92 ideias sobre “Quem são os 144 mil de Apocalipse?

  1. ”Os 144.000 são descritos como servos de Deus provenientes das tribos dos filhos de Israel . Deus assinalará ou marcará as suas testas para indicar a sua consagração a Deus e que pertencem a Ele
    (1) Talvez sejam os primeiros convertidos de uma grande colheita de almas ganhas para Deus , dentre todas as nações e tribos e povos e línguas , durante a tribulação .
    (2) Alguns intérpretes da Biblia entendem que esses novos crentes dentre filhos de Israel serão comissionados e capacitados pelo Espirito Santo para pregar o evangelho durante os negros dias da tribulação.”

        • o melhor a fazer é esperar acontecer.porque quer creiamos ou duvidemos ou mesmo fiquemos sem entender claramente quem sao os 144 mil tudo que esta na palavra de deus ira acontecer da forma que deus quer.saber quem sao ou deixam de ser os 144mil nao ira influenciar na nosso salvaçao.e sim se cremos que jesus é o filho de deus que veio para nos salvar.

    • Paz de Cristo Jesus Suellen!

      Voce diz que esses novos crentes, vao ser capacitados pelo Espirito Santo, como e que o Espirito Santo, os vai capacitar depois do vosso arrebatamento? Se ele ja nao esta mais na terra, mas foi para as bodas do cordeiro.

      Me mostre onde diz que eles vao pregar o Evangelho depois do arrebatamento, e que vao ser cheios do Espirito Santo?
      Aguardo a sua resposta, muita Paz

      • A Paz Alvaro , gostei da sua pergunta ;
        Esta nota q eu escrevi copiei de uma nota de uma Biblia de estudo pentecostal , e esta nota diz que ”ALGUNS intérpretes ENTENDEM que esses novos crentes dentre filhos de Israel serão comissionados e capacitados pelo Espirito Santo para pregar o evangelho durante os negros dias da tribulação”
        Eu lembro que eu li em alguma parte da biblia que Deus usaria anjos para pregar o evangelho durante a tribulação ou na grande tribulação, não lembro onde está , mas esta nota que escrevi relaciona-se ao capitulo 7 e versiculo 4 de apocalipse , isto foi apenas uma informação qe alguns interpretes entendem isto
        vou escrever outro estudo aqui tbm
        ”O capitulo 14 de apocalipse começa descrevendo uma cena de 144.000 crentes proeminentes que aparecem no céu perto do cordeiro . Certamente representam os mais consagrados e fiéis do povo de Deus de todos os tempos que desfrutam de graça e posição especiais no céu . A cifra 144.000 não significa que o numero deles é responsável a esse total . Qualquer crente pode passar a pertencer a esse grupo mediante a fé , o amor e o serviço devotado a Deus .”
        Espero ter ajudado , aguardo opniões

        • Suellen vou-lhe dar um conselho nao seja copiadora de artigos dos outros, em especial dos escatologistas pois as doutrinas deles siram das profundezas do inferno, e so um negocio para venderem livros.
          Faca uma pesquisa e vai ver que de 5 em 5 anos os livros deles estao ultrapassados, visto que o anticristo que eles inventaram esta sempre mudando, assim como as suas previsoes do arrebatamento, isso de arrebatamento minha Irma e um mito ou historias para adormecerem criancas, esse tal de arrebatamento ja e historia passada, nao perca o seu tempo com essas historias voce e uma jovem sabia de mais para essa lixeira.
          Me perdo-a o abuso ou a ousadia, de lhe dizer isto.
          Fica na paz de Cristo Jesus.

          • Obrigada pelo conselho Alvaro mas eu tomo cuidado ao estudar os artigos dos outros principalmente quando é relacionado ao apocalipse, anticristo e arrebatamento … Segundo a biblia , não há previsão de quando será o arrebatamento e de quando o anticristo irá ”chegar” ; E a biblia de estudo na qual eu consultei para responder esta pergunta não menciona quem será o anticristo e nem quando acontecerá o arrebatamento . Só pra informar , tenho consciência de que existem muitos falsos ensinos sobre estas coisas , peço á Deus para que me oriente e me guie no caminho certo .
            A Paz do Senhor

          • Apaz do Senhor Alvaro
            Alvaro como vc da conselhos para uma jovem dizendo que o arrebatamento ja é historia passada? se cristo morreu para a salvação da humanidade (dos que aceitarem a jesus é claro) a Biblia nos afirma que jesus foi para o ceu mas um dia voltará ou sera que é mentira o que esta escrito em Atos cap 1 v10
            leia com muita atenção tambem Mateuscap 24 v 36,37…44 e Mateus Cap 25 v 1,2…13 leia tambem o livro de Apocalipse todo e memorise o versiculo 19 do cap 22 de Apocalipse. Apaz do Senhor.

          • Paz de Cristo Jesus Reginaldo!

            Voce me pergunta como posso dar uma resposta destas a uma jovem ?Dizendo que o ARREBATAMENTO ja e historia, passada.
            Vamos ver entao o que a Biblia diz ok:
            Quanto a Atos 1:10 nao e mentira de maneira alguma mas sim uma grande VERDADE, que um dia Jesus vai voltar para se manifestar em nos 1 Joao 3:2, e nao como voces ENGANOSAMENTE ensinam que ELE VAI arrebatar A SUA IGREJA, COM TODO O RESPEITO AMADA IRMAO nao tenho culpa da sua ignorancia, mas sim culpe os seus pastores.
            Quanto a Mat 24:36-37 pois so vou usar os seus versiculos recomendados por voce mas vou ir ate ao versiculo 39, o resto nao preciso de usar para desfazer essas mentiras que voces ensinam acerca do tal ARREBATAMENTO, que e uma ficcao na vossa mente, e nao e Biblico foi inventado pelos homens.
            Meu amado irmao eu tenho muita pena, porque na reaalidade os evangelicos TRADICIONAIS lhe fizeram uma lavagem celebral, porque voce menciona versiculos que voce nao conhece, mas so ouve o seu pastor a falar deles mas de uma maneira errada, mas veremos se estou certo ou errado.
            Se voce conhecesse nao diria tamanha bobice, mas vamos a Gen 7:23 E foram extintos (ou ARREBATADOS) da terra todos os homens, e animais , e aves, estes foram os que nao deram ouvidos a pregacao de Noe, estes foram EXTINTOS (ou ARREBATADOS como diz o seu pastor) entao quem ficou na terra? Os bons Noe e sua familias, quem foi ARREBATADO? os maus os pecadores.
            Como entao voce menciona Mat 24:37 para dizer que vai haver ARREBATAMENTO? que na realidade isso e uma grande MENTIRA, porque se voce ler o versiculo 39 voce vai ver quem e que vai ser levado(ARREBATADO) Pois essas palavras sao de Jesus e nao minhas, que os maus os pecadores serao LEVADOS ou ARREBATADOS, como o seu pastor o ensinou e voce nem se deu a reocupacao de ver se ele seta certo ou errado so engoliu e agora voce como um bom papagaio repete as mentiras do seu pastor.
            Agora lhe pergunto meu amado quem e o mentiroso voce ou eu, como voce disse a Suellen que eu sou mentiroso pois nao aguenta mentiras, amado voce se enforcou com as sua propria IGNORANCIA.
            Outra razao para que voce quereia que a Palavra de Deus esta certa, e nao o seu pastor ou a sua denominacao.
            Me perdoe meu irmao a sua ignorancia e tanta que voce nem sabe descernir o que e o sinal do FILHO do HOMEM, porque quando voce conseguir descobrir qual e o sinal , voce nao se vai mais deixar ser enganado.
            Outra coisa que precisa de saber e que Jesus nao vira mais como Filho do Homem mas como Rei dos Reis e Senhor dos Senhores, Apoc 17;14
            Quanto a Mat 25: 1 sobre a parabola das dez virgens, mais uma vez amado tenho pena de si, porque essa parabola foi para as ovelhas perdidas da casa de Israel e nao para voce e eu 2000 anos mais tarde.
            O seu pastor ou a sua denominacao nunca lhe ensinou isso? Aconselho a pedir ajuda ao seu pastor e peca-lhe para o ensinar acerca destas coisa mas eu lhe vou dar alguns versiculos que confirmao o que acabei de falar
            leia Mat 10:6 e 15:24, nao sou mentiroso.
            Nunca pensei ouvir de um cristao que se diz salvo estar ha espera de Jesus como um ladrao, sim e verdade para os pecadores ele vira como um ladrao como foi nos dias de Noe, leia com atencao Mat 34; 39 para esses e para os perdidos ele veio e vira como o ladrao da noite, mas para um cristao que se diz ser salvo, nunca vou aceitar isso pois nao e Biblico, isso faz parte da lavagem celebral do seu pastor, que lhe esta fazendo, mas para nao pensar que estou mentindo como voce ja o afirmou veja e medite em 1 Tess 5:1-9 Mas vos irmaos, ja nao estais em TREVAS, para que aquele DIA VOS SURPREENDA COMO LADRAO, entao irmao se voce esta a espera de Jesus como ladrao Paulo nos diz que voce ainda esta em trevas, a minha pergunta e amado esta voce nas trevas ou na LUZ? So voce pode responder mas Jesus disse; do que o curacao esta cheio disso fala a boca. muito cuidado irmao!
            Quanto ao irmao me aconselhar a ler todo o livro de Apocalipse, meu amado com todo o respeito por si, eu ja li o livro de Apocalipse inumeras vezes pois e o livro que mais gusto de ler e estudar.
            Quanto a Apoc 22: 19 isso e tipico dos da sua denominacao, mas aconselho a voce ter cuidado e dar esse conselho ao seu pastor e aos seus pais da fe da sua denominacao.
            Meu irmao nao e ser arrogante,mas sim em favour da verdade, que esta escritas nas Sagradas Escrituras, pois nao tolero a mentira como voce disse a Suellen.
            que Cristo Jesus te abencoe poderosamente e o Espirito Santo lhe possa eluminar os seus olhos espirituais e possa enchergar, as verdades Biblicas.

        • Suellen eu li um comentario deixado pra vc que o arrebatamento e coisa passada. minha querida isso não é de Deus, continui lendo a Bíblia e peça auxilio do Espirito Santo para que Ele ajude vc a entender o que esta escrito nas Sagradas Escrituras. Desculpe me entremeter nas sua conversa é que não suporto mentiras. A Paz do Senhor.

  2. QUEM SÃO OS 144 000 DESCRITOS EM APOCALIPSE?

    O apóstolo João escreveu: “Ouvi o número dos selados: cento e quarenta e quatro mil.” (Revelação 7:4) Na Bíblia, a expressão “dos selados” se refere a um grupo de pessoas escolhidas dentre a humanidade, que governarão com Cristo no céu sobre a futura Terra paradísica. (2 Coríntios 1:21, 22; Revelação 5:9, 10; 20:6) O seu número, 144.000, é considerado literal por vários motivos. Um deles é encontrado no próprio contexto de Revelação 7:4.
    Depois que o apóstolo João, em visão, ouviu a respeito desse grupo de 144.000 pessoas, foi-lhe mostrado outro grupo. João descreve esse segundo grupo como sendo “uma grande multidão, que nenhum homem podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas”. Essa grande multidão são os sobreviventes da vindoura “grande tribulação”, que destruirá o atual mundo iníquo. — Revelação 7:9, 14.
    No entanto, note o contraste feito por João entre os versículos 4 e 9 do capítulo 7 de Revelação. Ele declarou que o primeiro grupo, o “dos selados”, tinha um número definido. O segundo grupo, porém, “uma grande multidão”, não tinha número definido. Levando isso em conta, é lógico considerar como sendo literal o número 144.000. Se fosse simbólico ou se referisse a um grupo sem número específico, a força do contraste entre esses dois versículos se perderia. De modo que o contexto indica fortemente que o número 144.000 tem de ser literal.
    Diversos eruditos bíblicos, do passado e do presente, chegaram à mesma conclusão — quer dizer, que o número é literal. Por exemplo, ao comentar Revelação 7:4, 9, o lexicógrafo britânico Dr. Ethelbert W. Bullinger mencionou a uns 100 anos atrás: “É a simples declaração de um fato: um número definido, em contraste com o número indefinido neste mesmo capítulo.” (The Apocalypse or “The Day of the Lord” [O Apocalipse ou “O Dia do Senhor”], página 282) Mais recentemente, Robert L. Thomas, Jr., professor de Novo Testamento no The Master′s Seminary, nos Estados Unidos, escreveu: “Considerar o caso como simbolismo é exegeticamente sem base.” Ele acrescentou: “É um número específico [em 7:4] em contraste com o número indefinido de 7:9. Se fosse tomado simbolicamente, então nenhum número no livro poderia ser tomado literalmente.” — Revelation: An Exegetical Commentary (Revelação: um comentário exegético), Volume 1, página 474.
    Alguns argumentam que, por Revelação usar uma linguagem altamente simbólica, todos os números encontrados nesse livro, inclusive o número 144.000, devem ser simbólicos. (Revelação 1:1, 4; 2:10) É evidente, porém, que essa conclusão não é correta. Deve-se admitir que Revelação contém vários números simbólicos, mas contém também números literais. Por exemplo, João falou sobre “os doze nomes dos doze apóstolos do Cordeiro”. (Revelação 21:14) É evidente que o número 12 mencionado nesse versículo é literal, não simbólico. Além disso, o apóstolo João escreveu a respeito dos “mil anos” do reinado de Cristo. Esse número também deve ser tomado literalmente, conforme mostra uma consideração cuidadosa da Bíblia.* (Revelação 20:3, 5-7) Portanto, se um número em Revelação deve ser tomado literalmente ou de forma simbólica depende do fundo histórico e do contexto.
    A conclusão, de que o número 144.000 é literal e se refere a um número limitado de pessoas, um grupo relativamente pequeno em comparação com a “grande multidão”, harmoniza-se também com outros textos da Bíblia. Por exemplo, mais adiante na visão que o apóstolo João recebeu, os 144.000 são descritos como “comprados dentre a humanidade como primícias”. (Revelação 14:1, 4) O termo “primícias” refere-se a uma pequena seleção representativa. Também, enquanto Jesus estava na Terra, ele falou sobre os que governariam com ele no seu Reino celestial e os chamou de “pequeno rebanho”. (Lucas 12:32; 22:29) De fato, os dentre a humanidade, que governarão no céu, são poucos em comparação com os da humanidade que ocuparão a vindoura Terra paradísica.
    Portanto, o contexto de Revelação 7:4, bem como declarações relacionadas encontradas em outras partes da Bíblia, confirma que o número 144.000 deve ser tomado literalmente. Refere-se aos que governarão com Cristo no céu sobre uma Terra paradísica, que se encherá com um número grande e não especificado de pessoas felizes que adoram a Jeová Deus. — Salmo 37:29.

  3. Os 144.000,são os Judeus que vão ficar na grande tribulação e vão se converter e o senhor vai conservar eles vivos.Quando o senhor amarrar satanaz durante mil anos.Neste mil anos estes 144.000mil vai reinar com cristo.Porque o Senhor veinho para reinar e não deixaram então ele vai voltar para reinar e vai ser depois dos 7 anos de tribulação,se dará o inicio do reinado de Cristo com os judeus sem os gentios só os judeus.

  4. o próprio apocalipse AFIRMA que são JUDEUS(literais) de cada tribo de israel LITERALMENTE, não são as testemunhas de Jeová, pois ainda NÃO ESTAMOS VIVENDO A GRANDE TRIBULAÇÃO, e o texto AFIRMA que esses vieram da grande tribulação. obs. se o número (144.000) é literal logo os judeus(grupo étnico e não judeus “espirituais”) também o são! escrever muito ao se responder uma pergunta NÃO PROVA QUE O ARGUMENTO E VERDADEIRO! um abraço.

    • A paz seja contigo Adson,

      Agradeço pela sua resposta, só não entendi sobre a parte que você diz…não são as testemunhas de Jeová, pois ainda NÃO ESTAMOS VIVENDO A GRANDE TRIBULAÇÃO… O que você quis dizer nessa afirmação; E concordo com o seu ponto de vista no que se refere a escrever muito não prova que o argumento é verdadeiro. Obrigado.

      • o wevertom disse que nao sao as testemunhas de jeová porque eles dizem que esses 144,000 sao eles,,mas como pode ser ?se eles pregam contrario a CRISTO ? e ainda dizem que o paraiso é aqui,,,,

          • caro everton,,,tratando-se das coisas sagradas,nao existe opiniao como :eu penso ,eu acho ,,,temos que ir pelo que está escrito…Isaías 65

            17 “Pois vejam!
            Criarei novos céus
            e nova terra,
            e as coisas passadas não serão lembradas.
            Jamais virão à mente!

            Então vi novos céus e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra tinham passado; e o mar já não existia.
            Apocalipse 21:1
            Todavia, de acordo com a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, onde habita a justiça.
            2 Pedro 3:13

  5. CARO WERVETON COMO VAI?

    PARA ENTENDERMOS A QUESTÃO DOS 144 MIL, PRECISAMOS COMPREENDER QUE
    O Reino de Deus é um governo real estabelecido por Jeová Deus. “O reino de Deus” também é chamado na Bíblia de “o reino do céu”, visto que sua sede fica no céu. (Marcos 1:14, 15; Mateus 4:17, Bíblia Fácil de Ler) Ele tem muitas características dos governos humanos, mas é superior em todos os sentidos.

    Governantes. Deus comissionou Jesus Cristo como Rei do Reino e lhe deu mais autoridade do que qualquer humano jamais poderia ter. (Mateus 28:18) Jesus usa esse poder apenas para o bem; ele já mostrou ser um Líder confiável e compassivo. (Mateus 4:23; Marcos 1:40, 41; 6:31-34; Lucas 7:11-17) Sob a orientação de Deus, Jesus tem escolhido pessoas de todas as nações para “reinar sobre a terra” com ele no céu. — Revelação (Apocalipse) 5:9, 10. (LEIA O TEXTO E PERGUNTE-SE: SOBRE QUEM OS 144 MIL SERÃO REIS? E SOBRE QUEM ELES AGIRÃO COMO SACERDOTES ? NOTOU QUE O TEXTO DIZ QUELES REINARÃO SOBRE (ENCIMA) DA TERRA?
    Duração. Diferentemente dos governos humanos, que são temporários, o Reino de Deus “jamais será arruinado”. — Daniel 2:44.
    Súditos. Qualquer um que faz a vontade de Deus pode ser súdito de Seu Reino, não importa sua raça ou nacionalidade. — Atos 10:34, 35.
    Leis. As leis (ou mandamentos) do Reino de Deus fazem mais do que apenas proibir comportamentos errados. Elas elevam o caráter moral de seus súditos. Por exemplo, a Bíblia diz: “‘Tens de amar a Jeová, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua mente.’ Este é o maior e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: ‘Tens de amar o teu próximo como a ti mesmo.’” (Mateus 22:37-39) O amor a Deus e ao próximo motiva os súditos do Reino de Deus a sempre pensar no bem das outras pessoas.
    Educação. Embora o Reino de Deus estabeleça padrões elevados para seus súditos, ele também os ensina como viver à altura desses padrões. — Isaías 48:17, 18.
    Objetivo. O Reino de Deus não enriquece seus governantes às custas dos súditos. Em vez disso, ele realizará a vontade de Deus, o que inclui a promessa de que aqueles que o amam viverão para sempre num paraíso na Terra. — Isaías 35:1, 5, 6; Mateus 6:10; Revelação 21:1-4.

    • Karlos a paz seja contigo,

      Relendo a sua resposta para entendê-la um pouco mais vi uma passagem bíblica que você usa de referência para afirmar que os 144 mil reinarão em cima da terra, porém ao ler o texto tanto em português, quanto em grego não vi essa informação, pois a frase θελομεν βασιλευσει ( eles reinarão) επι της γης.(a terra/na terra), ou seja numa avaliação semântica do texto grego, a palavra “SOBRE” foi acrescida para salientar o sentido de a terra/na terra e não para relatar que o reinado seria por cima, ou seja no céu, não estou querendo dizer que você está errado meu irmão, porém foi a análise que eu fiz lendo o texto em português e em grego. Se você quiser comentar sobre esse assunto eu agradeço ao querido irmão. A paz seja contigo.

  6. CARO ADSON Cãmara, O TEXTO EM QUESTÃO FALA DO ISRAEL ESPIRITUAL DE DEUS, PAULO DISSE QUE JUDEU NÃO É AQUELE NASCIDO NA CARNE MAS AQUELE NASCIDO DO ESPIRITO. SE VOCÊ LER COM MAIS CALMA O TEXTO VERA QUE ELE FALA DE TRIBO QUE NÃO EXISTIA NA ANTIGA NAÇÃO DE ISRAEL. POR TANTO ESSAS PESSOAS QUE COMPONHEM OS 144 MIL SÃO PESSOA TIRADAS DENTRE TODAS AS NACÕES COMO PRIMÍCIAS PARA DEUS. SÃO GERADOS FILHOS ESPIRITUAIS DE DEUS PARA UM PROPOSITO ESPECIFICO GOVERNAR A HUMANIDADE JUNTO COM NOSSO SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO. UM ABRAÇO.

  7. CARO REGINO COMO VAI?
    AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NÃO DIZEM QUE O PARAISO SERÁ AQUI NA TERRA A PROPRIA BIBLIA AFIRMA ISSO. ELAS APENAS ENSÍNAM O QUE A BIBLIA AFIRMA. CONSIDERE OS SEGUINTES PONTOS:

    O Reino de Deus substituirá todos os governos humanos e governará a Terra inteira. (Daniel 2:44) Quando isso acontecer, o Reino de Deus . . .

    Removerá as pessoas más, cujo egoísmo prejudica a todos nós. “Quanto aos iníquos, serão decepados da própria terra.” — Provérbios 2:22.
    Acabará com todas as guerras. “[Deus] faz cessar as guerras até a extremidade da terra.” — Salmo 46:9.
    Trará prosperidade e segurança à Terra. “Todos viverão em paz no meio de suas videiras e figueiras, e ninguém os fará sentir medo.” — Miqueias 4:4, Good News Translation.
    Transformará a Terra num paraíso. “O deserto se alegrará, e crescerão flores nas terras secas.” — Isaías 35:1, Bíblia na Linguagem de Hoje.
    Dará a todos um trabalho significativo e agradável. “Meus escolhidos [de Deus] usufruirão plenamente o trabalho das suas próprias mãos. Não labutarão em vão.” — Isaías 65:21-23.
    Eliminará as doenças. “Nenhum residente dirá: ‘Estou doente.’” — Isaías 33:24.
    Nos libertará do processo de envelhecimento. “Torne-se a sua carne mais fresca do que na infância; volte ele aos dias do seu vigor juvenil.” — Jó 33:25.
    Trará os mortos de volta à vida. “Todos os que estão nos túmulos memoriais ouvirão a sua voz [de Jesus] e sairão.” — João 5:28, 29. ENTÃO GINO, A BÍBLIA ENSINA OU NÃO O RESTABELECIMENTO DO PARAÍSO NA TERRA? ESPERO TER AJUDADO VOCÊ. UM ABRAÇO.

  8. CARO REGINO COMO VAI?
    AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NÃO DIZEM QUE O PARAISO SERÁ AQUI NA TERRA A PROPRIA BIBLIA AFIRMA ISSO. ELAS APENAS ENSÍNAM O QUE A BIBLIA AFIRMA. CONSIDERE OS SEGUINTES PONTOS:

    O Reino de Deus substituirá todos os governos humanos e governará a Terra inteira. (Daniel 2:44) Quando isso acontecer, o Reino de Deus . . .

    Removerá as pessoas más, cujo egoísmo prejudica a todos nós. “Quanto aos iníquos, serão decepados da própria terra.” — Provérbios 2:22.
    Acabará com todas as guerras. “[Deus] faz cessar as guerras até a extremidade da terra.” — Salmo 46:9.
    Trará prosperidade e segurança à Terra. “Todos viverão em paz no meio de suas videiras e figueiras, e ninguém os fará sentir medo.” — Miqueias 4:4, Good News Translation.
    Transformará a Terra num paraíso. “O deserto se alegrará, e crescerão flores nas terras secas.” — Isaías 35:1, Bíblia na Linguagem de Hoje.
    Dará a todos um trabalho significativo e agradável. “Meus escolhidos [de Deus] usufruirão plenamente o trabalho das suas próprias mãos. Não labutarão em vão.” — Isaías 65:21-23.
    Eliminará as doenças. “Nenhum residente dirá: ‘Estou doente.’” — Isaías 33:24.
    Nos libertará do processo de envelhecimento. “Torne-se a sua carne mais fresca do que na infância; volte ele aos dias do seu vigor juvenil.” — Jó 33:25.
    Trará os mortos de volta à vida. “Todos os que estão nos túmulos memoriais ouvirão a sua voz [de Jesus] e sairão.” — João 5:28, 29. ENTÃO GINO, A BÍBLIA ENSINA OU NÃO O RESTABELECIMENTO DO PARAÍSO NA TERRA? ESPERO TER AJUDADO VOCÊ. UM ABRAÇO.

    • olá carlos,,,esta escrito que essa terra é uma perola que está reservada para o fogo mas antes do fogo será colhido o trigo do meio do joio. e que o senhor DEUS fará novos céu e nova terra,,,e quem disser que o paraiso é aqui,,o mesmo usa outra biblia a segue outro evangelho…

  9. … são 12.000 de cada uma das 12 tribos de Israel que são virgem não se contaminaram com mulheres, por isso andarão com o cordeiro. (Apocalipse)
    Não confundir com o número dos arrebatados como fazem as falsas testemunhas de Jeová.
    Pedro era casado e afirmou que será arrebatado com o senhor nos ares.
    E João pergunta em Apocalipse: Quem são aqueles tantos quanto a areia do mar? E o anjo responde: Estes são aqueles que vem da grande tribulação. Lavaram as suas vestes no sangue do Cordeiro…
    Portanto, o número dos arrebatados é além dos 144.000.

  10. PRESADO IRMÃO SERGIO, COM TODO RESPEITO, VOCÊ ESTÁ FAZENDO UMA GRANDE CONFUSÃO VAMOS ENTENDER ESSA QUESTÃO.)

    GRANDE MULTIDÃO/ 144 MIL

    Essa expressão , em si, é bastante comum nas Escrituras Gregas Cristãs. “Grande(s) multidão(ões)” é uma expressão às vezes usada com respeito aos grandes grupos de pessoas que ouviam o ensino público de Jesus Cristo. (Mt 14:14; 19:2; 20:29) Após a visão da destruição da simbólica Babilônia, a Grande, o apóstolo João ouviu “o que era como a voz alta duma grande multidão no céu”. (Re 19:1) Em Revelação (Apocalipse) 7:9, porém, menciona-se uma “grande multidão”, cuja identificação, em especial, tem sido motivo de muito interesse.
    Neste capítulo, o apóstolo João primeiro menciona a selagem de 144.000 escravos de Deus, “de toda tribo dos filhos de Israel”. (Re 7:2-8) Depois, ele observou numa visão “uma grande multidão”, procedente de todas as nações, tribos, povos e línguas. Estes, em pé diante do trono de Deus, atribuem sua salvação a Deus e ao Cordeiro. Saíram da “grande tribulação”, servem a Deus no seu templo e Ele estende sobre eles a sua tenda. Acabar-se-á com sua fome e sede, e enxugar-se-á toda lágrima dos seus olhos, ao passo que Seu Filho (o Cordeiro; Jo 1:29) os guia a águas da vida. — Re 7:9-17.
    Conceitos Populares. Diversos conceitos têm sido apresentados sobre a significação e a identificação desta “grande multidão”. Muitos comentadores encaram os 144.000 selados, mencionados primeiro, como membros do “Israel espiritual” e crêem que simbolizam a congregação cristã enquanto na terra. Eles acham que a “grande multidão” representa esta mesma congregação cristã no céu, depois de essas pessoas terem morrido em fé e terem sido ressuscitadas. Outros sustentam que os 144.000 procedem literalmente “de toda tribo dos filhos de Israel” (Re 7:4), quer dizer, são judeus carnais que se tornam cristãos, e entendem que a “grande multidão” representa todos os cristãos gentios. Um exame do capítulo 7 de Revelação e de outros textos relacionados, porém, revela sérias incoerências nestes conceitos, indicando ao mesmo tempo uma conclusão diferente.
    Afirmar que os 144.000 selados são os membros da congregação cristã enquanto na terra, ao passo que os da “grande multidão” são os cristãos ressuscitados no céu, não se harmoniza com a outra menção dos 144.000, no capítulo 14 de Revelação. Ali, os 144.000 estão em pé com o Cordeiro no “Monte Sião”. Em Hebreus 12:18-24, o apóstolo Paulo contrasta a experiência dos israelitas junto ao monte Sinai terrestre com a dos cristãos que se chegaram “a um Monte Sião e a uma cidade do Deus vivente, a Jerusalém celestial, e a miríades de anjos, em assembléia geral, e à congregação dos primogênitos que foram alistados nos céus”. Portanto, é óbvio que, embora Revelação 14:3 diga que os 144.000 foram “comprados da terra”, o contexto representa-os como estando, não na terra, mas no céu, com o Cordeiro celestial, Cristo Jesus. (Re 14:3, 4) Isto torna inválido o conceito de que os 144.000 representem a congregação cristã enquanto na terra, em contraste com serem a “grande multidão” no céu.
    Além disso, a maneira em que o apóstolo João introduz a sua visão da “grande multidão” indica uma nítida diferença de identidade entre ela e os 144.000 selados. Ele declara: “Depois destas coisas [o relato a respeito dos 144.000 selados] eu vi, e, eis uma grande multidão, que nenhum homem podia contar.” (Re 7:9) Ele apresenta assim a “grande multidão” como entidade separada e faz um nítido contraste entre o número específico dos 144.000 e os da “grande multidão” sem número. Estes são também diferenciados por não serem “dos filhos de Israel”, mas de todas as nações, tribos, povos e línguas. Não são vistos em pé ‘com o Cordeiro’, assim como os 144.000, em Revelação 14:1, mas estão “diante do Cordeiro”. Estes diversos fatores argumentam todos que os da “grande multidão” são separados e distintos dos 144.000 selados.
    Por outro lado, o conceito de que aqui se diferenciam cristãos de origem judaica dos cristãos gentios contraria a declaração inspirada do apóstolo Paulo, no sentido de que as diferenças carnais não entram em consideração na congregação cristã, visto que todos os seus membros são um só em união com Cristo Jesus. (Ro 10:12; Gál 3:28) Dificilmente se poderia esperar que Jeová, depois de ter ‘reconciliado plenamente ambos os povos [judeus e não-judeus] consigo mesmo, em um só corpo’, por meio de Cristo, agora, na visão dada a João, fizesse uma divisão entre os dois grupos por separar os judeus carnais dos gentios. (Ef 2:11-21; At 15:7-9) Isto é especialmente evidente quando se leva em conta o princípio divino declarado por Paulo. O apóstolo escreveu: “Não é judeu aquele que o é por fora, nem é circuncisão aquela que a é por fora, na carne. Mas judeu é aquele que o é no íntimo, e a sua circuncisão é a do coração, por espírito.” (Ro 2:28, 29) Também, por que é que não se faria nenhuma menção duma ‘selagem’ dos cristãos gentios, nesta visão divina? E por que não seriam os cristãos gentios capazes de aprender o novo cântico entoado pelos 144.000? (Re 14:3) Parece assim claro que os 144.000 selados são do Israel espiritual, não do Israel carnal — portanto, incluem tanto cristãos judeus como gentios. — Gál 6:16.
    Sua Identificação. A chave para a identificação dos da “grande multidão” se encontra na própria descrição dela no capítulo 7 de Revelação, e em passagens obviamente paralelas. Revelação 7:15-17 diz que Deus ‘estende sobre eles a sua tenda’, que eles são guiados a “fontes de água da vida” e que Deus enxuga “toda lágrima dos olhos deles”. Em Revelação 21:2-4, encontramos expressões paralelas: “A tenda de Deus está com a humanidade”, e Ele ‘enxugar dos seus olhos toda lágrima’ e de ‘não haver mais morte’. A visão apresentada ali é a respeito de pessoas que não estão no céu, de onde ‘desce a Nova Jerusalém’, mas na terra, entre a humanidade.
    Isto suscita a pergunta: Se os da “grande multidão” são pessoas que obtêm a salvação e permanecem na terra, como se pode dizer que ‘estão em pé diante do trono de Deus e diante do Cordeiro’? (Re 7:9) Às vezes usa-se na Bíblia a posição de alguém ‘estar em pé’ para indicar uma posição favorecida ou aprovada aos olhos daquele em cuja presença a pessoa ou o grupo está em pé. (Sal 1:5; 5:5; Pr 22:29, Tr; Lu 1:19) De fato, no capítulo anterior de Revelação, “os reis da terra, e os dignitários, e os comandantes militares, e os ricos, e os fortes, e todo escravo e toda pessoa livre” são retratados como procurando esconder-se “do rosto Daquele que está sentado no trono e do furor do Cordeiro, porque veio o grande dia do seu furor, e quem é que pode ficar de pé?” (Re 6:15-17; compare isso com Lu 21:36.) Parece, assim, que a “grande multidão” é formada por aqueles que têm sido preservados durante esse tempo de furor e que puderam ficar “de pé” como aprovados por Deus e pelo Cordeiro.
    Serem eles guiados pelo Cordeiro a “fontes de águas da vida” encontra paralelo em Revelação 22:17, que diz: “O espírito e a noiva estão dizendo: ‘Vem!’ E quem ouve diga: ‘Vem!’ E quem tem sede venha; quem quiser tome de graça a água da vida.” A “noiva” é claramente identificada nas Escrituras como a congregação dos cristãos ungidos, prometida em casamento ao Noivo celestial, Cristo Jesus. (Ef 5:25-27; 2Co 11:2; Re 19:7-9; 21:9-11) O convite, de ‘tomar de graça a água da vida’, feito pelos da classe celestial da “noiva”, obviamente se estende a um número ilimitado de pessoas, a “quem quiser”. Também a “grande multidão” não tem número, harmonizando-se assim a visão de Revelação 7:9 com a de Revelação 22:17.
    Toda a evidência, portanto, aponta a “grande multidão” como representando todos aqueles que não são da classe celestial da “noiva”, ou dos 144.000 selados, mas que estão em pé como aprovados na época da “grande tribulação” e são preservados vivos na terra. .( Obrigado pela expressão falsa testemunha e que Deus o abençoe ).

    • A paz irmão Karlos,

      O seu ponto de vista é muito bom e eu gostei muito mesmo.

      Eu tenho uma pergunta baseada na oferta de primícias Paulo fala:

      Mas cada um por sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda. 1 Coríntios 15:23

      E, se as primícias são santas, também a massa o é; se a raiz é santa, também os ramos o são. Romanos 11:16,

      O que significam essas afirmações?

  11. NOBRE IRMÃO REGINO, GOSTARIA QUE RESPONDESSE A SEGUINTE PERGUNTA:

    SUPONHAMOS QUE O IRMÃO FOSSE O DONO DE UMA SUNTUOSA MANSÃO, FINA MENTE DECORADA, E COM TODO CONFORTO PARA UMA FAMÍLIA VIVER NELA,COM BELOS JARDINS E POMARES, UMA LINDA PISCINA E FONTES DE ÁGUA . DAI, O NOBRE IRMÃO , POR UMA NECESSIDADE VIAJA E DEIXA MORADORES CUIDANDO DA MANSÃO. AO RETORNAR ENCONTRA A CASA DETERIORADA, A PISCINA E FONTES DE ÁGUA POLUIDAS O JARDIM E POMARES DESTRUIDOS. OQUE FARIA O NOBRE IRMÃO:

    A) EXPULSARIA OS MORADORES E DESTRUIRIA A MANSÃO?
    B) EXPULSARIA OS MAUS MORADORES E RECULPERARIA A MANSÃO?

    CONTINUA..

  12. Irmãos a paz seja convosco,

    Gostaria de fazer uma pergunta, por que João detalhou as tribos se esse numero não é literal? Em Romanos 11 fala sobre enxerto na Oliveira verdadeira, e as bênçãos de Gênesis 49 e Jesus afirmando ser ele a videira verdadeira será que não deixaria a entender que os gentios estariam ligados a tribo de Judá e não as 12 tribos? Será que não seria realmente o literal? Por favor respondam estou curioso para saber as vossas opiniões?

  13. Qual é o propósito de Deus para a Terra?

    Qual é o propósito de Deus para a humanidade?

    Como Deus foi desafiado?

    Como será a vida na Terra no futuro?

    O PROPÓSITO de Deus para a Terra é realmente maravilhoso. Jeová deseja que ela seja habitada por pessoas felizes e sadias. A Bíblia diz que “Deus plantou um jardim no Éden” e fez “brotar . . . toda árvore de aspecto desejável e boa para alimento”. Depois que Deus criou o primeiro homem e a primeira mulher, Adão e Eva, ele os colocou nesse lar maravilhoso e disse-lhes: “Sede fecundos e tornai-vos muitos, e enchei a terra, e sujeitai-a.” (Gênesis 1:28; 2:8, 9, 15) Portanto, o propósito de Deus era que os humanos tivessem filhos, estendessem os limites daquele lar paradisíaco a toda a Terra e cuidassem dos animais.
    2 Será que o propósito de Jeová Deus, de que as pessoas vivam num paraíso terrestre, vai se cumprir? ‘Eu o falei’, diz Deus, ‘eu também o farei’. (Isaías 46:9-11; 55:11) Deus com certeza cumprirá seu propósito! Ele diz que ‘não criou a Terra simplesmente para nada’, mas que ‘a formou para ser habitada’. (Isaías 45:18) Que tipo de pessoas Deus queria que vivessem na Terra? E por quanto tempo ele queria que vivessem aqui? A Bíblia responde: “Os próprios justos possuirão a terra e residirão sobre ela para todo o sempre.” — Salmo 37:29; Revelação (Apocalipse) 21:3, 4.
    3 Obviamente, isso ainda não aconteceu. As pessoas adoecem e morrem; até mesmo se agridem e matam umas às outras. Algo saiu errado. Mas, com certeza, Deus não queria que as condições na Terra fossem do jeito que são hoje! O que aconteceu? Por que o propósito de Deus não se cumpriu? Nenhum livro de história escrito por um humano pode nos dar a resposta, porque os problemas começaram no céu.
    SURGE UM INIMIGO
    4 O primeiro livro da Bíblia nos fala a respeito de um rival de Deus que se manifestou no jardim do Éden. Ele é chamado de “serpente”, mas não era um simples animal. O último livro da Bíblia identifica-o como “Diabo e Satanás, que está desencaminhando toda a terra habitada”. Ele é também chamado de “serpente original”. (Gênesis 3:1; Revelação 12:9) Esse anjo poderoso, ou criatura espiritual invisível, usou uma serpente para falar com Eva, assim como uma pessoa bem treinada pode fazer com que sua voz pareça ser a de um boneco ao seu lado. Essa criatura espiritual sem dúvida estava presente quando Deus preparou a Terra para os humanos. — Jó 38:4, 7.
    5 Mas, visto que todas as criações de Jeová são perfeitas, quem fez esse “Diabo”, ou “Satanás”? Dito de maneira simples, um dos poderosos filhos espirituais de Deus fez de si mesmo o Diabo. Como isso foi possível? Bem, até mesmo alguém decente e honesto pode tornar-se ladrão. Como é que isso pode acontecer? Essa pessoa talvez permita que um desejo errado se desenvolva no coração. Se insistir em pensar nisso, esse desejo pode tornar-se muito forte. Daí, se surgir uma oportunidade, ela talvez acabe agindo segundo o seu desejo. — Tiago 1:13-15.
    6 Foi isso o que aconteceu com Satanás, o Diabo. Pelo visto, ele ouviu Deus dizer a Adão e Eva que tivessem filhos e povoassem a Terra com seus descendentes. (Gênesis 1:27, 28) Satanás evidentemente pensou: ‘Ora, todos esses humanos poderiam adorar a mim, em vez de a Deus!’ Assim, um desejo errado instalou-se no seu coração. Por fim, ele agiu enganando Eva por contar-lhe mentiras a respeito de Deus. (Gênesis 3:1-5) Desse modo, ele tornou-se o “Diabo”, que significa “Caluniador”. Ao mesmo tempo, tornou-se “Satanás”, que significa “Opositor”.
    7 Usando mentiras e trapaças, Satanás, o Diabo, fez com que Adão e Eva desobedecessem a Deus. (Gênesis 2:17; 3:6) Em resultado disso, por fim eles morreram, como Deus havia dito que aconteceria, caso desobedecessem. (Gênesis 3:17-19) Visto que Adão se tornou imperfeito quando pecou, todos os seus descendentes herdaram dele o pecado. (Romanos 5:12) Pode-se ilustrar essa situação com uma fôrma para fazer pão. Se a fôrma tiver um defeito, o que acontecerá com todos os pães feitos nela? Todos eles sairão com defeito, ou imperfeição. Da mesma maneira, todo ser humano herda um “defeito” causado pela imperfeição de Adão. É por isso que todos os humanos envelhecem e morrem. — Romanos 3:23.
    8 Quando Satanás induziu Adão e Eva a pecar contra Deus, ele estava na verdade liderando uma rebelião. Ele desafiava a maneira de Jeová governar. Na realidade, Satanás dizia: ‘Deus é um mau governante. Ele mente e priva seus súditos de coisas boas. Os humanos não precisam que Deus os governe. Eles podem decidir por si mesmos o que é bom e o que é mau. E serão mais bem-sucedidos se forem governados por mim.’ Como Deus enfrentaria um desafio tão insultante? Alguns acham que Deus deveria simplesmente destruir os rebeldes. Mas será que isso responderia ao desafio de Satanás? Será que provaria que o modo de Deus governar é correto?
    9 O senso de justiça perfeito de Jeová não o permitiria executar imediatamente os rebeldes. Ele decidiu que seria necessário um tempo para responder ao desafio de Satanás de modo satisfatório e provar que o Diabo é mentiroso. Assim, Deus resolveu permitir que os humanos governassem a si mesmos por um bom tempo sob a influência de Satanás. O motivo de Jeová ter feito isso e a razão de ter concedido tanto tempo para resolver essas questões serão considerados no Capítulo 11 deste livro. Por ora, no entanto, é bom pensar: Será que Adão e Eva estavam certos ao acreditarem em Satanás, que nunca lhes fizera algum bem? Será que tinham motivos para crer que Jeová, que lhes havia dado tudo o que possuíam, era um mentiroso cruel? O que você teria feito?
    10 É bom pensar nessas perguntas, pois cada um de nós enfrenta questões similares hoje em dia. De fato, você tem a oportunidade de apoiar o lado de Jeová na resposta ao desafio de Satanás. Você pode aceitar a Jeová como Governante e ajudar a mostrar que Satanás é mentiroso. (Salmo 73:28; Provérbios 27:11) Infelizmente, poucos dentre os bilhões de pessoas no mundo fazem essa escolha. Isso levanta uma pergunta importante: Será que a Bíblia realmente ensina que Satanás governa este mundo?
    QUEM GOVERNA ESTE MUNDO?
    11 Jesus jamais duvidou que Satanás fosse o governante deste mundo. De alguma forma milagrosa, Satanás certa vez mostrou a Jesus “todos os reinos do mundo e a glória deles”. Daí, ele prometeu a Jesus: “Todas estas coisas te darei, se te prostrares e me fizeres um ato de adoração.” (Mateus 4:8, 9; Lucas 4:5, 6) Pense nisso. Se o Diabo não fosse o governante desses reinos poderia ele ter tentado Jesus com essa oferta? Jesus não negou que todos esses governos do mundo pertencessem a Satanás. Certamente, Jesus teria feito isso se Satanás não fosse a verdadeira fonte de poder desses governos.
    12 Naturalmente, Jeová é o Deus Todo-Poderoso, o Criador do maravilhoso Universo. (Revelação 4:11) No entanto, em nenhum lugar a Bíblia diz que Jeová Deus, ou Jesus Cristo, seja o governante deste mundo. De fato, Jesus se referiu especificamente a Satanás como “governante deste mundo”. (João 12:31; 14:30; 16:11) A Bíblia até mesmo fala de Satanás, o Diabo, como “deus deste sistema”. (2 Coríntios 4:3, 4) A respeito desse opositor, ou Satanás, o apóstolo João escreveu: “O mundo inteiro jaz no poder do iníquo.” — 1 João 5:19.
    COMO O MUNDO DE SATANÁS SERÁ DESTRUÍDO
    13 A cada ano que passa, o mundo fica mais perigoso. Ele está cheio de exércitos agressivos, políticos desonestos, líderes religiosos hipócritas e criminosos endurecidos. Este mundo como um todo é irreformável. A Bíblia revela que se aproxima o dia em que este mundo mau será destruído no Armagedom, a guerra de Deus. Isso abrirá o caminho para um novo mundo justo. — Revelação 16:14-16.
    14 Jeová Deus escolheu Jesus Cristo como Governante de Seu Reino, ou governo, celestial. Muito tempo atrás, a Bíblia predisse: “Um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será . . . Príncipe da Paz; para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim.” (Isaías 9:6, 7, Almeida, revista e atualizada) A respeito desse governo, Jesus ensinou seus seguidores a orar: “Venha o teu reino. Realize-se a tua vontade, como no céu, assim também na terra.” (Mateus 6:10) Como veremos mais adiante neste livro, o Reino de Deus em breve eliminará todos os governos deste mundo e ocupará o lugar deles. (Daniel 2:44) Em seguida, o Reino de Deus fará da Terra um paraíso.

    APROXIMA-SE UM NOVO MUNDO!

    15 A Bíblia garante: ‘Há novos céus e uma nova terra que aguardamos segundo a promessa de Deus, e nestes há de morar a justiça.’ (2 Pedro 3:13; Isaías 65:17) Às vezes, quando a Bíblia fala de “terra”, ela se refere às pessoas que vivem na Terra. (Gênesis 11:1) Assim, a “nova terra” de justiça será uma sociedade de pessoas que receberá a aprovação de Deus.
    16 Jesus prometeu que, no futuro novo mundo, os aprovados por Deus receberão a dádiva da “vida eterna”. (Marcos 10:30) Abra a sua Bíblia em João 3:16 e 17:3, e leia o que Jesus disse que temos de fazer para ganhar a vida eterna. Agora, considere abaixo as bênçãos que a Bíblia promete aos que se habilitarem para receber essa maravilhosa dádiva de Deus no futuro Paraíso terrestre.
    17 A maldade, a guerra, o crime e a violência não existirão mais. “O iníquo não mais existirá . . . Mas os próprios mansos possuirão a terra.” (Salmo 37:10, 11) Haverá paz porque ‘Deus fará cessar as guerras até a extremidade da terra’. (Salmo 46:9; Isaías 2:4) Daí “florescerá o justo e a abundância de paz até que não haja mais lua” — o que significa para sempre! — Salmo 72:7.
    18 Os adoradores de Jeová viverão em segurança. Enquanto os israelitas nos tempos bíblicos obedeciam a Deus, eles viviam em segurança. (Levítico 25:18, 19) Como será maravilhoso ter uma segurança assim no Paraíso! — Isaías 32:18; Miquéias 4:4.
    19 Não mais faltarão alimentos. “Virá a haver bastante cereal na terra”, disse o salmista num cântico. “No cume dos montes haverá superabundância.” (Salmo 72:16) Jeová abençoará os justos e “a própria terra dará certamente a sua produção”. — Salmo 67:6.
    20 A Terra inteira se tornará um paraíso. Belas casas e lindos jardins ocuparão espaços antes arruinados por humanos pecadores. (Isaías 65:21-24; Revelação 11:18) Com o tempo, partes recuperadas da Terra se expandirão até que o globo inteiro se torne tão belo e produtivo como era o jardim do Éden. E Deus jamais deixará de ‘abrir a mão e satisfazer o desejo de toda coisa vivente’. — Salmo 145:16.
    21 Haverá paz entre os humanos e os animais. Animais selvagens e domésticos comerão juntos. Nem mesmo uma criancinha precisará ter medo de animais que hoje são perigosos. — Isaías 11:6-9; 65:25.
    22 As doenças desaparecerão. Como Governante do Reino celestial de Deus, Jesus realizará curas em escala bem maior do que quando esteve na Terra. (Mateus 9:35; Marcos 1:40-42; João 5:5-9) Naquele tempo, “nenhum residente dirá: ‘Estou doente.’” — Isaías 33:24; 35:5, 6.
    23 Entes queridos falecidos voltarão a viver com a perspectiva de jamais morrer. Todos os que estão dormindo na morte e estão na memória de Deus voltarão à vida. De fato, “há de haver uma ressurreição tanto de justos como de injustos”. — Atos 24:15; João 5:28, 29.
    24 Como será maravilhoso o futuro para os que decidem aprender sobre o Grandioso Criador, Jeová, e servi-lo! Jesus se referia ao futuro Paraíso na Terra quando prometeu ao malfeitor que morreu ao seu lado: “Estarás comigo no Paraíso.” (Lucas 23:43) É importante que aprendamos mais sobre Jesus Cristo, por meio de quem essas bênçãos se tornarão possíveis.
    O QUE A BÍBLIA ENSINA

    ▪ O propósito de Deus de fazer da Terra um paraíso se cumprirá. — Isaías 45:18; 55:11.
    ▪ Este mundo por enquanto é governado por Satanás. — João 12:31; 1 João 5:19.
    ▪ No futuro novo mundo, Deus concederá muitas bênçãos à humanidade. — Salmo 37:10, 11, 29.
    [Perguntas de Estudo]
    1. Qual é o propósito de Deus para a Terra?
    2. (a) Que certeza temos de que o propósito de Deus para a Terra se cumprirá? (b) O que a Bíblia diz a respeito de os humanos viverem para sempre?
    3. Que condições tristes existem hoje na Terra, e isso levanta que perguntas?
    4, 5. (a) Quem na realidade falou com Eva por meio duma serpente? (b) Como é possível que alguém decente e honesto se torne ladrão?
    6. Como foi que um poderoso filho espiritual de Deus se tornou Satanás, o Diabo?
    7. (a) Por que Adão e Eva morreram? (b) Por que todos os descendentes de Adão envelhecem e morrem?
    8, 9. (a) Que desafio Satanás evidentemente lançou? (b) Por que Deus não destruiu de imediato os rebeldes?
    10. Como você pode apoiar o lado de Jeová na resposta ao desafio de Satanás?
    11, 12. (a) De que modo uma tentação pela qual Jesus passou revela que Satanás é o governante deste mundo? (b) Que outras provas existem de que Satanás é o governante deste mundo?
    13. Por que há necessidade de um novo mundo?
    14. A quem Deus escolheu como Governante de seu Reino, e como isso foi predito?
    15. O que será a “nova terra”?
    16. Que dádiva inestimável Deus dará aos que ele aprovar, e o que temos de fazer para recebê-la?
    17, 18. Como podemos ter certeza de que haverá paz e segurança em toda a Terra?
    19. Como sabemos que haverá fartura de alimentos no novo mundo de Deus?
    20. Por que podemos ter certeza de que a Terra inteira se tornará um paraíso?
    21. Como sabemos que haverá paz entre os humanos e os animais?
    22. O que acontecerá com as doenças?
    23. Por que a ressurreição alegrará nosso coração?
    24. O que você acha da idéia de viver num Paraíso na Terra?

  14. Qual é o propósito de Deus para a Terra?

    Qual é o propósito de Deus para a humanidade?

    Como Deus foi desafiado?

    Como será a vida na Terra no futuro?

    O PROPÓSITO de Deus para a Terra é realmente maravilhoso. Jeová deseja que ela seja habitada por pessoas felizes e sadias. A Bíblia diz que “Deus plantou um jardim no Éden” e fez “brotar . . . toda árvore de aspecto desejável e boa para alimento”. Depois que Deus criou o primeiro homem e a primeira mulher, Adão e Eva, ele os colocou nesse lar maravilhoso e disse-lhes: “Sede fecundos e tornai-vos muitos, e enchei a terra, e sujeitai-a.” (Gênesis 1:28; 2:8, 9, 15) Portanto, o propósito de Deus era que os humanos tivessem filhos, estendessem os limites daquele lar paradisíaco a toda a Terra e cuidassem dos animais.
    2 Será que o propósito de Jeová Deus, de que as pessoas vivam num paraíso terrestre, vai se cumprir? ‘Eu o falei’, diz Deus, ‘eu também o farei’. (Isaías 46:9-11; 55:11) Deus com certeza cumprirá seu propósito! Ele diz que ‘não criou a Terra simplesmente para nada’, mas que ‘a formou para ser habitada’. (Isaías 45:18) Que tipo de pessoas Deus queria que vivessem na Terra? E por quanto tempo ele queria que vivessem aqui? A Bíblia responde: “Os próprios justos possuirão a terra e residirão sobre ela para todo o sempre.” — Salmo 37:29; Revelação (Apocalipse) 21:3, 4.
    3 Obviamente, isso ainda não aconteceu. As pessoas adoecem e morrem; até mesmo se agridem e matam umas às outras. Algo saiu errado. Mas, com certeza, Deus não queria que as condições na Terra fossem do jeito que são hoje! O que aconteceu? Por que o propósito de Deus não se cumpriu? Nenhum livro de história escrito por um humano pode nos dar a resposta, porque os problemas começaram no céu.
    SURGE UM INIMIGO
    4 O primeiro livro da Bíblia nos fala a respeito de um rival de Deus que se manifestou no jardim do Éden. Ele é chamado de “serpente”, mas não era um simples animal. O último livro da Bíblia identifica-o como “Diabo e Satanás, que está desencaminhando toda a terra habitada”. Ele é também chamado de “serpente original”. (Gênesis 3:1; Revelação 12:9) Esse anjo poderoso, ou criatura espiritual invisível, usou uma serpente para falar com Eva, assim como uma pessoa bem treinada pode fazer com que sua voz pareça ser a de um boneco ao seu lado. Essa criatura espiritual sem dúvida estava presente quando Deus preparou a Terra para os humanos. — Jó 38:4, 7.
    5 Mas, visto que todas as criações de Jeová são perfeitas, quem fez esse “Diabo”, ou “Satanás”? Dito de maneira simples, um dos poderosos filhos espirituais de Deus fez de si mesmo o Diabo. Como isso foi possível? Bem, até mesmo alguém decente e honesto pode tornar-se ladrão. Como é que isso pode acontecer? Essa pessoa talvez permita que um desejo errado se desenvolva no coração. Se insistir em pensar nisso, esse desejo pode tornar-se muito forte. Daí, se surgir uma oportunidade, ela talvez acabe agindo segundo o seu desejo. — Tiago 1:13-15.
    6 Foi isso o que aconteceu com Satanás, o Diabo. Pelo visto, ele ouviu Deus dizer a Adão e Eva que tivessem filhos e povoassem a Terra com seus descendentes. (Gênesis 1:27, 28) Satanás evidentemente pensou: ‘Ora, todos esses humanos poderiam adorar a mim, em vez de a Deus!’ Assim, um desejo errado instalou-se no seu coração. Por fim, ele agiu enganando Eva por contar-lhe mentiras a respeito de Deus. (Gênesis 3:1-5) Desse modo, ele tornou-se o “Diabo”, que significa “Caluniador”. Ao mesmo tempo, tornou-se “Satanás”, que significa “Opositor”.
    7 Usando mentiras e trapaças, Satanás, o Diabo, fez com que Adão e Eva desobedecessem a Deus. (Gênesis 2:17; 3:6) Em resultado disso, por fim eles morreram, como Deus havia dito que aconteceria, caso desobedecessem. (Gênesis 3:17-19) Visto que Adão se tornou imperfeito quando pecou, todos os seus descendentes herdaram dele o pecado. (Romanos 5:12) Pode-se ilustrar essa situação com uma fôrma para fazer pão. Se a fôrma tiver um defeito, o que acontecerá com todos os pães feitos nela? Todos eles sairão com defeito, ou imperfeição. Da mesma maneira, todo ser humano herda um “defeito” causado pela imperfeição de Adão. É por isso que todos os humanos envelhecem e morrem. — Romanos 3:23.
    8 Quando Satanás induziu Adão e Eva a pecar contra Deus, ele estava na verdade liderando uma rebelião. Ele desafiava a maneira de Jeová governar. Na realidade, Satanás dizia: ‘Deus é um mau governante. Ele mente e priva seus súditos de coisas boas. Os humanos não precisam que Deus os governe. Eles podem decidir por si mesmos o que é bom e o que é mau. E serão mais bem-sucedidos se forem governados por mim.’ Como Deus enfrentaria um desafio tão insultante? Alguns acham que Deus deveria simplesmente destruir os rebeldes. Mas será que isso responderia ao desafio de Satanás? Será que provaria que o modo de Deus governar é correto?
    9 O senso de justiça perfeito de Jeová não o permitiria executar imediatamente os rebeldes. Ele decidiu que seria necessário um tempo para responder ao desafio de Satanás de modo satisfatório e provar que o Diabo é mentiroso. Assim, Deus resolveu permitir que os humanos governassem a si mesmos por um bom tempo sob a influência de Satanás. O motivo de Jeová ter feito isso e a razão de ter concedido tanto tempo para resolver essas questões serão considerados no Capítulo 11 deste livro. Por ora, no entanto, é bom pensar: Será que Adão e Eva estavam certos ao acreditarem em Satanás, que nunca lhes fizera algum bem? Será que tinham motivos para crer que Jeová, que lhes havia dado tudo o que possuíam, era um mentiroso cruel? O que você teria feito?
    10 É bom pensar nessas perguntas, pois cada um de nós enfrenta questões similares hoje em dia. De fato, você tem a oportunidade de apoiar o lado de Jeová na resposta ao desafio de Satanás. Você pode aceitar a Jeová como Governante e ajudar a mostrar que Satanás é mentiroso. (Salmo 73:28; Provérbios 27:11) Infelizmente, poucos dentre os bilhões de pessoas no mundo fazem essa escolha. Isso levanta uma pergunta importante: Será que a Bíblia realmente ensina que Satanás governa este mundo?
    QUEM GOVERNA ESTE MUNDO?
    11 Jesus jamais duvidou que Satanás fosse o governante deste mundo. De alguma forma milagrosa, Satanás certa vez mostrou a Jesus “todos os reinos do mundo e a glória deles”. Daí, ele prometeu a Jesus: “Todas estas coisas te darei, se te prostrares e me fizeres um ato de adoração.” (Mateus 4:8, 9; Lucas 4:5, 6) Pense nisso. Se o Diabo não fosse o governante desses reinos poderia ele ter tentado Jesus com essa oferta? Jesus não negou que todos esses governos do mundo pertencessem a Satanás. Certamente, Jesus teria feito isso se Satanás não fosse a verdadeira fonte de poder desses governos.
    12 Naturalmente, Jeová é o Deus Todo-Poderoso, o Criador do maravilhoso Universo. (Revelação 4:11) No entanto, em nenhum lugar a Bíblia diz que Jeová Deus, ou Jesus Cristo, seja o governante deste mundo. De fato, Jesus se referiu especificamente a Satanás como “governante deste mundo”. (João 12:31; 14:30; 16:11) A Bíblia até mesmo fala de Satanás, o Diabo, como “deus deste sistema”. (2 Coríntios 4:3, 4) A respeito desse opositor, ou Satanás, o apóstolo João escreveu: “O mundo inteiro jaz no poder do iníquo.” — 1 João 5:19.
    COMO O MUNDO DE SATANÁS SERÁ DESTRUÍDO
    13 A cada ano que passa, o mundo fica mais perigoso. Ele está cheio de exércitos agressivos, políticos desonestos, líderes religiosos hipócritas e criminosos endurecidos. Este mundo como um todo é irreformável. A Bíblia revela que se aproxima o dia em que este mundo mau será destruído no Armagedom, a guerra de Deus. Isso abrirá o caminho para um novo mundo justo. — Revelação 16:14-16.
    14 Jeová Deus escolheu Jesus Cristo como Governante de Seu Reino, ou governo, celestial. Muito tempo atrás, a Bíblia predisse: “Um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será . . . Príncipe da Paz; para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim.” (Isaías 9:6, 7, Almeida, revista e atualizada) A respeito desse governo, Jesus ensinou seus seguidores a orar: “Venha o teu reino. Realize-se a tua vontade, como no céu, assim também na terra.” (Mateus 6:10) Como veremos mais adiante neste livro, o Reino de Deus em breve eliminará todos os governos deste mundo e ocupará o lugar deles. (Daniel 2:44) Em seguida, o Reino de Deus fará da Terra um paraíso.

    APROXIMA-SE UM NOVO MUNDO!

    15 A Bíblia garante: ‘Há novos céus e uma nova terra que aguardamos segundo a promessa de Deus, e nestes há de morar a justiça.’ (2 Pedro 3:13; Isaías 65:17) Às vezes, quando a Bíblia fala de “terra”, ela se refere às pessoas que vivem na Terra. (Gênesis 11:1) Assim, a “nova terra” de justiça será uma sociedade de pessoas que receberá a aprovação de Deus.
    16 Jesus prometeu que, no futuro novo mundo, os aprovados por Deus receberão a dádiva da “vida eterna”. (Marcos 10:30) Abra a sua Bíblia em João 3:16 e 17:3, e leia o que Jesus disse que temos de fazer para ganhar a vida eterna. Agora, considere abaixo as bênçãos que a Bíblia promete aos que se habilitarem para receber essa maravilhosa dádiva de Deus no futuro Paraíso terrestre.
    17 A maldade, a guerra, o crime e a violência não existirão mais. “O iníquo não mais existirá . . . Mas os próprios mansos possuirão a terra.” (Salmo 37:10, 11) Haverá paz porque ‘Deus fará cessar as guerras até a extremidade da terra’. (Salmo 46:9; Isaías 2:4) Daí “florescerá o justo e a abundância de paz até que não haja mais lua” — o que significa para sempre! — Salmo 72:7.
    18 Os adoradores de Jeová viverão em segurança. Enquanto os israelitas nos tempos bíblicos obedeciam a Deus, eles viviam em segurança. (Levítico 25:18, 19) Como será maravilhoso ter uma segurança assim no Paraíso! — Isaías 32:18; Miquéias 4:4.
    19 Não mais faltarão alimentos. “Virá a haver bastante cereal na terra”, disse o salmista num cântico. “No cume dos montes haverá superabundância.” (Salmo 72:16) Jeová abençoará os justos e “a própria terra dará certamente a sua produção”. — Salmo 67:6.
    20 A Terra inteira se tornará um paraíso. Belas casas e lindos jardins ocuparão espaços antes arruinados por humanos pecadores. (Isaías 65:21-24; Revelação 11:18) Com o tempo, partes recuperadas da Terra se expandirão até que o globo inteiro se torne tão belo e produtivo como era o jardim do Éden. E Deus jamais deixará de ‘abrir a mão e satisfazer o desejo de toda coisa vivente’. — Salmo 145:16.
    21 Haverá paz entre os humanos e os animais. Animais selvagens e domésticos comerão juntos. Nem mesmo uma criancinha precisará ter medo de animais que hoje são perigosos. — Isaías 11:6-9; 65:25.
    22 As doenças desaparecerão. Como Governante do Reino celestial de Deus, Jesus realizará curas em escala bem maior do que quando esteve na Terra. (Mateus 9:35; Marcos 1:40-42; João 5:5-9) Naquele tempo, “nenhum residente dirá: ‘Estou doente.’” — Isaías 33:24; 35:5, 6.
    23 Entes queridos falecidos voltarão a viver com a perspectiva de jamais morrer. Todos os que estão dormindo na morte e estão na memória de Deus voltarão à vida. De fato, “há de haver uma ressurreição tanto de justos como de injustos”. — Atos 24:15; João 5:28, 29.
    24 Como será maravilhoso o futuro para os que decidem aprender sobre o Grandioso Criador, Jeová, e servi-lo! Jesus se referia ao futuro Paraíso na Terra quando prometeu ao malfeitor que morreu ao seu lado: “Estarás comigo no Paraíso.” (Lucas 23:43) É importante que aprendamos mais sobre Jesus Cristo, por meio de quem essas bênçãos se tornarão possíveis.
    O QUE A BÍBLIA ENSINA

    ▪ O propósito de Deus de fazer da Terra um paraíso se cumprirá. — Isaías 45:18; 55:11.
    ▪ Este mundo por enquanto é governado por Satanás. — João 12:31; 1 João 5:19.
    ▪ No futuro novo mundo, Deus concederá muitas bênçãos à humanidade. — Salmo 37:10, 11, 29.
    [Perguntas de Estudo]
    1. Qual é o propósito de Deus para a Terra?
    2. (a) Que certeza temos de que o propósito de Deus para a Terra se cumprirá? (b) O que a Bíblia diz a respeito de os humanos viverem para sempre?
    3. Que condições tristes existem hoje na Terra, e isso levanta que perguntas?
    4, 5. (a) Quem na realidade falou com Eva por meio duma serpente? (b) Como é possível que alguém decente e honesto se torne ladrão?
    6. Como foi que um poderoso filho espiritual de Deus se tornou Satanás, o Diabo?
    7. (a) Por que Adão e Eva morreram? (b) Por que todos os descendentes de Adão envelhecem e morrem?
    8, 9. (a) Que desafio Satanás evidentemente lançou? (b) Por que Deus não destruiu de imediato os rebeldes?
    10. Como você pode apoiar o lado de Jeová na resposta ao desafio de Satanás?
    11, 12. (a) De que modo uma tentação pela qual Jesus passou revela que Satanás é o governante deste mundo? (b) Que outras provas existem de que Satanás é o governante deste mundo?
    13. Por que há necessidade de um novo mundo?
    14. A quem Deus escolheu como Governante de seu Reino, e como isso foi predito?
    15. O que será a “nova terra”?
    16. Que dádiva inestimável Deus dará aos que ele aprovar, e o que temos de fazer para recebê-la?
    17, 18. Como podemos ter certeza de que haverá paz e segurança em toda a Terra?
    19. Como sabemos que haverá fartura de alimentos no novo mundo de Deus?
    20. Por que podemos ter certeza de que a Terra inteira se tornará um paraíso?
    21. Como sabemos que haverá paz entre os humanos e os animais?
    22. O que acontecerá com as doenças?
    23. Por que a ressurreição alegrará nosso coração?
    24. O que você acha da idéia de viver num Paraíso na Terra?

    • A ADORAÇÃO QUE DEUS APROVA

      Será que todas as religiões agradam a Deus?

      Como podemos identificar a religião verdadeira?

      Quem são hoje os verdadeiros adoradores de Deus na Terra?

      JEOVÁ se interessa profundamente por nós e deseja que nos beneficiemos de suas instruções amorosas. Se o adorarmos da maneira correta, seremos felizes e evitaremos muitos problemas na vida. Teremos também sua bênção e sua ajuda. (Isaías 48:17) Existem, no entanto, centenas de religiões que afirmam ensinar a verdade a respeito de Deus. Contudo, elas diferem muito nos seus ensinos sobre quem é Deus e o que ele espera de nós.
      2 Como é possível saber qual é a maneira correta de adorar a Jeová? Não é preciso estudar e comparar os ensinos de todas as muitas religiões. É preciso apenas aprender o que a Bíblia realmente ensina a respeito da adoração verdadeira. Para ilustrar: em muitos países, existe o problema da falsificação de dinheiro. Se você fosse encarregado de identificar dinheiro falso, como faria isso? Memorizando todos os tipos de falsificações? Não. Seu tempo seria melhor gasto se você o usasse para estudar o dinheiro legítimo. Depois de conhecer bem o dinheiro legítimo, poderia reconhecer o falso. Do mesmo modo, quando aprendemos a identificar a religião verdadeira, podemos reconhecer as que são falsas.
      3 É importante que adoremos a Jeová do modo que ele aprova. Muitos acham que todas as religiões agradam a Deus, mas a Bíblia não ensina isso. Também não basta apenas afirmar ser cristão. Jesus disse: “Nem todo o que me disser: ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus, senão aquele que fizer a vontade de meu Pai, que está nos céus.” Portanto, para termos a aprovação de Deus, temos de aprender o que ele exige de nós e pôr isso em prática. Jesus chamou os que não fazem a vontade de Deus de “obreiros do que é contra a lei”. (Mateus 7:21-23) Como dinheiro falso, a religião falsa não tem valor verdadeiro. Pior ainda, esse tipo de religião é realmente prejudicial.
      4 Jeová dá a todos na Terra a oportunidade de ganhar a vida eterna. Mas, a fim de viver para sempre no Paraíso, temos de adorar a Deus da maneira correta e viver agora de um modo aceitável a ele. É lamentável que muitos se recusem a fazer isso. Por isso, Jesus disse: “Entrai pelo portão estreito; porque larga e espaçosa é a estrada que conduz à destruição, e muitos são os que entram por ela; ao passo que estreito é o portão e apertada a estrada que conduz à vida, e poucos são os que o acham.” (Mateus 7:13, 14) A religião verdadeira conduz à vida eterna. A religião falsa leva à destruição. Jeová não deseja que nenhum humano seja destruído, motivo pelo qual ele está dando a pessoas em toda a parte a oportunidade de aprender a seu respeito. (2 Pedro 3:9) Realmente, pois, o modo como adoramos a Deus significará vida ou morte para nós.
      COMO IDENTIFICAR A RELIGIÃO VERDADEIRA
      5 Como se pode encontrar a ‘estrada da vida’? Jesus disse que a religião verdadeira ficaria evidente na vida das pessoas que a praticassem. “Pelos seus frutos os reconhecereis”, disse ele. “Toda árvore boa produz fruto excelente.” (Mateus 7:16, 17) Em outras palavras, os que praticam a religião verdadeira seriam reconhecidos pelas suas crenças e pela sua conduta. Embora sejam imperfeitos e cometam erros, os adoradores verdadeiros, como grupo, procuram fazer a vontade de Deus. Vamos considerar seis aspectos que identificam os que praticam a religião verdadeira.
      6 Os servos de Deus baseiam seus ensinos na Bíblia. A própria Bíblia diz: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para ensinar, para repreender, para endireitar as coisas, para disciplinar em justiça, a fim de que o homem [ou mulher] de Deus seja plenamente competente, completamente equipado para toda boa obra.” (2 Timóteo 3:16, 17) O apóstolo Paulo escreveu aos companheiros cristãos: “Quando recebestes a palavra de Deus, que ouvistes de nós, vós a aceitastes, não como a palavra de homens, mas, pelo que verazmente é, como a palavra de Deus.” (1 Tessalonicenses 2:13) Assim, as crenças e as práticas da religião verdadeira não se baseiam em conceitos humanos nem em tradições. Elas se originam da Palavra inspirada de Deus, a Bíblia.
      7 Jesus Cristo deu o exemplo correto por basear seus ensinos na Palavra de Deus. Em oração a seu Pai celestial, ele disse: “A tua palavra é a verdade.” (João 17:17) Jesus acreditava na Palavra de Deus, e tudo o que ele ensinava se harmonizava com as Escrituras. Ele disse muitas vezes: “Está escrito.” (Mateus 4:4, 7, 10) Em seguida, citava um trecho das Escrituras. Assim também hoje, os servos de Deus não ensinam suas próprias idéias. Eles acreditam que a Bíblia é a Palavra de Deus e baseiam seus ensinos firmemente no que ela diz.
      8 Os que praticam a religião verdadeira adoram apenas a Jeová e divulgam seu nome. Jesus declarou: “É a Jeová, teu Deus, que tens de adorar e é somente a ele que tens de prestar serviço sagrado.” (Mateus 4:10) Assim, os servos de Deus não adoram a ninguém a não ser a Jeová. Essa adoração inclui informar às pessoas o nome do Deus verdadeiro e suas qualidades. O Salmo 83:18 diz: “Tu, cujo nome é Jeová, somente tu és o Altíssimo sobre toda a terra.” Jesus estabeleceu o modelo em ajudar outros a conhecer a Deus, como disse em oração: “Tenho feito manifesto o teu nome aos homens que me deste do mundo.” (João 17:6) De modo similar, os atuais adoradores verdadeiros ensinam outros a respeito do nome, dos propósitos e das qualidades de Deus.
      9 Os do povo de Deus têm amor genuíno e altruísta entre si. Jesus disse: “Por meio disso saberão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor entre vós.” (João 13:35) Os primeiros cristãos tinham esse amor entre si. O amor baseado no temor a Deus vence barreiras raciais, sociais e nacionais e une as pessoas num inquebrantável vínculo de verdadeira fraternidade. (Colossenses 3:14) Os membros das religiões falsas não têm tal fraternidade amorosa. Como sabemos disso? Eles matam uns aos outros por causa de disputas nacionais ou étnicas. Os cristãos verdadeiros não pegam em armas para matar seus irmãos cristãos, ou quem quer que seja. A Bíblia diz: ‘Os filhos de Deus e os filhos do Diabo evidenciam-se pelo seguinte fato: Todo aquele que não está praticando a justiça não se origina de Deus, nem aquele que não ama seu irmão. Devemos ter amor uns pelos outros; não como Caim, que se originou do iníquo e que matou a seu irmão.’ — 1 João 3:10-12; 4:20, 21.
      10 Naturalmente, o amor genuíno significa mais do que não matar outros. Com altruísmo, os cristãos verdadeiros usam seu tempo, suas energias e seus recursos para ajudar e encorajar uns aos outros. (Hebreus 10:24, 25) Eles se ajudam mutuamente em tempos de aflição, e são honestos nos seus tratos com outros. De fato, aplicam na vida o conselho bíblico de ‘fazer o que é bom para com todos’. — Gálatas 6:10.
      11 Os cristãos verdadeiros aceitam a Jesus Cristo como meio de salvação provido por Deus. A Bíblia diz: “Não há outro nome debaixo do céu, que tenha sido dado entre os homens, pelo qual tenhamos de ser salvos.” (Atos 4:12) Como vimos no Capítulo 5, Jesus deu sua vida como resgate pelos humanos obedientes. (Mateus 20:28) Além disso, Jesus é o Rei designado de Deus no Reino celestial que governará a Terra. E Deus requer que obedeçamos a Jesus e coloquemos em prática seus ensinos, se desejamos a vida eterna. É por isso que a Bíblia diz: “Quem exerce fé no Filho tem vida eterna; quem desobedece ao Filho não verá a vida.” — João 3:36.
      12 Os adoradores verdadeiros não fazem parte do mundo. Quando estava sendo julgado perante o governante romano Pilatos, Jesus disse: “Meu reino não faz parte deste mundo.” (João 18:36) Não importa em que país vivam, os verdadeiros seguidores de Jesus são súditos de seu Reino celestial, mantendo assim estrita neutralidade nos assuntos políticos do mundo. Eles não participam nos seus conflitos. No entanto, os adoradores de Jeová não interferem na escolha de outros quanto a entrar num partido político, concorrer a um cargo ou votar. E, ao passo que os verdadeiros adoradores de Deus são neutros em assuntos políticos, são também obedientes às leis. Por quê? Porque a Palavra de Deus ordena que se ‘sujeitem’ às “autoridades superiores” governamentais. (Romanos 13:1) Em caso de conflito entre o que Deus exige e o que exige determinado sistema político, os adoradores verdadeiros seguem o exemplo dos apóstolos, que disseram: “Temos de obedecer a Deus como governante antes que aos homens.” — Atos 5:29; Marcos 12:17.
      13 Os verdadeiros seguidores de Jesus pregam que o Reino de Deus é a única esperança para a humanidade. Jesus predisse: “Estas boas novas do reino serão pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações; e então virá o fim.” (Mateus 24:14) Em vez de incentivar as pessoas a recorrer a governantes humanos para resolver seus problemas, os verdadeiros seguidores de Jesus Cristo proclamam o Reino celestial de Deus como única esperança para a humanidade. (Salmo 146:3) Jesus nos ensinou a orar por esse governo perfeito quando disse: “Venha o teu reino. Realize-se a tua vontade, como no céu, assim também na terra.” (Mateus 6:10) A Palavra de Deus predisse que esse Reino celestial “esmiuçará e porá termo a todos estes reinos [existentes hoje], e ele mesmo ficará estabelecido por tempos indefinidos”. — Daniel 2:44.
      14 À base do que acabamos de considerar, pergunte-se: ‘Que grupo religioso baseia todos os seus ensinos na Bíblia e torna conhecido o nome de Jeová? Que grupo pratica o amor baseado em normas divinas, exerce fé em Jesus, não faz parte do mundo e proclama o Reino de Deus como única esperança real para a humanidade? De todos os grupos religiosos na Terra, qual deles cumpre esses requisitos?’ Os fatos mostram claramente que são as Testemunhas de Jeová. — Isaías 43:10-12.
      O QUE VOCÊ FARÁ?
      15 Simplesmente crer em Deus não é suficiente para agradá-lo. Afinal, a Bíblia diz que até os demônios crêem que ele existe. (Tiago 2:19) Mas eles, obviamente, não fazem a vontade de Deus e não têm sua aprovação. Para sermos aprovados por Deus, não só temos de crer na sua existência mas também fazer a sua vontade. É preciso também cortar os laços com a religião falsa e aceitar a adoração verdadeira.
      16 O apóstolo Paulo mostrou que não devemos participar na adoração falsa. Ele escreveu: “‘Saí do meio deles e separai-vos’, diz Jeová, ‘e cessai de tocar em coisa impura’; ‘e eu vos acolherei.’” (2 Coríntios 6:17; Isaías 52:11) Portanto, os cristãos verdadeiros evitam qualquer coisa ligada à adoração falsa.
      17 A Bíblia mostra que todas as muitas formas de religião falsa são parte de “Babilônia, a Grande”.* (Revelação [Apocalipse] 17:5) Esse nome nos faz lembrar a antiga cidade de Babilônia, onde a religião falsa começou depois do Dilúvio dos dias de Noé. Muitos ensinos e práticas que hoje são comuns na religião falsa se originaram muito tempo atrás em Babilônia. Por exemplo, os babilônios adoravam trindades, ou tríades, de deuses. Hoje, a doutrina central de muitas religiões é a Trindade. Mas a Bíblia ensina claramente que existe um só Deus verdadeiro, Jeová, e que Jesus Cristo é seu Filho. (João 17:3) Os babilônios também acreditavam que os humanos têm uma alma imortal que sobrevive à morte do corpo e pode sofrer num lugar de tormento. Hoje, a crença na alma, ou espírito, imortal passível de sofrimento num inferno de fogo é ensinada pela maioria das religiões.
      18 Visto que a antiga adoração babilônica se espalhou por toda a Terra, a atual Babilônia, a Grande, pode ser apropriadamente identificada como império mundial de religião falsa. E Deus predisse que esse império de religião falsa acabará de repente. (Revelação 18:8) Consegue ver por que é vital separar-se de qualquer parte de Babilônia, a Grande? Jeová deseja que você ‘saia dela’ rapidamente, enquanto há tempo. — Revelação 18:4.
      19 Por causa de sua decisão de parar de praticar a religião falsa, é possível que alguns decidam deixar de se associar com você. Mas, servindo a Jeová junto com seu povo, você ganhará muito mais do que talvez venha a perder. Assim como os primeiros discípulos de Jesus, que abandonaram outras coisas para segui-lo, você virá a ter muitos irmãos e irmãs espirituais. Você se tornará parte de uma grande família mundial de milhões de cristãos verdadeiros, que lhe mostrarão amor genuíno. E terá a esperança maravilhosa de vida eterna “no vindouro sistema de coisas”. (Marcos 10:28-30) E pode ser que, com o tempo, aqueles que o abandonarem por causa daquilo em que você passou a crer examinem o que a Bíblia ensina e se tornem adoradores de Jeová.
      20 A Bíblia ensina que Deus em breve acabará com o atual sistema mundial perverso e o substituirá por um novo mundo justo, governado pelo Seu Reino. (2 Pedro 3:9, 13) Que mundo maravilhoso será esse! E nesse novo mundo justo haverá apenas uma religião, uma única forma verdadeira de adoração. Não é sábio de sua parte dar os passos necessários para se associar desde já com os adoradores verdadeiros?
      [Nota(s) de rodapé]
      Para mais informações sobre por que Babilônia, a Grande, representa o império mundial de religião falsa, veja o Apêndice, páginas 219-20.
      O QUE A BÍBLIA ENSINA
      ▪ Existe uma só religião verdadeira. — Mateus 7:13, 14.
      ▪ A religião verdadeira é identificada pelos seus ensinos e práticas. — Mateus 7:16, 17.
      ▪ As Testemunhas de Jeová praticam a adoração que Deus aprova. — Isaías 43:10.
      [Perguntas de Estudo]
      1. Como seremos beneficiados se adorarmos a Deus da maneira correta?
      2. Como podemos aprender a maneira correta de adorar a Jeová, e que ilustração nos ajuda a entender isso?
      3. De acordo com Jesus, o que temos de fazer para ter a aprovação de Deus?
      4. O que significam as palavras de Jesus a respeito das duas estradas, e ao que cada uma delas conduz?
      5. Como podemos reconhecer os que praticam a religião verdadeira?
      6, 7. Como os servos de Deus consideram a Bíblia, e que exemplo Jesus deu nesse respeito?
      8. O que está envolvido em adorar a Jeová?
      9, 10. De que maneiras os cristãos verdadeiros mostram que têm amor entre si?
      11. Por que é importante aceitar a Jesus Cristo como meio de Deus prover a salvação?
      12. O que envolve não fazer parte do mundo?
      13. Como os verdadeiros seguidores de Jesus consideram o Reino de Deus e, assim, que atitude adotam?
      14. Na sua opinião, que grupo religioso cumpre os requisitos da adoração verdadeira?
      15. O que Deus requer além de crermos que ele existe?
      16. Que ação se deve tomar com respeito à participação na religião falsa?
      17, 18. O que é “Babilônia, a Grande”, e por que é urgente ‘sair dela’?
      19. Que benefícios você terá por servir a Jeová?
      20. O que o futuro reserva para os que praticam a religião verdadeira?
      [Quadro/Foto na página 147]
      OS QUE ADORAM O DEUS VERDADEIRO
      ▪ baseiam seus ensinos na Bíblia
      ▪ adoram apenas a Jeová e divulgam Seu nome
      ▪ têm amor genuíno entre si
      ▪ aceitam a Jesus como meio de salvação provido por Deus
      ▪ não fazem parte do mundo
      ▪ pregam o Reino de Deus como única esperança da humanidade
      [Foto na página 150]
      Servindo a Jeová junto com seu povo você ganhará muito mais do que talvez venha a perder
      Copyright © 2013 Watch Tower Bible and Tract Society of Pennsylvania. All Rights Reserved. Termos de Uso Política de Privacidade

        • existe muitas passagens na biblia que afirmam que a nossa morada nao é aqui,,,,estamos de passagem,pois essa terra é uma pérola que foi reservada para o fogo,,e nao ficará pedra sobre pedra que nao seja derribada e nem ramos nem raízes ,,o proprio JESUS CRISTO nos assegura isso.,,,,,,Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar.
          E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.
          Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho.

          João 14:2-4 ,,,, e, aí everton,,vai querer ficar por aqui mesmo ?? ou vai seguir a JESUS CRISTO ser herdeiro de seu testamento ?

  15. A ADORAÇÃO QUE DEUS APROVA

    Será que todas as religiões agradam a Deus?

    Como podemos identificar a religião verdadeira?

    Quem são hoje os verdadeiros adoradores de Deus na Terra?

    JEOVÁ se interessa profundamente por nós e deseja que nos beneficiemos de suas instruções amorosas. Se o adorarmos da maneira correta, seremos felizes e evitaremos muitos problemas na vida. Teremos também sua bênção e sua ajuda. (Isaías 48:17) Existem, no entanto, centenas de religiões que afirmam ensinar a verdade a respeito de Deus. Contudo, elas diferem muito nos seus ensinos sobre quem é Deus e o que ele espera de nós.
    2 Como é possível saber qual é a maneira correta de adorar a Jeová? Não é preciso estudar e comparar os ensinos de todas as muitas religiões. É preciso apenas aprender o que a Bíblia realmente ensina a respeito da adoração verdadeira. Para ilustrar: em muitos países, existe o problema da falsificação de dinheiro. Se você fosse encarregado de identificar dinheiro falso, como faria isso? Memorizando todos os tipos de falsificações? Não. Seu tempo seria melhor gasto se você o usasse para estudar o dinheiro legítimo. Depois de conhecer bem o dinheiro legítimo, poderia reconhecer o falso. Do mesmo modo, quando aprendemos a identificar a religião verdadeira, podemos reconhecer as que são falsas.
    3 É importante que adoremos a Jeová do modo que ele aprova. Muitos acham que todas as religiões agradam a Deus, mas a Bíblia não ensina isso. Também não basta apenas afirmar ser cristão. Jesus disse: “Nem todo o que me disser: ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus, senão aquele que fizer a vontade de meu Pai, que está nos céus.” Portanto, para termos a aprovação de Deus, temos de aprender o que ele exige de nós e pôr isso em prática. Jesus chamou os que não fazem a vontade de Deus de “obreiros do que é contra a lei”. (Mateus 7:21-23) Como dinheiro falso, a religião falsa não tem valor verdadeiro. Pior ainda, esse tipo de religião é realmente prejudicial.
    4 Jeová dá a todos na Terra a oportunidade de ganhar a vida eterna. Mas, a fim de viver para sempre no Paraíso, temos de adorar a Deus da maneira correta e viver agora de um modo aceitável a ele. É lamentável que muitos se recusem a fazer isso. Por isso, Jesus disse: “Entrai pelo portão estreito; porque larga e espaçosa é a estrada que conduz à destruição, e muitos são os que entram por ela; ao passo que estreito é o portão e apertada a estrada que conduz à vida, e poucos são os que o acham.” (Mateus 7:13, 14) A religião verdadeira conduz à vida eterna. A religião falsa leva à destruição. Jeová não deseja que nenhum humano seja destruído, motivo pelo qual ele está dando a pessoas em toda a parte a oportunidade de aprender a seu respeito. (2 Pedro 3:9) Realmente, pois, o modo como adoramos a Deus significará vida ou morte para nós.
    COMO IDENTIFICAR A RELIGIÃO VERDADEIRA
    5 Como se pode encontrar a ‘estrada da vida’? Jesus disse que a religião verdadeira ficaria evidente na vida das pessoas que a praticassem. “Pelos seus frutos os reconhecereis”, disse ele. “Toda árvore boa produz fruto excelente.” (Mateus 7:16, 17) Em outras palavras, os que praticam a religião verdadeira seriam reconhecidos pelas suas crenças e pela sua conduta. Embora sejam imperfeitos e cometam erros, os adoradores verdadeiros, como grupo, procuram fazer a vontade de Deus. Vamos considerar seis aspectos que identificam os que praticam a religião verdadeira.
    6 Os servos de Deus baseiam seus ensinos na Bíblia. A própria Bíblia diz: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para ensinar, para repreender, para endireitar as coisas, para disciplinar em justiça, a fim de que o homem [ou mulher] de Deus seja plenamente competente, completamente equipado para toda boa obra.” (2 Timóteo 3:16, 17) O apóstolo Paulo escreveu aos companheiros cristãos: “Quando recebestes a palavra de Deus, que ouvistes de nós, vós a aceitastes, não como a palavra de homens, mas, pelo que verazmente é, como a palavra de Deus.” (1 Tessalonicenses 2:13) Assim, as crenças e as práticas da religião verdadeira não se baseiam em conceitos humanos nem em tradições. Elas se originam da Palavra inspirada de Deus, a Bíblia.
    7 Jesus Cristo deu o exemplo correto por basear seus ensinos na Palavra de Deus. Em oração a seu Pai celestial, ele disse: “A tua palavra é a verdade.” (João 17:17) Jesus acreditava na Palavra de Deus, e tudo o que ele ensinava se harmonizava com as Escrituras. Ele disse muitas vezes: “Está escrito.” (Mateus 4:4, 7, 10) Em seguida, citava um trecho das Escrituras. Assim também hoje, os servos de Deus não ensinam suas próprias idéias. Eles acreditam que a Bíblia é a Palavra de Deus e baseiam seus ensinos firmemente no que ela diz.
    8 Os que praticam a religião verdadeira adoram apenas a Jeová e divulgam seu nome. Jesus declarou: “É a Jeová, teu Deus, que tens de adorar e é somente a ele que tens de prestar serviço sagrado.” (Mateus 4:10) Assim, os servos de Deus não adoram a ninguém a não ser a Jeová. Essa adoração inclui informar às pessoas o nome do Deus verdadeiro e suas qualidades. O Salmo 83:18 diz: “Tu, cujo nome é Jeová, somente tu és o Altíssimo sobre toda a terra.” Jesus estabeleceu o modelo em ajudar outros a conhecer a Deus, como disse em oração: “Tenho feito manifesto o teu nome aos homens que me deste do mundo.” (João 17:6) De modo similar, os atuais adoradores verdadeiros ensinam outros a respeito do nome, dos propósitos e das qualidades de Deus.
    9 Os do povo de Deus têm amor genuíno e altruísta entre si. Jesus disse: “Por meio disso saberão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor entre vós.” (João 13:35) Os primeiros cristãos tinham esse amor entre si. O amor baseado no temor a Deus vence barreiras raciais, sociais e nacionais e une as pessoas num inquebrantável vínculo de verdadeira fraternidade. (Colossenses 3:14) Os membros das religiões falsas não têm tal fraternidade amorosa. Como sabemos disso? Eles matam uns aos outros por causa de disputas nacionais ou étnicas. Os cristãos verdadeiros não pegam em armas para matar seus irmãos cristãos, ou quem quer que seja. A Bíblia diz: ‘Os filhos de Deus e os filhos do Diabo evidenciam-se pelo seguinte fato: Todo aquele que não está praticando a justiça não se origina de Deus, nem aquele que não ama seu irmão. Devemos ter amor uns pelos outros; não como Caim, que se originou do iníquo e que matou a seu irmão.’ — 1 João 3:10-12; 4:20, 21.
    10 Naturalmente, o amor genuíno significa mais do que não matar outros. Com altruísmo, os cristãos verdadeiros usam seu tempo, suas energias e seus recursos para ajudar e encorajar uns aos outros. (Hebreus 10:24, 25) Eles se ajudam mutuamente em tempos de aflição, e são honestos nos seus tratos com outros. De fato, aplicam na vida o conselho bíblico de ‘fazer o que é bom para com todos’. — Gálatas 6:10.
    11 Os cristãos verdadeiros aceitam a Jesus Cristo como meio de salvação provido por Deus. A Bíblia diz: “Não há outro nome debaixo do céu, que tenha sido dado entre os homens, pelo qual tenhamos de ser salvos.” (Atos 4:12) Como vimos no Capítulo 5, Jesus deu sua vida como resgate pelos humanos obedientes. (Mateus 20:28) Além disso, Jesus é o Rei designado de Deus no Reino celestial que governará a Terra. E Deus requer que obedeçamos a Jesus e coloquemos em prática seus ensinos, se desejamos a vida eterna. É por isso que a Bíblia diz: “Quem exerce fé no Filho tem vida eterna; quem desobedece ao Filho não verá a vida.” — João 3:36.
    12 Os adoradores verdadeiros não fazem parte do mundo. Quando estava sendo julgado perante o governante romano Pilatos, Jesus disse: “Meu reino não faz parte deste mundo.” (João 18:36) Não importa em que país vivam, os verdadeiros seguidores de Jesus são súditos de seu Reino celestial, mantendo assim estrita neutralidade nos assuntos políticos do mundo. Eles não participam nos seus conflitos. No entanto, os adoradores de Jeová não interferem na escolha de outros quanto a entrar num partido político, concorrer a um cargo ou votar. E, ao passo que os verdadeiros adoradores de Deus são neutros em assuntos políticos, são também obedientes às leis. Por quê? Porque a Palavra de Deus ordena que se ‘sujeitem’ às “autoridades superiores” governamentais. (Romanos 13:1) Em caso de conflito entre o que Deus exige e o que exige determinado sistema político, os adoradores verdadeiros seguem o exemplo dos apóstolos, que disseram: “Temos de obedecer a Deus como governante antes que aos homens.” — Atos 5:29; Marcos 12:17.
    13 Os verdadeiros seguidores de Jesus pregam que o Reino de Deus é a única esperança para a humanidade. Jesus predisse: “Estas boas novas do reino serão pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações; e então virá o fim.” (Mateus 24:14) Em vez de incentivar as pessoas a recorrer a governantes humanos para resolver seus problemas, os verdadeiros seguidores de Jesus Cristo proclamam o Reino celestial de Deus como única esperança para a humanidade. (Salmo 146:3) Jesus nos ensinou a orar por esse governo perfeito quando disse: “Venha o teu reino. Realize-se a tua vontade, como no céu, assim também na terra.” (Mateus 6:10) A Palavra de Deus predisse que esse Reino celestial “esmiuçará e porá termo a todos estes reinos [existentes hoje], e ele mesmo ficará estabelecido por tempos indefinidos”. — Daniel 2:44.
    14 À base do que acabamos de considerar, pergunte-se: ‘Que grupo religioso baseia todos os seus ensinos na Bíblia e torna conhecido o nome de Jeová? Que grupo pratica o amor baseado em normas divinas, exerce fé em Jesus, não faz parte do mundo e proclama o Reino de Deus como única esperança real para a humanidade? De todos os grupos religiosos na Terra, qual deles cumpre esses requisitos?’ Os fatos mostram claramente que são as Testemunhas de Jeová. — Isaías 43:10-12.
    O QUE VOCÊ FARÁ?
    15 Simplesmente crer em Deus não é suficiente para agradá-lo. Afinal, a Bíblia diz que até os demônios crêem que ele existe. (Tiago 2:19) Mas eles, obviamente, não fazem a vontade de Deus e não têm sua aprovação. Para sermos aprovados por Deus, não só temos de crer na sua existência mas também fazer a sua vontade. É preciso também cortar os laços com a religião falsa e aceitar a adoração verdadeira.
    16 O apóstolo Paulo mostrou que não devemos participar na adoração falsa. Ele escreveu: “‘Saí do meio deles e separai-vos’, diz Jeová, ‘e cessai de tocar em coisa impura’; ‘e eu vos acolherei.’” (2 Coríntios 6:17; Isaías 52:11) Portanto, os cristãos verdadeiros evitam qualquer coisa ligada à adoração falsa.
    17 A Bíblia mostra que todas as muitas formas de religião falsa são parte de “Babilônia, a Grande”.* (Revelação [Apocalipse] 17:5) Esse nome nos faz lembrar a antiga cidade de Babilônia, onde a religião falsa começou depois do Dilúvio dos dias de Noé. Muitos ensinos e práticas que hoje são comuns na religião falsa se originaram muito tempo atrás em Babilônia. Por exemplo, os babilônios adoravam trindades, ou tríades, de deuses. Hoje, a doutrina central de muitas religiões é a Trindade. Mas a Bíblia ensina claramente que existe um só Deus verdadeiro, Jeová, e que Jesus Cristo é seu Filho. (João 17:3) Os babilônios também acreditavam que os humanos têm uma alma imortal que sobrevive à morte do corpo e pode sofrer num lugar de tormento. Hoje, a crença na alma, ou espírito, imortal passível de sofrimento num inferno de fogo é ensinada pela maioria das religiões.
    18 Visto que a antiga adoração babilônica se espalhou por toda a Terra, a atual Babilônia, a Grande, pode ser apropriadamente identificada como império mundial de religião falsa. E Deus predisse que esse império de religião falsa acabará de repente. (Revelação 18:8) Consegue ver por que é vital separar-se de qualquer parte de Babilônia, a Grande? Jeová deseja que você ‘saia dela’ rapidamente, enquanto há tempo. — Revelação 18:4.
    19 Por causa de sua decisão de parar de praticar a religião falsa, é possível que alguns decidam deixar de se associar com você. Mas, servindo a Jeová junto com seu povo, você ganhará muito mais do que talvez venha a perder. Assim como os primeiros discípulos de Jesus, que abandonaram outras coisas para segui-lo, você virá a ter muitos irmãos e irmãs espirituais. Você se tornará parte de uma grande família mundial de milhões de cristãos verdadeiros, que lhe mostrarão amor genuíno. E terá a esperança maravilhosa de vida eterna “no vindouro sistema de coisas”. (Marcos 10:28-30) E pode ser que, com o tempo, aqueles que o abandonarem por causa daquilo em que você passou a crer examinem o que a Bíblia ensina e se tornem adoradores de Jeová.
    20 A Bíblia ensina que Deus em breve acabará com o atual sistema mundial perverso e o substituirá por um novo mundo justo, governado pelo Seu Reino. (2 Pedro 3:9, 13) Que mundo maravilhoso será esse! E nesse novo mundo justo haverá apenas uma religião, uma única forma verdadeira de adoração. Não é sábio de sua parte dar os passos necessários para se associar desde já com os adoradores verdadeiros?
    [Nota(s) de rodapé]
    Para mais informações sobre por que Babilônia, a Grande, representa o império mundial de religião falsa, veja o Apêndice, páginas 219-20.
    O QUE A BÍBLIA ENSINA
    ▪ Existe uma só religião verdadeira. — Mateus 7:13, 14.
    ▪ A religião verdadeira é identificada pelos seus ensinos e práticas. — Mateus 7:16, 17.
    ▪ As Testemunhas de Jeová praticam a adoração que Deus aprova. — Isaías 43:10.
    [Perguntas de Estudo]
    1. Como seremos beneficiados se adorarmos a Deus da maneira correta?
    2. Como podemos aprender a maneira correta de adorar a Jeová, e que ilustração nos ajuda a entender isso?
    3. De acordo com Jesus, o que temos de fazer para ter a aprovação de Deus?
    4. O que significam as palavras de Jesus a respeito das duas estradas, e ao que cada uma delas conduz?
    5. Como podemos reconhecer os que praticam a religião verdadeira?
    6, 7. Como os servos de Deus consideram a Bíblia, e que exemplo Jesus deu nesse respeito?
    8. O que está envolvido em adorar a Jeová?
    9, 10. De que maneiras os cristãos verdadeiros mostram que têm amor entre si?
    11. Por que é importante aceitar a Jesus Cristo como meio de Deus prover a salvação?
    12. O que envolve não fazer parte do mundo?
    13. Como os verdadeiros seguidores de Jesus consideram o Reino de Deus e, assim, que atitude adotam?
    14. Na sua opinião, que grupo religioso cumpre os requisitos da adoração verdadeira?
    15. O que Deus requer além de crermos que ele existe?
    16. Que ação se deve tomar com respeito à participação na religião falsa?
    17, 18. O que é “Babilônia, a Grande”, e por que é urgente ‘sair dela’?
    19. Que benefícios você terá por servir a Jeová?
    20. O que o futuro reserva para os que praticam a religião verdadeira?
    [Quadro/Foto na página 147]
    OS QUE ADORAM O DEUS VERDADEIRO
    ▪ baseiam seus ensinos na Bíblia
    ▪ adoram apenas a Jeová e divulgam Seu nome
    ▪ têm amor genuíno entre si
    ▪ aceitam a Jesus como meio de salvação provido por Deus
    ▪ não fazem parte do mundo
    ▪ pregam o Reino de Deus como única esperança da humanidade
    [Foto na página 150]
    Servindo a Jeová junto com seu povo você ganhará muito mais do que talvez venha a perder
    Copyright © 2013 Watch Tower Bible and Tract Society of Pennsylvania. All Rights Reserved. Termos de Uso Política de Privacidade

    • A paz Karlos,

      Eu gostaria que você respondesse a minha pergunta anterior, por que João detalhou as tribos se esse numero não é literal? Em Romanos 11 fala sobre enxerto na Oliveira, e as bênçãos de Gênesis 49 e Jesus afirmando ser ele a videira verdadeira será que não deixaria a entender que os gentios estariam ligados a tribo de Judá e não as 12 tribos? Será que não seria realmente o literal?

      • SERÁ QUE NÃO SERIA REALMENTE LITERAL? NÃO, PORQUE APOC. 7:4-8 DIVERGE DA COSTUMEIRA LISTAGEM TRIBAL.(NUM.1:17,47) A LISTAGEM AQUI NÃO SE DESTINA A IDENTIFICAR OS JUDEUS LITERAIS CARNAIS PELAS SUAS TRIBOS, MÁS A MOSTRAR A ESTRUTURA ORGANIZACIONAL SIMILAR DO ISRAEL ESPIRITUAL…..APOC. 5:9,10 DIZ: COM O TEU SANGUE COMPRASTE PESSOAS, DENTRE TODA TRIBO, E LINGUA, E POVO E NAÇÃO, E FIZESTES DELES UM REINO E SACERDOTES PARA O NOSSO DEUS, E HÃO DE REINAR SOBRE A TERRA.

        • Há Divergências sim, isso é inegável, porém devemos entender que mesmo estando divergente ainda assim está relacionada à Israel em 91,66%. Como cheguei a esse numero:
          1- Israel tem 12 tribos que representam 100% das tribos de Israel;
          2- 11 das 12 tribos de Israel são relacionadas com os selados de Apocalipse 7 v 4-8 que representa X:

          12 _____ 100% X= 1100/12
          11 _____ X X= 91,66%

          Só a Tribo de Dã não foi relacionada e a meia tribo de Manassés(Neto de Jacó; filho de José) entrou em seu lugar como uma das tribos de Israel isso corresponde a porcentagem informada acima que faço questão de enfatizar, essa profecia está relacionada com Israel em cerca de 91,66% Matematicamente falando.

    • PRIMEIRO QUE JESUS CRISTO NAO TINHA RELIGIAO,,,,A RELIGIAO DELE ERA ESSA :::A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo. Tiago 1:27

  16. O livro do Apocalipse tem sempre sido um desafio para os seus intérpretes. Esse livro é cheio de imagens vívidas e simbolismo, que muitas pessoas têm interpretado de forma diferente, dependendo das suas pressuposições do livro como um todo. Há quatro abordagens principais para interpretar o livro de Apocalipse: 1) Preterista (que vê todos ou quase todos os eventos no livro de Apocalipse como já tendo ocorrido antes do fim do primeiro século); 2) Historicista (que vê o livro de Apocalipse como uma análise da história da Igreja dos tempos apóstolicos até o presente); 3) Idealista (que vê o livro de Apocalipse como uma representação da luta entre o bem e o mal); 4) Futurista (que vê o livro de Apocalipse como profético dos eventos que hão de vir). Dos quatro, apenas a abordagem futurista interpreta o livro de Apocalipse com o mesmo método gramático-histórico que o resto das Escrituras. Esse método também se encaixa melhor com a declaração do livro de Apocalipse de ser profecia (Apocalipse 1:3; 22:7, 10, 18, 19).

    Então, a resposta para a pergunta: “quem são os 144,000?” vai depender de qual abordagem de interpretação você usa para o livro de Apocalipse. Com exceção da abordagem futurista, todos as outras abordagens interpretam os 144.000 simbolicamente, como sendo representativos da Igreja, e o número “144,000” é simbólico da totalidade – quer dizer, do número completo – da Igreja. Mesmo assim, ao ler a passagem de forma literal: “Então, ouvi o número dos que foram selados, que era cento e quarenta e quatro mil, de todas as tribos dos filhos de Israel” (Apocalipse 7:4), não há nada nessa passagem que encoraje a interpretação dos 144.000 de qualquer outra forma que não seja um número literal de 144.000 judeus, 12.000 tirados de cada tribo dos “filhos de Israel”. O Novo Testamento não oferece nenhum texto bem definido para substituir Israel com a Igreja.

    Esses judeus foram “selados”, o que significa que eles têm uma proteção especial de Deus de todos os julgamentos divinos e do anticristo para que possam executar a sua missão durante o período da Tribulação (veja Apocalipse 6:17, em cuja passagem pessoas vão desejar saber quem vai poder suster-se da ira que há de vir). O periodo da Tribulação é um futuro período de sete anos no qual Deus vai executar julgamento divino a todo aquele que O rejeitou, e completar seu plano de salvação para a nação de Israel. Tudo isso acontecerá de acordo com a revelação de Deus ao profeta Daniel (Daniel 9:24-27). Os 144.000 judeus são uma espécie de “primícias” (Apocalipse 14:4) de um Israel remidido, o qual tem sido profetizado anteriormente (Zacarias 12:10; Romanos 11:25-27), e sua missão é evangelizar o mundo após o arrebatamento e proclamar o evangelho durante o período da Tribulação. Como resultado do seu ministério, milhões (“Depois destas coisas, vi, e eis grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mãos”) vão ter fé em Cristo (Apocalipse 7:9).

    Muito da confusão em relação aos 144.000 é o resultado das falsas doutrinas das Testemunhas de Jeová. As Testemunhas de Jeová clamam que 144.000 é um limite ao número de pessoas que vão reinar com Cristo no céu e passar a eternidade com Deus. Os 144.000 têm o que as Testemunhas de Jeová chamam de esperança celestial. Aqueles que não são nascidos de novo vão gozar do que eles chamam de esperança terrestre – um paraíso na terra governado por Cristo e os 144.000. Podemos ver claramente que o ensinamento das Testemunhas de Jeová funda uma sociedade casta depois da morte com uma classe dominante (os 144.000) e aqueles que são dominados. A Bíblia não ensina uma doutrina de “dupla classe”. É verdade que de acordo com Apocalipse 20:4 haverá pessoas reinando no Milênio com Cristo. Essas pessoas serão da Igreja (seguidores de Jesus Cristo), santos do Velho Testamento (seguidores que morreram antes do primeiro Advento de Cristo) e os santos da Tribulação (aqueles que aceitam a Cristo durante o período da Tribulação). Mesmo assim, a Bíblia não coloca nenhum limite numérico a esse grupo de pessoas. Além do mais, o Milênio é diferente do Estado Eterno, o qual vai ocorrer no final do Milênio. Naquela hora, Deus vai habitar conosco na Nova Jerusalém. Ele será o nosso Deus, e seremos o seu povo (Apocalipse 21:3). A herança prometida a nós em Cristo e selada pelo Espírito Santo (Efésios 1:13-14) será nossa e seremos todos co-herdeiros com Cristo (Romanos 8:17).

    • QUANDO IRROMPER A GRANDE TRIBULAÇÃO AS PORTAS DA OPORTUNIDADE DE SALVAÇÃO ESTARÃO FECHADAS. SERÁ O FIM. JESUS DISSE : E ESTAS BOAS NOVAS DO REINO SERÃO PREGADAS EM TODA A TERRA HABITADA E ENTÃO VIRÁ O FIM. MAT. 24:14 TODAS NAÇÕES DA TERRA , E ISSO INCLUI A ATUAL NAÇÃO DE ISRAEL, DE SE VOLTAREM PARA O REINO DE DEUS. A GRANDE TRIBULAÇÃO CULMINARÁ NO HARMAGEDOM ONDE ESSAS NAÇÕES SERÃO ELIMINADAS E ISSO INCLUI A MUNDANA NAÇÃO DE ISRAEL.

  17. Estimado gino, JESUS era judeu e como tal adorava a JEOVÁ assim como toda nação de israel.
    em Isaias 43:10, 11, 12 está escrito:10 “Vós sois as minhas testemunhas”,*+ é a pronunciação de Jeová, “sim, meu servo* a quem escolhi,+ para que saibais+ e tenhais fé em mim,+ e para que entendais que eu sou o Mesmo.+ Antes de mim não foi formado nenhum Deus*+ e depois de mim continuou a não haver nenhum.*+ 11 Eu é que sou Jeová,+ e além de mim não há salvador.”+ POR TANTO , JESUS FOI NA TERRA A MAIS ILUSTRE TESTEMUNHA DE JEOVÁ .
    Há quanto tempo existe a religião das Testemunhas de Jeová?

    Segundo a Bíblia, a linhagem de testemunhas de Jeová remonta ao fiel Abel. Hebreus 11:4-12:1 diz: “Pela fé Abel ofereceu a Deus um sacrifício de maior valor do que Caim . . . Pela fé Noé, depois de receber aviso divino de coisas ainda não observadas, mostrou temor piedoso . . . Pela fé Abraão, quando chamado, obedeceu, saindo para um lugar que estava destinado a receber em herança . . . Pela fé Moisés, quando cresceu, negou-se a ser chamado filho da filha de Faraó, escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus do que ter o usufruto temporário do pecado . . . Assim, pois, visto que temos a rodear-nos uma tão grande nuvem de testemunhas, ponhamos também de lado todo peso e o pecado que facilmente nos enlaça, e corramos com perseverança a carreira que se nos apresenta.”
    Com respeito a Jesus Cristo, a Bíblia diz: “Estas coisas diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus .” De quem JESUS era ele testemunha? Ele próprio disse ter manifestado o nome de seu Pai. Ele foi a principal testemunha de Jeová. — Rev. 3:14; João 17:6.
    É interessante notar que alguns judeus perguntaram se a atividade de Jesus Cristo representava “um novo ensino”. (Mar. 1:27) Mais tarde, alguns gregos pensaram que o apóstolo Paulo estava introduzindo um “novo ensino”. (Atos 17:19, 20) Era novo para os ouvidos dos que ouviam esse ensino, mas o importante é que era a verdade, estando em plena harmonia com a Palavra de Deus.
    A história moderna das Testemunhas de Jeová iniciou-se com a formação de um grupo de estudo bíblico em Allegheny, Pensilvânia, EUA, nos primórdios da década de 1870. No começo, eram conhecidas apenas como Estudantes da Bíblia, mas, em 1931, adotaram o nome bíblico de Testemunhas de Jeová. (Isa. 43:10-12) Suas crenças e seus métodos não são novos, são antes uma restauração do cristianismo do primeiro século.

    Crêem as Testemunhas de Jeová que a sua religião é a única que é certa?

    A Bíblia não concorda com o conceito moderno de que existem muitas maneiras aceitáveis de se adorar a Deus. Efésios 4:5 diz que há “um só Senhor, uma só fé”. Jesus declarou: “Estreito é o portão e apertada a estrada que conduz à vida, e poucos são os que o acham. . . . Nem todo o que me disser: ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus, senão aquele que fizer a vontade de meu Pai, que está nos céus.” — Mat. 7:13, 14, 21; veja também 1 Coríntios 1:10.
    Repetidas vezes as Escrituras referem-se ao conjunto dos ensinos cristãos verdadeiros como a “verdade”, e o cristianismo é mencionado como o “caminho da verdade”. (1 Tim. 3:15; 2 João 1; 2 Ped. 2:2) Em razão de as Testemunhas de Jeová basearem na Bíblia todas as suas crenças, normas de conduta e procedimentos organizacionais, sua fé na própria Bíblia como sendo a Palavra de Deus lhes dá a convicção de que possuem realmente a verdade. Assim, sua posição não é egotística, mas demonstra confiança na Bíblia como o padrão certo pelo qual se pode avaliar a religião a que a pessoa pertence. Não são egocêntricas, antes, têm vivo desejo de partilhar suas crenças com outros.
    Não seguem também a Bíblia as outras religiões?
    Muitas a usam até certo ponto. Mas será que realmente ensinam e praticam o que está contido nela? Considere: (1) Removeram da maioria de suas versões da Bíblia o nome do verdadeiro Deus, isso milhares de vezes. (2) A doutrina da Trindade, seu conceito sobre o próprio Deus, foi tomada emprestada a fontes pagãs e desenvolvida na sua forma atual séculos após ter sido completada a escrita da Bíblia. (3) Sua crença na imortalidade da alma humana como base para a vida além-túmulo não é bíblica; tem raízes na antiga babilônia. (4) O tema da pregação de Jesus era o Reino de Deus, e ele enviou seus discípulos para que fossem falar pessoalmente a outros sobre este Reino; contudo, as igrejas hoje raramente mencionam esse Reino e os membros delas não estão realizando a obra de pregar “estas boas novas do reino”. (Mat. 24:14) (5) Jesus disse que seus verdadeiros seguidores poderiam ser facilmente identificados pelo seu amor abnegado de uns para com os outros. Dá-se isso com as religiões da cristandade, quando as nações entram em guerra? (6) A Bíblia diz que os discípulos de Cristo não seriam parte do mundo, e avisa que quem quer que deseje ser amigo do mundo torna-se inimigo de Deus; mas as igrejas da cristandade e seus membros estão profundamente envolvidos nos assuntos políticos das nações. (Tia. 4:4) Em vista de tais antecedentes, pode-se dizer com sinceridade que elas aderem realmente à Bíblia?
    Como chegam as Testemunhas de Jeová à sua explicação da Bíblia?
    Um fator-chave é que as Testemunhas de Jeová realmente crêem que a Bíblia é a Palavra de Deus e que o ensinamento nela contido é para a nossa instrução. (2 Tim. 3:16, 17; Rom. 15:4; 1 Cor. 10:11) Desse modo, não recorrem a argumentos filosóficos para se esquivarem às declarações claras de verdade nela contidas, nem para justificarem o modo de vida de pessoas que abandonaram as normas de moral da Bíblia.
    Para mostrarem o significado da linguagem simbólica encontrada na Bíblia, deixam que a própria Bíblia forneça a explicação, ao invés de apresentarem suas teorias quanto ao seu significado. (1 Cor. 2:13) Indicações quanto ao significado de termos simbólicos são geralmente encontradas em outros trechos da Bíblia. (Como exemplo, veja Revelação 21:1; daí, para o significado de “mar”, leia Isaías 57:20. Para identificar “o Cordeiro”, mencionado em Revelação 14:1, veja João 1:29 e 1 Pedro 1:19.)
    Quanto ao cumprimento de profecias, aplicam o que Jesus disse sobre estarmos alertas aos acontecimentos que correspondem àquilo que foi predito. (Lucas 21:29-31; compare com 2 Pedro 1:16-19.) Conscienciosamente apontam esses acontecimentos e chamam a atenção para o que a Bíblia indica que eles significam.
    Jesus disse que teria na terra um “escravo fiel e discreto” (seus seguidores ungidos considerados como um grupo), por meio do qual proveria alimento espiritual aos que constituem a família da fé. (Mat. 24:45-47) As Testemunhas de Jeová reconhecem esse arranjo. Como os cristãos do primeiro século, recorrem ao corpo governante dessa classe do “escravo” para resolverem questões difíceis — não à base da sabedoria humana, mas do seu conhecimento da Palavra de Deus e de Seus tratos com Seus servos, e com a ajuda do espírito de Deus, pelo qual oram fervorosamente. — Atos 15:1-29; 16:4, 5.
    Por que razão tem havido mudanças, através dos anos, nos ensinos das Testemunhas de Jeová?
    A Bíblia mostra que Jeová habilita Seus servos a entender Seu propósito de maneira progressiva. (Pro. 4:18; João 16:12) Assim sendo, os profetas que foram divinamente inspirados para escrever partes da Bíblia não entendiam o significado de tudo o que escreveram. (Dan. 12:8, 9; 1 Ped. 1:10-12) Os apóstolos de Jesus Cristo viam que havia muita coisa que não entendiam naquela época. (Atos 1:6, 7; 1 Cor. 13:9-12) A Bíblia mostra que haveria um grande aumento de conhecimento da verdade no “tempo do fim”. (Dan. 12:4) O conhecimento maior amiúde requer ajustes no modo de pensar da pessoa. As Testemunhas de Jeová se dispõem, humildemente, a fazer tais ajustes.
    Por que pregam as Testemunhas de Jeová de casa em casa?
    Jesus predisse para o nosso tempo esta obra: “Estas boas novas do reino serão pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações; e então virá o fim.” Ele instruiu também o seguinte aos seus seguidores: “Ide . . . e fazei discípulos de pessoas de todas as nações.” — Mat. 24:14; 28:19.
    Quando Jesus enviou seus primitivos discípulos, orientou-os para que fossem aos lares das pessoas. (Mat. 10:7, 11-13) O apóstolo Paulo disse com respeito ao seu ministério: “Não me refreei de vos falar coisa alguma que fosse proveitosa, nem de vos ensinar publicamente e de casa em casa.” — Atos 20:20, 21; veja também Atos 5:42.
    A mensagem que as Testemunhas proclamam envolve a vida das pessoas; querem ter o cuidado de não desperceber ninguém. (Sof. 2:2, 3) Suas visitas são motivadas pelo amor — primeiro a Deus, também ao próximo.

    Uma conferência de líderes religiosos na Espanha observou o seguinte: “Talvez [as igrejas] sejam excessivamente negligentes naquilo que constitui precisamente a maior preocupação das Testemunhas — a visita aos lares, que cai dentro da metodologia apostólica da primitiva igreja. Enquanto que as igrejas, não em poucas ocasiões, se limitam a construir seus templos, a tocar os sinos para chamar as pessoas e a pregar dentro de seus locais de adoração, [as Testemunhas] seguem a tática apostólica de ir de casa em casa e de aproveitar toda ocasião para testemunhar.” — El Catolicismo, Bogotá, Colômbia, 14 de setembro de 1975, p. 14.
    Mas por que visitam as Testemunhas de Jeová repetidamente até mesmo os lares das pessoas que não são da mesma fé?
    Elas não impõem a sua mensagem a outros. Mas sabem que as pessoas se mudam para novas residências e que as circunstâncias delas mudam. Talvez hoje a pessoa esteja ocupada demais para ouvir; em outra ocasião talvez tenha prazer de tomar tempo para ouvir. Um membro da família pode não ter interesse, mas outros talvez o tenham. As próprias pessoas mudam; problemas sérios na vida podem conscientizar a pessoa da necessidade espiritual. — Veja também Isaías 6:8, 11, 12.
    Por que são as Testemunhas de Jeová perseguidas e se fala contra elas?

    Jesus disse: “Se o mundo vos odeia, sabeis que me odiou antes de odiar a vós. Se vós fizésseis parte do mundo, o mundo estaria afeiçoado ao que é seu. Agora, porque não fazeis parte do mundo, mas eu vos escolhi do mundo, por esta razão o mundo vos odeia.” (João 15:18, 19; veja também 1 Pedro 4:3, 4.) A Bíblia mostra que o mundo inteiro está sob o controle de Satanás; ele é o principal instigador da perseguição. — 1 João 5:19; Rev. 12:17.
    Jesus disse também a seus discípulos: “Sereis pessoas odiadas por todos, por causa do meu nome.” (Mar. 13:13) A palavra “nome” nesse contexto significa o que Jesus é oficialmente, o Rei messiânico. A perseguição sobrevém porque as Testemunhas de Jeová colocam os mandamentos dele acima dos de qualquer governante terreno.
    GINO, JESUS É O NOSSO EXEMPLO, E A B[IBLIA NOS ACONSELHA A SEGUIR DE PERTO OS PASSOS DE JESUS SE JESUS ADORAVA A JEOVÁ E SE JEOVÁ É O VERDADEIRO DEUS PORQUE VOCÊ NÃO O ADORA?
    QUANDO JESUS FOI BATIZADO A VOZ DE DEUS DESDE O CEU DISSE: ESTE É O MEU FILHO.. ESCUTAI-O . VOCÊ ESTÁ FAZENDO ISSO?

    UM ABRAÇO

    • Irmão Karlos a paz seja contigo,

      Eu respeito a sua declaração de fé e acredito que a palavra de Deus é verdadeira, porém o que você está querendo dizer quando você diz…Segundo a Bíblia, a linhagem de testemunhas de Jeová remonta ao fiel Abel. em segundo lugar você diz que as outras religiões cristãs removeram o verdadeiro nome de Deus na bíblia? Você relata vários Judeus e pelo que eu sei o nome de Deus se perdeu na história a partir de 606Ac com a invasão de Babilônia a Israel muito por causa do excesso de zelo do Judeus em não pronunciar o nome de Deus. O que eles usavam muito era metonímia ou transnominação que é uma figura de linguagem que consiste no emprego de um termo por outro, dada a relação de semelhança ou a possibilidade de associação entre eles para não tomarem o nome de Deus em vão, por essa forma usavam algumas metonímias como Adonai, Ruach HaKodesh e também os atributos de Deus o mais usado era Adonai Tzva`ot (o Senhor dos Exércitos), por causa desse zelo eles abreviaram o nome de Deus a quatro letras chamadas de O Tetragrama Sagrado YHVH ou YHWH ou יהוה ( Yud י Hêi ה Vav ו Hêi ה ) quando os judeus voltaram do exílio já não falavam o Hebraico fluente e não conseguiam mais entender a escrita consonantal das escrituras então duas escolas farisaicas cada qual com um de seus seletos alunos lançaram dois targums… Targum (do Hebraico תרגום , no plural targumim) é o nome dado às traduções, paráfrases e comentários em aramaico da Bíblia hebraica (Tanakh) escritas e compiladas em Israel e Babilônia, da época do Segundo Templo até o início da Idade Média, utilizadas para facilitar o entendimento aos judeus que não falavam o hebraico como língua mãe, e sim o aramaico. Os dois targumim mais conhecidos são o Targum Onkelos sobre a Torá e o Targum Jonatã ben Uziel sobre os Nevi’im (profetas). O maior objetivo do targum era trazer entendimento, por isso eles acrescentavam vogais ao estilo consonantal do hebraico antigo dessa forma é que surgiu o nome de Deus que é uma mistura do Tetragrama YHVH ou YHWH com as vogais da palavra Adonai= Jeoweh ou Jeovah, porém é unânimidade no meio Judaico dizer que o nome de Deus na sua forma falada principalmente no Yom Kippur se perdeu na história. Eu convivo muito com essa filosofia judaica, eu respeito a sua crença e creio que ela está de acordo com a biblia, porém eu não concordo com a afirmação de exclusividade no que tange a “Verdadeira religião”, pois nem os Judeus podem afirmar isso, pois a única religião é o Messias.

    • sim carlos,,adoramos DEUS acima de todas as coisas,,eu só estava me referindo ao falso ensinamento dos TJ ,,pois agem de meneira que desprezam o fulho de DEUS ,,o unico salvador,,pois quem nao tem o filho tambem nao tem o pai,,, e ninguem chega ao poi se nao for pelo filho,,,,,os TJ,,,,nao recebem o filho como unico salvador,,nao passam pelo batismo conforme a doutrina,nao creem em milagres,…sao ateus,,,dizem que servem a jeová mas ainda continuam sendo a velha criatura,,cheia das coisas velhas,,, e o homem que serve a DEUS em verdade e em epirito ,ele reconhece JESUS CRISTO como seu unico pastor ,, e as coisas velhas ficaram pra trás,,a bebedice a incredulidade,etc,,,mas eles continuam nessas coisas porque nao recebem o ensinamento da salvaçao e se comprazem nos desejos da carne,,,

  18. Há quanto tempo existe a religião das Testemunhas de Jeová?
    Segundo a Bíblia, a linhagem de testemunhas de Jeová remonta ao fiel Abel. Hebreus 11:4-12:1 diz: “Pela fé Abel ofereceu a Deus um sacrifício de maior valor do que Caim . . . Pela fé Noé, depois de receber aviso divino de coisas ainda não observadas, mostrou temor piedoso . . . Pela fé Abraão, quando chamado, obedeceu, saindo para um lugar que estava destinado a receber em herança . . . Pela fé Moisés, quando cresceu, negou-se a ser chamado filho da filha de Faraó, escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus do que ter o usufruto temporário do pecado . . . Assim, pois, visto que temos a rodear-nos uma tão grande nuvem de testemunhas, ponhamos também de lado todo peso e o pecado que facilmente nos enlaça, e corramos com perseverança a carreira que se nos apresenta.”
    Com respeito a Jesus Cristo, a Bíblia diz: “Estas coisas diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus.” De quem era ele testemunha? Ele próprio disse ter manifestado o nome de seu Pai. Ele foi a principal testemunha de Jeová. — Rev. 3:14; João 17:6.
    É interessante notar que alguns judeus perguntaram se a atividade de Jesus Cristo representava “um novo ensino”. (Mar. 1:27) Mais tarde, alguns gregos pensaram que o apóstolo Paulo estava introduzindo um “novo ensino”. (Atos 17:19, 20) Era novo para os ouvidos dos que ouviam esse ensino, mas o importante é que era a verdade, estando em plena harmonia com a Palavra de Deus.
    A história moderna das Testemunhas de Jeová iniciou-se com a formação de um grupo de estudo bíblico em Allegheny, Pensilvânia, EUA, nos primórdios da década de 1870. No começo, eram conhecidas apenas como Estudantes da Bíblia, mas, em 1931, adotaram o nome bíblico de Testemunhas de Jeová. (Isa. 43:10-12) Suas crenças e seus métodos não são novos, são antes uma restauração do cristianismo do primeiro século.
    Crêem as Testemunhas de Jeová que a sua religião é a única que é certa?
    A Bíblia não concorda com o conceito moderno de que existem muitas maneiras aceitáveis de se adorar a Deus. Efésios 4:5 diz que há “um só Senhor, uma só fé”. Jesus declarou: “Estreito é o portão e apertada a estrada que conduz à vida, e poucos são os que o acham. . . . Nem todo o que me disser: ‘Senhor, Senhor’, entrará no reino dos céus, senão aquele que fizer a vontade de meu Pai, que está nos céus.” — Mat. 7:13, 14, 21; veja também 1 Coríntios 1:10.
    Repetidas vezes as Escrituras referem-se ao conjunto dos ensinos cristãos verdadeiros como a “verdade”, e o cristianismo é mencionado como o “caminho da verdade”. (1 Tim. 3:15; 2 João 1; 2 Ped. 2:2) Em razão de as Testemunhas de Jeová basearem na Bíblia todas as suas crenças, normas de conduta e procedimentos organizacionais, sua fé na própria Bíblia como sendo a Palavra de Deus lhes dá a convicção de que possuem realmente a verdade. Assim, sua posição não é egotística, mas demonstra confiança na Bíblia como o padrão certo pelo qual se pode avaliar a religião a que a pessoa pertence. Não são egocêntricas, antes, têm vivo desejo de partilhar suas crenças com outros.
    Não seguem também a Bíblia as outras religiões?
    Muitas a usam até certo ponto. Mas será que realmente ensinam e praticam o que está contido nela? Considere: (1) Removeram da maioria de suas versões da Bíblia o nome do verdadeiro Deus, isso milhares de vezes. (2) A doutrina da Trindade, seu conceito sobre o próprio Deus, foi tomada emprestada a fontes pagãs e desenvolvida na sua forma atual séculos após ter sido completada a escrita da Bíblia. (3) Sua crença na imortalidade da alma humana como base para a vida além-túmulo não é bíblica; tem raízes na antiga babilônia. (4) O tema da pregação de Jesus era o Reino de Deus, e ele enviou seus discípulos para que fossem falar pessoalmente a outros sobre este Reino; contudo, as igrejas hoje raramente mencionam esse Reino e os membros delas não estão realizando a obra de pregar “estas boas novas do reino”. (Mat. 24:14) (5) Jesus disse que seus verdadeiros seguidores poderiam ser facilmente identificados pelo seu amor abnegado de uns para com os outros. Dá-se isso com as religiões da cristandade, quando as nações entram em guerra? (6) A Bíblia diz que os discípulos de Cristo não seriam parte do mundo, e avisa que quem quer que deseje ser amigo do mundo torna-se inimigo de Deus; mas as igrejas da cristandade e seus membros estão profundamente envolvidos nos assuntos políticos das nações. (Tia. 4:4) Em vista de tais antecedentes, pode-se dizer com sinceridade que elas aderem realmente à Bíblia?
    Como chegam as Testemunhas de Jeová à sua explicação da Bíblia?
    Um fator-chave é que as Testemunhas de Jeová realmente crêem que a Bíblia é a Palavra de Deus e que o ensinamento nela contido é para a nossa instrução. (2 Tim. 3:16, 17; Rom. 15:4; 1 Cor. 10:11) Desse modo, não recorrem a argumentos filosóficos para se esquivarem às declarações claras de verdade nela contidas, nem para justificarem o modo de vida de pessoas que abandonaram as normas de moral da Bíblia.
    Para mostrarem o significado da linguagem simbólica encontrada na Bíblia, deixam que a própria Bíblia forneça a explicação, ao invés de apresentarem suas teorias quanto ao seu significado. (1 Cor. 2:13) Indicações quanto ao significado de termos simbólicos são geralmente encontradas em outros trechos da Bíblia. (Como exemplo, veja Revelação 21:1; daí, para o significado de “mar”, leia Isaías 57:20. Para identificar “o Cordeiro”, mencionado em Revelação 14:1, veja João 1:29 e 1 Pedro 1:19.)
    Quanto ao cumprimento de profecias, aplicam o que Jesus disse sobre estarmos alertas aos acontecimentos que correspondem àquilo que foi predito. (Lucas 21:29-31; compare com 2 Pedro 1:16-19.) Conscienciosamente apontam esses acontecimentos e chamam a atenção para o que a Bíblia indica que eles significam.
    Jesus disse que teria na terra um “escravo fiel e discreto” (seus seguidores ungidos considerados como um grupo), por meio do qual proveria alimento espiritual aos que constituem a família da fé. (Mat. 24:45-47) As Testemunhas de Jeová reconhecem esse arranjo. Como os cristãos do primeiro século, recorrem ao corpo governante dessa classe do “escravo” para resolverem questões difíceis — não à base da sabedoria humana, mas do seu conhecimento da Palavra de Deus e de Seus tratos com Seus servos, e com a ajuda do espírito de Deus, pelo qual oram fervorosamente. — Atos 15:1-29; 16:4, 5.
    Por que razão tem havido mudanças, através dos anos, nos ensinos das Testemunhas de Jeová?
    A Bíblia mostra que Jeová habilita Seus servos a entender Seu propósito de maneira progressiva. (Pro. 4:18; João 16:12) Assim sendo, os profetas que foram divinamente inspirados para escrever partes da Bíblia não entendiam o significado de tudo o que escreveram. (Dan. 12:8, 9; 1 Ped. 1:10-12) Os apóstolos de Jesus Cristo viam que havia muita coisa que não entendiam naquela época. (Atos 1:6, 7; 1 Cor. 13:9-12) A Bíblia mostra que haveria um grande aumento de conhecimento da verdade no “tempo do fim”. (Dan. 12:4) O conhecimento maior amiúde requer ajustes no modo de pensar da pessoa. As Testemunhas de Jeová se dispõem, humildemente, a fazer tais ajustes.
    Por que pregam as Testemunhas de Jeová de casa em casa?
    Jesus predisse para o nosso tempo esta obra: “Estas boas novas do reino serão pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações; e então virá o fim.” Ele instruiu também o seguinte aos seus seguidores: “Ide . . . e fazei discípulos de pessoas de todas as nações.” — Mat. 24:14; 28:19.
    Quando Jesus enviou seus primitivos discípulos, orientou-os para que fossem aos lares das pessoas. (Mat. 10:7, 11-13) O apóstolo Paulo disse com respeito ao seu ministério: “Não me refreei de vos falar coisa alguma que fosse proveitosa, nem de vos ensinar publicamente e de casa em casa.” — Atos 20:20, 21; veja também Atos 5:42.
    A mensagem que as Testemunhas proclamam envolve a vida das pessoas; querem ter o cuidado de não desperceber ninguém. (Sof. 2:2, 3) Suas visitas são motivadas pelo amor — primeiro a Deus, também ao próximo.
    Uma conferência de líderes religiosos na Espanha observou o seguinte: “Talvez [as igrejas] sejam excessivamente negligentes naquilo que constitui precisamente a maior preocupação das Testemunhas — a visita aos lares, que cai dentro da metodologia apostólica da primitiva igreja. Enquanto que as igrejas, não em poucas ocasiões, se limitam a construir seus templos, a tocar os sinos para chamar as pessoas e a pregar dentro de seus locais de adoração, [as Testemunhas] seguem a tática apostólica de ir de casa em casa e de aproveitar toda ocasião para testemunhar.” — El Catolicismo, Bogotá, Colômbia, 14 de setembro de 1975, p. 14.
    Mas por que visitam as Testemunhas de Jeová repetidamente até mesmo os lares das pessoas que não são da mesma fé?
    Elas não impõem a sua mensagem a outros. Mas sabem que as pessoas se mudam para novas residências e que as circunstâncias delas mudam. Talvez hoje a pessoa esteja ocupada demais para ouvir; em outra ocasião talvez tenha prazer de tomar tempo para ouvir. Um membro da família pode não ter interesse, mas outros talvez o tenham. As próprias pessoas mudam; problemas sérios na vida podem conscientizar a pessoa da necessidade espiritual. — Veja também Isaías 6:8, 11, 12.
    Por que são as Testemunhas de Jeová perseguidas e se fala contra elas?
    Jesus disse: “Se o mundo vos odeia, sabeis que me odiou antes de odiar a vós. Se vós fizésseis parte do mundo, o mundo estaria afeiçoado ao que é seu. Agora, porque não fazeis parte do mundo, mas eu vos escolhi do mundo, por esta razão o mundo vos odeia.” (João 15:18, 19; veja também 1 Pedro 4:3, 4.) A Bíblia mostra que o mundo inteiro está sob o controle de Satanás; ele é o principal instigador da perseguição. — 1 João 5:19; Rev. 12:17.
    Jesus disse também a seus discípulos: “Sereis pessoas odiadas por todos, por causa do meu nome.” (Mar. 13:13) A palavra “nome” nesse contexto significa o que Jesus é oficialmente, o Rei messiânico. A perseguição sobrevém porque as Testemunhas de Jeová colocam os mandamentos dele acima dos de qualquer governante terreno.

    • pelo amor de deus abra a mente. os Tj surgirão após o millerismo (EUA), lavagem cerebral deve ser combatido antes mesmo do proceletismo religiosos (proibido na constituição brasileira), esta farsa de organizações religiosas se estabelecerem no Brasil em nome da liberdade religiosa deveria se fiscalizada de perto, basta eles se estabelecerem, e ja satanizam as crenças nacionais seja hinduistas, budistas, ou ameríndios que tem fé no deus Tupâ, sem falar na cultura afra com seus erijas. vc como brasileira deveria tomar vergonha e nao defender estes FDP. os TJ, Adventistas e Mormos, sao representantes do mais fundamentalita e fanaticos movimento do neo protestantismo norte americano, negam o Judaismo, substituem os promesas de jeova para israel, se colocando como Judeus, radicalizam o proprio movimento cristao, q ja é uma merda. se vc quer crê em divindades que pelo menos aceite Tupâ como o nosso deus nacional, e manda o cristianismo a merda. Tupã nao tem nada de inferior qualquer deus… e os disimos e ofertas ficariam por aqui mesmo em vez de ir para os EUA. pq vcs sim manda esta grana pra eles, nem tente negar.

      • Paz meu irmao Inacio!

        Porque em vez de querer julgar as pessoas e as condenar nao usa a Mesiricordia como Paulo se regozijou em Fip 1:15-19.
        Jesus nos deu um bom coselho concernente a MESIRICORDIA, que foi o primeiro IDE que ele nos deu Mat 9:13.
        Ai no Brasil e proibido na constituicao, os TJ’s
        e que satanisaram a crenca dos Brasileiros, quer entao dizer que a padroeira do Brasil e a crenca dos brasileiros e que e melhor?
        Eu pergunto-lhe se o reino de Deus tem algo em comum com o reino do Brasil?
        Porque razao voce diz ao Karlos que devia ter vergonha na cara em defender os TJ’s, nao esta na constituicao do Brasil que existe plena liberdade de expressao? E liverdade de religiao? estou perguntando porque nao sou Brasileiro!
        Quanto ao mandarem os dizimos para os EUA, mas que deveriam ficar ai mesmo, OLHE ainda nao li nos jornais ou televisao, Brasileira que foi algum dos lideres dos TJ’s serem presos nos EUA, com malas de dinheiro, mas ja li e vi aqui em Africa de alguns pastores presidentes de grandes igreja Brasileiras serem presos por esse motive, em Portugues existe um ditado que diz quem tem telhados de vidro nao attire pedras!
        Portanto deixe-os em paz e se acha que estao fazendo algo de errado ore por eles, mas nao use de rancor para os julgar, porque um dia no ceu vamos ter muitas supresas, meu irmao!
        Nao julgue para nao ser julgado, mas obedeca ao primeiro IDE de Jesus.
        Quero que saiba que nao sou TJ,s mas respeito porque quero ser respeitado, pelas minhas crencas, que escolhi.
        Que deus te abencoe.

  19. COMENTANDO SUELEM Suellen DISSE em 23 de outubro de 2013 às 18:46 disse:
    ”Os 144.000 são descritos como servos de Deus provenientes das tribos dos filhos de Israel . Deus assinalará ou marcará as suas testas para indicar a sua consagração a Deus e que pertencem a Ele
    (1) Talvez sejam os primeiros convertidos de uma grande colheita de almas ganhas para Deus , dentre todas as nações e tribos e povos e línguas , durante a tribulação .
    (2) Alguns intérpretes da Biblia entendem que esses novos crentes dentre filhos de Israel serão comissionados e capacitados pelo Espirito Santo para pregar o evangelho durante os negros dias da tribulação.” ( SUELEM COMO VAI? A SELAGEM DOS CENTO E QUARENTA E QUATRO MIL COMEÇOU COM CORNELIO NUMA CLARA DEMONSTRÇÃO DE QUE OS GENTIOS, OU PESSOAS DAS NAÇÕES PODERIAM SE TORNAR PARTE DOS CENTO E QUARENTA E QUATRO MIL.) * OUTRA COISA, DURANTE A GRANDE TRIBULAÇÃO AS PORTAS DA OPORTUNIDADE PARA SE ENTRAR NO REINO DE DEUS ESTARÃO FECHADAS. QUEM ENTROU , ENTROU. O DESTINO DA QUELES QUE NÃO TOMARAM UMA POSIÇÃO A FAVOR DO REINO DE DEUS É A MORTE.

  20. O que é a selagem mencionada em Revelação (Apocalipse) 7:3?
    Revelação 7:1-3 declara: “Vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, segurando firmemente os quatro ventos da terra, para que nenhum vento soprasse sobre a terra, ou sobre o mar, ou sobre qualquer árvore. E eu vi outro anjo ascender desde o nascente do sol, tendo um selo do Deus vivente; e ele gritou com voz alta para os quatro anjos aos quais se concedera fazer dano à terra e ao mar, dizendo: ‘Não façais dano nem à terra, nem ao mar, nem às árvores, até depois de termos selado os escravos de nosso Deus nas suas testas.’”
    Quando “os quatro ventos” forem soltos, o resultado será ‘a grande tribulação’, a destruição da religião falsa e do restante deste mundo mau. (Revelação 7:14) “Os escravos de nosso Deus” são os irmãos ungidos de Jesus na Terra. (1 Pedro 2:9, 16) Assim, essa profecia mostra que a selagem dos irmãos de Cristo estará completada quando irromper a grande tribulação. No entanto, outros versículos bíblicos indicam que há uma selagem anterior dos ungidos. Portanto, às vezes falamos de uma selagem inicial e de uma final. Qual a diferença entre as duas?
    Consideremos o significado da palavra “selado”. Nos tempos antigos, o selo era um instrumento usado para fazer uma impressão num documento. A palavra também pode se referir à própria impressão. Naqueles dias, era comum apor um selo a um documento ou a outros itens para indicar autenticidade ou direito de posse. — 1 Reis 21:8; Jó 14:17.
    Paulo comparou o espírito santo a um selo quando disse: “Quem garante que vós e nós pertencemos a Cristo e quem nos ungiu é Deus. Ele pôs também o seu selo sobre nós e nos deu o penhor daquilo que há de vir, isto é, o espírito, em nossos corações.” (2 Coríntios 1:21, 22) Assim, Jeová unge esses cristãos com seu espírito santo para indicar que pertencem a Ele.
    No entanto, a selagem dos ungidos é composta de duas fases. A selagem inicial é diferente da final em (1) objetivo e (2) tempo. A primeira serve para selecionar um novo membro acrescentado ao número de cristãos ungidos. A selagem final serve para confirmar que essa pessoa escolhida e selada demonstrou de forma plena sua lealdade. Só então, na selagem final, o selo será permanentemente colocado ‘na testa’ do ungido, identificando-o de modo definitivo como um ‘escravo de nosso Deus’, provado e fiel. A selagem mencionada em Revelação capítulo 7 refere-se a fase final da selagem. — Revelação 7:3.
    Com respeito ao tempo em que a selagem inicial é realizada, o apóstolo Paulo escreveu aos cristãos ungidos: “Vós também esperastes nele, depois de terdes ouvido a palavra da verdade, as boas novas acerca da vossa salvação. Por meio dele, também, depois de terdes crido, fostes selados com o prometido espírito santo.” (Efésios 1:13, 14) Em muitos casos, o registro bíblico mostra que os cristãos do primeiro século foram de fato selados pouco depois de terem ouvido as boas novas e acreditado em Cristo. (Atos 8:15-17; 10:44) Tal selagem era uma indicação de que Deus os aprovava. No entanto, não indicava a aprovação final de Deus. Por que não?
    Paulo mencionou que os cristãos ungidos são “selados para um dia de livramento”. (Efésios 4:30) Isso indica que passaria algum tempo, em geral muitos anos, depois da selagem inicial. Os cristãos ungidos precisam permanecer fiéis desde o dia em que são selados com espírito santo até o ‘dia em que são livrados’ do corpo físico — ou seja, até a morte. (Romanos 8:23; Filipenses 1:23; 2 Pedro 1:10) Portanto, foi somente no fim da vida que Paulo pôde dizer: “Tenho corrido até o fim da carreira, tenho observado a fé. Doravante me está reservada a coroa da justiça.” (2 Timóteo 4:6-8) Além disso, Jesus disse a uma das congregações de cristãos ungidos: “Mostra-te fiel até a morte, e eu te darei a coroa da vida.” — Revelação 2:10; 17:14.
    A palavra “coroa” fornece prova adicional de que transcorre um tempo entre a selagem inicial e a final. Como assim? Nos tempos antigos, era costume dar uma coroa ao corredor que vencesse uma corrida. Para ganhar a coroa, ele tinha de fazer mais do que simplesmente entrar na corrida. Tinha de correr todo o percurso até cruzar a linha de chegada. Do mesmo modo, os cristãos ungidos só serão coroados com a vida imortal no céu se perseverarem até o fim do percurso, ou seja, desde a selagem inicial até a final. — Mateus 10:22; Tiago 1:12.
    Quando é que o restante dos cristãos ungidos, que recebeu a primeira selagem, receberá a selagem final? Todos os ungidos que ainda estiverem vivos na Terra serão selados ‘na testa’ antes de irromper a grande tribulação. Assim, quando os quatro ventos da tribulação forem soltos, todos os do Israel espiritual já terão recebido a selagem final, apesar de que alguns ungidos ainda estarão vivos na carne e precisarão terminar sua carreira terrestre.

  21. Weverton da Cruz Estevam
    em 29 de outubro de 2013 às 9:15 disse:
    A paz Karlos,

    Eu gostaria que você respondesse a minha pergunta anterior, por que João detalhou as tribos se esse numero não é literal? Em Romanos 11 fala sobre enxerto na Oliveira, e as bênçãos de Gênesis 49 e Jesus afirmando ser ele a videira verdadeira será que não deixaria a entender que os gentios estariam ligados a tribo de Judá e não as 12 tribos? Será que não seria realmente o literal? NOBRE WEVERTON, ESTOU PESQUISANDO PARA LHE RESPONDER COM RACIOCINIO COM BASE NAS ESCRITURAS. UM ABRAÇO.

  22. A paz a todos,

    Todas as crenças têm os seus prós e contras, o único que pode julgar a salvação ou não de alguém é Deus, a nós cabe a pregação do evangelho. Eu estou tentando com as perguntas que faço entender cada ponto de vista para que eu possa entender cada personalidade no que tange a escatologia. Por favor vamos só debater o tema se possível, é só isso que peço a todos. Obrigado pela compreensão.

    Shalom Aleikhem!

  23. COMENTANDO WEVERTON,
    Estimado Weverton, é enrriquecedor conversar com auguem que tem conhecimento de causa .
    Suas observações estão corretas. Não se sabe hoje a pronuncia correta do tetragrama ela se perdeu com o tempo. Mas, temos que levar em conta que se o Criador não quisesse que o nome Dele fosse usado amplamente, não o teria registrado em sua palavra mais de sete mil vezes. “Jeová” é a pronúncia mais conhecida do nome divino, em português, embora a maioria dos hebraístas seja a favor de “Javé” (ou “Iahweh”). . Alguns sustentam que o nome era considerado sagrado demais para ser proferido por lábios imperfeitos. Todavia, as próprias Escrituras Hebraicas não apresentam nenhuma evidência de que quaisquer dos verdadeiros servos de Deus alguma vez hesitassem em proferir o nome Dele. Documentos hebraicos não-bíblicos, tais como as chamadas Cartas de Laquis, mostram que o nome era usado na correspondência comum na Palestina na última parte do sétimo século AEC. O próprio Jeová disse que faria com que ‘seu nome fosse declarado em toda a terra’ (Êx 9:16; compare isso com 1Cr 16:23, 24; Sal 113:3; Mal 1:11, 14).Na segunda metade do primeiro milênio EC, peritos judeus introduziram um sistema de sinais para representar as vogais ausentes no texto consonantal hebraico. Com referência ao nome de Deus, em vez de inserir os sinais vocálicos corretos dele, colocaram outros sinais vocálicos para lembrar ao leitor que ele devia dizer ʼAdho·naí (que significa “Soberano Senhor”) ou ʼElo·hím (que significa “Deus”).
    O Códice Leningrado B 19A, do século 11 EC, tem no Tetragrama os sinais vocálicos para rezar Yehwáh, Yehwíh e Yeho·wáh. A edição de Ginsburg do texto massorético tem no nome divino sinais vocálicos para que reze Yeho·wáh. (Gên 3:14 n) Os hebraístas em geral são a favor de “Yahweh” (Iahweh, ou Javé, em Bíblias católicas) como a pronúncia mais provável. Salientam que a forma abreviada do nome é Yah (Jah, na forma latinizada), como no Salmo 89:8 e na expressão Ha·lelu-Yáh (que significa “Louvai a Jah!”). (Sal 104:35; 150:1, 6) Também as formas Yehóh, Yoh, Yah e Yá·hu, encontradas na grafia hebraica dos nomes Jeosafá, Josafá, Sefatias e outros, podem todas ser derivadas de Yahweh. As transliterações gregas feitas pelos primitivos escritores cristãos indicam uma direção algo similar por usar grafias tais como I·a·bé e I·a·ou·é, as quais, conforme pronunciadas em grego, se assemelham a Yahweh (Iahweh). Ainda assim, de modo algum há unanimidade sobre o assunto entre os peritos, sendo alguns a favor de ainda outras pronúncias, tais como “Yahuwa”, “Yahuah” ou “Yehuah”.
    Visto que, atualmente, não se pode ter certeza absoluta da pronúncia, parece não haver nenhum motivo para abandonar, em português, a forma bem conhecida, “Jeová”, em favor de outra pronúncia sugerida. Se tal mudança fosse feita, então, a bem da coerência, deviam ser feitas alterações na grafia e na pronúncia de uma infinidade de outros nomes encontrados nas Escrituras: Jeremias seria mudado para Yir·meyáh, Isaías se tornaria Yeshaʽ·yá·hu, e Jesus seria ou Yehoh·shú·aʽ (como no hebraico), ou I·e·soús (como no grego). O objetivo das palavras é transmitir idéias; em português, o nome Jeová identifica o verdadeiro Deus, transmitindo esta idéia mais satisfatoriamente, hoje em dia, do que qualquer dos substitutos sugeridos.
    Importância do Nome. Muitos peritos e tradutores atuais da Bíblia advogam que se siga a tradição de eliminar o nome distintivo de Deus. Não só alegam que a incerteza a respeito da pronúncia do nome justifica tal proceder, mas também sustentam que a supremacia e a existência ímpar do verdadeiro Deus tornam desnecessário que Ele tenha um nome específico. Tal conceito não encontra respaldo nas Escrituras inspiradas, quer nas dos tempos pré-cristãos, quer nas Escrituras Gregas Cristãs.
    O Tetragrama ocorre 6.828 vezes no texto hebraico da Biblia Hebraica e da Biblia Hebraica Stuttgartensia. Nas Escrituras Hebraicas, a Tradução do Novo Mundo contém o nome divino 6.973 vezes, porque os tradutores, entre outras coisas, levaram em conta que, em alguns lugares, os escribas haviam substituído o nome divino com ʼAdho·naí ou ʼElo·hím. (Veja o apêndice na NM, pp. 1501, 1502.) A própria freqüência do aparecimento do nome atesta sua importância para o Autor da Bíblia, que leva este nome. Seu uso em todas as Escrituras ultrapassa em muito o de quaisquer títulos, tais como “Soberano Senhor” ou “Deus”, aplicados a Ele.
    Digno de nota, também, é a importância atribuída aos próprios nomes nas Escrituras Hebraicas e entre os povos semíticos. O professor G. T. Manley indica: “Um estudo da palavra ‘nome’ no V[elho] T[estamento] revela o quanto esta palavra significa em hebraico. O nome não é simples rótulo, mas é representativo da verdadeira personalidade daquele a quem pertence. . . . Quando uma pessoa coloca seu ‘nome’ numa coisa ou em outra pessoa, esta passa a ficar sob sua influência e proteção.” — New Bible Dictionary (Novo Dicionário da Bíblia), editado por J. D. Douglas, 1985, p. 430. Nos dias de Jesus e de seus discípulos, o nome divino, definitivamente, aparecia em cópias das Escrituras, tanto em manuscritos hebraicos como em manuscritos gregos. Será que Jesus e seus discípulos empregavam o nome divino ao falarem ou escreverem? Em vista da condenação, por parte de Jesus, das tradições dos fariseus (Mt 15:1-9), seria muitíssimo desarrazoado concluir que Jesus e seus discípulos permitissem que as idéias farisaicas (tais como as registradas na Míxena) os governassem neste assunto. O próprio nome de Jesus significa “Jeová É Salvação”. Ele declarou: “Vim em nome de meu Pai” (Jo 5:43); ensinou seus seguidores a orar: “Nosso Pai nos céus, santificado seja o teu nome” (Mt 6:9); suas obras, disse ele, eram feitas “em nome de meu Pai” (Jo 10:25); e, em oração, na noite anterior à sua morte, disse que tinha tornado manifesto o nome de seu Pai a seus discípulos, e pediu: “Santo Pai, vigia sobre eles por causa do teu próprio nome” (Jo 17:6, 11, 12, 26). Em vista de tudo isto, quando Jesus citava as Escrituras Hebraicas, ou as lia, certamente empregava o nome divino, Jeová. (Compare Mt 4:4, 7, 10, com De 8:3; 6:16; 6:13; também Mt 22:37 com De 6:5; e Mt 22:44 com Sal 110:1; bem como Lu 4:16-21 com Is 61:1, 2.) Logicamente, os discípulos de Jesus, incluindo os escritores inspirados das Escrituras Gregas Cristãs, seguiriam o exemplo dele nisto. O Nome Divino é um assunto extenso para comentarmos, mas, acho que você entendeu a razão do porque defendo o uso do nome de Deus amplamente.

    Um abraço.

    • A paz irmão Karlos,

      Em relação a pronuncia do Tetragrama Sagrado a transliteração para o Português a pronuncia certa é realmente Jeová ou Javé, agora a pronúncia original do hebraico é YAHVEH ou YAHWEH, você está correto no que tange a transliteração, pois no hebraico não existe o som da letra J.

  24. NOBRE WEVERTON COMO VAI? COM RELAÇÃO A SUA PERGUNTA ” A QUEM PERTENCEM
    OS CENTO E QUARENTA E QUATRO MIL” APOCALIPSE 14: 1 DIZ:…que ( os cento e quarenta e quatro mil) têm o nome dele(Jesus) e o nome de seu Pai( Jeová)+ escrito nas suas testas. No versículo 4, diz que ….. Estes foram comprados+ dentre a humanidade (e não dentre somente a nação de israel) como primícias+ para Deus e para o Cordeiro, …. Portanto, eles pertencem a Jesus e a Jeová.

    • Irmão Karlos a paz seja contigo,

      João detalha claramente a quantidade de cada tribo, raciocina comigo; se fôssemos pensar logicamente baseado em Romanos 11 na lei do enxerto nós os enxertados fomos comprados pelo Messias, então faríamos parte da tribo de Judá e o texto detalha 12 tribos e Manassés no lugar de Dã, e relata a tribo de Levi e nós sabemos que na divisão dos termos de Israel, Levi não tinha herança, as suas terras foram divididas para as duas meias tribos de Efraim e Manassés, e agora em Apocalipse 7 Efraim recebe a herança em José e Manassés fica com a herança de Dã. Fica claro que esses 144mil são da tribo de Israel, relacione esse texto com Ezequiel 9 e confirme lendo esse texto. Muito obrigado pela resposta e fique na paz meu irmão.

  25. Prezado Weverton, a prova de que os cento e quarenta e quatro mil não são todos da nação de Israel está em Apocalipse 14: 4 que diz . . . Estes foram comprados+ DENTRE A HUMANIDADE como primícias+ para Deus e para o Cordeiro, … Porque lutar contra isso Weverton ? Outra coisa, nós, não somos parte dessa enxertia . Ela foi feita para satisfazer um propósito de Deus. Agora é a sua vez de raciocinar comigo. vamos lá.
    O PROPÓSITO DE JEOVÁ COM RELAÇÃO AO PREDITO DESCENDENTE
    Para entender a ilustração da oliveira, é preciso primeiro conhecer quatro fatos a respeito do andamento do propósito de Jeová com relação ao predito descendente. Primeiro, Jeová prometeu a Abraão que “TODAS AS NAÇÕES DA TERRA (ABENÇOARIAM) A SI MESMAS ” por meio do descendente, ou descendência, de Abraão. (Gên. 22:17, 18) Segundo, para a NAÇÃO DE ISRAEL, que se originou de Abraão, FOI OFERECIDA A OPORTUNIDADE DE PRODUZIR UM REINO DE SACERDOTES”. (Êxo. 19:5, 6) Terceiro, depois que a maioria dos israelitas literais rejeitou o Messias, Jeová tomou outras medidas para produzir “UM REINO DE SACERDOTES”. (Mat. 21:43; Rom. 9:27-29) Por fim, embora JESUS seja a parte principal do descendente de Abraão, OUTROS recebem o privilégio de tornar-se parte desse descendente. — Gál. 3:16, 29.
    Somando-se a esses quatro fatos fundamentais, no livro de Revelação vemos que 144 mil pessoas governarão com Jesus como reis e sacerdotes no céu. (Rev. 14:1-4) Esses são chamados também de “filhos de Israel”. (Rev. 7:4-8) MAS, SERÁ QUE TODOS OS 144 MIL SÃO SRAELITAS OU JUDEUS LITERATAIS ? A resposta a essa pergunta revela a flexibilidade de Jeová em cumprir o seu propósito. Vejamos como a carta do apóstolo Paulo aos romanos nos ajuda a encontrar a resposta.
    “Um reino de sacerdotes”
    Como já mencionado, a nação de Israel tinha a possibilidade exclusiva de suprir os membros para “um reino de sacerdotes e uma nação santa”. (Leia Romanos 9:4, 5.) Mas o que aconteceria quando chegasse o Descendente prometido? Será que a nação do Israel literal produziria o pleno número de 144 mil israelitas espirituais que formariam a parte secundária do descendente de Abraão?
    LEIA Romanos 11:7-10. Como nação, os judeus do primeiro século rejeitaram a Jesus. Assim, a oportunidade de produzir o descendente de Abraão deixou de ser exclusividade deles. Mas no Pentecostes de 33 EC, quando começou a escolha dos que comporiam o celestial “REINO DE SACERDOTES”, certo número de judeus de retidão aceitou o convite. Totalizando alguns milhares, esses eram “UM RESTANTE” em comparação com a inteira nação judaica. — Rom. 11:5.
    Mas como Jeová completaria “O PLENO NUMERO” dos que se tornariam o descendente de Abraão? (LEIA Rom. 11:12, 25) Note a resposta do apóstolo Paulo: “Não é como se a palavra de Deus tivesse falhado. Porque nem todos os que procedem de Israel [literal] são realmente ‘Israel’. Tampouco por serem o descendente [descendência] de Abraão são todos eles filhos [parte do descendente de Abraão] . . . Quer dizer, os filhos na carne não são realmente os filhos de Deus, MAS OS FILHOS DA PROMESSA é que são contados como o descendente.” (Rom. 9:6-8) Portanto, ser descendente natural de Abraão não era um requisito rígido para cumprir o propósito de Jeová com relação ao descendente.
    A OLIVEIRA SIMBÓLICA
    O apóstolo Paulo passa a comparar os que se tornam parte do descendente de Abraão a ramos numa oliveira simbólica. (Rom. 11:21) Essa oliveira cultivada simboliza o cumprimento do propósito de Deus com relação ao pacto abraâmico. A RAIZ da árvore é santa e simboliza Jeová como aquele que dá vida ao Israel espiritual. (Isa. 10:20; Rom. 11:16) O TRONCO simboliza Jesus como parte principal do descendente de Abraão. Os RAMOS simbolizam coletivamente “O PLENO NUMERO” dos que compõem a parte secundária do descendente de Abraão.
    Na ilustração da oliveira, os judeus literais que rejeitaram Jesus são comparados a ramos de oliveira “arrancados”. (Rom. 11:17) Com isso, eles perderam a oportunidade de se tornar parte do descendente de Abraão. Mas quem os substituiria? A resposta seria inconcebível do ponto de vista dos judeus literais, que se orgulhavam de serem descendentes naturais de Abraão. Mas João Batista já os havia alertado de que, se Jeová desejasse, poderia suscitar das pedras filhos a Abraão. — Luc. 3:8.
    O que, então, Jeová fez para cumprir seu propósito? Paulo explica que, para substituir os ramos arrancados da oliveira cultivada, foram enxertados nela ramos de uma oliveira brava. (Leia Romanos 11:17, 18.) Assim, cristãos ungidos por espírito, originários de outras nações, como alguns na congregação em Roma, foram figurativamente enxertados nessa oliveira simbólica. Dessa maneira eles se tornaram parte do descendente de Abraão. Antes eles eram como ramos de uma oliveira brava, sem oportunidade de ser parte desse pacto especial. Mas Jeová lhes abriu o caminho para se tornarem judeus espirituais. — Rom. 2:28, 29.
    O apóstolo Pedro explica a situação da seguinte maneira: “É para vós [israelitas espirituais, incluindo os cristãos gentios], portanto, que ele [Jesus Cristo] é precioso, porque vós sois crentes; mas, para os que não creem, ‘a mesma pedra que os construtores rejeitaram tem-se tornado a principal do ângulo’, e ‘uma pedra para tropeço e uma rocha de ofensa’. . . . Mas vós sois ‘raça escolhida, sacerdócio real, nação santa, povo para propriedade especial, para que divulgueis as excelências’ daquele que vos chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz. Porque vós, outrora, não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; vós éreis aqueles a quem não se mostrara misericórdia, mas agora sois os a quem se mostrou misericórdia.” — 1 Ped. 2:7-10.
    Jeová fez algo que muitos encarariam como totalmente inesperado. Paulo diz que o acontecido é “contrário à natureza”. (Rom. 11:24) Como assim? Bem, pareceria incomum, até mesmo desnatural, enxertar um ramo bravo numa oliveira cultivada, mas era isso o que alguns lavradores faziam no primeiro século.* De modo similar, Jeová fez algo excepcional. No conceito judaico, os gentios eram incapazes de produzir frutos aceitáveis. No entanto, Jeová fez com que esses gentios se tornassem parte de “uma nação” que produziu frutos do Reino. (Mat. 21:43) A partir da unção de Cornélio — o primeiro gentio incircunciso convertido — em 36 EC, abriu-se a oportunidade para não judeus incircuncisos serem enxertados nessa oliveira simbólica. — Atos 10:44-48.*
    Significa isso que depois de 36 EC não havia mais oportunidade para judeus literais se tornarem parte do descendente de Abraão? Não. Paulo explica: “Eles [os judeus literais], também, se não permanecerem na sua falta de fé, serão enxertados; pois Deus é capaz de enxertá-los novamente. Porque, se foste cortado da oliveira que é brava por natureza e foste enxertado, contrário à natureza, numa oliveira cultivada, quanto mais aqueles, que são naturais, serão enxertados na sua própria oliveira!”* — Rom. 11:23, 24.
    “Todo o Israel será salvo”
    Sem dúvida, o propósito de Jeová para “o Israel de Deus” está se cumprindo maravilhosamente. (Gál. 6:16) Como disse Paulo, “todo o Israel será salvo”. (Rom. 11:26) No tempo marcado por Jeová, “todo o Israel”, isto é, o total de israelitas espirituais, servirá como reis e sacerdotes no céu. Nada pode frustrar o propósito de Jeová!
    Como predito, o descendente de Abraão — Jesus Cristo e os 144 mil — abençoará “pessoas das nações”. (Rom. 11:12; Gên. 22:18) Desse modo, todos os do povo de Deus se beneficiam dessa provisão. Realmente, é impossível não ficar pasmados com a ‘profundidade das riquezas, da sabedoria e do conhecimento de Deus’ quando pensamos no desenrolar do propósito eterno de Jeová. — Rom. 11:33.

    UM ABRAÇO IRMÃO WEVERTON.

  26. A paz irmão Karlos,

    Onde está escrito que Adonai rejeitou o seu povo Israel? E por que você diz… Porque lutar contra isso Weverton ? Eu estou lutando contra o quê? Eu estou apenas falando o que eu penso sobre as escrituras, se você crê em algo e eu em outro isso me dá o direito de questionar e expor as minhas ideias, pois bem. Eu vou começar com essa informação… Você faz uma observação sobre o plano divino e diz…. O PROPÓSITO DE JEOVÁ COM RELAÇÃO AO PREDITO DESCENDENTE
    Para entender a ilustração da oliveira, é preciso primeiro conhecer quatro fatos a respeito do andamento do propósito de Jeová com relação ao predito descendente. Primeiro, Jeová prometeu a Abraão que “TODAS AS NAÇÕES DA TERRA (ABENÇOARIAM) A SI MESMAS ” por meio do descendente, ou descendência, de Abraão. (Gên. 22:17, 18) Segundo, para a NAÇÃO DE ISRAEL, que se originou de Abraão, FOI OFERECIDA A OPORTUNIDADE DE PRODUZIR UM REINO DE SACERDOTES”. (Êxo. 19:5, 6) Terceiro, depois que a maioria dos israelitas literais rejeitou o Messias, Jeová tomou outras medidas para produzir “UM REINO DE SACERDOTES”. (Mat. 21:43; Rom. 9:27-29)… Onde está escrito que Adonai tomou outras medidas para produzir um reino de sacerdotes? O que eu leio nas escrituras são várias passagens dizendo que Deus restauraria a nação de Israel e o reino de Israel seria um reino eterno e as nações seriam abençoadas através dessa nação. Outra coisa irmão… Você usa Romanos 11 para falar do enxerto e se contradiz ao dizer… Significa isso que depois de 36 EC não havia mais oportunidade para judeus literais se tornarem parte do descendente de Abraão? Não… Você cravou um número e condenou os filhos naturais e depois se contradisse de novo usando Romanos 11… Paulo explica: “Eles [os judeus literais], também, se não permanecerem na sua falta de fé, serão enxertados; pois Deus é capaz de enxertá-los novamente. Porque, se foste cortado da oliveira que é brava por natureza e foste enxertado, contrário à natureza, numa oliveira cultivada, quanto mais aqueles, que são naturais, serão enxertados na sua própria oliveira!”* — Rom. 11:23, 24.

    Nunca foi o propósito de Deus em ter exclusividade com Israel, o propósito de Deus com essa nação sempre foi o de usá-la como exemplo para as nações, vocês não podem querer substituir o povo de Deus. Não existe na bíblia passagens que relatem isso, o que existe são interpretações, Se possivel me forneça essas bases bíblicas que se referem que Deus destituiu Israel e agora a Igreja está no lugar de Israel, sendo ela a Israel de Deus, meu irmão quem acredita nisso são os católicos através de Marcião e Antonio de Antioquia que introduziram a teoria da Substituição absoluta e os protestantes tomaram essas afirmações para eles também, Quando Yeshua se manifestar todo Israel será salvo e também todo aquele que aguardou a esperança da glória o Messias Yeshua, de toda tribo, lingua, raça e nação serão revestidos de “incorruptibilidade”. Isso é no que creio baseado na palavra não usei muitos versiculos por entender que o irmão conhece a palavra e os versos. A paz seja contigo!

  27. Pessoal escreve muito copia de mais da internet quando a resposta esta na própria Bíblia, vamos la

    E ouvi o número dos selados, e eram cento e quarenta e quatro mil selados, de todas as tribos dos filhos de Israel.
    Da tribo de Judá, havia doze mil selados; da tribo de Rúbem, doze mil selados; da tribo de Gade, doze mil selados;
    Da tribo de Aser, doze mil selados; da tribo de Naftali, doze mil selados; da tribo de Manassés, doze mil selados;
    Da tribo de Simeão, doze mil selados; da tribo de Levi, doze mil selados; da tribo de Issacar, doze mil selados;
    Da tribo de Zebulom, doze mil selados; da tribo de José, doze mil selados; da tribo de Benjamim, doze mil selados.
    Depois destas coisas olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos

    Apocalipse 7:4-9

    Amém irmão.

  28. Em 1513 AEC, Jeová Deus ofereceu aos israelitas a oportunidade de se tornarem uma nação santa para ele, desde que ‘obedecessem estritamente à sua voz e guardassem o seu pacto’. Eles responderam: “Tudo o que Jeová falou estamos dispostos a fazer.” — Êxodo 19:3-8; 24:1-8.
    Por concordarem em cumprir o pacto da Lei mosaica, os israelitas dedicaram-se a Deus. As gerações posteriores de judeus nasceram naquela nação dedicada. No entanto, o batismo dos judeus que se tornaram seguidores de Jesus Cristo a partir do Pentecostes de 33 EC significava algo diferente de eles se apresentarem a Deus como membros duma nação dedicada. Simbolizava sua dedicação a Jeová Deus numa nova relação com ele por meio de Jesus Cristo. Em que sentido?
    Após o derramamento do espírito santo sobre cerca de 120 discípulos, reunidos numa sala de sobrado em Jerusalém, no Pentecostes de 33 EC, o apóstolo Pedro se levantou e começou a pregar à multidão de judeus e de prosélitos, que se haviam reunido para ver o que tinha acontecido. Depois de dar um testemunho cabal, ele disse aos judeus que estavam com a consciência perturbada: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado no nome de Jesus Cristo, para o perdão de vossos pecados.” Em resposta à exortação adicional de Pedro, “os que abraçaram de coração a sua palavra foram batizados, e naquele dia acrescentaram-se cerca de três mil almas”. — Atos 2:1-41.
    Aqueles judeus, batizados depois da exortação de Pedro, já não eram membros duma nação dedicada? Já não tinham uma relação dedicada com Deus? Não. O apóstolo Paulo escreveu que ‘Deus tinha tirado a Lei do caminho por pregá-la na estaca de tortura’. (Colossenses 2:14) Por meio da morte de Cristo em 33 EC, Jeová Deus removeu o pacto da Lei — a própria base para levar os israelitas a uma relação dedicada com Ele. A nação que havia rejeitado o Filho de Deus foi então rejeitada pelo próprio Deus. ‘Aquilo que era o Israel de modo carnal’ não podia mais afirmar ser uma nação dedicada a Deus. — 1 Coríntios 10:18; Mateus 21:43.
    O pacto da Lei foi abolido em 33 EC, mas o período para Deus dispensar favor e atenção especiais aos judeus não terminou naquela ocasião.* Esse período continuaria até 36 EC, quando Pedro pregou ao devoto italiano Cornélio e sua família, bem como a outros gentios. (Atos 10:1-48) Qual era a base para essa demonstração de favor?
    “[O Messias] terá de manter em vigor o pacto para com muitos por uma semana”, declara Daniel 9:27. O pacto que foi mantido em vigor por sete anos, ou “uma semana”, desde o batismo de Jesus e o começo do ministério público do Messias, em 29 EC, era o pacto abraâmico. Para estar nessa relação pactuada, bastava ser um dos descendentes hebreus de Abraão. Esse pacto unilateral não proporcionava à pessoa uma relação dedicada com Jeová. Portanto, os judeus crentes, que foram batizados depois do discurso de Pedro, no Pentecostes de 33 EC, embora recebessem atenção especial por serem judeus naturais, não podiam reivindicar uma relação dedicada com Deus depois de o pacto da Lei ter sido eliminado. Precisavam dedicar-se a Deus pessoalmente.
    A dedicação pessoal por parte dos judeus e dos prosélitos, que se apresentavam para o batismo no dia do Pentecostes de 33 EC, era essencial ainda por outro motivo. O apóstolo Pedro exortou seus ouvintes a se arrependerem e a serem batizados em nome de Jesus. Isso exigia que renunciassem aos modos do mundo e reconhecessem Jesus como Senhor e Messias, como Sumo Sacerdote, e como o sentado à mão direita de Deus no céu. Precisavam invocar o nome de Jeová Deus para terem salvação por meio de Cristo Jesus, o que envolvia exercer fé em Cristo e reconhecê-lo como o seu Líder. TODA A BASE PRA SE TER UMA RELAÇÃO COM DEUS E PARA SE OBTER PERDÃO DE PECADOS HAVIA ENTÃO MUDADO. Os judeus crentes, individualmente, tinham de aceitar essa nova provisão. Como? Por se dedicarem a Deus e por tornarem pública essa decisão pela imersão em água no nome de Jesus Cristo. O batismo em água era símbolo da sua dedicação a Deus, levando-os a uma nova relação com ele por meio de Jesus Cristo. — Atos 2:21, 33-36; 3:19-23. ( LEMBRE-SE , A NAÇÃO DE ISRAEL COMO UM TODO REJEITOU O NOVO PACTO ELES MATARAM O PROPIO FILHO DE DEUS E O REJEITAM A TÉ HOJE.) COMO NAÇÃO ESTÃO FORA.
    COMO PESSOAS INDIVIDUAIS, SE ACEITAREM JESUS COMO SEU SENHOR E SALVADOR PODERÃO SERE SALVOS.

    UM ABRAÇO.
    PS:
    Quando Jesus Cristo subiu ao céu e apresentou a Jeová Deus o valor sacrificial da sua vida humana, o pacto da Lei mosaica foi anulado e se lançou a base do predito “novo pacto”. — Jeremias 31:31-34.

    • A paz irmão Karlos,

      Não há bases bíblicas para a tese de que Deus desprezou Israel como nação e colocou a Igreja no lugar de Israel e também não há bases bíblicas para afirmar que a lei foi abolida, o que existem são traduções tendenciosas, o propósito de Jesus foi tirar o legalismo da lei, qualquer estudante de direito sabe que dentro do sistema jurídico de qualquer legislação de um país existem brechas na lei onde o contraventor pode se beneficiar para ser absolvido de qualquer pena que a legislação preveja, nesse ponto os advogados se apoiam para livrar os réus das penas previstas na lei. Quando Deus entregou a Torah a Moisés, não havia sombra para o erro, mas tanto Moisés, quanto os Levitas que eram os legisladores de Israel acrescentaram através de tradições algumas traduções erradas da lei e alguns acréscimos, foi nesse ponto que entrou o Messias, para completar a Torah e trazer a graça de Deus que havia se afastado pelo pecado. O Novo testamento se cansa de demonstrar isso através das parábolas e ensinos do Mestre Jesus, e ele mesmo diz… não vim abolir, mas cumprir(outra tradução dessa palavra é Completar).

  29. Presados Irmãos: KARLOSNOVA, Weverton da Cruz Estevam
    Depois de tantas explicação como eu devo encarar e compreender o que esta escrito em Apocalipse (Revelações) 7: 4,5,6,7,8 ?

    4 Ouvi então o número dos que tinham sido marcados: cento e quarenta e quatro mil, de todas as tribos dos filhos de Israel.
    5 Da tribo de Judá, doze mil foram marcados; da tribo de Rúben, doze mil; da tribo de Gad, doze mil;
    6 da tribo de Aser, doze mil; da tribo de Neftali, doze mil; da tribo de Manassés, doze mil;
    7 da tribo de Simeão, doze mil; da tribo de Levi, doze mil; da tribo de Issacar, doze mil;
    8 da tribo de Zabulon, doze mil; da tribo de José, doze mil; da tribo de Benjamim, doze mil foram marcados.

    Porque eu tenho que entender de forma diferente do que esta escrito tao claramente nos vesiculosos mencionados?
    Sera que eu posso ser esclarecido de onde esta o erro literário destes vesiculosos, que o faz ser interpretado de forma tao deferente do que esta escrito na Biblia.
    Aguardo
    Fiquem na Paz.

    • ESTIMADO IRMÃO SERGIO LUIZ, LEIA APOCALIPSE, 5: 9,10 E ME RESPONDA AS SEGUINTES PERGUNTAS:
      DE ACORDO COM O TEXTO, DE ONDE FORAM COMPRADOS OU TIRADOS OS 144 MIL?

      02) SOBRE QUEM ELES REINARAM ?

      ME RESPONDA PARA QUE POSSAMOS CONTINUAR COM A NOSSA PALESTRA.
      UM GRANDE ABRAÇO.

      • A Paz Irmão Karlos

        Quando eu fiz a pergunta era para o irmão explicar quem são aqueles 144.000 que o versículo se refere; não e para mim responder para você.
        Embora você tenha demonstrado um tanto altivo, soberbo quando disse (ME RESPONDA PARA QUE POSSAMOS CONTINUAR COM A NOSSA PALESTRA), eu irei responder ao irmão. Coisa que já sei que você vai descordar e repudiar da minha resposta.
        Perguntado acerca da identidade e da proveniência daquela gente, João preferiu não arriscar qualquer palpite, e disse ao que lhe perguntava: – Senhor, tu o sabes. Pelo que o ancião lhe respondeu:
        “Estes são os que vieram da grande tribulação, e lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro. Por isso estão diante do trono de Deus, e o servem de dia e de noite no seu templo; e aquele que está assentado sobre o trono estenderá o seu tabernáculo sobre eles. Nunca mais terão fome; nunca mais terão sede. Nem sol nem calor algum cairá sobre eles. Pois o Cordeiro que está no meio do trono os apascentará e os conduzirá às fontes das águas da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima.”Apocalipse 7:14-17.
        Façamos uma rápida análise da profecia acerca dos 144.000. Ela é apresentada em Apocalipse 7. Quatro anjos, “aos quais fora dado fazer dano à Terra e ao mar” (verso 2), recebem a ordem de adiar o dano que iriam causar, até que os servos de Deus fossem selados na fronte. O profeta ouviu então o número dos que foram selados: 144.000, compostos de filhos de Israel” (verso 4).
        Depois disso, o profeta viu “grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas” (verso 9). Eles foram vistos “em pé diante do trono e diante do Cordeiro”.
        E claro que são apresentados aí dois grupos. Os 144.000 são representados como provenientes das 12 tribos de Israel, ao passo que a grande multidão abrange pessoas de todas as nações. Evidentemente, portanto, os 144.000 não constituem os únicos que serão salvos. Além deles, inumerável multidão encontrará a salvação.
        É verdade que de acordo com Apocalipse 20:4 haverá pessoas reinando no Milênio com Cristo. Essas pessoas serão da Igreja (seguidores de Jesus Cristo), santos do Velho Testamento (seguidores que morreram antes do primeiro Advento de Cristo) e os santos da Tribulação (aqueles que aceitam a Cristo durante o período da Tribulação). Mesmo assim, a Bíblia não coloca nenhum limite numérico a esse grupo de pessoas. Além do mais, o Milênio é diferente do Estado Eterno, o qual vai ocorrer no final do Milênio. Naquela hora, Deus vai habitar conosco na Nova Jerusalém. Ele será o nosso Deus, e seremos o seu povo (Apocalipse 21:3). A herança prometida a nós em Cristo e selada pelo Espírito Santo (Efésios 1:13-14) será nossa e seremos todos co-herdeiros com Cristo (Romanos 8:17).

        Fique na Paz

        • O IRMÃO ENROLOU, ENROLOU E NÃO RESPONDEU. DE ACORDO COM APOCALIPSE 5:9,10, DE ONDE FORAM COMPRADOS OU TIRADOS OS 144 MIL? E
          02) SOBRE QUEM ELES REINARAM ?

          ESTOU ESPERANDO.

          UM GRADE ABRAÇO.

          • Paz

            Verdade Irmão, se eu não responder que eles os 144 MIL foram tirados e comprados de um genuíno e fiel e verdadeiro SALAO do REINO com as bênçãos de Charles Taze Russell, voce sempre vai descordar.

            Paz

    • A paz irmão Sergio,

      Quando você fez esta pergunta obviamente já obtinha a resposta, essa passagem é literal, pois em nenhum lugar do mundo uma tribo que tenha o nome de Zebulon, José, Naftali ou Levi, se esses detalhes não caracterizarem Israel, então nada caracteriza. Tome por literal, pois isso é correto.

  30. Ola, Paz a todos!

    O Livro do Apocalipse está repleto de profecias envoltas em um simbolismo sagrado.

    Esta questão é intrigante porquê envolve um número exato de pessoas de uma raça apenas que serão salvos no período que inicia com a morte do Cristo e termina com o desaparecimento da Noiva!

    “…e ninguém podia aprender aquele cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da terra”. Estes são os que não estão contaminados com mulheres; porque são virgens. Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vá. Estes são os que dentre os homens foram comprados como primícias para Deus e para o Cordeiro. (Apocalipse 14:3-4)

    A chave para esclarecer este mistério está em Apocalipse 21:17-18!

    “E mediu o seu muro, de cento e quarenta e quatro côvados, conforme à medida de homem, que é a de um anjo. E a construção do seu muro era de jaspe, e a cidade de ouro puro, semelhante a vidro puro.

    Por quê esse muro tem a medida de 144 côvados de altura e de comprimento? Aqui há sabedoria: Se a noiva é composta de gentios (povos das nações), o muro é composto de judeus!

    São os 144 mil judeus que não serão salvos pelo sangue de Jesus, mas por não terem se contaminados com Mulheres (Seitas Cristãs filhas da Grande Babilônia). Lembre-se que os judeu não creem que Jesus, o Nazareno seja o Messias!

    Quanto à Babilônia, esta é a mãe de todas as Prostitutas que se contaminaram com a Teologia de Tomás de Aquino e Tertuliano. Lembre-se que os judeus não creem na Santíssima Trindade! (Apocalipse 14:4)

    E, havendo aberto o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos por amor da palavra de Deus e por amor do testemunho que deram. (Apocalipse 6:9). Veja que estes não foram salvos pelo sangue do Cordeiro, mas pelo testemunho que deram!

    Enfim, a Cidade é de ouro porquê foi comprada com o sangue do Cordeiro e o muro é de jaspe porquê foi adquirido com boas obras!

    Abraço

    O Ensaista

    • A paz esteja contigo Moza,

      João 3v16 diz…Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
      Romanos 11v23-27 fala:
      E também eles, se não permanecerem na incredulidade, serão enxertados; porque poderoso é Deus para os tornar a enxertar.
      Porque, se tu foste cortado do natural zambujeiro e, contra a natureza, enxertado na boa oliveira, quanto mais esses, que são naturais, serão enxertados na sua própria oliveira! Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado. E assim todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, E desviará de Jacó as impiedades. E esta será a minha aliança com eles, Quando eu tirar os seus pecados.

      Existem hoje no mundo de 140 mil a 500 mil judeus que acreditam em Jesus como o Messias de Israel. Jesus disse em Mateus 23v39… Porque eu vos digo que desde agora me não vereis mais, até que digais: Bendito o que vem em nome do Senhor. A salvação é para todo aquele que crê no messias de Israel, Jesus e isso inclui os judeus te falo isso com toda a certeza bíblica, pois Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; Romanos 3:23, não existem perdão sem remissão, nem para os Judeus.

      A bíblia relata que para os Israelitas terem os seus pecados perdoados por meio de remissão precisariam apresentar vários tipos de sacrifícios dependendo do pecado diante do Sacerdote e todos esses sacrifícios envolvem sangue. Para os Israelitas que não creem em Jesus como o Messias de Israel existe um grandessíssimo problema, sem templo não há a possibilidade de um Levita exercer seu ministério, portanto não há a possibilidade de sacrifícios que envolvem sangue, não há a possibilidade do Yom Kippur( dia do perdão), ou seja, desde 70 DC(data da destruição do Templo de Jerusalém) que os Judeus que não acreditam em Jesus como Messias de Israel não têm os seus pecados remidos através de Sangue. Só se anda na luz quem reconhece Jesus como o Messias de Israel- Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. 1 João 1v7. Só através do pedido de perdão a Deus temos o nosso pecado expiado através do Sangue de Jesus- Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. 1 João 1v9. Ou seja, não há a possibilidade de ninguém ser salvo se não reconhecer que Jesus o Messias é o Senhor.

  31. Olá Weverton…

    Percebi que você entende muito de Cristianismo e nada de Judaísmo, assim como outros que responderam sua pergunta… Mas não se ofenda… Afinal somos cristãos e é natural que seja assim…

    Um judeu acredita que a circuncisão é o único ritual para obter após a ressurreição a cidadania no Reino do Messias. Qualquer pessoa pode tornar-se um judeu: basta circuncidar-se e crer que o Messias virá! (Veja que eu disse “virá”)

    Paulo circuncidou Timóteo. Timóteo tornou-se judeu? É óbvio que não! Porque a sua crença no Batismo em águas o tornara um cristão.

    Qualquer judeu sabe que o batismo nas águas anula a circuncisão e após ser batizado um judeu perde a identidade racial e torna-se um cristão!

    Não chame um cristão de judeu mesmo que ele tenha sido circuncidado no nascimento.

    Quando você afirma que há no mundo aproximadamente 500 mil judeus que crêem que Jesus é o messias comete uma ofensa ao Judaísmo. Se eles crêem em Jesus é porquê não são judeus, mas cristãos!

    A Noiva de Cristo é composta de milhões de filhos de Abraão. Antes do nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, eles eram chamados de hebreus porque criam no Messias que haveria de vir. Após a morte do Cristo, eles são chamados de cristãos.

    Um Judeu jamais acreditará que Jesus o Nazareno é o Messias. Até cumprir-se a profecia de Zacarias 13:6. Só um judeu entenderia o que estou dizendo. Acreditar em jesus é ganhar uma nova identidade racial: cristão (Gálatas 3:28)!

    Portanto, um judeu que acredita apenas na circuncisão só pode ser salvo pelas boas obras. E pelas obras serão salvos apenas 144 mil judeus após a morte do Cristo…

    Parabéns pela pergunta.

    Abraço

    • Moza, Shalom!

      Segue abaixo uma lista grande de Rabinos Judeus e circuncidados que creram no Mashiach de Yisrael Yeshua HaMashiach. Antes disso gostaria de ressaltar que conheço profundamente o judaísmo Ortodoxo e o Judaísmo Messiânico, eu não preciso do seu reconhecimento, A circuncisão é o sinal em carne da Aliança que todo o Judeu tem com Deus. Para que o Judaísmo venha ser exercido com base Bíblica o Templo tem que estar funcionando. Segue abaixo o documentário de Rabinos Judeus que pensaram por si mesmos.

      Rabinos que pensaram por si próprios
      Por Joshua Brumbach (EUA)

      Muitos são os justos que esperam pelo Mashiach
      O mito comum divulgado pelos anti-missionários (judeus religiosos que são contra a existência de Judeus Messiânicos) é que os judeus que crêem em Yeshua são ignorantes a respeito do judaísmo e foram enganados ao acreditar que Yeshua é o Messias. O argumento usado é: “Se você realmente entendesse o ‘verdadeiro Judaísmo da Torá’ você não teria sido desviado”!
      Outro mito que dizem é que Yeshua não poderia ser o Messias porque nenhum rabino respeitado jamais acreditou em tal coisa.
      Pois bem, estas duas acusações são falsas!
      Ao longo dos séculos CENTENAS de rabinos chegaram à conclusão de que Yeshua é de fato o tão aguardado Messias judeu.
      Pode ser fácil descartar esta realidade e dizer algo como, “Bem, eles eram apenas ignorantes.” Mas e quanto aos rabinos cultos e respeitados que creram em Yeshua? Certamente não poderiam ser quaisquer gedolim (grandes homens) que iriam acreditar em tal absurdo, certo?

      Grandes rabinos que creram:

      Rabino Ignác (Isaac) Lichtenstein (rabino chefe, Região Norte da Hungria)
      Rav Lichtenstein (1824-1909) serviu 40 anos como rabino chefe na Região Norte da Hungria. Ele era uma autoridade respeitada e no final de sua vida chegou à conclusão de que Yeshua é o Messias. O rabino Lichtenstain sofreu muito por sua convicção. Ele escreveu vários folhetos argumentando que a fé em Yeshua é compatível com o Judaísmo. Eventualmente, a pressão da comunidade o forçou a sair de sua posição como rabino da região, mas ele nunca aceitou o batismo cristão nem o sistema do cristianismo. Ele jamais se uniu a nenhuma ‘igreja’.

      Rabino Daniel Zion

      Rabino Daniel Tzion – Rabino chefe da Bulgária
      Rabino Daniel Zion (1883-1979) foi o Rabino-Chefe da Bulgária que salvou sua comunidade do nazismo e os trouxe a Israel. Quando ele faleceu em 1979, aos 96 anos de idade, a comunidade judaica da Bulgária em Israel deu-lhe um enterro com honras militares e honrarias de estado. Seu caixão ficou no centro de Jaffa com uma guarda militar, e ao meio-dia foi carregado por homens para o cemitério em Holon. Ele foi enterrado como o Rabino-Chefe de Judeus búlgaros o qual os salvou do Holocausto nazista. Rabino Daniel Zion também acreditava que Yeshua era o Messias e sofreu muito por sua convicção. (os ensinos e o testemunho de vida do rabino Zion continuam a impactar a vida de milhares de pessoas, judeus e não-judeus ao redor do mundo, graças ao trabalho de seus alunos (talmidim), como Joseph Shulam (co-fundador do Ministério Ensinando de Sião – Brasil).

      Rabino Israel Zolli

      Rabino Israel Zolli – Rabino chefe de Roma
      Rabino Israel Zolli (1881-1956) foi o ex-Rabino Chefe de Roma que ajudou a salvar 4.000 judeus romanos quando os nazistas entraram em Roma, em 1943. Passando-se como um engenheiro de estruturas, pediu ao Papa Pio XII para proteger os judeus de Roma. O Papa consentiu e ele concordou em fazer igrejas, mosteiros, conventos e os santuários do Vaticano. Antes de vir para Roma, Zolli serviu 35 anos como Rabino-Chefe de Trieste (Itália).
      Depois da guerra, Rav Zolli fez uma confissão pública de fé em 1945 e foi forçado a sair de sua posição. No entanto, quando perguntado se ele acreditava que o Messias já teria vindo, ele disse:
      “Sim, positivamente. Eu acreditei nisso há muitos anos. E agora estou tão firmemente convencido da verdade que eu posso enfrentar o mundo todo e defender a minha fé com a certeza e solidez das montanhas.” Líderes judaicos o chamaram de herege, o excomungaram, proclamaram um jejum durante vários dias em expiação por sua “traição”, e lamentaram-no como um morto.

      Rabino Chil Slostowski
      Um descendente de ilustre estirpe de rabinos, Rav Slostowski recebeu a s’micha (ordenação) aos 17 anos de idade e se tornou um grande ‘gadol’ servindo congregações na Polônia, incluindo o ensino no seminário rabínico em Lodz. Ele se tornou uma autoridade em Kashrut. Ele foi convidado a vir para Israel pelo ex-rabino chefe de Israel, Rav Abraham Isaac Kook, onde foi nomeado Secretário do Rabinato Chefe de Jerusalém.
      Após a morte de Rav Kook, em 1935, Slostowski mudou-se para Tel Aviv para ensinar Talmud. Slostowski teve um encontro milagroso ao ler o Novo Testamento em hebraico que o convenceu de que Yeshua era o Messias judeu. Ele tentou manter sua convicção em silêncio, mas dentro de dois meses ele já não poderia mais fazê-lo, e confessou abertamente Yeshua como o Messias e se demitiu do cargo em Tel Aviv. Logo depois ele foi atingido por pedras e hospitalizado. Mas ele não se intimidou por sua fé. Ele continuou a proclamar publicamente que Yeshua é o Messias, apesar da perseguição constante.

      Rabino Yechiel Tzvi Lichtenstein

      Rabino Yechiel Tzvi Lichtenstein – autor do Toldot Yeshua
      Yechiel Tzvi Lichtenstein (1831-1912) era um crente judeu de origem Chasídica. Enquanto na Yeshiva, ele se tornou um discípulo de Yeshua de Nazaré. Ele serviu no Judaicum Delitzschianum Institutum na Alemanha como professor de ciência rabínica e escreveu vários livros e comentários em hebraico, incluindo refutações de obras anti-missionárias. Sua obra mais popular foi Toldot Yeshua, uma resposta à famosa obra ‘anti-Yeshua’, ‘Toldot Yeshu’. Ele também trabalhou na revisão do Evangelho em hebraico de Franz Delitzsch, e escreveu um comentário todo em hebraico do Novo Testamento.

      Rabino Daniel Landsmann

      Daniel Landsmann – o Sábio do Talmud
      Rabino Daniel Landsmann (1836-1896) foi um alfaiate de Jerusalém e estudioso do Talmud que se tornou crente em Yeshua, em 1863. Ele quase foi morto por seu próprio povo, o qual não aceitou que alguém tão bem educado na tradição judaica pudesse acreditar que Yeshua é o Messias.
      Sua perspectiva sobre Yeshua começou a mudar quando ele encontrou na rua uma página em hebraico arrancada de um livro. Ele amou o que leu, e quando descobriu mais tarde que era do Sermão do Monte, ele começou a pensar diferentemente sobre Yeshua. Quando ele começou a revelar que acreditava que Yeshua é o Messias, sua esposa o deixou, um grupo de fanáticos tentou prendê-lo ao chão com pregos em suas mãos, e outro tentou enterrá-lo vivo.
      Ele finalmente se mudou para Nova York e, com uma riqueza de conhecimento talmúdico e um espírito humilde, convenceu muitos outros judeus a considerarem o verdadeiro Yeshua.

      Rabino Nathaniel Firedman

      Rabino Nathaniel Firedman
      O rabino Nathaniel Friedmann foi enviado da Rússia para ganhar de volta Landsmann (acima) ao judaísmo, em 1889. Suas discussões com Landsmann resultaram em Friedmann vindo a acreditar no Messianidade de Yeshua também. Ele foi ordenado pastor luterano e tornou-se sucessor de Landsmann, e serviu em Nova York até 1941.

      Rabino Ephraim Ben Joseph Eliakim

      Chacham Ephraim
      Chacham (lê-se rrarrâm – sábio – um título respeitado usado pelos judeus Sefarditas para grandes rabinos). O pai de Ephraim foi um rabino em Tiberíades, um homem de liderança na comunidade judaica de língua árabe. O próprio Chacham Ephraim se tornou respeitado e honrado por judeus e árabes, e recebeu um lugar de liderança na comunidade, tornando-se um dos dayanim, superintendentes de justiça, que são especialmente encarregados dos direitos e interesses dos indivíduos da comunidade. Coincidindo com estes avanços, se casou com filha do Rabino-Chefe.
      O Rabino Ephraim, eventualmente, se tornou amigo do Rev. Dr. William Ewing, da Igreja da Escócia em Tiberíades, o qual falava Hebraico fluente. Os dois homens eram quase da mesma idade e logo desenvolveram conversas amistosas sobre o Talmud e a Bíblia, mas cada conversa acabaria por levar a reivindicações de Yeshua como o Messias.
      As mais antigas interpretações judaicas do capítulo 53 de Isaías eram conhecidas como se referindo ao Rei Messias, e não demorou muito para que Chacham Ephraim reconhecesse a figura do Servo Sofredor “por cujas feridas fomos curados”. Os sofrimentos do seu próprio povo ao longo dos tempos e sua perspectiva desesperadora tocaram-no profundamente.
      Guiado por seu amigo, ele considerou: “O primeiro templo foi destruído e a nação espalhada por causa de três grandes pecados cometidos por Israel, mas setenta anos depois, o templo foi reconstruído. Então veio a segunda destruição, e por mais de 1800 anos, Israel esteve sem o Templo Sagrado. Qual foi a causa desta segunda destruição e da maior dispersão? Idolatria não foi o motivo. Não houve falta de zelo para com a Torá ou com os sacrifícios. Por que Deus nos abandonou por tanto tempo?” Rabino Ephraim chorou e orou e lutou com os problemas, relutando se entregar. Ele até mesmo fez perguntas sobre essas coisas a seus colegas rabinos, mas eles só poderiam dar respostas formais desgastadas com o tempo.
      Ainda assim, ele lutou convencido de que algum pecado terrível tinha sido a causa da ira de HaShem contra o seu povo. Então, acabou concluindo que o segredo de tudo isso era “sinatchinam – ódio sem causa” (Yoma 9b), e uma voz mansa clamou em seu coração: “Pare de me odiar. Ame-Me e Eu lhe darei a paz”.
      A luta terminou. Chacham Ephraim encontrou uma paz que foi ininterrupta até o dia de sua morte. O que se seguiu foi um tempo de feroz perseguição, quando ele perdeu tudo, incluindo sua esposa e família. Chacham Ephraim vagou por diferentes cidades e, eventualmente, se estabeleceu em Jerusalém, onde trabalhou como operário, e à noite se encontrava com personalidades que vinham conversar com ele secretamente. Ele também liderou estudos bíblicos para outros crentes judeus e árabes. Ele morreu em agosto de 1930 e foi sepultado em Jerusalém.

      CONCLUSÃO:
      Há muitos outros (desde os primeiros séculos da era cristã até os dias de hoje) grandes rabinos que acreditaram que Yeshua é, de fato, o Mashiach falado pelos profetas, e anunciado diariamente por judeus religiosos, incluindo o Rabino Dr. Max Wertheimer, o rabino Philipp Philips, o rabino Rudolf Hermann Gurland, rabino Asher Levy, rabino Dr. Leopold Cohn, o rabino Berg, o rabino Charles Fresman, o rabino George Benedict, o rabino Jacobs, o rabino Dr. T. Tirschtiegel, o rabino Henry Bregman, e muitos outros.
      O que estes sábios rabinos tinham em comum foi um grande amor por seu povo, por ISRAEL e pela Torá, levando-os a reconhecerem que Yeshua é de fato o único capaz de cumprir com as profecias concernentes ao Mashiach ben Yossef (servo sofredor) e que voltará em breve como Mashiach ben David (Messias Rei) para congregar Israel e estabelecer o seu Reino. Todos estes rabinos não mudaram de religião, nem adotaram o cristianismo ou suas vertentes. Eles apenas entenderam Yeshua em seu contexto histórico, judaico-original, sem distorções nem falsas interpretações. Eles continuaram 100% judeus e 100% discípulos do rabino de Nazaré, zeloso da Torá e amando a Israel e seu povo. Eles também buscaram ajudar os gentios a entenderem Yeshua, seus ensinos e o Novo Testamento em seu contexto original, sem o estrago causado pela teologia cristã anti-semita. O legado desses rabinos tzadikim (justos) pode ser visto nos dias de hoje, onde quase 1 milhão de Judeus em Israel e na diáspora, são discípulos de Yeshua.

  32. Olá Weverton…

    Confesso que li atentamente cada palavra que você escreveu com muito carinho.

    Apreciei suas convicções. Há muitos anos acompanho de perto o Judaísmo Messiânico.

    Mas não os considero judeus. Para mim são cristãos 100% tanto quanto Paulo de Tarso era!

    Mas essa polêmica perdeu o foco…

    Gostaríamos de saber a sua opinião sobre os 144 mil… Para você eles são judeus ortodoxos ou Messiânicos?

    Se na sua interpretação forem Ortodoxos, logo você concorda com a interpretação que creio ser a verdadeira.

    Se na sua interpretação forem Messiânicos, logo você teria que reler atentamente o que escrevi e rever o seus conceitos, pois o número de Judeus Messiânicos (que chamo de cristãos) já ultrapassou a marca dos 144 mil há séculos.

    Somos gratos pelo dossiê acima exposto. Milhões de leitores nossos estão maravilhados com o curso que este tema está tomando.

    Abraço

    • Shalom Moza,

      Eu tenho certeza que os 144 mil são Hebreus, Israelitas, o acreditar em Yeshua não descaracteriza a nacionalidade de ninguém, principalmente dos Hebreus, você sabe quando foi que os Hebreus começaram a idealizar e desejar a manifestação do Messias prometido? Há um clamor de todo o povo Hebreu pela manifestação do Messias, todo Hebreu que crê na Torah é Messiânico, um Hebreu que acredita em Yeshua não se torna cristão pelo contrario ele continua sendo Judeu o mais convicto de todos os Judeus pois recebeu a plenitude da Torah ao se convencer da Messianidade do Rabino de Nazaré, pois a Torah e os Nevi’im( A lei e os Profetas) profetizaram sobre Ele. Você já leu as Parashot? No final de cada Parashat há uma Haftarah e todas elas levam a restauração de Israel através do retorno da diáspora de todos os remanescentes Israelitas espalhados pelo mundo; mais ou menos 85% para mais das Haftarot estão relacionadas a raiz de David, ou seja, ao Mashiach de Yisra’el, em algumas passagens o Mashiach está relacionado com o Sofrimento, dentre as passagens a mais importante é Isaías 53 e em sua maioria está relacionada ao reinado,libertação e soberania. Então qualquer pessoa que creia em Deus como Adonai ( Senhor) é messiânica, a bíblia é Messiânica, as promessas do Goel (remidor) são relacionadas ao Messias, portanto todo Judeu que crê em Yeshua continua sendo Judeu, continua crendo em Deus e na Torah.

      Shalom Aleikhem( A paz esteja Contigo)!

  33. A VERDADE SOBRE O ARREBATAMENTO!

    “Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o direito de serem feitos filho de DEUS, a saber, aos que crêem no seu nome…” Jo 1:11,12.

    Como eu disse: Eles me entregaram a interpretação correta de tudo que foi deixado na terra e o arrebatamento não é o que ensinam nas igrejas…

    O que me foi entregue diz claramente com o que esta na Bíblia.

    “O arrebatamento certamente acontecerá, mas não para nós (Os Gentios), mas, para os 144 mil (Os Judeus).”

    Em Ap 7:1-8 diz quem participará desse evento.

    “v 3,4 Não danifiqueis nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até SELARMOS na FRONTE os servos do nosso DEUS. Então, ouvi o NÚMERO dos que foram selados, que eram CENTO e QUARENTA e QUATRO MIL (144 mil), de TODAS as TRIBOS dos FILHOS de ISRAEL.”

    12mil de cada TRIBO que são:

    1. Tribo de JUDÁ —— 7.Tribo de SIMEÃO
    2. Tribo de RÚBENS —— 8.Tribo de LEVI
    3. Tribo de GADE —— 9.Tribo de ISSACAR
    4. Tribo de ASER —— 10. Tribo de ZEBULOM
    5. Tribo de NAFTALI —— 11. Tribo de JOSÉ
    6. Tribo de MANASÉS —— 12. Tribo de BENJAMIM.

    “v 8b Foram SELADOS 12mil.”

    As pessoas devem parar e pensar sobre essa contagem. Pastores ensinam que os que crerem será arrebatado, se assim fosse os números ultrapassariam os 144 mil. Se existe essa contagem exata de 144 mil, é porque o significado do arrebatamento vai além do que os pobres ignorantes pensam!

    Nós fazemos parte dos que são chamados de GENTIO! Para nós foi nos dado a oportunidade da SALVAÇÃO.

    Em Ap 7:9-17 fala de uma multidão!

    “v 9a Depois destas cousas, vi, e eis GRANDE MULTIDÃO que ninguém podia enumerar, de todas as NAÇÕES, TRIBOS, POVOS e LÍNGUAS, em pé diante do trono e diante do Cordeiro…”

    Essa multidão que João via em outra visão, são os que tiveram a oportunidade da SALVAÇÃO.

    “… Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o direito de serem feitos filho de DEUS, a saber, aos que crêem no seu nome…” Jo 1:12.

    No mesmo capitulo existe uma pergunta seguida de uma resposta esclarecedora sobre o que vos digo.

    “Um dos anciãos tomou a palavra, dizendo: Estes, que se vestem de vestiduras brancas, QUEM SÃO e DONDE VIERAM? (…) São estes os que VÊM da GRANDE TRIBULAÇÃO.” Ap 7:13,14.

    Passar pela grande tribulação é uma prova para aprovar os que julgam estar no caminho da SALVAÇÃO. Para que eu faça compreender as mentes presas pelos ensinamentos errôneos tenho de explicar a GRANDE TRIBULAÇÃO.

    Isso farei em outra postagem, enquanto isso é melhor nos prepararmos para o TESTE FINAL!

    “Tornei-me, porventura, vosso inimigo, por vos dizer a VERDADE?” Gl 4:16 (Obs. Não obrigo a ninguém a seguir ou muito menos acreditar no que escrevo, sei em quem tenho crido.)

    Carlos Freitas. *l*l*

  34. a Paz seja com todos os irmãos, bom primeiramente lendo o que os amados estão escrevendo e debatendo, fica claro que que são conhecedores da palavra, mas que divergem com relação a interpretação , isso é muito fácil de se resolver amados, e ai que fica estreito pra quem não serve ao Senhor, ou apenas segue estudos como um mestre da lei, se é que segue a lei certa, o verdadeiro servo de Deus , tem contato direto com o todo poderoso, o espirito santo abita dentro dele, e todos sabemos(sevos) que Deus não é mudo nem surdo, e nem está com a mão mirrada,Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir
    Isaías 59:1, e também que o Senhor responde a oração dos que o buscam ,Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes
    Jeremias 33:3, porque não fazer como Elias que debateu com os profetas de baal?, dobra o joelho, clama ao todo poderoso e ele responde, a obra é dele, a salvação é por meio dele, é ele quem cura , salva liberta, e sabemos que, Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
    João 1:3, Deus revela tudo aos seus profetas antes que as coisas aconteçam,Certamente o Senhor DEUS não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas.
    Amós 3:7,
    não a motivo para homens de Deus debaterem, dobrem seus joelhos e busquem a voz de Deus e pronto, se não tem intimidade com Deus ai já é outra historia , porque uma coisa é conhecimento humano, a outra é ser capacitado, orientado, e inspirado por Deus, a paz seja com todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>