bezerro em si atesta o erro da assertiva.

          A Igreja Católica atribui formas visíveis a Deus?

          As manifestações de Deus (teofania) eram visíveis. Mas a Igreja nunca intencionou atribuir forma visível a Deus, pois Ele é um Deus invisível, e não pode ser representado. As visões de Deus na bíblia apontam para um ancião sentado em um trono, mas a Igreja nunca impôs alguma imagem, nem de Deus nem de ninguém, nem repreende quem a faz de livre e espontânea vontade e sem compromisso. Dizer que a Igreja busca reproduzir uma imagem de Deus e que adora outros deuses é um grande absurdo. Deus é invisível, por isso toda tentativa de representa-lo como Ele deve ser e cultuar como uma divindade essa representação é correr risco de representar um deus desconhecido, e cair na idolatria. Outro motivo para Ex 20, 4.

          Entretanto, quando o Senhor fez-se carne e habitou entre nós pelo seio virginal daquela que deve ser proclamada bem-aventurada por todas as gerações, Ele adquiriu forma humana, e, apesar de não haver nenhum “retrato falado” de Jesus, as fontes disponíveis tornaram possíveis as representações de Deus-Filho, nunca de Deus-Pai. Mesmo assim, a Igreja nunca definiu nenhuma imagem oficial, pois ela sabe que não chegará ao fiel. É por isso que Jesus é desenhado até sem a barba por alguns artistas.

          Os cristãos sempre atribuíram formas às histórias bíblicas. Nas catacumbas romanas estão desenhos dos mais antigos. Os cristãos primitivos, que eram marginalizados, se reconheciam pela imagem do peixe (ictis). Existem ícones atribuídos a São Lucas, que era grego. Inicialmente Jesus era representado como um pastor de ovelhas, em alusão à figura do Bom Pastor, e posteriormente passou a ser representado como crucificado. Não havia idolatria nenhuma nisso.

          Quanto ao texto, este cita o seguinte “Uma vez feitas as imagens que representam Deus, segue-se de pronto a sua adoração, porque nelas os homens pensam contemplar a Deus e nelas também O adoram”. Vemos que o erro está na forma de conceber a utilidade das imagens na Igreja Católica: “imagens para representar Deus”. Este é outro pecado da teologia protestante. Construir imagem para representar Deus sempre será erro, até heresia, pois Ele não tem forma, é imaterial, não tem limites. Mas Seu Filho feito homem sim! E este pode ser representado. As imagens de santos em nenhum lugar onde pise um católico neste mundo têm objetivo de representar ninguém menos do que o próprio santo, e não Deus.

          Não passa pela cabeça de católico algum que um Santo seja um “deusinho” para competir com o Deus verdadeiro; pelo contrário, sabemos todos que os Santos são Santos pela Graça de Deus. Ao se fazer uma imagem de um Santo, sabemos que não está se fazendo um “deusinho”, mas homenageando, como se homenageia com uma estátua em via pública, um irmão nosso que, nas palavras de São Paulo, chegou ao fim da corrida assim como admiramos a beleza da ação de Deus e Seu Espírito nesta pessoa, por isso damos tanta importância e respeitamos tanto os Santos do Senhor, pois não eram mais eles que viviam, mas o próprio Cristo que vivia neles, como nos diz São Paulo. Uma imagem não é sacra por ser uma imagem; ela deve ser abençoada, isto é, dedicada por um sacerdote ao serviço de Deus. Por ter sido abençoada, por ter se tornado um Sacramental, um objeto separado pela Igreja para o culto a Deus. Semelhante aos judeus com a arca, devemos ter com ela o cuidado devido a algo que é propriedade exclusiva de Deus, além de representar alguém que é uma obra-prima de Deus: um Santo.

  8. Incrível como Leandro consegue de forma tão sistemática defender uma prática notadamente absurda!!!! Como confunde a ornamentação da Arca (querubins), com imagens de “santos”, que são “veneradas”, na prática são adorados. Evoca escritos antigos com autoridade duvidosa, e que só são encontrados na ICAR (claro), como respaldo da tradição da adoração às imagens dos “santos”.
    Para facilitar o entendimento desse assunto basta você ir a Israel, visitar suas sinagogas, e você verá que não há NENHUMA IMAGEM. Por quê? Simples, o povo judeu segue a Lei Mosaica que proíbe esse tipo de comportamento desde os primórdios de nossa fé!!!! Se tal prática encontrasse respaldo nas escrituras certamente haveriam estatuas de Elias, Eliseu, Moisés, Samuel, etc… e eles certamente também “venerariam” seus profetas e mártires! Mas se você perguntar pq não há imagens, eles te responderão uníssonos: é pecado de idolatria!!!
    Você fala que a estatua é uma homenagem como uma outra qualquer na rua… é querer forçar muita nossa inteligência não? Quando vc vê pessoas se curvando, ajoelhando, fazendo petições a uma estátua de Duque de Caxias???? Pelo amor de Deus, é achar que somos ingênuos, pra não dizer outra coisa…
    Isso me lembra um fato bíblico em que 3 hebreus foram lançados na fornalha por não se curvarem a estatua do rei. Pqr que será que eles preferiram a morte à se curvar a estátua do rei? Bastava se curvar (postura de adoração) Dn 3.
    Outro caso que me recordo foi o de Mardoqueu que não se inclinou o prostou diante de Hamã, pois tal posição indica adoração:
    Vendo, pois, Hamã que Mardoqueu não se inclinava nem se prostrava diante dele, Hamã se encheu de furor. Ester 3:5
    Parece-me que seus olhos estão fechados pra ver o que realmente acontece. Que seu entendimento está obscurecido para entender coisas tão simples e buscar em argumentos rebuscados, baseados em tradições, fábulas e interpretação conveniente de trechos da bíblia, para justificar o pecado que vem sendo cometido por séculos com o consentimento da ICAR. A escritura se cumpre:
    Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. 2 Coríntios 4:4
    Poderia dissertar a vida toda com você, porém estou certo que o pior cego é aquele que não quer ver.
    Mas tenho esperança de que um dia um novo movimento de reforma tomará a ICAR e essas práticas serão abolidas e voltarão a anunciar e pregar a Cristo e apenas ao nosso Salvador, como TODOS os apóstolos fizeram.
    Paz em Cristo

    • Se que se espelhar nos judeus então, a exemplo deles negue que Cristo Jesus é Deus e veio ao mundo nos salvar. Eles tambem alegam que esta crença é “farsa catolica” se baseia em escritos de “autoridade duvidosa”. E falam que vcs evangelicos cairam nesta mentira catolica como patinhos.

      De fato guardamos tudo que os episcopos e martires nos legaram, pois, quem renega sua Historia e passado não pode ter nenhum futuro.Ademais, é presa facil para heresias luterano-calvinistas que te fazem pensar ser “cristão autentico”, um cirstão semelhante aqueles que morreram nas arenas imperiais pelo evangelho de Nosso Senhor Cristo Jesus.
      É melhor, pelo que percebo de seus comentarios, seguir um hereje do sex XVI que ousou chamar Cristo de pecador e retirou 7 livros da Biblia, do que seguir aqueles que receberam o evangelho diretamente pela voz dos 12 apostolos, deles receberam autoridade conforme Cristo conferiu e por meio deles foram agraciados com o Esp Santo.
      E não te esqueças que foram pessoas como as que citei acima com seus textos “duvidosos” que conservaram, transmitiram e autenticaram como escritos pelos apostolos estes evangelhos e epistolas que hoje vc usa pra nos atacar.
      Hoje é muito facil falar,mas naquele tempo tempo a Igreja descartou ao longo de 300 anos mais de 20 pretensos evangelhos e outras pseudo epistolas.

      Não reze pela minha “cegueira” antes de Pedir que Deus retire a tua antes.

      • …”Se que se espelhar nos judeus então…”
        …”pois, quem renega sua Historia e passado não pode ter nenhum futuro.”

        Engraçado como você se contradiz!
        Inicialmente critica o fato de me espelhar nos Judeus, que foi o povo que Deus escolheu para “separar” (santificar), e que revelou seus oráculos, levantou os profetas e por fim a Jesus ( Sim! Jesus, enquanto homem, foi judeu!), a história do cristianismo, e de nossa fé, tem sua origem neste povo. É sempre bom lembrar que a bíblia foi escrita por judeus.. sim! E me espelho no aspecto do judaísmo que Moisés recebeu e passou para todo o povo de Deus. 1º mandamento!!! sim ele guardam, muito bem o primeiro mandamento!!!!! Você fala que ” quem renega sua história “.. logo após renegar toda história do povo judeu….. tst tst tst… É bom lembrar que Maria tb era judia, Jesus, Pedro, Paulo… e nós gentios recebemos a salvação pela graça de Deus que nos adotou na família!!!!!:

        Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos. Gálatas 4:5

        Que são israelitas, dos quais é a adoção de filhos, e a glória, e as alianças, e a lei, e o culto, e as promessas; Romanos 9:4

        Foi esse mesmo desprezo que exterminou mais de 6.000.000 de judeus, contando com a indiferença da ICAR. ( mas isso é outra história)…

        Por fim, saiba que não rezo por sua cegueira, pois só recebe um milagre aquele que tem fé e quer receber! Seria jogar “pérolas aos porcos!!!!!!”

        Você chama Lutero de Herege, mas se desviou do evangelho pregado por Paulo que ficou escrito na Bíbia. ele mesmo nos dá um conselho:

        Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Gálatas 1:8

        Paulo e os Apóstolos sempre pregaram JESUS, nunca falaram em Aparecida, Sto fulano ou beltrano…:
        E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar, e de anunciar a Jesus Cristo. Atos 5:42
        E logo nas sinagogas pregava a Cristo, que este é o Filho de Deus. Atos 9:20

        Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém.1 Pedro 4:11

        Paz em Jesus Cristo!

        • Já tava demorando para o luterano calvinista Elias que tenta PARECER CRISTÃO mostrar sua verdadeira face. E veja que em nenhum momento o chamei de porco.
          Mas é assim que hereges contrariados reagem, logo mostram toda sua “humildade” e “mansidão ” cristã.

          Se a ICAR fosse renegar tudo dos judeus não usaria nada do AT.

          Sobre a suposta indiferença da IG Catolica sobre o extermínio de judeus, mas uma vez so posso ficar pasmado por sua ignorância ou má fé(espero que seja o primeiro caso).

          Um dia se olhar ótimos livros como do norte americano William Shirer,( A Ascensão e Queda do III Reich) talvez vc descubra que a igreja evangélica alemã(a luterana), pôs o livro de Hitler(Mein Kampf) ao lado da Biblia nos seus altares.
          Já a omissa (de acordo com suas palavras), ICAR não fez isto e mais, ao longo da guerra os padres, bispos e religiosos católicos deram asilo e fuga a mais de meio milhão de judeus.
          So o arcebispo e futuro papa Angelo Roncali (joão XXIII) deu passaporte diplomático a mais de 100 mil judeus. E mais de 2000 mil padre morreram nos campos nazi.
          Mas talvez do alto de sua sabedoria “inspirada” vc conheça algum grupo que tenha feito mais pelos judeus.

          Sobre eu ser contraditório, acho muito curioso a sua linha de pensamento(não que seja racional ou logica mas na falta de termo melhor uso este mesmo). ]
          Eu não renego tudo do judaísmo que de fato recebemos. Mas entre aceitar a herança dos primeiros cristãos e dos judeus tenho logicamente que ficar com os primeiros.

          Nem sei como um “cristão’ como vc pode pensar diferente. Mas fazer o que se o preço de ser chamado de humano for “pensar” como o senhor então fico na condição de “porco ” mesmo. Pelo visto estes entrarão mais cedo no reino de Deus que um judaizante.
          É perceptível que o senhor traz em seu “coração” a mensagem integral do sermão da montanha.

          Outra vez me mostra que o seu SOLA BIBLIA É um discurso de ocasião e de conveniência .ao citar gálatas e esquecer o que ele disse em 2 TS, 2, 15. Mas uma parte que sugiro que tire de sua Biblia.
          Outra contradição sua é me ofender comparando- me a um porco e depois desejar-me a Paz de Cristo. A sua atitude lembra a constituição e natureza de um escorpião ao contrario. Sim pois este deixa o veneno na cauda e o senhor o fez logo no inicio.

          Nem se preocupe que não lhe devolverei a gentileza, afinal sou apenas um “pagão” romanista e não convem a alguém de minha “cegueira’ trocar impropérios com alguém tão manso e pacifico de coração.
          Mas concluo duas coisas :
          1) nâo é possível então que houvesse cristãos antes de seu Lutero
          2) É conhecendo tipos tão movidos pelos ‘Esp Santo” como o senhor que fico cada dia mais feliz de não ser incluído no meio dos cristãos. Até porque se me encontro neste grupo que cada dia menos lembra aqueles que deram a vida em nome de Cristo e de seu evangelho a 1900 anos atrás, tenho certeza que jamais verei a face de Cristo.
          Já que o senhor admira tanto Lutero lhe deixo algumas palavras do fundador de sua heresia(ou melhor da primeiro cristão autentico, já que na Biblia explicada pelos epíscopos e mártires cristãos o senhor não crê)

          Quantos protestantes, mesmo pastores, já leram obras de Lutero. Dificilmente um católico que não seja estudioso do assunto leria. Mas espera-se que os protestantes tenham uma certa noção dos escritos dos seus pais. Nós católicos buscamos ler e entender o que pensavam e ensinavam os pais da Igreja: Inácio, Clemente, Leão, Tertuliano, Gregório, Agostinho, Vicente, Aquino. Entre milhares de outros. É uma vasta literatura, mas todo católico que esteja interessado nas suas doutrinas busca conhecer a sua patrologia.

          Lutero deixou uma obra extensa, da qual em português creio não existir nem metade. Suponho, também, que nem metade dos protestantes já leu as obras dele. O que será que encontrariam? Talvez não gostem muito do que encontrarão, caso se aventurem. Na realidade, apesar de ser um estudioso da Bíblia, ter causado uma revolução no seio da Igreja, muitas vezes Lutero foi um blasfemo. Ao menos, pelos seus escritos, é o que nos parece.

          Muitos protestantes questionam os católicos acerca do que falaram os seus teólogos do passado. Muitos dizem que Papas pecaram, disseram isso ou aquilo. Tudo isso, para eles, é prova de que a Igreja Católica não é a Igreja fundada por Jesus, nosso Senhor. Que o Espírito Santo não pode conduzir uma Igreja que ensina a “venda do perdão”, por exemplo. Outros alegam que a Igreja não podia ter transferido a um homem o poder que somente Deus contém. Entre várias outras alegações, os erros do passado são, para os protestantes, prova mais que suficiente de que a Igreja é demoníaca.

          Mas, de qualquer forma, o leitor julgue as palavras de Lutero…ditas pelo próprio reformador.

          Se és um pregador da graça, então pregue uma graça verdadeira, e não uma falsa; se a graça existe, então deves cometer um pecado real, não fictício. Deus não salva falsos pecadores. Seja um pecador e peque fortemente, mas creia e se alegre em Cristo mais fortemente ainda…Se estamos aqui (neste mundo) devemos pecar…Pecado algum nos separará do Cordeiro, mesmo praticando fornicação e assassinatos milhares de vezes ao dia. (American Edition, Luther’s Works, vol. 48, pp. 281-82, editado por H. Lehmann, Fortress, 1963. ‘The Wittenberg Project;’ ‘The Wartburg Segment’, translated by Erika Flores, de Dr. Martin Luther’s Saemmtliche Schriften, Carta a Melanchthon, 1 de agosto de 1521. )

          Lutero está claramente dizendo que os nossos pecados, mesmo o pecado mais intenso imaginável, não importa. Diz que podemos cometer os pecados de forma convicta, que mesmo assim não nos separaremos de Deus. Imagine um católico dizendo tal coisa a um protestante, em um debate sobre o pecado, qual seria a resposta do protestante? (não responda, caro leitor, apenas abra sua Bíblia e leia o que ela diz sobre o pecado ? Mt 25,32; Mt 13,30; Mt 3,10; Hb 10,26-29).

          Estas almas piedosas que fazem o bem para chegar ao céu não somente não o alcançarão, como serão arranjados entre os ímpios; e importa mais em impedi-los de fazerem boas obras que pecados. (Wittenberg, VI, 160, citado por O’Hare, in “The Facts About Luther”, TAN Books, 1987, p. 122).
          Sim, é isso que você leu. Deve-se evitar praticar boas obras, não pecados. Acaso foi isso que Jesus ensinou? Pense em Cristo exortando a pecadora, em vias de ser apedrejada, e, ao segurá-la pela mão, dizer: “vá, e não pratique mais boas obras”. Na verdade, o que Lutero quer dizer é “não se preocupe com os pecados, Jesus os encobrirá. Preocupe-se com suas boas obras, isto lhe condenará”. As Escrituras dizem que seremos julgados pela forma como vivemos a nossa fé. Paulo diz claramente, em Rm 2,5-11, que o justo julgamento de Deus será de acordo com nossas ações. De acordo com 2Cor 5,10, receberemos a recompensa de Deus de acordo com nossos atos, bons ou ruins. Segundo Lutero, seremos recompensados por não fazer boas obras, enquanto que nossos pecados não influirão no julgamento de Deus.

          O homem é como um cavalo. Deus o está montando? Um cavalo é obediente e aceita as vontades de seu dono, e vai onde quer que ele queira. Acaso Deus soltou as rédeas? Então Satanás sobe em seu dorso, e o submete aos seus caprichos…Portanto, a necessidade, e não o livre-arbítrio, é o princípio controlador de nossa conduta. Deus é o autor do que é mal como do que é bom, e, da forma como concede a felicidade àqueles que não a merecem, assim também condena a outros que não desejaram seu destino. (‘De Servo Arbitrio’, 7, 113 seq., citado por O’Hare, in ‘The Facts About Luther, TAN Books, 1987, pp. 266-267.)

          A Bíblia discorda de Lutero. Lemos em Eclesiástico 15,11-20: “Não digas: É por causa de Deus que ela me falta. Pois cabe a ti não fazer o que ele abomina. Não digas: Foi ele que me transviou, pois que Deus não necessita dos pecadores. O Senhor detesta todo o erro e toda a abominação; aqueles que o temem não amam essas coisas. No princípio Deus criou o homem, e o entregou ao seu próprio juízo; deu-lhe ainda os mandamentos e os preceitos. Se quiseres guardar os mandamentos, e praticar sempre fielmente o que é agradável (a Deus), eles te guardarão. Ele pôs diante de ti a água e o fogo: estende a mão para aquilo que desejares. A vida e a morte, o bem e o mal estão diante do homem; o que ele escolher, isso lhe será dado, porque é grande a sabedoria de Deus. Forte e poderoso, ele vê sem cessar todos os homens. Os olhos do Senhor estão sobre os que o temem, e ele conhece todo o comportamento dos homens”.

          Os protestantes, claro, replicarão dizendo que Eclesiástico não é um livro canônico. Apesar de estarem errados, e Eclesiástico ser sim um livro canônico podemos citar livros que eles apreciam como Escritura Sagrada: Dt 30,19-20: “Tomo hoje por testemunhas o céu e a terra contra vós: ponho diante de ti a vida e a morte, a bênção e a maldição. Escolhe, pois, a vida, para que vivas com a tua posteridade, amando o Senhor, teu Deus, obedecendo à sua voz e permanecendo unido a ele. Porque é esta a tua vida e a longevidade dos teus dias na terra que o Senhor jurou dar a Abraão, Isaac e Jacó, teus pais”. Vemos que o homem, além de ser livre para escolher, ele é obrigado a fazer tal escolha. Em Gn 4,7 lemos: ?Se praticares o bem,, sem dúvida alguma poderás reabilitar-te. Mas se precederes mal, o pecado estará à tua porta, espreitando-te; mas, tu deverás dominá-lo?.

          Lutero disse que Deus é o responsável pelo bem e pelo mal. Porém Paulo também discorda dele, pois escreveu: “Pois, se nós, que aspiramos à justificação em Cristo, retornamos, todavia, ao pecado, seria porventura Cristo ministro do pecado? Por certo que não!”. Por certo que Lutero está errado.

          A Bíblia poderia melhorar

          A história de Jonas é tão monstruosa que é absolutamente inacreditável (‘The Facts About Luther, O’Hare, TAN Books, 1987, p. 202)
          Eu jogaria o livro de Esther no Elbe. Sou de tal forma inimigo deste livro que preferiria que não existisse, pois é judaizante demais e com grande parte de idiotices pagãs. (Ibid.)

          A carta de Tiago é uma carta de palha, pois não contém nada de evangélico (‘Preface to the New Testament,’ed. Dillenberger, p. 19.)
          Se algo sem sentido foi falado, este é o lugar. Eu confirmo o que muitos já haviam dito que, com muita probabilidade, esta epístola não fora escrita pelo apóstolo, e não merece o nome do apóstolo. (‘Pagan Servitude of the Church’ ed. Dillenberger, p. 352.).
          Para mim tal livro* não possui qualquer característica cristã. Que cada um julge este livro; eu mesmo tenho aversão, e isto é o suficiente para rejeitá-lo (Sammtliche Werke, 63, pp. 169-170, ‘The Facts About Luther,’ O’Hare,TAN Books, 1987, p. 203). *NT: Trata-se do livro de Apocalipse.
          Os protestantes, debatendo sobre os deuterocanônicos, citam passagens que dizem que os que acrescentam qualquer coisa à Palavra de Deus serão condenados. Demonstramos com vários artigos que, na realidade, quem acrescentou ou retirou algo da Bíblia foram os reformadores. E o próprio Lutero admite tal feito, com a adição da palavra “somente” em Rm 3,28 de sua tradução para o alemão:
          COMO SE VÊ, LUTERO E ELIAS TEM MUITO EM COMUM, TALVEZ EXPLIQUE SUA ADMIRAÇÃO:
          Se um papista lhe questionar sobre a palavra “somente”, diga-lhe isto: papistas e excrementos são a mesma coisa. Quem não aceitar a minha tradução, que se vá. O demônio agradecerá por esta censura sem minha permissão. (Amic. Discussion, 1, 127,’The Facts About Luther,’ O’Hare, TAN Books, 1987, p. 201)

          Cristo pecador

          Cristo Adúltero. Cristo cometeu adultério pela primeira vez com a mulher da fonte [do poço de Jacó] de que nos fala São João. Não se murmurava em torno dele: “Que fez, então, com ela?” Depois, com Madalena, depois, com a mulher adúltera, que ele absolveu tão levianamente. Assim, Cristo, tão piedoso, também teve que fornicar, antes de morrer. (Lutero, Tischredden, Table Talk, Weimar, Vol. II, p. 107, apud Franz Funck Brentano, Martinho Lutero, Ed Vecchi Rio de Janeiro 1956, p. 15).
          Creio que não se pode comentar tais palavras, assegurando que vieram do nome daquele que cultuam hoje como “a estrela que brilhou no meio à escuridão da idade média”. Não há dúvida: Lutero está errado. Cristo se assemelhou em tudo a nós, menos ao pecado. Isto é evidente pela Sagrada Escritura e pela autoridade da Igreja, pois Cristo é Deus.

  9. Irmãos, queridos, amados, Leandro e Elias…
    Reparem:
    Uns dizem Deuteronômio 5:8, outros Números 21:8;
    outros afirmam Atos 17:24, e outros insistem Salmos 122:1;
    ainda na briga, de um lado dizem 1 Coríntios 3:16-17, por outro lado
    argumentam Juízes 19:18…

    De qualquer forma, prevalece a Palavra coerente do Senhor, que só é coerente para quem quer conhecer a Vontade *Dele – a quem quer seguir doutrinas de homens *Ele sempre dirá: Romanos 10:20-21

    Paz a todos, Deus vos abençoem!

  10. Na verdade Jesus era filho do demônio do pecado ,porque o Espirito Santo conheceu maria de Nazaré,desobedecendo um dos 10 mandamentos,onde dizia “Não cobiçaras a mulher do próximo”,também fez fazendo igual os filhos de deus quando conheceram as filhas dos homens,tomaram elas como esposas e tiveram filhos com elas…,a própria Bíblia disse que maria já estava prometida a Jose,maria já era “noiva” de José…e então?se era noiva dele porque o Espirito Santo foi atrás dela sabendo do mandamento,de que era do próximo,chega de farsa!…

  11. É senhor “ex-enganado” que na verdade continua enganadíssimo. O senhor é uma das provas vivas do que falo e até do que o hereje Lutero constatou acima como já transcrevi.

    Sua mente se “libertou” ao concluir que o Esp Santo veio aqui na terra transar com Maria. Sua logica dedutiva é impressionante. valeu esta vai por meu livro de perolas dos “verdadeiros” servos de Deus.

  12. Jesus era Judeu.
    Não pregou religião NENHUMA.
    Deixou UMA simples recomendação: “Ame Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”.
    Recomendação essa que os próprios que se dizem servos não costumam praticar.

    O cristianismo NÃO foi criado a mando dele, e ainda não encontrei um cristão(também sou cristão) que siga a risca a ÚNICA recomendação deixada por ele.

  13. Já que há essa confusão toda, por isso há existência de uma montanha de igrejas e religiões diferentes neste Planeta, por que, então, os líderes dessas igrejas não entram num acordo e passam a agir de acordo com os ensinamentos de Jesus Cristo, de forma consciente, unificando todos os cristãos em torno de uma só doutrina e acabam com essa divisão? Acredito que as mensagens expostas na Bíblia Sagrada vêm sendo, há longa data, mal interpretadas, pois há divergências demais da conta.

  14. Sabe o que é triste, triste é ver que se briga até por Jesus, sendo que o que ele pediu era que amassemos uns aos outros. Pra mim não importa a religião, sendo que se tenha Deus e Jesus no seu coração e se guarde seus mandamentos, muitos esquecem que não cabe a nós julgar, vamos fazer o bem, vamos seguir os exemplos de Jesus tanto a igreja Católica como a Evangélica pregam o mesmo Deus e o mesmo Jesus. Vamos deixar a Deus julgar quem esta certo e quem esta errado, mas com certeza brigas e discussões não são legais.

  15. Jesus era judeu. Foi criado no judaísmo, pregava em aramaico (idioma derivado do hebraico) para judeus e, ao que tudo indica, nunca teve a intenção de fundar uma nova religião que se distanciasse do judaísmo. Praticamente todo o cristianismo é posterior à passagem de Jesus pela Terra e a maior parte do que se propaga hoje em nome de Jesus provavelmente seria irreconhecível pelo próprio nazareno. De fato, seria mais condizente chamar o cristianismo atual de Paulinismo, já que a influência do pensamento de Paulo de Tarso é muito mais influente nas doutrinas cristãs modernas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *