Pagar o dízimo é obrigatório para os cristãos?

A questão surgiu depois de uma reunião que houve em minha igreja, onde foi colocado que o número de dizimistas da igreja era muito pequeno em relação aos membros da mesma e na ocasião o pastor mencionou que estavam perdendo tempo em ir para igreja os que roubavam a Deus (não pagando o dízimo).
A questão é:
O dízimo é da lei, os cristãos são obrigados a observarem a lei?
A não realização da obra da lei pode impedir a salvação que é pela graça?
A citação de Malaquias 3.10 traz condenação para os cristãos que não pagam o dízimo?
Quem não paga está condenado, já que está roubando?
Nesse caso a ordenança da lei pode trazer condenação a despeito da Graça de Deus?

Gostaria de manter um debate bíblico, sem “achismos” ou opiniões pessoais, sem julgamentos, mas buscando na palavra de Deus os esclarecimentos que precisamos.

Um abraço forte e que Deus nos abençoe.

126 ideias sobre “Pagar o dízimo é obrigatório para os cristãos?

  1. olha na biblia esta escrito (em que me roubais em dizimos e nas ofertas )entao por este trechimho da biblia eu entendo que é obrigatorio ,pois vc trabalhou, entao vc, é obrigado a receber ne , e se o seu patrao é obrigado a te pagar vc é obrigado a devolver a DEUS,e sao a penas 10 % nao vai pesar em nada

    • o dizimo quem recebia eram os levitas que foram constituidos para esse ministerio. porque era o tempo da lei . malaquias se referia ao roubar a casa de Deus no sentido não de dar o dizimo mais sim da ganancia, e o não cumprimento da lei. agora nos vivemos na graça , Jesus mensionou a viuva que deu sua cntribuicao para casa do senhor, e os escribas.
      os escribas deram dez porcento , mais a viuva deu tudo que tinha. Deus não cobra os dez % mais sim o coração . nós devemos sim contribuir na casa de Deus mais de acordo com o nosso sentimento, não com interesse. quer saber se vc tem que dar dizimo sim ou não ou como proceder ore e peça a Deus entendimento, mais peça com humildade, por que aquele que se humilha nos pés de Deus , ele atende.

      • o DIZIMO FAZIA PARTE DO CULTO no antigo testamento ele era para os levitas ja que eles nao tinha terra nem trabalhava e PRAS AJUDAR VIUVAS E ORFA e nos sabemos que nossos dizimos nao fazem tais coisas. Os Israelitas eles tinham quebrado essa aliança, obedece vem bençao desobedece vem maldiçao. No novo testamento nao existe palavra dizimo, exite paulo fazendo coletas, ele ensina a dar com GENEROSIDADE ele diz DA AQUILO QUE PROPOS seu CORAÇAO.nos estados unidos a igreja faz assim ele sabem o que vai gastar no ano e divide as despesas com a igreja e cada familia paga sua parte na EUROPA e cinco por cento. tem uma historia do menino que ganhou duas moedas a mae disse filho uma moeda e pra oferta a outra por picole o menino via correr e cai a moeda rola pro boeiro, o menino diz; la vai a oferta de Deus pro boeiro e sempre assim.

        • Rom 10 v 4-5 o fim da lei é cristo, para quele que crer, quem não crer vivera pela lei , 2 Coríntios 3:1-18 Começamos outra vez a recomendar-nos a nós mesmos? Ou, porventura, necessitamos, como alguns, de cartas de recomendação para vós, ou de vós?
          Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens,
          sendo manifestos como carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne do coração.
          E é por Cristo que temos tal confiança em Deus;
          não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus,
          o qual também nos capacitou para sermos ministros dum novo pacto, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica.
          Ora, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fixar os olhos no rosto de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual se estava desvanecendo,
          como não será de maior glória o ministério do espírito?
          Porque, se o ministério da condenação tinha glória, muito mais excede em glória o ministério da justiça.
          Pois na verdade, o que foi feito glorioso, não o é em comparação com a glória inexcedível.
          Porque, se aquilo que se desvanecia era glorioso, muito mais glorioso é o que permanece.
          Tendo, pois, tal esperança, usamos de muita ousadia no falar.
          E não somos como Moisés, que trazia um véu sobre o rosto, para que os filhos de Isra desvanecia;
          mas o entendimento lhes ficou endurecido. Pois até o dia de hoje, à leitura do velho pacto, permanece o mesmo véu, não lhes sendo revelado que em Cristo é ele abolido;
          sim, até o dia de hoje, sempre que Moisés é lido, um véu está posto sobre o coração deles.
          Contudo, convertendo-se um deles ao Senhor, é-lhe tirado o véu.
          Ora, o Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor aí há liberdade.

          2 Coríntios 3:1-18

      • pois é cncordo com voce mas é certo um pastor exigir dos fieis e ainda com esse dinheiro compra uma mercedes no valor de R$ 180.000,00 fora mansões e outras luxurias q ostentam esses pastores . Concordo em doar uma oferenda a igreja mas sustentar um bando de vagabundo e seus luxos sou contra

      • Devemos contribuir e pagar o Dízimo , mas de acordo com o que cada um pode, devendo ser com fé de um todo, isto é , de acordo com seu coração, sempre firmes em nossos propósitos. O que não se concorda é que tem que ser determinada quantia…….

    • quero deixar um ponto de vista que vale a pena ser observado.Em malaquias 3 nos fala sobre um assunto defendido por muitos e muitas vezes mal interpretado sem querer ofender os defensores mas a exortação é para os filhos de Levi, observe :1:7,8,13 os sacerdotes tinham o melhor para oferecer porem não ofereceram.no capitulo 2:1 observe que os Sacerdotes é que serão amaldiçoados. Observe quem é que Deus vai purificar no capitulo 3:3 ou seja o povo estava trazendo os dízimos porem os sacerdotes estavam roubando o que é de direito do órfão,viúva e os levitas observe em Neemias 13:10 os levitas foram embora porque os filhos de Levi ou seja os sacerdotes não lhes dava o que era de direito. meu amado (a) era direito do levita receber porque na divisão das terras Deus disse que eles não teriam terras nem heranças O Senhor seria suas heranças NM 18:20-24 e se fosse hoje para cumprir a LEI os defensores não poderiam ter tudo o que eles TEM não é mesmo

      • quero deixar um ponto de vista que vale a pena ser observado.Em malaquias 3 nos fala sobre um assunto defendido por muitos e muitas vezes mal interpretado sem querer ofender os defensores mas a exortação é para os filhos de Levi, observe :1:7,8,13 os sacerdotes tinham o melhor para oferecer porem não ofereceram.no capitulo 2:1 observe que os Sacerdotes é que serão amaldiçoados. Observe quem é que Deus vai purificar no capitulo 3:3 ou seja o povo estava trazendo os dízimos porem os sacerdotes estavam roubando o que é de direito do órfão,viúva e os levitas observe em Neemias 13:10 os levitas foram embora porque os filhos de Levi ou seja os sacerdotes não lhes dava o que era de direito. meu amado (a) era direito do levita receber porque na divisão das terras Deus disse que eles não teriam terras nem heranças O Senhor seria suas heranças NM 18:20-24 e se fosse hoje para cumprir a LEI os defensores não poderiam ter tudo o que eles TEM não é mesmo

        • Vamos pensar um pouco:
          Já observou que a maioria daqueles que defendem o dízimo, se baseiam e só questiona é somente em relação do valor que é muito pequeno, só 10%.
          Quero deixar meu protesto e repúdio a tudo isso: Não sou dizimista, e não é simplesmente pelo valor, mas sim porque não é bíblico e porque não estão investindo em função dos necessitados. Transformaram pequenas congregações em Catedrais e impérios evangélicos, e os órfãos e viúvas?

          • concordo com vc amigo os templos estão cada vez mais grandes e exoberantes mas as ruas estão cheias de mendigo e drogados que precisam se recuperar se os maiores ministerios direcionacem os dez 10% para esse fim não teriamos tantas pessoas jogadas nas ruas

    • dizimo é bíblico,mas não é para igreja,foi especificamente para a nação de israel,dizimo nuca foi dinheiro,e sim mantimento, os lideres contemporâneos da um ensinamento falso sobre o dizimo que temos que pagar,isso é uma mentira grotesca,eu mostro na bíblia,se ler um versículo ensolado da nisso,o dizimo era lei cerimonial,essas leis JESUS aboliu,pagar dizimo é crucificar JESUS novamente……

    • MAS OBSERVE O CONTEXTO QUANDO ACONTECEU COM QUEM ACONTECEU. NESTE TRECHO DE MALAQUIAS FOI DITO PARA OS SACERDOTES DA EPOCA QUE ENRIQUECIAM COM OS DIZIMOS E OFERTAS E O POVO E O TEMPLO ESTAVAM ABANDONADOS E OS ORFANS E VIUVAS PADECENDO NECESSIDADES. TIRE AGORA SUAS CONCLUSOES E CERTO TRAZER PARA HOJE UM FATO HISTORICO PARA JUSTIFICAR COMBRANCA DE DIZIMOS E OFERTAS. SAIBA DIZIMO E OFERTAS TEM QUE SER VOLUNTARIO PORQUE DEUS AMA QUEM DAR COM ALEGRIA.

    • vc deve ser mais um desses pastores que gosta de crobrar dízimo né? Portanto depois que deus morreu na cruz a se foi todas as leis. E se formos levar em consideração deveriamos ter em conta, só vamos trabalhar nos sábados? não iremos carne de porco? Ora, vejamos se vcs ja não usam mais estas leis porq estão ligados nos velhos testamentos? temos que ficar atentos a chegada de Deus!

      • não,dizimo não é questao de obediencia a palavra de DEUS.dizimo não é para igreja,dizimo foi especificamente para a nação de israel.JESUS não ordenou ninguem a apagar dizimo.a ordença de JESUS foi anunciar as boas novas,e o amor ao proximo!!!

        • eu comcordo com algumas coisas mas discordo de outras.bom,eu acho q devemos sim contribuir para a obra de deus porque o pastor nao trabalha em outro emprego e devemos arcar com as finanças da igreja porque é para nós mesmos,mas nao acho que dêvamos levar ao pé da letra a respeito desses 10% porque devemos contribuir com o coraçao,ou seja se no seu coraçao você deve contribuir 10%,vc contribui mas se for para contribuir apenas 2% também nao emporta pq deus quer é o nosso coraçao.que deus continue abençoando e perdoem minha opinião se estiver errada

    • meus amados quando se trata de dizímo os pastores defendem muito bem, por quê insiste na mentira e não quem falar a verdade, pois dez por cento vai engordar o bolso deles.
      (pastores) sabem muito bem para quem jeremias estava exortando, se os senhores lerem o cap 2 de jeremias iram descobrir a causa pq o profeta estava indignado e quem roubava a Deus não era povo e sim os sacerdotes.
      então eles estão adaptando o texto para os tempos de hoje no entuito de enganar os cristãos.

    • quem não paga dizimo, não esta condenado nem esta roubando a DEUS, esse ensinamento é uma mentira grotesca! Dizimo foi exclusivamente para a nação de Israel, e dizimo nunca foi dinheiro, dizimo é comida e era para os levitas. Hoje os lideres ensina essas farsa. Porque se eles não pedirem dizimo ele não ficariam ricos!!estude bem BIBLIA sobre dizimo, que vão chegar a essa conclusão.

    • seu argumento e fraco.10 Já os que se apóiam na prática da Lei estão debaixo de maldição, pois está escrito: “Maldito todo aquele que não persiste em praticar todas as coisas escritas no livro da Lei” [11].
      11 É evidente que diante de Deus ninguém é justificado pela Lei, pois “o justo viverá pela fé” [12].
      12 A Lei não é baseada na fé; ao contrário, “quem praticar estas coisas, por elas viverá” [13].
      13 Cristo nos redimiu da maldição da Lei quando se tornou maldição em nosso lugar, pois está escrito: “Maldito todo aquele que for pendurado num madeiro”

    • tu precisa estudar a biblia!ninguem é obrigado a pagar dizimo,o patrao é obrigado a pagar nosso salario sim,a biblia diz que o trabalhador é digno do seu salario.para que, DEUS quer dinheiro?me responde!!dizimo nunca foi dinheiro,dizimo era mantimento(,ou seja comida)!!!e hoje esse lideres exploradores da fé alheia,fica manipulando essas pessoas que não estudam a biblia e se deixa ser manipulado.quem fica rica são os lideres religiosos,que na verdade são uns falsos profetas!!!!e lobos devoradores!!!!

    • ninguém é obrigado a apagar dizimo, o dizimo é bíblico mais não é para igreja. Dizimo foi especificamente para a nação de israel. Vocês leem a bíblia e não tem o devido entendimento, no vers. 9 de Malaquias, diz,…toda a nação…observe que esta no singular, para quem entende português, sabe o que significa, e dizimo nunca foi dinheiro, é literalmente comida, esses lideres de hoje foi que converteu em dinheiro, prove-me contrario.

    • Olá amados, bom dia!

      O dízimo é bíblico? Lógico que é!
      O sacrifício de animais é bíblico? Lógico que também é! E o apedrejar aqueles que adulteram? também é bíblico!

      Não me entendam mal, seus cabecinhas…

      A exortação em Malaquias nem sequer é para os crentes reunidos, e sim para os sacerdotes – aprendam a ler por favor! O dízimo é bíblico sim, mas nunca foi cristão.

      Alguns afirmam que o dízimo sempre existiu, até antes mesmo da lei, querendo justificar a permanência dele. Errado, mentira! O que existe desde o Éden é o sacrificar animais, e até nos Evangelhos o próprio Jesus Cristo ordena isso, essa prática: e porque os defensores do dízimo não ensinam isso?

      Simples: por que não é conveniente o povão saber das coisas! Deve ser também porque somos mesquinhos, e quando descobrimos que não há mais obrigações, deixamos de ajudar!

      Quem analisa um pouquinho como funcionava o dízimo a luz da Bíblia, percebe que há mandamentos até para se comprar (com o dinheiro do dízimo) bebida forte para beber dentro do templo, para se satisfazer todos os desejos do coração. Alguém fala isso dentro das “igrejas”? Lógico que não, isso é um absurdo, imagina: bebida forte! Tá louco irmão?

      Mas, o dízimo o povo faz questão de cobrar e ainda acusar de ladrão quem não paga? Tenha santa paciência irmãos, vamos olhar para Jesus!

      Eu fico só com Jesus, se eu tiver que cumprir toda a lei para ser salvo, estou perdido! E quem confia na prática da lei e deixa uma única ordenança de lado, também ta perdido.

      Que Deus tenha misericórdia da ignorância do povo, e também, que Ele converta os lobos que usam de artimanhas para explorar!

      Quer ser útil? Ajude quem realmente precisa, existe muita gente sofrendo necessidades nesse Brasilsão de meu Deus. Deixa de tolice, e de ficar dando carro e avião para quem não quer trabalhar!

      Paz queridos!

      • oi Ricardo,
        achei seu comentário interessante quando você disse ” Alguns afirmam que o dízimo sempre existiu, até antes mesmo da lei, querendo justificar a permanência dele. “, mas o dizimo ele existia bem antes da Lei e nós podemos ver isso em Gênese 14, 20 “E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo.”
        Me explica como fica esse versículo por favor.

    • Entendo que o Profeta Malaquias que falou que estávamos roubando nos Dízimos e não o próprio Deus. Nos Dez mandamento, realmente Deus apareceu para Moisés em fogo e voz, quando lhe passou os Mandamentos ou as Leis, também citadas por Jesus. Se formos pela fé, nas palavras de Malaquias, Deus também disse: Para que não falte comida em minha casa. Então pergunto: Onde é a casa de Deus? São apenas as Igrejas?

  2. Olá Leonardo, a paz do Senhor.

    A sua primeira questão: “o dízimo é da lei, os cristãos são obrigados a observarem a lei?” Sem dúvida alguma meu irmão, Romanos 3.20 diz: “…pois é mediante a lei que nos tornamos plenamente conscientes do pecado.” Se não fosse assim poderíamos fazer tudo o que os 10 mandamentos condenam como roubar, cobiçar e adulterar. Fomos chamados para sermos santos e santo significa ‘separado’, não separado ‘de lado’, mas separado ‘acima’. Acima dos padrões morais e espirituais deste mundo e para isso é indispensável a observância da Lei.
    Agora sua segunda questão: “A não realização da obra da lei pode impedir a salvação que é pela graça?” De maneira alguma, porque a salvação é pela graça, se tivermos que observar a lei para sermos salvos então estamos todos condenados! Leia Efésios capítulo 2. A lei, como eu disse, é para que nós possamos viver de acordo com os princípios/parâmetros de Deus, a nossa salvação vem pela fé, a fé em Cristo.
    Suas demais perguntas: “A citação de Malaquias 3.10 traz condenação para os cristãos que não pagam o dízimo?” Não, na verdade esta citação traz uma promessa para aqueles que DÃO o dízimo, olhe o versículo 10b e 11 de Malaquias capitulo 3: “…Ponham-me à prova, diz o Senhor dos Exércitos, e vejam se não vou abrir as comportas dos céus e derramar sobre vocês tantas bênçãos que nem terão onde guardá-las. Impedirei que pragas devorem suas colheitas, e as videiras nos campos não perderão o seu fruto, diz o Senhor dos Exércitos.” Olha só que maravilha! Se todos entendessem essa promessa ninguém deixaria de entregar o dízimo. Deus diz “Ponham-me à prova”, em outras palavras Deus está dizendo “Pague pra ver!” ou “Vamos ver se eu cumpro o que estou prometendo!”.
    “Quem não paga (o dízimo) está condenado, já que está roubando?” “Nesse caso a ordenança da lei pode trazer condenação a despeito da Graça de Deus?” Quem não ‘paga’ o dízimo NÃO vai para o inferno por causa disso, porque não somos salvos através de nossas obras, nossa salvação foi conquistada na morte e ressurreição de Cristo, à partir do momento que cremos nisso estamos salvos e uma vez salvo sempre salvo! Paulo diz: “…Nós, os que morremos para o pecado, como podemos continuar vivendo nele?” Romanos 6:2. Portanto quem não entrega seus dízimos e suas ofertas, está cometendo pecado sim e deve sair deste erro, Deus diz em Malaquias 3.9: “Vocês estão debaixo de grande maldição porque estão me roubando; a nação toda está me roubando.”
    Quem não dá o dízimo, além de estar sob maldição, está pecando e está deixando de receber maravilhosas bênçãos de Deus.

    • Caro Wesley, seu comentário demonstra uma parcialidade sem precedente, desculpe-me a franqueza, todavia tudo que é referente ao dízimo na Bíblia como “obrigação” refere-se apenas a Israel nação, pois vivia numa Teocracia. Não quero ser contrário ao dízimo, porém tudo que ofertares a Deus deve ser segundo o coração, sem constrangimento, o que vier além disso é utilizar textos para pretextos, pois Deus ama ao que dá com alegria; obrigação e inversamente proporcional a liberalidade (alegria, prazer), então com todo respeito, é mais prudente e HONESTO dizer que os irmãos tenham prazer em ofertar a Deus segundo o desejo do coração, independente de percentual, pois quem ama a Deus quer o bem da sua obra, obra essa que precisa “pagar suas contas”, aproveitando também é bom lembrar que o “crente fiel” não está restrido ao que devolve os dízimos e sim aquele que faz a vontade do pai celestial. Tudo que façamos para Deus não seja para engrandecimento próprio ou por obrigação.
      Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Efésios 2:8

    • hoje quem são os levitas para receber o dizimo?
      os pastores, que ganham para trabalhar na obra de Deus.
      pois Paulo disse que trabalhara dia e noite para que não fosse pesado a ninguem, fazendo suas tendas. por os pastores tem que ter salario?
      ele não esta fazendo nada para Deus esta trocando. se ele ja esta recebendo aqui na terra , entao ele não precisa ir pro ceu por que seu galardão já recebeu aqui.

    • Irmão…meu irmão…

      você se contradiz demais. Não dá pra entender, quando você diz que não vai pro inferno o que não dá o dízimo (por que a salvação é gratuita) e depois diz que é pecado e roubo não dar o dízimo…ou seja, quem faz isso vai sim pro inferno…e aí?

      Tem uma contradição: a Lei e a Graça tem diretrizes diferentes, ou vc obedece a Lei ou confia na Graça. Se vc for cumprir a Lei, tem cumpri-la por inteiro, não pode falhar em nada!!! Eu creio que Jesus já cumpriu toda Lei para me justificar.

      Até mais.

    • tu não entende de português?tu disse certo(,toda a nação)tu não percebeu que está no singular?esta se referindo a só uma nação,agora se estivesse assim(.todas as nações,) aí sim!!! poderia ser para nós!!!!

    • outro erro grotesco é que dizimo nunca foi dinheiro, tire suas conclusões quando Deus fala que vos abrirei as janelas dos céus e vos derramarem bênção, mas benção que Deus promente é abundantes chuvas para o povo ter uma colheita farta.

  3. Olha meu caro irmão, com base nos meu conhecimentos bíblicos, vou tentar te responder. Primeiramente, você não deve entregar seu dízimo como se estivesse “pagando” uma conta. Deus nos sustenta em todo momento e o dízimo é uma forma de demonstrarmos nossa gratidão pelas bênçãos que ELE nos dá. Quando você entrega o seu dízimo, você está ajudando a manter a casa de Deus (que você sabe que tem custos como aluguel, energia, água, etc..) e ainda mantém uma relação de agradecimento à Deus. Na minha opinião, o dízimo é da lei sim, mas da primeira aliança. Jesus ao morrer na cruz por nossos pecados estabeleceu a nova aliança, renovou o espírito em nós e agora não precisamos fazer qualquer sacrifício para que nossos pecados sejam redimidos. Jesus fez isso por nós. Então, não entregue seu dízimo como estivesse pagando algo. Uma das principais coisas que Deus olha ao receber sua oferta ou dízimo é se ela foi dada de coração. Uma oferta impura, entregue somente para desencargo de consciência Deus não recebe. Quando for entregá-lo, lembre-se de como Deus te manteve até agora, trazendo bênçãos e vitórias para sua vida. Ao dizimar, você repreende o devorador, que faz com que suas finanças sejam um fracasso e que seu salário nunca seja suficiente. Pense nisso! Não existe obrigatoriedade no novo testamento, porém quanto mais você dizimar, mais Deus abençoará sua vida. Espero ter te ajudado, irmão. Se tiver alguém que queira complementar ou corrigir, fique à vontade.

    • Olá Lizandro,

      Agradeço pela resposta feita em amor e sem julgamento condenatório. Mas gostaria de reforçar a pergunta: rouba a Deus quem não dá o dízimo? É condição para a salvação? Pois quem rouba não herdará o reino de Deus…Em resumo quero saber se é condição para salvação?

    • Caro Lizandro do vale seu comentário se não tem nem um texto Bíblico, opinião cada um tem a sua, o que nós interessa é o que as escrituras diz, opiniões pessoas não vale de nada. A natureza humana é terrena, o que nos interessa é a escrituras, se você estiver pagando dizimo como lei não tem entendimento nem um e está sendo enganado…

  4. Para os Cristãos nada é obrigatório, não existem leis, severas aparentemente, pois somos livres de agir em conformidade, com a nossa vontade, e Deus nãos nos obriga a nada. Tudo o que é feito por obrigação não tem valor para Deus. O Senhor Jesus disse : E se eu vos libertar serei verdadeiramente livre. Ele não estava a falar das coisas da terra, mas sim da Eternidade. Por isso quando levamos a nossa oferenda de Gratidão diante de Deus o devemos fazer, consentida-mente, e boa vontade, agradecendo-Lhe por tudo o que tem feito por nós. Da que seja preciso entender o sentido da oferenda de uma maneira clara. Mas em Malaquias é possível entender mais um pouco o sentido da oferenda, onde diz. Trazei os dízimos à casa do tesouro e fazei prova de mim. Por isso um cristão fiel, deve levar sempre o dizimo à casa de Deus. vitor.ina@hotmail.com

  5. Leonardo, na minha opinião não é pecado. Deus nos constrange a entregar nossas ofertas e dízimos em amor. Mesmo não sendo pecado, não quer dizer que não deve entregá-lo pois como eu disse acima, a casa de Deus precisa ser mantida e é com nossas ofertas que ela é sustentada. Com as bênçãos que Deus nos provê que podemos retribuir e ajudar na obra de Deus.

    • Não sei se é Deus que nos constrange…me parece mais que a igreja nos constrange a isso. Deus quer nossa fidelidade e não nosso dinheiro. Apesar de ser necessário que a igreja se mantenha, e é justo que ajudemos na questão financeira. O que ocorre é que as pregações ligadas ao dizimo, são sempre intimidadoras e condenatórias, como se estivéssemos debaixo da lei…

      na graça, a palavra nos diz: ninguém CONTRIBUA com constrangimento….

      contribuir é um ato voluntário, não compulsório. Nesse texto fala-se de ofertas, como todo o resto do NT. Não se fala em dízimo.

  6. Pra deixar claro,

    não sou contra o dízimo, mas contra sobre o que está sendo ministrado com relação a ele. Pelo que sei o dízimo foi instituído para sustendo dos levitas que não tinham parte nas terras, então não tinham como semear ou ter criações de gado por exemplo e para que eles fossem sustentados Deus instituiu o dízimo. O dízimo referia-se aos produtos da terra e não a dinheiro. Outro fator é que o texto em Malaquias refere-se a um contexto onde Israel desobedecia a lei, mas o que nós cristãos temos com a lei? Não estamos roubando a Deus, pois não estamos sob a lei de Moisés, mas estamos sob novo sacerdócio e sob a Graça de Deus. Caso contrário teríamos que observar o sábado, sermos circuncidados, etc.

    Hebreus 7:12 e 18 diz:
    Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei.
    Porque o precedente mandamento é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade

    Sem dúvida a igreja contemporânea sem os dízimos seria muito deficitária e poucas conseguiriam se sustentar. Esse é o ponto inicial desse questionamento, será que a questão dos dízimos está bem clara para os cristãos? Pois não é interessante a divulgação que o dízimo é voluntário, mas o que se prega é que sem ele vc rouba a Deus e as janelas dos céus estão fechadas pra vc que não entrega o dízimo.

    Gálatas 2:16 e 21 diz:
    Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.
    Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde.

    O que acho que o discurso é muito conveniente e vem a calhar com as necessidades da igreja atual (que em alguns casos precisa de altas receitas pra se manter grandes templos e luxos de seus dirigentes) e também dos fiéis (que correm atrás de prosperidade e que querem barganhar com Deus).
    Porém, temos que saber se isto não tem desvirtuado a visão da igreja com relação a liberalidade cristã. Vemos a cada dia casos de opressão sobre a igreja por homens que agem com torpe ganância, e que acaba por inverter os resultados: o dízimo que era para propagação do evangelho, acaba por tornar casos de escândalo e vergonha para os cristãos de verdade.

    Não falo contra o dízimo de forma alguma, mas sim como ele é pregado. Temos duas vertentes: ou o dízimo é “obrigatório” (pq para ser cristão não posso roubar a Deus), ou o dízimo é totalmente voluntário e pessoal, porque não sendo ordenança da lei, posso escolher fazê-lo como O-F-E-R-T-A DE FÉ e assim não pode-se fazer julgamento ou acepção sobre os que não dizimam.

    Se minha visão estiver muito incorreta, por favor me corrijam. E aproveitando se alguém tiver conhecimento de textos que estabeleçam o dízimo como parte integrante do cristianismo, pode me mandar os textos, no NT.

    Abraço e a Paz do Senhor.

  7. As pessoas tem confundido as coisas achando que pelo fato de estarmos na graça as coisas são mais fáceis do que a lei, mas a vdd é totalmente contrária.
    Por exemplo, na lei era dito olho por olho e dente por dente, na graça: se alguém te bater na face, ofereça-lhe o outro lado, na lei era mto mais fácil, DAR A OUTRA FACE, como Jesus ensinou é que é difícil. No dízimo Jesus disse: dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus, indo mais a fundo na Lei, era estipulado 10%, na graça (em ATOS) as pessoas repartiam TUDO o que que tinham uns com os outros, eles vendiam suas propriedades, e repartiam o dinheiro de acordo com a necessidade de cada um (ATOS 2.44-45). A graça te faz ir mto além daquilo q a lei poderia guiar, e este ALÉM, é em tds os pontos.
    O dízimo está intimamente ligado a idolatria ao dinheiro, o seu dizimo faz com q as portas da sua igreja continuem abertas para outras pessoas possam conhecer a msm vdd que vc um dia conheceu e possam ser salvas da condenação, e se vc não dizima, vc não está colaborando para que as portas estejam abertas aos necessitados e aflitos, negando assim socorro, e se vc se omite em relação a Palavra de Deus a um necessitado, a biblia te coloca na posição de réu de Juízo.
    Mts evangélicos falam mal da idolatria, mas acabam caindo na msm idolatria, a idolatria do dinheiro, observe o que Jó fala: Deus deu e Ele msm tomou, louvado seja o nome do Senhor!
    O dízimo além de td é um ato de fé, e sem fé é impossível agradar a Deus (Hebreus 11.6), o que tem mto dinheiro, faz do seu dinheiro seu deus, confia mais naquilo que seu dinheiro pode comprar e não manifesta a sua fé, se não manifesta a sua fé, não agrada a Deus.
    Existem mil desculpas, para não se dizimar, mas a principal e mais proclamada é a seguinte:
    – O q o pastor vai fazer com MEU dinheiro???? —
    A pessoa fala no dízimo como sendo dela, mts vezes dps de ter dizimado, e se esquecem de uma coisa bem simples: pq Dele, por Ele e para Ela SÃO TODAS AS COISAS, nós não temos nd neste mundo senão nossa alma, que ainda assim é para Ele (Jesus). Nós somos somente mordomos cuidando das coisas do dono verdadeiro (Jesus – que é DONO de TODO ouro e TODA a prata), o q achamos q temos, na vdd não é nosso é de Deus, qnd se retém algo q não te pertence, qualifica-se como roubo.
    Qnt a sua pergunta, devemos seguir o exemplo de Jesus qnd o msm foi indagado sobre os impostos romanos, Ele pegou a moeda e mostrou aos que Lhe indagavam: de quem está estampado o rosto na moeda, ao q tds responderam: de César, e Jesus retornou: dai a César o q é de César e a Deus o q é de Deus. Jesus não respondia as perguntas das pessoas, mas as fazia encontrar, da msm maneira foi com a mulher adultera qnd queriam apedrejála, Ele disse q quem não tem pecados q atire a primeira pedra. Jesus não quer marionetes não pensantes no Seu reino, Ele deixou pra nós um modelo de vida a se seguir, mas deu a cada um de nós o direito de questionar, e nos enviou o Espírito Santo para nos dirigir em td a vdd.
    Reflita em td e peça ao Espírito Santo para saciar a sua dúvida, Ele te conduzirá ao caminho correto.
    Deus te abençoe!!!!!!!!!!!!!!!

  8. Jamais veja o dizimo como obrigação, dizimo é gratidao a Deus, pois de Deus vem a nossa força, de Deus vem o nosso sustento, de Deus vem a porta aberta em tua vida, de Deus vem a tua boa vontade, dizimo naum é dar do teu dinheiro para Deus e sim é vc dar um pouco de si, pense naquele dia de culto q vc teve q trabalhar ate mais tarde e naum deu tempo de vc ir ao culto adorar a Deus (vc naum vai comprar a Deus c o teu dizimo, vc vai dar de bom grato a Deus), o dizimo tbem é uma forma de vc manter aberta as portas da igreja, porq vc vai ao culto, vc bebe agua, vc usufrui da energia eletrica da igreja (a igreja tem os teus gastos q quem esta na administração da igreja vai saber destes gastos), a biblia diz trazei o dizimo na casa do tesouro p q aja mantimento, se vc naum der o teu dizimo vai faltar mantimento na casa de Deus

    • e isso mesmo principalmente os 12 salarios minimos que o pastor da igreja recebe,para viver uma vida farta inquanto os presbiteros que estao no campo,ganham so um,enquanto a biblia ensina que o obreiro e digno do seu salario,e o dizimo que e dado,uns vivem regalias,enquantos,outros quase passam nessecidades,(obreiros)e as viuvas e os orfaos a deus dara.,misericordia quero e nao sacrificio,

  9. Paz do Senhor irmãos , eu gostaria aqui de parabenizar a todos . o que fez a pergunta e aos irmãos que responderam, todas as respostas foram interessantes , e , mostra como o povo de
    Deus está afinado com a palavra de Deus , é muito proveitoso e sadio ver essa questão ser debatida , quero aqui dizer que estou muito feliz com os irmãos , que Deus abençoe a cada um e que a Paz do Senhor esteja sempre em seus corações, amém .

  10. Meus queridos irmãos o Mestre Jesus Cristo disse uma vez em Mateus 22:21 “…Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.”
    Aqui no Sul nós dizemos que as pessoas que não moram em terrenos próprios em terrenos invadidos – são moradores de “áreas verdes”, infelizmente em minha igreja: Assembléia de Deus – 90% dos irmãos moram em “áreas verdes” ou seja não pagam o IPTU.Desta forma acredito eu que o verdadeiro crente paga seus impostos, não tem o nome no SERASA, SPC, não faz gato de energia, água, net,… Tem que ser um exemplo de cidadão, e os PASTORES também tem que fazer a declaração do Imposto de Renda. A propósito onde diz na Bíblia que do dízimo tem que ter um valor fixo para o salário do pastor, ele não pode trabalhar fora????E Cristão que trabalha vendendo produtos do Paraguai, mil vezes melhor do que roubar é claro, mas os impostos?? Os dizimistas fiéis podem atirar pedras com telhado de vidro????
    Jesus Cristo é o único dono da verdade, nós apenas tentamos debater e entender. Que Deus abençoe a todos em nome de Jesus!!!!!!!

  11. Amado, dizimo era só pra AT? Deixa eu te mostrar uma passagem no novo então.

    “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas.(Mt 23.23)”

    Jesus chama os farizeus de hipócritas pq dão o dizimo, mas esquecem de praticar o juizo, a misericórdia e a fé, então o que JEsus diz depois? que eles devem fazer estas coisas ( o juizo, a misericórdia e a fé), sem omitir as outras ( que era dizimar).
    Ai vc pode dizer: mas isso era para os fariseus! Como eu sei que vai dizer. Mas veja o que Jesus diz em Mt 5.20 “Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.” Sabe o que é isso meu irmão, os farizeus eram zelosos pela lei, e Jesus diz que se o que vc fizer não for maior (exceder) do que o que os farizeus fizeram , de modo nenhum entrareis no reino. Jesus não esta falando de barganha, ele está falando de gratidão, s vc reconheçe o tamanho do ato de Jesus na cruz vc ofertaria, dizimaria, e daria primicias, com o coração alegre. Por outro lado se alguém não faz isso, é pq não tem Jesus como Senhor! Essa pessoa é igual o jovem rico, que depositou sua confinça nos bens que possuia, e assi seu Deus é Mamóm (o dinheiro).
    Agora se a desculpa é de que a igreja está roubando ( a liderança), isso é ela e Deus, o Senhor olhará para os seu gesto e as bençãos cairam sobre sua vida, ou então procure uma igreja séria, para dizimar, uma que invista em missões e trabalhos socias, ainda acredito que existam igrejas honestas.
    Quem tem Jesus como Senhor não tem essa questão como um assunto polêmico, mas como uma oportunidade de Glorificar a Deus
    Graça e paz a todos!

    • Olá Alex,

      olha só, não tenho a intenção de dissuadir ninguém da sua fé com relação ao dízimo, mas vamos contextualizar o texto que vc citou: Jesus disse em outra passagem que não viria revogar a lei, mas cumpri-la por inteira, certo? Jesus era judeu e veio para os judeus, e nesse texto falava para judeus. É natural que ele citasse isso como obrigatório (eles estavam na lei), mas se vc parar pra perceber Jesus dá o enfoque, no juizo, a misericórdia e a fé, como vc citou, e não no dízimo. Jesus queria mostrar que o fundamento da lei era isso, e não ser mecânico e cumprir só aquilo que é mandado.

      Esse texto não dá embasamento para que os cristãos, tirem 10% do seus salários como mandamento da lei.

      1º Não estamos debaixo da lei.
      2º O dízimo era do que se produzia na terra, para um fim específico (sustentar os que não haviam recebido terras por herança, e assim, não podiam produzir por si só).
      3º Se formos cumprir um pedaço da lei temos que cumpri-la toda.
      4º As cartas às igrejas tratam praticamente de tudo que se relacionadas a vida do cristão, inclusive a área financeira. Só fala-se em oferta, nunca em dízimo!
      5º Oferta é voluntária, porém o dízimo é compulsório (pra quem está na lei). O que vamos obedecer, a lei ou a graça?
      6º Se eu não cumprir uma virgula da lei já estou condenado. Então poderei perder a salvação se não dizimar? Não, de maneira nenhuma. A graça ensina que a salvação é gratuita, dom de Deus, não por obras pra que ninguém se glorie.
      7º O dízimo não é mencionado como sendo obrigatório aos cristãos, mas diz que os cristãos que tinham posses vendiam TUDO quanto tinham e repartiam entre os necessitados. Então para os cristãos não basta dar 10% tem que ser 100%

      Fica a lição: se quiser se justificar por causa dos 10%, saiba que é pouco. Deus quer o seu 100%, não do seu dinheiro, mas de VOCÊ!!!

      Graça e paz!!!

      • Parabéns..finalmente alguém que entendeu as palavras de DEUS…dizimo foi até Malaquias e depois disso..só vale a oferta de coração..se for da carne de nada adianta…..E DEUS não fica devendo pro homem não…devolve tudo dez vezes mais…

    • Me desculpe por discordar, mas a Bíblia também condena o pecado de omissão. Se vc dá o dízimo deve fiscalizar a sua utilização – a igrejá é uma associação sob o enfoque jurídico e, portanto, o membro possui as ferramentas para possibilitar o acompanhamento. Se o líder passa a mão no dinheiro ou faz mal uso, o membro deve se manifestar em prol da obra, afinal, deve ser um soldado e não um covarde! Jesus, ao chegar no templo e verificar a comercialização em seu entorno, lutou corajosamente, inclusive, retirando os objetos. Portanto, se vc é conivente com o roubo, ou omisso, é tão errado quanto aquele que comete o ilícito ou desvio, inclusive, para patrocínio de campanhas políticas e favorecimentos de parentes, com prejuízo à obra.

  12. Bom, paz amados, primeiro Quem prova ou mostra apenas UM versiculo na biblia, associando DIZIMO ao dinheiro? Dizimo na biblia ” nunca” foi dinheiro como dizem… você pode ofertar um valor para ajudar a igreja pois paga aguá luz etc. Mas não existe um versiculo na biblia, falando que temos que dar 10% do nosso salario. Não é obrigatório e não está na biblia. Paz amado.

    • Concordo. Creio que isso surgiu de Roma, que não gosta nada nada de R$ e adaptou o termo do dízimo para a igreja cristã. Pois biblicamente não se tem base para tal afirmação.

      Posso dar 10% do que ganho como oferta, por fé e gratidão. Mas não posso ser julgado como infiel se não quiser fazê-lo…o dízimo não é obrigatório.

  13. Temos que pagar para receber bençãos?
    As pessoas religiosas, hoje em dia, ouvem muita coisa a respeito do dízimo. Os pregadores, freqüentemente, citam Malaquias 3:10 para encher os cofres de suas igrejas. Nesta passagem, o profeta de Deus disse:
    ” Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes.”
    Que texto de pregação poderoso! Mandamento de Deus. Obrigação clara. Teste de fidelidade. Garantia de bênção. Não é surpresa que esta seja uma passagem favorita de muitos pregadores modernos.
    Mas estariam estes pregadores tratando corretamente a palavra de Deus (veja 2 Timóteo 2:15)? Deus exige nossos dízimos hoje em dia? Ele está prometendo bênçãos materiais abundantes em retribuição? Examinemos estas questões de acordo com a Bíblia para determinar o que Deus realmente quer (veja Atos 17:11).

    • Pois é, essa é a questão. Não se trata de ser rebeldes nem questionadores demais, mas sim de avaliarmos as escrituras sobre esse assunto para examiná-lo com imparcialidade. O fato é que, biblicamente não é possível afirmar que é um dever dos cristãos entregar, dar ou devolver o dízimo. O NT está repleto de assuntos que tratam de finanças e nenhum fala em dízimo para os cristãos…é pra pensar….

  14. Nesse feriado 02/11 tive um dia livre e convidei o meu pastor pra gente conversar sobre a questão do dízimo e sobre o que ele havia dito: “tem pessoas que brincam de ser crentes e estão perdendo tempo na igreja” (porque não devolvem o dízimo).

    Argumentei que não entendia assim, pq a salvação conquistada por Jesus não poderia ser anulada por isso. Falei também que não estamos sob a Lei mosaica e que NT não há nenhum mandamento quanto ao dízimo, mas sim qto às ofertas. A resposta foi que eu estava arrumando uma desculpa pra não dizimar e que iriamos estudar sobre esse assunto depois…

    Vamos ver o que vem por ai…

    Só lembrando que nunca disse que não quero e não vou dar o dízimo. Só acho que essa é uma questão de fé e propósito e não de obrigação ou lei. Acredito que o dízimo é na verdade uma OFERTA voluntária e por amor.

    Textos para meditação:

    Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria. (2Co 9.7)

    Vocês, que procuram ser justificados pela lei, separaram-se de Cristo; caíram da graça. (Gálatas 5:4-5)

  15. A paz do Senhor Jesus a todos!
    Não existem hoje no meio cristão ninguém com autoridade da parte de Deus para tomar os dízimos de seus irmãos, pois na carta aos Hebreus cap. 7 vers 5, somente os levitas tinham ordem segundo a Lei para tomar os dízimos de seus irmãos. E pelo que consta a maioria dos pastores nasceram aqui no Brasil e não são pertencentes à tribo de Levi. O dízimo segundo aos Hebreus cap. 7 vers 9, teve inicio em Abraão e foi até Levi, ou seja, Abrão foi o primeiro a dar e os levitas foram os últimos com autoridade para receber, diante disso, se cumpre o verso 18 – Porque o precedente mandamento é abrogado, por causa da sua fraqueza e inutilidade. Antes que eu me esqueça, existem igrejas que não dependem do dízimo para sobreviver (CCB, TJ, etc.) onde não se aplica o dízimo e possui um grande ministério (pastores), seus membros constroem igrejas e ainda possuem orquestra grandiosa, com uma diferença ninguém lá possuem mansão, jatinhos, fazendas, carros importados, etc… Com dinheiro de dízimo, trízimos, etc…

  16. se vou cumprir a lei vou fazer direito, dar dizimo,mandar matar meu filho,meu marido tem q ter outra mulher, a mulher nao pode ir a igreja naqueles dias por estar imunda,vou guarda o sabado,etc… bom se vivo pela lei vamos cumprir toda se nao vou estar debaixo de condenaçao,se oferto no templo o faço por vontade propria voluntariamente ,por amor nao por obrigaçao .vamos refletir mais sobre lei,e graça favor imerecido de jesus por nos.deus abençoe.

  17. Tenho argumento DE QUE O DÍZIMO NÃO É OBRIGATÓRIO, porém, continua na graça, nova aliança, de acordo com a ordem de Melquesedeque, segundo o novo testamento,conforme entendimento dado pelo espírito Santo.
    Prestem atenção, segundo Genese 14 Abraão deu o dízimo a Melquisedeque, voluntariamente.Nesse contexto, verifiquemos bem o que diz Hebreus 7:2, 7:11 e 7:21:
    A quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz;
    Hebreus 7:2
    “outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?Hebreus 7:11”
    Mas este com juramento por aquele que lhe disse: Jurou o Senhor, e não se arrependerá; Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque), Hebreus 7:21.
    Ora meus caros, se Abrão dizimou a Melquedeseque e segundo Hebreus 7:21 o sacerdócio de Cristo é eterno, segundo a ordem de Melquisedeque, sem dúvida o dízimo continua, não de forma obrigatória, mas necessária para que a palavra de Deus, o Reino de Cristo seja anuciado ao mundo.
    Portanto, o dízimo continua, com Melquideseque, não obrigatório, mas necessário e isso fica provado com a doação de Abraão. Sendo para áqueles que vive na graça, na nova aliança, filhos de Abrão segundo Cristo Jesus(sacerdócio eterno)necessário seguir o exemplo do Pai Abrão, doando 10% de tudo que ganha para a obra do reino de Cristo. O exemplo de Abraão em Hebreus 7:2, serve para demonstrar que na lei nova, Segundo a ordem de Melquisedeque, o dízimo continua. A lei antiga foi ab-rogada, no entanto, existe um novo dízimo, aceito por Melquisedeque. Ora se na nova ordem, na nova aliançã não era para haver dízimo, Melquesedeque recusaria o dízimo dado por Abrão. Todavia, Mequesedeque aceitou o Dizimo e abençou Abrão, sendo Cristo levantado segundo a ordem de Melquisedeque, abençoa todos aqueles de doam o dízimo para o Melquesedeque eterno, nosso Senhor Jesus Cristo.
    Lembrem-se :Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento, e não comeceis a dizer em vós mesmos: Temos Abraão por pai; porque eu vos digo que até destas pedras pode Deus suscitar filhos a Abraão. Lucas 3:8 .
    Enfim, o Dízimo continua na Nova aliança, Melquesedeque aceitou o dízimo de Abraão e aceitará o nosso que somos filhos de Abrão, a nação escolhida.
    Meus caros irmãos, se vocês se consideram filhos de Abraão e seguem o novo Sacerdócio segundo a ordem de Melquesedeque, Jesus Cristo, passem a dizimar sem medo, o dízimo continua, todavia, deve ser dado de forma voluntária, com amor. Se você acredita que o dízimo é mentira de 2000 anos, possivelmente, você não acredita no novo sacerdócio segundo a ordem de Melquesedeque, em jesus Cristo.Lembre-se, Melquesedeque aceitou o dízimo e abençôo Abraão. O sacerdócio de Jesus, que vem da ordem de Melquesedeque, aceita seu dízimo e te abençoará. Portanto, comecem a pensar diferente, o dízimo continua. Leiam Genésis 14 e Galatas 7, conhecerão a verdade. Todavia, os pastores não devem ficarem ricos com o dinheiro dos fiéis, quem faz isso rouba a DEUS, têm dois senhores, Deus de Abraaõ e deus chamado din heiro(obra de satanás). propsperidade sim, porém amor somente para Cristo. Não amem .o dinheiro, não construam tesouros na terra. Façam o Bem para com todos, contribua com a obra de cristo, cabeça da igreja, com os 10%, conforme Abraão com Melquesedeque e, atualmente o Melquesedeque chama-se Cristo, aquele que tem o sacerdócio eterno, galatas 7.

    • Tenho argumento DE QUE O DÍZIMO NÃO É OBRIGATÓRIO, porém, continua na graça, nova aliança, de acordo com a ordem de Melquesedeque, segundo o novo testamento,conforme entendimento dado pelo espírito Santo.
      Prestem atenção, segundo Genese 14 Abraão deu o dízimo a Melquisedeque, voluntariamente.Nesse contexto, verifiquemos bem o que diz Hebreus 7:2, 7:11 e 7:21:
      A quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz;
      Hebreus 7:2
      “outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?Hebreus 7:11”
      Mas este com juramento por aquele que lhe disse: Jurou o Senhor, e não se arrependerá; Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque), Hebreus 7:21.
      Ora meus caros, se Abraão dizimou a Melquedeseque e segundo Hebreus 7:21 o sacerdócio de Cristo é eterno, segundo a ordem de Melquisedeque, sem dúvida o dízimo continua, não de forma obrigatória, mas necessária para que a palavra de Deus, o Reino de Cristo seja anuciado ao mundo.
      Portanto, o dízimo continua, com Melquideseque, não obrigatório, mas necessário e isso fica provado com a doação de Abraão. Sendo para áqueles que vive na graça, na nova aliança, filhos de Abraão segundo Cristo Jesus(sacerdócio eterno)necessário seguir o exemplo do Pai Abrão, doando 10% de tudo que ganha para a obra do reino de Cristo. O exemplo de Abraão em Hebreus 7:2, serve para demonstrar que na lei nova, Segundo a ordem de Melquisedeque, o dízimo continua. A lei antiga foi ab-rogada, no entanto, existe um novo dízimo, aceito por Melquisedeque. Ora se na nova ordem, na nova aliança não era para haver dízimo, Melquesedeque recusaria o dízimo dado por Abrão. Todavia, Mequesedeque aceitou o Dizimo e abençõo Abraão, sendo Cristo levantado segundo a ordem de Melquisedeque, abençoa todos aqueles de doam o dízimo para o Melquesedeque eterno, nosso Senhor Jesus Cristo.
      Lembrem-se produzi, pois, frutos dignos de arrependimento, e não comeceis a dizer em vós mesmos: Temos Abraão por pai; porque eu vos digo que até destas pedras pode Deus suscitar filhos a Abraão. Lucas 3:8 .
      Enfim, o Dízimo continua na Nova aliança, Melquesedeque aceitou o dízimo de Abraão e aceitará o nosso que somos filhos de Abraão, a nação escolhida.
      Meus caros irmãos, se vocês se consideram filhos de Abraão e seguem o novo Sacerdócio segundo a ordem de Melquesedeque, Jesus Cristo, passem a dizimar sem medo, o dízimo continua, todavia, deve ser dado de forma voluntária, com amor. Se você acredita que o dízimo é mentira de 2000 anos, possivelmente, você não acredita no novo sacerdócio segundo a ordem de Melquesedeque, em jesus Cristo.Lembre-se, Melquesedeque aceitou o dízimo e abençôo Abraão. O sacerdócio de Jesus, que vem da ordem de Melquesedeque, aceita seu dízimo e te abençoará. Portanto, comecem a pensar diferente, o dízimo continua. Leiam Genésis 14 e HEBREUS 7, conhecerão a verdade. Todavia, os pastores não devem ficarem ricos com o dinheiro dos fiéis, quem faz isso rouba a DEUS, têm dois senhores, Deus de Abraaõ e deus chamado din heiro(obra de satanás). propsperidade sim, porém amor somente para Cristo. Não amem .o dinheiro, não construam tesouros na terra. Façam o Bem para com todos, contribua com a obra de cristo, cabeça da igreja, com os 10%, conforme Abraão com Melquesedeque e, atualmente o Melquesedeque chama-se Cristo, aquele que tem o sacerdócio eterno, HEBREUS 7.

  18. nós não estamos pagando dizimos quando levamos os dizimos a casa do tesouro,devolver o que de Deus e biblico porque está escrito na biblia
    por ísso devomos dar a Cesa o que de Cesa,e a Deus oque e de Deus,
    os dizimos e para mantimento da obra de Deus,e é mandamento de Deus.
    mal.cap3.

  19. Malaquias fala: “Nos dízimos e nas ofertas” esta no plural, e ai , então quer dizer que todos estamos roubando a Deus porque só pagam o dízimo do salário, e o resto? ele disse:”dizimos”. No Novo Testamento encontamos a igreja repartindo entre si suas propriedades de cordo com a necessidade, veja também: “Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.” (2Cor 9:7). 1 Coríntios 16:1-2: 1: Ora, quanto à coleta que se faz para os santos, fazei vós também o mesmo que ordenei às igrejas da Galácia. 2: No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade. Paulo diz: conforme a sua prosperidade, conforme o que tem recebido, sem estipular valor que tem mais, de mais , e assim vai. O problema é que é muito fácil estipular um valor, pois hoje muitos dos que se dizem cristãos vivem no luxo, enquanto outros passam miséria, Deus que nos guarde

  20. Esta reposta vai para MARTINHO CIRIACO DE MATOS :

    DÍZIMO, A GRAXA (NÃO GRAÇA) QUE FAZ A ENGRENAGEM DA “RELIGIÃO” FUNCIONAR.

    Eu só gostaria de entender, o por que nenhum “grande teólogo”ou “líder religioso”se levanta contra esta grande farsa.

    Propagada pela “igreja” chamado dízimo,porque será???

    Vamos então responder algumas perguntas que insistem em não se calar:

    1-O Dízimo é Bíblico???

    R:Sim é lógico que ele é Bíblico,pois ele esta na Bíblia.

    2-O Dízimo é para a igreja?

    R: Não,pois a igreja pertence a dispensação da GRAÇA, não a dispensação da lei.

    3-Mas o dízimo não foi instituído antes da lei? Por isto ele permanece após a lei?

    R: Não!, pois existem mais de 300 preceitos que já existiam antes da lei,que foram sancionados pela lei dada a Moisés, e que perduraram até Cristo,mas o único preceito da lei que permaneceu foi o dízimo; por que será?

    Exemplos: sacrifícios de animais, circuncisão, guarda do sábado, primogenitura (só para citar alguns mais conhecidos) que foram abolidos pelo Cristianismo.

    Vamos então analisar este assunto aos olhos da graça,vamos deixar o velho testamento para traz e seguir adiante para quem que a lei e os profetas apontavam Cristo.

    E a revelação de Deus ao homem na pessoa de Jesus só nos é apresentada no novo testamento.

    E baseando-se nesta parte das Escrituras e que vamos examinar o dízimo dentro da dispensação da Graça.

    Em todo o novo testamento o dízimo só aparecem 4(quatro) vezes,isto mesmo,não se assuste,imaginar um assunto que é pregado com tanta ênfase dentro das instituições religiosas

    Ser tão pouco destacado por aqueles que escreveram as Sagradas Escrituras (pois sabemos que o autor é o Espírito Santo).

    A primeira passagem que se encontra no novo testamento esta em Mateus 23:23.

    “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e tendes negligenciado os preceitos mais o mais importante da lei, a justiça, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas”.

    Este texto se repete em Lucas 11:42, só que ali Lucas enfatiza que eles (os fariseus) desprezavam a justiça e o amor de Deus..

    O texto é bem claro em Mateus, Jesus diz que o dízimo é um preceito da lei.

    Em Lucas, ele diz que os fariseus desprezavam a justiça é o amor de Deus.

    Pois o dízimo não faz que uma pessoa seja mais justa ou mais merecedora do amor de Deus.

    Lembrando que Jesus estava dirigindo estas palavras aos Judeus legalistas que viviam debaixo da dispensação da lei.

    Como o próprio Jesus (como Judeu) estava ainda debaixo da dispensação da lei: “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir.” (Mateus 5 : 17)

    O fim da lei só se consumou com a morte de Cristo na cruz,quando o véu do santíssimo lugar foi rasgado de cima a baixo,dando livre acesso a todo aquele que crê.

    Como nos explica o autor do livro de Hebreus: Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.(Hebreus 4:16).

    “Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê.” (Romanos 10 : 4).

    A terceira vez que o dízimo é citado no novo testamento se encontra em uma parábola de Jesus em Lucas 18:12, a parábola do fariseu e o publicano, preste muita atenção neste texto:

    E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros:

    Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano.

    O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano.

    Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo.

    O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!

    Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.

    Aqui a ênfase era na hipocrisia da auto-justificação, pessoas que se acham merecedoras das bênçãos de Deus, simplesmente por que cumpriram algum tipo de ritual religioso, devemos sempre lembrar que não somos merecedores de nada, somente do fogo do inferno, que tudo até mesmo nossa salvação e fruto da graça e do amor de Deus.

    Eu sempre percebi que esta atitude de “pagar”o dizimo esta associada a algum tipo de troca,a pessoa entrega sua “oferta”e depois Deus fica “obrigado” de abençoá-la.

    Deus deixa isto bem claro na passagem mais citada pelos “cristãos” João 3:16: Pois Deus AMOU o mundo de tal maneira,que DEU,seu filho unigênito,para que todo que nele crê,não pereça,mas tenha a vida eterna.

    Deus nos DEU JESUS, não vendeu ou alugou ou emprestou,Mas DEU.

    Em Romanos 8:32, a palavra é bem mais enfática: Aquele que não poupou seu próprio filho,antes,por nós o entregou,não nos dará graciosamente com Ele todas as coisas que necessitamos.

    Uma pergunta que sempre faço, como se deve algo a Deus,sendo que Cristo já pagou toda nossa dívida na cruz do calvário?

    Ou vocês não conhecem Colossenses 2:14: Tendo cancelado o escrito de dívida que era contra nós e que constava de ordenanças,o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, cravando-a na cruz.

    Jesus não pagou 90% das nossas dívidas, para que você continue pagando os outros 10% pelo resto de sua vida,Ele pagou foi 100% de nossas dívidas para com Deus.

    Agora o texto que os tantos de defensores do dízimo,usam para avalizar seus argumentos,é o mesmo que usarei para colocar uma pá de cal uma vez por todas nesta mentira.

    A quarta passagem Bíblica sobre o dízimo se encontra em Hebreus capitulo 7:

    1 PORQUE este Melquisedeque, que era rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou;

    2 A quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz;

    3 Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre.

    4 Considerai, pois, quão grande era este, a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos dos despojos.

    5 E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão.

    6 Mas aquele, cuja genealogia não é contada entre eles, tomou dízimos de Abraão, e abençoou o que tinha as promessas.

    7 Ora, sem contradição alguma, o menor é abençoado pelo maior.

    8 E aqui certamente tomam dízimos homens que morrem; ali, porém, aquele de quem se testifica que vive.

    9 E, por assim dizer, por meio de Abraão, até Levi, que recebe dízimos, pagou dízimos.

    10 Porque ainda ele estava nos lombos de seu pai quando Melquisedeque lhe saiu ao encontro.

    11 De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?

    12 Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei.

    13 Porque aquele de quem estas coisas se dizem pertence a outra tribo, da qual ninguém serviu ao altar,

    14 Visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, e concernente a essa tribo nunca Moisés falou de sacerdócio.

    15 E muito mais manifesto é ainda, se à semelhança de Melquisedeque se levantar outro sacerdote,

    16 Que não foi feito segundo a lei do mandamento carnal, mas segundo a virtude da vida incorruptível.

    17 Porque dele assim se testifica: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque.

    18 Porque o precedente mandamento é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade

    19 (Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou) e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus.

    20 E visto como não é sem prestar juramento (porque certamente aqueles, sem juramento, foram feitos sacerdotes,

    21 Mas este com juramento por aquele que lhe disse: Jurou o Senhor, e não se arrependerá; Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque),

    22 De tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador.

    23 E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque pela morte foram impedidos de permanecer,

    24 Mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo.

    25 Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.

    26 Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus;

    27 Que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo.

    28 Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens fracos, mas a palavra do juramento, que veio depois da lei, constitui ao Filho, perfeito para sempre.

    Aqui se trata de uma analogia entre o sacerdócio de Jesus e o de Melquisedeque, não de cobrança de dízimo,que alias e deixado bem claro no texto que o mesmo(dízimo) era um atributo da lei,que foi ab-rogada pelo sacerdócio eterno de Cristo.

    Infelizmente percebo que hoje, a “ igreja” tem anulado a GRAÇA de Cristo e,a maioria tem se transformado em uma cópia carbono (e bem mau feita) do Judaísmo;

    Cada uma tem seu TEMPLO, seus sacerdotes (ou sumo-sacerdotes, os “apóstolos modernos”)e seus rituais e sacrifícios(dízimos e ofertas).a serem cumpridos.

    Mais o que acho mais irônico, é o fato da igreja propagar aos quatros cantos da terra,que,Deus ama o pecador,a prostituta,o homossexual ,o ladrão etc..

    Mas quando o “perdido” passa a ser “achado”,quando ele é liberto do império das trevas e transportado para o reino do Filho de Deus.

    Ele deixa de ser amado, e tem quem lutar para ser merecedor deste amor,e pior ainda corre o risco de ser amaldiçoado,por “aquele”a quem lhe disseram que o amava;

    Caso não pague o dízimo.

    O pecador passa de escravo de um sistema para ser escravo de outro sistema.

    GRAÇA significa: favor imerecido, dádiva,benevolência,presente.etc..etc…

    GRAÇA é quando Deus nos dá aquilo que não merecíamos receber, misericórdia é quando Deus não nos da o que merecíamos receber.

    Só um aviso àqueles que tem anulado a graça de Cristo sobre as vidas de outras pessoas:

    Gálatas 1:

    6 Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho;

    7 O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo.

    8 Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.

    9 Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.

    E despeço com o versículo 10 do capitulo 1 de Gálatas.

    Porventura, persuado eu, agora, a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo.

    Como a Igreja verdadeira vai subsistir?

    R: Com as ofertas de amor e alegria,de um coração cheio de GRAÇA,de irmãos dirigidos pelo Espírito Santo.

    Alexandre Barbado.

    Obs: para um maior entendimento sobre o assunto leiam

    O engano cavalgando a verdade: Venefredo Barbosa Vilar

    Dizimo e Graça: Antonio Vergílio Vicente

    Dízimo, a galinha dos ovos de ouro da igreja,a mentira contada ha 2000 anos.

  21. Tudo bem que a igreja deve ser mantida,pagando àgua e luz, inadimissível é ver que as igrejas a maioria ou quase todas não trabalham com as obras sociais, ajudando os pobres, os necessitados , os mendigos,ler mateus 25. Os pastores deveriam transformar todo o dinheiro em recursos financeiros para ajudar a si próprioe os mais carentes das igrejas, pedem dízimos, vão ficando mais ricos, avarentos, gananciosos, enquanto existem alguns írmãos nas igrejas necessitados que não recebem nem mesmo uma cesta básica, o dízimo no antigo testamento estava relacionado a dizimar o melhor da produção agrária,e não dinheiro, como paulo disse que o dinheiro é a raíz de todos os males e muitos estão se desviando por causadesta cobiça,pailo disse que devemos contribuir segundo propõs no nosso coração e não dizer que somos obrigados a dar o dízimo e sermos condenados.Ofertar sim relacona-se com dinheiro1ª corintios 16, aoferta da viúva, atos 5, tudo era vendido para ajudar os necessitados, conheço pastores que ganham 20000 mil reais, casa alugada pelo ministério, carro com gasolina, filhos estudando em melhores escolas e esposas ganhando salários,pastores presidentes ganhando 40000mil e esposa 20000mil, absurdo,tudo com os dízimos da igreja.Roubo para alimentar a vaidade e a ganancia.

  22. Adilson vc tirou as palavras da minha boca, eu não saio da ninha casa para ouvir um homem que cobra para pregar na igreja, conheço uma Igreja cujos pregadores trabalham para seu sustento, não se paga dizimo e eu sinto a presença de Deus naquele lugar!!!
    CUIDADO com os mercadores de almas pois com palavras lisongeiras enganam o coraçao dos simplices.

  23. Primeiro não se da o dizimo , se devolve , por que como se da aquilo que não e seu ,e toda vez que vc devolver o dizimo e ofertar a casa de Deus faça a sua parte com Deus , não fique imaginando coisas, pois quem vai responder pelo ato de ter feito ou não feito e o responsável pela igreja , faça a sua parte com Deus já que é tão dificil discutir ou avaliar esta questão por que o homem gosta de arrumar isso ou aquilo para ficar dando alfinetadas nos que realmente segue as escrituras não de ouvidos e nem se preocupe pois em Malaquias 3 . 10-12 Deus disse trazei todos os dízimos a casa do tesouro e depois fazei prova de mim,diz o senhor dos Exércitos, e também só ele pode reprender o devorador. se voce tem fé e acredita , então deixa de lado , pois se Deus é quem falou , que homem é que pode negar ou criticar , pois é com Deus que precisamos estar bem.faça prova dele e vera o resultado , ate voçe que não fez so critica faça prova de Deus, depois envie seu testemunho , mas faça com sabedoria da obediência , e não por testar a Deus por arrogancia.

    • Caro irmão Eduardo,

      O negócio é: “cada um contribua conforme a suas posses e conforme propôs em seu coração, com alegria e não por CONSTRANGIMENTO, por que Deus ama quem dá com alegria”. Porque todas as nossas dívidas foram pagas por Jesus e Nele se cumpriu toda lei, para que eu e você estivéssemos totalmente justificados diante da Lei.

      Se você dá ou devolve os dízimos, com fé e amor, sem barganhar com Deus, e vê o seu Dízimo sendo utilizado de forma correta pela sua igreja, como socorrer os aflitos e necessitados, as viúvas, os órfãos, os encarcerados, os doentes e enfermos, (se é que isso acontece na sua igreja) então acho que você deve continuar contribuindo com 10, 20, 30% do seu salário, o quanto você quiser. Mas se isso não acontece, procure saber o salário do seu pastor, onde está sendo aplicado o dinheiro, quem administra esse dinheiro.

      a questão colocada é: Temos a obrigação de trazer o dízimo como diz em Ml.3? Porque isso é parte da Lei e não da Graça. Se a igreja “adaptou” o dízimo para o período da Graça, onde achamos isso na bíblia? Não está descrito no NT esse mandamento, nem orientação que assinale isso. A igreja de Roma aderiu esse procedimento por ser lucrativo (sem falar da indulgências e outras aberrações para arrancar bens e R$ do povo), e a igreja cristã abraçou isso como verdade, sendo que no início o propósito do dízimo era bom (evangelizar, alcançar vidas para Deus, etc.), mas hoje serve para dar luxos aos pastores (que chegam a receber 10, 15, 20 mil Reais ou mais, nas igrejas grandes), um absurdo, enquanto que pessoas passam necessidades físicas e até espirituais e não são socorridas na maioria das vezes.

      Espero que você tenha entendido meu ponto de vista, um abraço!

      • È eu não sei o quanto o meu pastor ganha, e nem me interessa por que eu haveria de perguntar quanto o meu pastor , sera que é justo devolver om dizimo e depois perguntar a ele o que ele faz ou deixa de fazer é isto que Deus ensina, devolva o dizimo e pergunte aos lideres de igreja o que eles vão fazer com o que e´de Deus , ou eles são ou não são homens de Deus pois eu não tenho que questionar a niguém sobre este fato. não tem que os filhos de Deus ficar preocupado com o homem , o caminho , o alvo é Jesus , e é com isso que devo me preocupar, manter a minha fé em, Deus, pois Deus mesmo falou maldito o homem que confia no homem, agora se for para devolver o dizimo , e ofertar a casa de Deus com desconfiança e melhor que voçe não faça , ou devolve o seu dizimo a Deus, ou para o pastor se voçe consagra a Deus então é de Deus , se voçe da ao homem pensando em que ele vai gastar não faça isso, como falei quem vai responder por isso ou aquilo são os lideres das igrejas. agora se voçe acha que devo contribuir com dez, vinte ou trinta , do meu salario, voçe deve orar mais e pedir a direção de Deus, por que o que passa daquilo que Deus pede é sacrificio de tolo.NO CASO DEPOIS DO DIZIMO VEM AS OFERTAS QUE COMPLEMENTA O QUE DEUS MANDA.

  24. Amigo. Isso é o que fizeram vc acreditar e igual a vc tem milhões. O que é fato, é que o dízimo na antiguidade tinha natureza tributária, inclusive, servia para pagar médicos e juizes uma vez que o Estado não era laico. A Lei do Dízimo não se aplica a nos! Logicamente que os líderes continuam insisitndo nisso e fazem vc acreditar por não pesquisar as escrituras – levando ao pé da letra um versículo. Por mim não há problema, o dinheiro é seu, mas não use a bíblia para fundamentar uma fraude! Quer conferir o que eu digo? Pergunte a um teólogo de sua igreja se vc irá para o inferno se não der dízimo e ele dirá que NÃO – mas dirá que é pecado (QUE CONTRADIÇÃO!!!! – RSSS). Além disso, a maioria das igrejas usam o dízimo para benefício de seus líderes e isso é culpa de quem dá também por ser omisso e covarde!

    • QUER , DIZER QUE A PALAVRA DE DEUS ESTA ERRADA (MALAQUIAS)
      ENTAO NESTE CASO NAO DEVO DIZIMAR E OUVIR E OU LER A PALAVRA DE DEUS, POR QUE ENTAO SOU COVARDE E OMISSO POR OBEDECER A DEUS, DEVO OUVIR A VOÇE ? TENHO QUE TE OBEDECER , OUVIR VOÇE ENTAO AI EU NAO SERIA COVARDE E NEM OMISSO?

  25. Não devemos mais fazer esse tipo de dar dizimo..pois Jesus vei para que as leis focem cumpridas…,o próprio JESUS falou…dar a césar o que é de césar..de a DEUS o que é de DEUS….o que é de DEUS.,se não os seus louvores..dar glória a DEUS todos os dia de sua vida….DEUS não precisa de dinheiro não..pois tudo é dele.,todo ouro pertence a ele….tudo é dele…
    É que alguns espertos se aproveitam do velho testamento para enganar as ovelhas…isso já profético….quando uma casa de oração necessitar de dinheiro.,o próprio DEUS toca nos corações dos irmãos e se da uma oferta.,mas DEUS não fica devendo pro homem…ele devolve tudo dez vezes mais…mas só devemos dar oferta nas igreja quando DEUS pedir…se for da carne de nada adianta sua oferta…..

  26. Deus não obriga ninguém a nada. Se você me perguntar se é bíblico eu digo que sim(Malaquias 3:10). Faça o que O Espírito Santo mandar vc. fazer. Eu sou dizimista fiel, e não me falta nada.E olhe que a minha denominação não é dizimista, mais eu dou em oculto.
    Amém?

    • Concordo com voçe pois eu tambem tenho prosperado por ser dizimista fiel a DEUS, Nada me tem faltado, e serei dizimista ate o quanto eu viver, É palavra de DEUS e obedeço sem me preocupar .
      Enquanto estão preocupado com quem devolve o dizimo, eu estou prosperando na graça ,saude, trabalho familia e finaceiramente,

  27. Deixa de ser cara de pau! não concordo com o fato de vc ser pressionado a dar o dizimo sob o medo de que o devorador e o migrador e blá blá blá. Mas o dízimo e oferta serve para manutenção do templo entre outras coisas, então cara de pau é aquele que quer usufruir do templo limpo,organizado e não quer dar nada para ajudar. É um bicão, um cara de pau. Como quer usar o ar da igreja sem ajudar a pagar a luz. Vai ser pão duro assim lá longe.

    • Em algumas igrejas na Europa o dízimo é programado através de uma previsão anual de gastos e despesas, que inclui: manutenção do prédio, pagamento de salários e despesas administrativas, reformas e ampliações, aquisições de bens, etc. A partir daí, toda a igreja é convocada e cada família de acordo com sua renda se compromete a contribuir de uma só vez, ou de forma parcelada com o orçamento anual. Se algum imprevisto ocorrer, é possível solictar o socorro financeiro dos irmãos. Isso evita excessos e faltas!

      O que vemos hoje em dia são muitas sobras, e gastos em coisas que não são o objetivo principal da obra de Deus na Terra. Em outras igrejas vemos falta de recursos, para as coisas mais básicas…o que nos leva a perguntar: será que as placas e denominações separam as igrejas, de forma que uma não possa socorrer as outras? E será que pastores abastados, e que nunca estão satisfeitos com seus ganhos, se esqueceram dos socorro aos mais necessitados? E os drogados, as prostitutas, os órfãos, as viúvas, os desempregados? A igreja não deve agir em favor destes?

      A questão não é se devemos dar recursos ou não, mas o que se está fazendo com eles! Essa é a questão! Nós temos que fazer nossa parte, mas a igreja tb tem que fazer a dela. E se nós formos omissos, temos responsabilidade sobre isso sim!

  28. o dízimo FOI REVOGADO: Porque o precedente mandamento é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade
    Hebreus 7:18
    Agora te convido a ler o capitulo 7 de Hebreus e quando chegar no versículo 18 me diga que mandamento está se referindo?

    • O problema que esse tema do “Dízimo” é apregoado em massa, sendo quase unanimidade nas igrejas. A pregação é a mesma: dê o seu dízimo para obedecer a Deus, faça prova de Deus, o devorador vai ser repreendido, etc. Quem não concorda é rebelde, está em maldição, etc…

      Mas os da tribo de Levi do Novo Testamento (os líderes e pastores), fazem o que bem entendem do dinheiro suado das ovelhas. Sei que temos que fazer a nossa parte, mas eles tb têm que ter responsabilidade em administrar e aplicar esses recursos. Caso contrário, quem estão em maldição são eles.

  29. Eu sei que tem pastores enriquecendo graças as pessoas que não leem a bíblia e fazem tudo que esses ‘pastores” dizem. Trabalho em uma concessionária e sempre vejo pastores ali comprando carros 0 km . E não é qualquer carrinho não. Eles querem carro top de linha. Jeremias 5- 28 e 31: 28 Engordam-se, estão nédios, e ultrapassam até os feitos dos malignos; não julgam a causa do órfão; todavia prosperam; nem julgam o direito dos necessitados.
    Os profetas profetizam falsamente, e os sacerdotes dominam pelas mãos deles, E O MEU POVO ASSIM O DESEJA; mas que fareis ao fim disto?
    Através de alguns comentários daqui dá para perceber o quanto o povo gosta de ser enganado. É deseja ser enganado.

    • A fora disso, muitos pastores tem pequenos luxos para toda sua família, como colégios caros para os filhos, roupas caras, viagens, etc. Não que não mereça e não possa, mas em muitos casos, na igreja só quem tem isso são empresários e profissionais bem sucessedidos, e os pastores. A grande maioria da igreja, se aperta em seus orçamentos, tira da boca de seus filhos, para que o pastor tenha uma vida abastada…isso é que é revoltante.

  30. A coisa mais triste que acontece nas igrejas é que se a pessoas não é dizimista mas contribui com oferta é considerado rebelde e infiel. Se a pessoas paga um dizimo de CR$ 100,00 é considerado fiel; mas se contribuir com CR$ 10.000 em forma de oferta é considerado rebelde e infiel. A maioria dos dizimistas o fazem para receber em troca. TRAZEI TODO DIZIMO A CASA DO TESOURO E ABRIREI AS JANELAS DO CÉU. Aquele que contribui de coração o faz por amor sem pensar em receber algo em troca.

  31. Meu irmão, vc acha que ali Deus tá falando com quem? Com os ímpios? NÃO! Com os servos seus, quem não dizima está errado e não prospera(Malaquias 3:11). Vc entendeu o seu Pastor irmão, fale a verdade, então, dê o dízimo e que seu Pastor não seja mais de “falar pelas costas”, se essa foi a intenção dele,fale isso no púlpito da Igreja durante o culto. A Paz do Senhor!

    • Gabriel Moraes, não sou de falar pelas costas; eu falo mesmo é para o pastor e já tive oportunidade e falei no púlpito. E não só falo para o pastor da minha igreja e sim; para qualquer pastor e nunca nenhum teve a coragem de discordar, pois sabem que estão errados..

      • MEU IRMÃO EM CRISTO ATÉ CONCORDO EM VOCE SE DIDIRIGIR AO SEU PASTOR PARA LHE ESCLARECER E TIRAR DUVIDAS MAS FAÇA ISTO COM TODA SUJEIÇÃO PORQUE CONFORME ESTÁ ESCRITO EM HEBREUS CAP 13 V 17 OBEDECEI A VOSSOS PASTORES E SUJEITAI-VOS A ELE PORQUE VLAM POR VOSSAS ALMAS COMO AQUELE QUE HÃO DE DAR CONTA DELAS .

  32. Para entendermos o dízimo, temos que voltar ao início. Há uma regra na formulação de conceitos doutrinários que se chama “a lei da primeira referência”. Essa lei simplesmente afirma que, para compreender uma doutrina, uma palavra ou um conceito bíblico, temos que prestar atenção especial à primeira vez que ela aparece nas Escrituras. No tocante ao assunto de ofertas, temos que entender que a primeira referência bíblica sobre o tema se acha na primeira referência bíblica do culto a Deus. Os dois conceitos estão ligados. Abel e Caim cultuaram a Deus trazendo-lhe ofertas. No caso de Caim, a oferta foi da sobra da sua colheita. No caso de Abel, a oferta representou as primícias. Primícias são a primeira e melhor parte da nossa renda, do nosso lucro, por assim dizer. Culto a Deus envolve, portanto, uma entrega de algo que materialmente nos pertence. É um gesto de gratidão, de reconhecimento do fato de que tudo provém de Deus e, em última análise, pertence a Deus.

    Foi o que aconteceu após a batalha que Abraão travou com os reis. Ele trouxe e ofertou o dízimo do espólio a Melquisedeque – servo do Deus altíssimo (Gn 14 e citado em Hebreus 7). É notável que esse dízimo antecedeu a lei mosaica e levítica, que o tornou obrigatório. Mas por que o dízimo se tornou obrigatório?

    Vejamos que todas as tribos receberam uma parcela da terra prometida. Terra lhes garantia não somente lugar para sua habitação, mas, também, sustento material. Como uma sociedade agrária, terras permitiam plantio, colheita e criação de gado. Todos esses benefícios redundavam em sustento para o povo de Deus. Mas houve uma tribo que não recebeu terra. Era uma tribo que serviria a Deus e como sacerdotes entre Deus e o povo, a de Levi. Eles, portanto, não teriam como se sustentar. Para que não passassem necessidade, foi imposto sobre todas as outras tribos um dízimo, que seria pago aos servos de Deus que conduziriam o culto a Jeová e ministrariam em favor do resto do povo. Seu sustento era tido como legítimo. Não seriam voluntários, até porque não lhes foi legado uma terra pela qual poderiam prover o seu próprio sustento.

    Israel foi fiel até um certo ponto. Mas, com o tempo, deixaram de honrar os seus irmãos, os sacerdotes da nação. Foi nesse contexto que Malaquias proferiu a tão citada acusação contra o povo de Deus. Teriam “roubado” dEle, nos dízimos e nas ofertas. Sua obrigação na aliança entre Deus e o seu povo, compreendia o mantimento para a “Casa de Deus” (Ml 3.10). Literalmente os servos de Deus passavam fome por causa da infidelidade dos detentores de terras na Palestina. Deus não tinha dado aos levitas meios de se sustentar, fora os proventos sacerdotais que vinham necessariamente do dízimo das outras tribos. A nação tinha roubado de Deus e os seus servos passavam necessidade por isto.

    Vivemos novos tempos. Hoje há pastores que mantém uma atividade rentável e que possibilita sua atuação sem que isto requeira um dízimo do povo. Paulo foi um fabricante de tendas e teve como se sustentar. Mas é essa a regra? É errado que um servo de Deus receba um salário pelo seu serviço sacerdotal? Afinal, somos todos sacerdotes perante o Senhor – nação de sacerdotes, como diz em 1 Pe 2.9: “Mas vós sois geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para sua maravilhosa luz.” Segue então que somos todos sacerdotes. Não existem mais “levitas”, os sem-terra de Israel. É errado que um ministro constituído e ordenado perceba um salário então? Isso não seria um convite ao ócio e, sendo assim, um pretexto, um engodo?

    Paulo responde a essa pergunta com muita clareza. Na sua primeira carta ao seu discípulo Timóteo ele disse: “Os presbíteros que governam bem devem ser dignos de honra em dobro, principalmente os que trabalham na pregação e no ensino” (v. 17). A palavra “honra” pode também ser traduzida como “salário”, como é em outras traduções (estou usando a Almeida Século 21, atualmente). Mas para que não haja dúvida quanto à natureza dessa “honra”, ele segue em versículo 18, dizendo: “Porque a Escritura diz: Não amarres a boca do boi quando ele estiver debulhando; e: O trabalhador é digno do seu salário.” Nada mais claro, estamos falando de sustento físico, meios, finanças.

    De onde, então provém o sustento dos líderes, presbíteros, governantes, mestres da Igreja? É certo que Paulo pressupõe uma fonte. Ele fala em outras ocasiões de ofertas. Ele mesmo fez questão de dizer que não precisava delas, mas agradeceu o recebimento das mesmas. Há indicação de que o culto ainda compreendia ofertas. Paulo mostrou que há uma economia divina em ação. Em 2 Co 9.7-14 temos uma expressão dele no que tange a sua gratidão pela generosidade dos santos. Também diz que cada um deve contribuir com alegria, pois Deus ama quem dá com alegria. O contexto, é claro, foi de prestar ajuda a irmãos na fé que estavam passando necessidade. Todavia, vemos que o ato de ofertar era praticado – e no contexto da Igreja.

    Segue então. Até onde vai tal generosidade? Pode essa generosidade ser quantificada? E Jesus falou do dízimo? É lei? É obrigação? Ao criticar os fariseus, texto que achamos em Mt 23.23, Jesus disse: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e omitis o que há de mais importante na Lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade; DEVÍEIS FAZER ESTAS COISAS, SEM OMITIR AQUELAS.” Jesus não aboliu o dízimo, mas o incluiu entre as coisas que devemos praticar, junto com a justiça, a misericórdia e a fidelidade.

    Mas, convenhamos que o espírito da “obrigação” neotestamentária é outro. Pois o que era lei no passado passa a ser algo a ser praticado com alegria e por amor – tanto a Deus quanto aos que lideram e ensinam. Há uma dinâmica que entra em vigor na nova aliança. É a de dar e receber. É a de semear com generosidade e receber livremente. Jesus disse em Lucas 6.38: “Dai, e vos será dado; recebereis uma boa medida, cheia, generosa e transbordante; pois sereis medidos com a mesma medida com que medis”. Agora, o contexto fala de generosidade no que diz respeito ao trato do nosso próximo. Mas é uma lei que rege o fruto de um espírito generoso.

    Creio que esse espírito de generosidade é um dos que identificam e caracterizam o povo de Deus. Creio também que não há fundamento para passar um sabão no povo, usando Malaquias 3. O espírito é outro. O dízimo é um prazer, um privilégio e uma maneira de garantir que os servos de Deus sejam duplamente remunerados, como convém (segundo Paulo).

    Mas alguns não são duplamente remunerados. São 100 vezes remunerados, não dignamente, mas nababescamente. Digno é o trabalhador – especificamente, o líder na igreja. Infelizmente temos visto conselhos pagarem seus pastores muito mal. Não os tratam com dignidade. E esses são obrigados a viver mal e com um salário minguado. Ao mesmo tempo, há outros líderes em outros arraias que vivem com muito além do que convém.

    O nosso problema de hoje não é com ofertas, nem com dízimos. Claro que o debate sempre cai sob essas rubricas. Mas o problema está na igreja. Há líderes que pouco inspiram amor e carinho. São déspotas que surram o povo com Malaquias 3 ou que prometem mundos e fundos com a lei de semeadura. Os dois estão errados. As ovelhas sofrem. Muitos fogem. E os anjos choram (frase minha, não bíblica).

    Mas para os que acham uma boa igreja, um bom pastor, um bom mestre, esses têm a felicidade de exercer sua generosidade na sua casa de fé. Eu tenho sido muito abençoado por isso. Tenho experimentado a lei de semeadura em minha vida. Faço questão de dizimar. Os que congregam comigo partilham dessa alegria – a alegria de fazer parte de uma economia divina. Não há ressentimento, mesquinharia ou debates sobre se é do bruto ou do líquido. Hoje, o dízimo é uma oferta voluntária. Sem lei, Abraão fez isso perante Melquisedeque. No Novo Testamento continuamos a fazer disso um dos elementos do nosso culto a Deus. A Ele seja toda a honra e glória, pois dele é todo o ouro e toda a prata – até o ouro que aparentemente é “meu”

  33. Olá, queridos
    Esse assunto pode mesmo ser polêmico. Eu pago meu dízimo sem dor no coração e sabendo que estou fazendo minha parte no sustento da igreja, que não tem subsídio governamental. Os gastos existem, não é verdade? Há igrejas cristãs que não requerem o dízimo exatamente, no entanto, levando em conta que os beneficiados pela graça divina através do novo pacto em Cristo, devem superar os regidos pelas leis mosaicas, ofertam generosamente. Oferecem seu melhor, independente do valor, a primícia e não o que sobra. Mas acredito que Deus fala ao coração de cada um. Eu tenho sido abençoada pelas promessas de Deus em Malaquias referentes ao dízimo.
    Abraços

  34. Pra mim deus/capeta é um grande negócio. Como ninguém tem certeza (prova) de onde viemos e nem pra onde vamos, inventaram o céu e inferno para apaziguar a alma dos fracos: TENHA FÉ! Apenas isso e você irá para o paraíso (bom, né? Simples!), vida eterna etc etc, caso contrário vai pro inferno brincar com o diabo! Nas entrelinhas: “Pague o dízimo, senão não adianta nada!”.
    Crentes de plantão, por favor me respondam uma dúvida se possível: como é o tal do “Paraíso” que vocês tanto almejam e até se submetem a absurdos aqui “nessa vida” para alcançá-lo? É tipo tocar harpinha com os anjos de Deus por toda a eternidade? Não tem sexo? Todo mundo é castrado? Ninguém sente tesão por ninguém? Você não envelhece, fica tipo um vampiro? Onde que fica, lá no céu azul? E quando está nublado? Todo mundo só pensa “o bem”? Ah, mas pelo menos não deve precisar trabalhar, né? Comida vem de onde? Tem que plantar ou é só pedir pra Deus que ele faz um milagre e aparece uma lasanha? Não tem cerveja? Balada? Mulher de bikini? Futebol sem palavrão deve ser uma coisa única! Enfim…sinceramente…acho que ninguém tem idéia do que isso seja e segue por medo de ir pro inferno, como o pastor diz caso você não pague o dízimo. Agora vem cá…será que o inferno não é mais divertido pelo menos? Alguém já imaginou como seria lá? Rs! Sem mais.

  35. Sou dizimista porque é biblico,amo a Jesus e amo obedecer sua ordem.Quem não dá o dizimo esta em desobediência, dai a cezar o que é de cezar dai a Deus o que é de Deus,o que vão fazer com o meu dizimos é eles com Deus a minha parte de obedecer eu fiz,acho que não tem nem o que discutir. Quando chegar ao céu,vamos saber se deviamos ou não ser dizimista,mas para algun vai ser tarde demais.

  36. ESTUDO BÍBLICO:

    “AS 10 MAIORES MENTIRAS SOBRE OS 10 POR CENTO DOS DÍZIMOS”

    Muitas igrejas insistem no ensino errôneo de que os dízimos ainda são obrigatórios mesmo para os cristãos que vivem debaixo da graça de Jesus Cristo, e se utilizam de argumentos que se tornaram verdadeiros mitos dentro da comunidade evangélica, porém como eles dizem que o dízimo é 10 por cento, vamos usar o mesmo princípio numérico e verificar biblicamente as 10 argumentações mentirosas mais difundidas a respeito do dízimo.

    1º MENTIRA – “O DÍZIMO FOI ORDENADO POR DEUS NO JARDIM DO ÉDEN, POIS A ÁRVORE DO CONHECIMENTO REPRESENTA O DÍZIMO”

    Na verdade, biblicamente o dízimo foi ordenado no monte sinai (levíticos 27:30-32; Números 18:21-24) e portanto, não foram instituidos no Jardim do Éden, pois sequer é mencionado que Adão e Eva receberam o mandamento de dizimar. A associação que muitos religiosos que insistem em receber dízimos fazem de que a árvore do conhecimento do bem e do mal (Gênesis 2:9), pois não era permitido a Adão e Eva comer dela (Gênesis 2:17) portanto ela seria segundo eles um “símbolo” do dízimo, mas isso é uma associação esdrúxula, pois sequer há um texto bíblico que faça uma ligação entre essa árvore do Jardim do Éden e o dízimo da lei de moisés, sequer se diz que a árvore ocupava 10% do espaço do Jardim do Éden. Trata-se portanto de mais um argumento ridículo usado pelos líderes religiosos para levar o povo a acreditar que o dízimo não era somente obrigatório perante a lei de moisés.

    2º MENTIRA – “O DÍZIMO SEMPRE FOI OBRIGATÓRIO MESMO ANTES DA LEI DE MOISÉS”

    O dízimo antes de sua ordenança no Sinai era voluntário, sendo mencionado apenas 2 vezes antes de se tornar obrigatório, Abraão deu uma única vez um dízimo do despojo de guerra quando resgatou seu sobrinho ló e jacó fez um voto a Deus (gênesis 14:17-20, gênesis 28:20-22)

    Pelas seguintes razões, Gênesis 14:20 não pode ser usado como exemplo para os cristãos dizimarem: 1º – A Bíblia não diz que Abraão deu obrigatoriamente esse dízimo. 2º – O dízimo de Abraão não foi um dízimo santo, da Terra Santa de Deus, produzido pelo povo santo de Deus. 3º – O dízimo de Abraão foi somente do despojo de guerra (hebreus 7:4). 4º – O dízimo de Abraão a Melquisedeque aconteceu apenas uma vez e Abraão mudava sempre de lugar. 5º – O dízimo de Abraão não proveio de sua riqueza pessoal. 6º – O dízimo de Abraão não é mencionado em nenhuma parte da Bíblia, seja no velho ou no novo testamento a fim de respaldar o ato de dizimar. 7º – Visto como nem Abraão nem Jacó tinham um sacerdócio levítico para manter, eles não tinham lugar algum onde entregar os dízimos, durante os seus muitos deslocamentos.

    No caso específico de Jacó, lemos o seguinte: “Fez também Jacó um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta jornada que empreendo, e me der pão para comer e roupa que me vista,de maneira que eu volte em paz para a casa de meu pai, então, o SENHOR será o meu Deus;e a pedra, que erigi por coluna, será a Casa de Deus; e, de tudo quanto me concederes, certamente eu te darei o dízimo” (Gênesis 28:20-22). O texto bíblico é claro, que Jacó fez um propósito particular (um voto) de que se Deus fosse favorável à ele, que ofereceria à Deus o dízimo. Não se vê também neste caso nenhuma ordem explicita de Deus ou algum sacerdote a mando Dele, para que Jacó dizimasse, e vemos que foi uma promessa de Jacó para Deus, não há relatos posteriores na Bíblia que ele tenha de fato dizimado, apenas se observa a sua promessa, seu compromisso de entregar o décimo de tudo que viesse a obter daquele momento em diante. Outra vez, não vemos na Bíblia nenhuma passagem em que vemos escrito que devemos dizimar como Jacó fez, portanto trata-se de mais uma mentira que os líderes criaram para tentar fazer parecer que os dízimos eram obrigatórios antes mesmo da lei de moisés.

    3º MENTIRA – “O DÍZIMO DOS ALIMENTOS DO VELHO TESTAMENTO FOI SUBSTITUÍDO POR DÍZIMO DO DINHEIRO NOS DIAS ATUAIS”

    Não há um versículo na biblia informando que dízimo obrigatório da lei de moisés possa ser ouro, prata, moeda, dinheiro, etc. Dízimo sempre foi apenas alimento do campo vegetal ou animal (levíticos 27:30 e 32) mesmo quando havia metais preciosos como moeda corrente. Abraão no seu tempo comprou uma sepultura para sua esposa por 400 ciclos de prata (gênesis 23:16)

    Embora já existisse dinheiro, a substância do dízimo divino jamais foi dinheiro. Ele era o “dízimo do alimento”. Isso é muito importante. Os verdadeiros dízimos bíblicos eram sempre somente o alimento proveniente das fazendas e rebanhos, somente dos israelitas que vivessem exclusivamente dentro da Terra Santa de Deus, as fronteiras nacionais de Israel. A fartura provinha de Deus e não da manufatura ou habilidade do homem.

    Existem 15 versículos de 11 capítulos e 8 livros, de Levítico 27 a Lucas 11, que descrevem o conteúdo do dízimo. E o conteúdo jamais, repito, jamais incluía dinheiro, prata, ouro ou qualquer outra coisa, além de alimento. Mesmo assim, a definição incorreta de “dizimar” é a maior mentira que está sendo pregada sobre esse ato, hoje em dia. (Veja Levítico 27:30,32; Números 18:27,28; Deuteronômio 12:17; 14:22, 23, 26; 2 Crônicas 31:5; Neemias 10:37; 13:5; Malaquias 3:10; Mateus 23:23 e Lucas 11:42).

    Não se observa portanto em toda a bíblia, alguém entregando dízimo em dinheiro, pois dízimo era décima parte dos alimentos ( agropecuários ou agrícolas ), e jamais foi entregue em dinheiro. E o dinheiro já era corrente nos tempos bíblicos, pois o próprio moisés que recebeu a lei para o povo lidou com dinheiro: “Então, Moisés tomou o dinheiro do resgate dos que excederam os que foram resgatados pelos levitas.Dos primogênitos dos filhos de Israel tomou o dinheiro, mil trezentos e sessenta e cinco siclos, segundo o siclo do santuário. E deu Moisés o dinheiro dos resgatados a Arão e a seus filhos, segundo o mandado do SENHOR, como o SENHOR ordenara a Moisés” (Números 3:49-51)

    Mais uma prova de que o dízimos sempre foram alimentos podem ser vista nessa passagem bíblica: “DOS DÍZIMOS NÃO COMI no meu luto e deles nada tirei estando imundo, nem deles dei para a casa de algum morto; obedeci à voz do SENHOR, meu Deus; segundo tudo o que me ordenaste, tenho feito” (Deuteronômio 26:14)

    Portanto, mais uma mentira dos líderes que ensinam sobre a obrigatoriedade dos dízimos é revelada, quando dizem que nos tempos bíblicos dízimos eram entregues em alimentos porque dinheiro ainda não existia, mas abraão e até moisés lidavam com dinheiro, e mesmo assim na obrigatoriedade da lei de moisés nunca se pagava dízimos em dinheiro, pois dízimo sempre foi a décima parte dos alimentos, do campo e animais, e nada tem a ver com a exigência de entrega de 10% do dinheiro que os cristãos recebem para esses líderes que ensinam erradamente sobre dízimos. Dízimo nunca foi pago em dinheiro, apenas em alimentos. Se o seu pastor ou líder insistir em dizer que pode ser pago em dinheiro exija que ele mostre alguém dizimando em dinheiro na bíblia, pois dinheiro já existia e era usado naquela época.

    4º MENTIRA – “O DÍZIMO FOI DADO POR DEUS AOS LEVITAS DA VELHA ALIANÇA E HOJE OS PASTORES DA NOVA ALIANÇA SUBSTITUIRAM ESSES LEVITAS PORTANTO DEVEM RECEBER DÍZIMOS”

    O dízimo foi dado aos levitas, mas para que eles fizessem todo o trabalho da tenda da congregação (Números 18:21-23). Se hoje os membros leigos fazem mais de 90 % do trabalho e os pastores recebem todo o dízimo isso não é biblico, é humano. Na igreja primitiva de atos, um levita, chamado josé de sobrenome barnabé dava ofertas ao invés de receber dízimos dos apóstolos e membros da igreja cristã: “José, a quem os apóstolos deram o sobrenome de Barnabé, que quer dizer filho de exortação, LEVITA, natural de Chipre, como tivesse um campo, vendendo-o, trouxe o preço e o depositou aos pés dos apóstolos” (atos 4:36-37) Portanto fica evidente que com a mudança do sacerdócio mudou a lei: “Pois, quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei” (hebreus 7:12)

    Na economia hebraica, o dízimo era usado de maneira totalmente diferente da que hoje é pregada. Mais uma vez, os levitas que recebiam o dízimo inteiro nem sequer eram ministros ou sacerdotes – eles eram apenas servos dos sacerdotes. Números 3 descreve os levitas como sendo carpinteiros, fundidores de metal, artesãos de couro e artistas, que mantinham o pequeno santuário. E 2Crônicas 23-27, durante o tempo dos reis Davi e Salomão, os levitas também foram peritos artesãos, os quais inspecionavam as obras do Templo. Vinte e quatro mil deles trabalhavam no Templo como construtores e supervisores; seis mil eram oficiais e juízes; quatro mil eram guardas e quatro mil eram músicos. Como representantes políticos do rei, os levitas usavam o seu dízimo para servir aos oficiais, juízes, coletores de impostos, tesoureiros, guardas do Templo, músicos, padeiros, cantores e soldados profissionais (1Crônicas 12:23,26; 27:5). É obvio que esses exemplos do uso bíblico da entrada do dízimo nunca se tornam exemplos para a igreja de hoje. É importante saber que na Antiga Aliança os dízimos nunca eram usados para evangelizar os não israelitas. Neste ponto o dízimo falhou. Vejam Hebreus 7:12-19. Os dízimos jamais estimularam os levitas e sacerdotes da Antiga Aliança a estabelecer uma única missão fora do país, para encorajar um só gentio a se tornar israelita (Êxodo 23:32; 34:12,15; Deuteronômio 7:2). O dízimo da Antiga Aliança era motivado e exigido por lei, não pelo amor. De fato, durante a maior parte da história de Israel, os profetas foram os principais portadores da Palavra de Deus e não os levitas e os sacerdotes que recebiam o dízimo.O falso ensino é que os anciãos e pastores da Nova Aliança estão simplesmente continuando de onde os sacerdotes da Antiga Aliança deixaram e por isso devem receber o dízimo. A função e o propósito dos sacerdotes da Antiga Aliança foram substituídos, não pelos anciãos e pastores, mas pelo sacerdócio de todos os crentes. Como outras ordenanças da Lei, o dízimo foi apenas uma sombra temporária, até a vinda de Cristo (Efésios 2:14-16; Colossenses 2:13-17; Hebreus 10:1). Na Nova Aliança cada crente é um sacerdote de Deus (1 Pedro 2:9-10; Apocalipse 1:6; 5:10). E como sacerdote cada crente oferece sacrifícios a Deus (Hebreus 4:16; 10:19-22; 13:15-16). Então, cada ordenança que havia sido previamente aplicada ao antigo sacerdócio foi anulada no Calvário. Visto não pertencer à Tribo de Levi, até mesmo Jesus Cristo foi desqualificado. Desse modo, o propósito original de dizimar já não existe (Hebreus 7:12-19; Gálatas 3:19, 24, 25; 2Coríntios 3:10).

    Portanto, não há nenhum mandamento no novo mandamento do cristão entregar os dízimos aos pastores, pois o dízimo somente podia ser recebido pelos levitas: “Ora, os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm mandamento de recolher, de acordo com a lei, os dízimos do povo, ou seja, dos seus irmãos, embora tenham estes descendido de Abraão” (hebreus 7:5), e os levitas só existiam na velha aliança da lei de moisés, pastores não são substitutos deles pois são ministros de Deus (I Coríntios 4:1) e nem sequer é ordenado que se deva entregar dízimos em favor da obra de Deus, pois ela é sustentada pelas ofertas voluntárias (2Coríntios 9:7).

    5º MENTIRA – “O DÍZIMO RECEBIDO É SOMENTE PARA USO DOS PASTORES”

    Biblicamente, o dízimo pertencia aos levitas (números 18:21-23), mas também para se fazer um festival ao Senhor (deuteronômio.14:22-27) e a cada terceiro ano, para os levitas, órfãos, viúvas e estrangeiros, os quais comiam o dízimo ajuntado dentro das suas portas (deuteronômio14:28-29). Se ofertas e dízimos eram sagrados ao Senhor e não podiam ser comidos por pessoas comuns neste caso Deus abre um exceção, visto que para ele misericórdia é melhor que sacrificio (Oséias 6:6; Mateus 12:7), a vida dos carentes é preciosa ao senhor (veja um exemplo disso em Lucas 6:1-10)

    Portanto mais uma vez, é biblicamente demonstrado que os dízimos recebidos pelos levitas não eram de uso exclusivo deles… os necessitados ( órfãos, viúvas e os de fora de israel ), também se beneficiavam dos dízimos dos alimentos recebidos pelos levitas. Essa conversa de que só os pastores e líderes religiosos podem hoje usufruir dos dízimos não encontra respaldo bíblico. Trata-se de mais uma doutrina de homem.

    6º MENTIRA – “CRISTÃO QUE NÃO DÁ O DÍZIMO SERÁ VITIMA DO “DEVORADOR”
    Se você é evangélico provavelmente já deve ter ouvido alguém falar a respeito do devorador. Muitas igrejas pregam a respeito desse ser. Mas o que os líderes religiosos gananciosos não fazem é mostrar aos membros que a admoestação de Malaquias é dirigida somente à nação de Israel, e não aos cristãos de hoje que não dizimam:

    “Sentença pronunciada pelo Senhor CONTRA ISRAEL contra Israel, por intermédio de Malaquias” (Malaquias 1:1)

    e, se destina especificamente, aos SACERDOTES CORRUPTOS:

    “Agora, ó sacerdotes, para vós outros é este mandamento.Se o não ouvirdes e se não propuserdes no vosso coração dar honra ao meu nome, diz o SENHOR dos Exércitos, enviarei sobre vós a maldição e amaldiçoarei as vossas bênçãos; já as tenho amaldiçoado, porque vós não propondes isso no coração” ( Malaquias 2:1-2)

    Eles estavam ofertando ANIMAIS coxos, cegos mudos, e defeituosos:

    “Ofereceis sobre o meu altar pão imundo e ainda perguntais: Em que te havemos profanado? Nisto, que pensais: A mesa do SENHOR é desprezível. Quando trazeis animal cego para o sacrificardes, não é isso mal? E, quando trazeis o coxo ou o enfermo, não é isso mal? Ora, apresenta-o ao teu governador; acaso, terá ele agrado em ti e te será favorável? – diz o SENHOR dos Exércitos.” (Malaquias1:7-8)

    Quanto a Malaquias 3, notamos que Deus manda trazer somente “DÍZIMOS” para as câmaras do depósito do templo, para que haja “comida” ( alimento, ou mantimento ) em minha casa. Isto é , mantimento = produtos alimentares (ver dicionário da língua portuguesa)

    O texto mais famoso citado para falar a respeito do devorador é Malaquias 3:11, que diz: “Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.” Esse texto é a continuação de Malaquias 3:10, o tão famoso texto que fala a respeito de dízimos no Antigo Testamento. os líderes gananciosos dizem que o “devorador” mencionado nesse texto é um demônio que destrói as finanças daqueles que não dão os 10%, ou seja, que não são dizimistas. As pessoas que pregam nessa linha trazem ameaças de destruição financeira aos seus ouvintes se os mesmos não forem dizimistas fiéis.

    O DEVORADOR É MESMO UM DEMÔNIO? A resposta é não! Os que afirmam que esse devorador citado no texto é um demônio, no mínimo, faltaram em algumas aulas de interpretação da Bíblia. A primeira coisa a sabermos é que no Antigo Testamento, a aliança que vigorava era uma aliança baseada na obediência. Se o povo fosse obediente às leis de Deus seriam abençoados. Essas bênçãos eram visivelmente mandadas em forma de paz e boas colheitas e prosperidade. Se fossem desobedientes, seriam amaldiçoados. Falta de paz e colheitas ruins estavam em vista aqui. (Deuteronômio 28). Em uma das ameaças de maldições em suas colheitas, que Deus manda ao povo através do profeta Joel, vemos que: “O que deixou o gafanhoto cortador, comeu-o o gafanhoto migrador; o que deixou o migrador, comeu-o o gafanhoto devorador; o que deixou o devorador, comeu-o o gafanhoto destruidor.” (Joel 1:4). Uma maldição que tinha em vista a destruição da lavoura.

    O texto de Malaquias 3:11 diz a mesma coisa: “Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.”. Esse devorador certamente se tratava de um tipo de gafanhoto altamente destrutivo ou outro “bicho” que acabava com as plantações (que eram a base da economia do povo de Israel). A ação devastadora desse “ser” acabava com a prosperidade do povo em pouco tempo atacando suas lavouras. Quando o povo era obediente a Deus e cumpria a Sua lei, que no caso desse texto é a lei de dizimar, Deus abençoava suas colheitas e negócios. Esse é o sentido desse texto. Assim, não faz sentido usar esse texto para afirmar que o devorador era um demônio ou coisa parecida. Nem faz sentido ameaçar as pessoas hoje em dia com esse “devorador”

    “repreenderei o devorador” Versículo 11 (Não é dinheiro que faz isto, é o próprio Deus)

    Devorador, segundo a bíblia, nunca foi demônio, e sim, gafanhotos, que Deus enviava como pragas a terra para castigar o povo, e estes gafanhotos, Deus os chamavam de “O meu grande exercito” (Joel 2:22-27) …”repreenderei o devorador ” significa… espantarei a praga do meio da vossa plantação (gafanhotos), veja também Levítico 11:22 e Naum 3:16.

    Os líderes gananciosos que ensinam que esses “devoradores” são demônios que irão causar doenças na família, o carro vai viver quebrando etc, aproveitam o desconhecimento dos cristãos do verdadeiro devorador ao qual Malaquias se refere, o gafanhoto que devorava as colheitas da nação de israel. Não há confirmação nenhuma no novo testamento de que quem não dizima será vitima desse “devorador”… quando um ladrão quer tomar o dinheiro de uma pessoa, ele a ameaça, pois se pedir provavelmente a vítima não entregará o seu dinheiro, e por conta disso o ladrão usa o recurso da ameaça, para forçá-la, da mesma forma agem esses pastores que insistem em receber dízimos pois usam um texto fora de seu real contexto para ameaçar dizendo que o mesmo “devorador” que viria sobre a nação de israel se não dizimasse virá para aqueles que não entregam seus dízimos a eles.Trata-se portanto de mais um ensino distorcido da bíblia para forçar os cristãos que não estudam a bíblia a dizimarem.

    Hoje em dia, a classe mais pobre é a que mais contribui para beneficência. E, mesmo assim, ela permanece na pobreza. Os dízimos não são uma garantia para alguém enriquecer depressa, em vez da educação, da determinação e do árduo trabalho. Se Malaquias 3:10 funcionasse realmente com os cristãos da Nova Aliança, nesse caso milhões de cristãos dizimistas já teriam escapado da pobreza e se tornado o grupo mais rico do mundo, em vez de continuar sendo pobre. Portanto, não existe evidência alguma de que a vasta maioria dos pobres “pagadores do dízimo” tenha sido abençoada pelo mero fato de o entregar. As bênçãos da Antiga Aliança já não estão em efeito (Hebreus 7:18-19; 8:6-8,13).

    Portanto, não há nenhuma possibilidade de um cristão ser vítima do “devorador” (demônio) por causa de não ser dizimista, pois nenhuma maldição da antiga aliança pode atingir aos cristãos da nova aliança em Jesus ( gálatas 3:13 )

    7º MENTIRA – O DÍZIMO SERVE PARA MANTER A IGREJA FÍSICA HOJE, POIS ELA SUBSTITUIU O TEMPLO JUDAÍCO ONDE SE ENTREGAVAM OS DÍZIMOS.

    Nada poderia estar mais longe da verdade. Trata-se de outro falso ensino os religiosos que exigem dízimos de que os edifícios chamados “igrejas”, “tabernáculos” ou “templos”, substituíram o Templo do Velho Testamento como locais de habitação divina.

    A Palavra de Deus jamais descreve os grupos da Nova Aliança como ”tabernáculos”, “templos” ou “edifícios”. Os cristãos não “vão à igreja”. Eles se “reúnem para adorar”. Também, visto que os sacerdotes do Velho Testamento pagavam o dízimo, então, logicamente, o dízimo não pode continuar. Nesse caso, é errado chamar um edifício de “armazém do Senhor” para receber os dízimos (1 Coríntios 3:16-17; 6:19-20; Efésios 1:22-23; 2:21; 4:12-16; Apocalipse 3:12). Com respeito à palavra “armazém” comparem a 1 Coríntios 16:2 com a 2 Coríntios 12:14 e Atos 20:17, 32-35. Durante vários séculos após o Calvário, os cristãos nem mesmo possuíam um edifício próprio (que chamassem de armazém), visto como o Cristianismo era uma religião ilegal e sofria perseguições.

    Após o sacrifício de Jesus, o véu do santuário se rasgou: “E o véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo” (Marcos 15:38) e hoje, cada cristão é um santuário onde habita o Espírito Santo: “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (I Coríntios 3:16) Não há sequer um Templo ou santuário físico para que os cristãos levem os dízimos pois: “O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em santuários feitos por mãos humanas” (Atos 17:24). Jesus sequer fundou uma igreja física, pois a verdadeira igreja é espiritual.

    1. Que autoridade nos dá a Palavra de Deus para estabelecermos igrejas denominacionais ou não denominacionais em meio ao testemunho cristão, quando as Escrituras condenam a criação de divisões entre os crentes? (1 Coríntios 1:10; 3:3; 11:18-19)

    2. Com que autoridade vinda de Deus os cristãos denominam suas assim chamadas “igrejas” como Presbiteriana, Batista, Pentecostal, Aliança, Cristã Reformada, Anglicana etc., quando não há na Bíblia instruções para nos reunirmos em qualquer outro nome além do nome do Senhor Jesus Cristo? (Mateus 18:20; 1 Coríntios 5:4)

    3. Será que existe qualquer base na Palavra de Deus para chamar esses edifícios de “igrejas”? A definição bíblica de “igreja” é de uma reunião de crentes que, pelo evangelho, foram chamados para fora, tanto dentre os judeus como dentre os gentios, e são unidos em um único corpo a Cristo, sua Cabeça no céu, pela habitação do Espírito Santo. (Atos 11:22; 15:14; 20:28; Romanos 16:5; 1 Coríntios 1:2; Efésios 5:25)

    4. Onde há no Novo Testamento uma referência mandando os Cristãos construírem templos e chamarem esses locais de “Cada de Deus”, sendo que Deus não habita em templos feito por mãos humanas? (Atos 7:48 e 17:24).

    Dizer que os dízimos são necessários para manter a igreja e sustentar os pastores e líderes não tem fundamentação bíblica neotestamentária, O apóstolo Paulo estava entre os que insistiam em trabalhar com as próprias mãos pelo seu sustento (Atos 18:3; 1Tessalonicenses 2:9-10; 2Tessalonicenses 3:8-14). Embora ele não tenha condenado os que recebiam sustento pela obra em tempo integral, também não ensinou que tal sustento fosse ordenado por Deus, para difusão do Evangelho. (1 Coríntios 9:12). De fato, duas vezes em Atos 20:29, 35 e também em 2 Coríntios 12:14, ele até mesmo encoraja os anciãos da igreja a trabalharem para manter os necessitados da igreja (Eu só queria ver um dos pastores atuais trabalhando para ajudar os pobres da igreja!).

    Para Paulo, a expressão “viver do evangelho” significava “viver segundo os princípios da fé, do amor e da graça” (1 Coríntios 9:14). Conquanto verificasse ter “direito” a alguma ajuda, ele concluía que a “liberdade” de pregar o seu evangelho era mais importante, a fim de cumprir a sua vocação de Deus (1 Coríntios 9:15; 11:7-13; 12:13,14; 1 Tessalonicenses 2:5-6). Enquanto trabalhava como artesão de tendas (atos 18:3), Paulo aceitou uma certa ajuda, porém se gloriava de que o seu pagamento ou salário era o fato de poder pregar livremente, sem se tornar um fardo para os outros (1 Coríntios 9:16-19).

    Em nenhum lugar desde Atos 7:58 (onde Paulo é mencionado pela primeira vez) até suas epístolas, não vemos o apóstolo Paulo orientando alguém a dizimar nem recebendo dízimos dos cristãos, portanto uma prova clara que a igreja primitiva não tinha o dízimo como uma doutrina cristã e inquestionável como se vê hoje nessas igrejas que dizem seguir fielmente as Escrituras.

    Paulo deixou claro que os que pregavam o evangelho tinham todo o direito de serem supridos com as ajudas e doações voluntárias dos cristãos (I Coríntios 9:11 e 14, Filipenses 4:18 ), mas nunca disse que seria dos dízimos! Sequer há mandamento seja do Senhor Jesus ou de seus apóstolos dos cristãos entregarem seus dízimos nos “templos” que hoje conhecemos como igreja, pois Jesus nunca fundou uma igreja física, nem ordenou que se fizessem construções para ali os seus seguidores se reunirem! Se o dízimo fosse tão necessário e importante como esses líderes gananciosos querem fazer parecer, teria o apóstolo Paulo esquecido de mencionar algo tão importante? obviamente que não, pois ele é categórico ao dizer: ” jamais deixando de vos anunciar coisa alguma proveitosa e de vo-la ensinar publicamente e também de casa em casa” e ” porque jamais deixei de vos anunciar todo o desígnio de Deus” (atos 20:20 e 27)… ou seja, tudo que era necessário ele, Paulo, ensinou e o Apóstolo Paulo nunca incentivou ou ensinou os cristãos a dizimarem!

    Portanto comprovadamente os dízimos não são obrigatórios serem entregues, muito menos nas igrejas físicas de hoje.

    8º MENTIRA – “DAR OFERTAS, MESMO ACIMA DE 10% DA SUA RENDA, NÃO TEM O MESMO VALOR ESPIRITUAL, POIS QUEM NÃO DÁ O DÍZIMO ROUBA A DEUS E NÃO SERÁ SALVO POIS ESTÁ DEBAIXO DE MALDIÇÃO”

    Tanto a bênção como a maldição de Malaquias 3:9-11, perduraram somente até o término da antiga Aliança, ou seja, até o Calvário. A audiência de Malaquias havia voluntariamente reafirmado a Antiga Aliança (Neemias 10:28-29. “Maldito aquele que não confirmar as palavras desta lei, não as cumprindo. E todo o povo dirá: Amém” (Deuteronômio 27:26, citado em Gálatas 3:10). E Jesus Cristo deu um fim a essa maldição, conforme Gálatas 3:13: “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro”. Portanto nenhuma maldição proveniente da não observância da lei de moisés (e o dízimo pertencia a ela) atinge aos cristãos. Mas os lideres gananciosos que recebem dízimos escondem isso dos membros.

    Mas não é porque o Cristão não seja mais obrigado a dizimar que ele esteja isento de ajudar na propagação do evangelho e em favor dos necessitados pois: “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria” (2coríntios 9:7).

    “Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus concedida às igrejas da Macedônia; porque, no meio de muita prova de tribulação, manifestaram abundância de alegria, e a profunda pobreza deles superabundou em grande riqueza da sua generosidade.Porque eles, testemunho eu, na medida de suas posses e mesmo acima delas, se mostraram voluntários” (2coríntios 8:1-3) Essa era a prática da igreja de Deus que Cristo estabeleceu.

    Os princípios de dar no Novo Testamento, na 2Coríntios capítulos 8 e 9 são superiores ao dizimar, que não é obrigatório aos cristãos.

    Os seguintes princípios de dar voluntariamente na Nova Aliança estão fundamentados na 2 Coríntios 8 e 9 (1). Dar é uma “graça”. A 2 Coríntios 8 usa oito vezes a palavra “graça”, referindo-se à ajuda aos santos pobres (2). Dar primeiro a Deus (8:5). (3) Dar-se a si mesmo para conhecer a vontade de Deus (8:5) (4) Dar em resposta ao dom de Cristo (8:9 e 9:15). (5) Dar com desejo sincero (8:8, 10, 12 e 9:7) (6) Não dar por causa de mandamento algum (8:8,10; 9:7). (7) Dar além de sua capacidade (8:3, 11, 12) (8) Dar para produzir igualdade. Isso quer dizer que os que têm mais devem dar mais, a fim de suprir a incapacidade dos que não podem dar mais (8:12,14) (9) Dar com alegria (8:2). (10) Dar porque está crescendo espiritualmente (8:3,4,7). (11) Dar porque deseja crescer espiritualmente (9:8, 10, 11). (12) Dar porque está ouvindo o Evangelho ser pregado (9:13).

    9º MENTIRA – “JESUS MANDOU OS CRISTÃOS DAREM O DÍZIMO NO NOVO TESTAMENTO”

    O falso ensino é que Jesus ensinou a dizimar, em Mateus 23:23, dizendo que isso está claro no Novo Testamento.

    Em primeiro lugar, A Nova Aliança (o novo testamento) não teve princípio no nascimento de Jesus, mas na Sua morte (Gálatas 3:19, 24, 25; 4:4). O dízimo não é ensinado na igreja, depois do Calvário. Quando Jesus falou sobre o assunto em Mateus 23:23, Ele estava simplesmente ordenando a obediência às leis da Antiga Aliança, a qual ele endossou e obedeceu até chegar ao Calvário.

    Não existe um único texto do Novo Testamento que ensine a dizimar após o período do Calvário. (Atos 2:42-47 e 4:32-35 não são exemplos para se dizimar, a fim de sustentar os líderes da igreja). Conforme Atos 2:46, os cristãos judeus continuavam a adorar no Templo. E conforme Atos 2:44 e 4:33,34, os líderes da igreja compartilhavam igualmente o que recebiam com todos os membros da igreja (o que hoje os líderes gananciosos que recebem dízimos não fazem).

    Aliás, Jesus sequer é mencionado dizimando ou recebendo dízimos… e porque os líderes gananciosos pedem dízimos em nome de Jesus sendo que o próprio Jesus disse: “em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas;pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados” (Marcos 16:17-18)… Ele nunca disse ” em meu nome receberão dízimos…”

    Portanto comprovadamente mais uma mentira desses homens que se dizem ordenados por Deus a exigirem dízimos dos cristãos incautos foi desmascarada! Jesus nunca ordenou que os seus discípulos e futuros apóstolos recolhessem dízimos… e porque esses líderes acham que podem fazer diferente? Bem o Senhor Jesus profetizou sobre esses tipos: “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores” (Mateus 7:15)

    10º MENTIRA – “JESUS RECEBE DÍZIMOS DOS CRISTÃOS CONFORME HEBREUS 7:8″

    O início do capítulo 7 de hebreus é apenas citação do Antigo Testamento, onde fala do sacerdócio de Melquisedeque. Em Hebreus 7:5 diz: ” E os que dentre os filhos de Levi receberam o sacerdócio tem ordem, segundo a lei, de tomar os dízimos do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão”

    A lei foi dada por intermédio de Moisés, ao povo, direcionada aos filhos de Levi, especificamente aos que receberam sacerdócio para trabalhar nas tendas das congregações ( montagem e desmontagem de tendas no deserto), os quais tinham ordem, segundo a lei de receber os dízimos dos seus irmãos. Agora note o relato do versículo 11 e 12:

    Hebreus 7:11: De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio Levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade se havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque (referindo-se ao Salvador) e não fosse chamado segundo a ordem de Arão? (menção a Moisés, o qual introduziu a lei ao povo).

    Hebreus 7:12: Porque mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança na lei.

    Meditando no texto acima, especificamente nestes versículos, onde a palavra assegura que os sacerdotes Levíticos recebiam os dízimos segundo a lei (Hebreus 7:5), Porque através deles (sacerdotes Levíticos) o povo recebeu a lei (Hebreus 7:11) e mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também, mudança na lei (Hebreus 7:12), porque se a perfeição fosse pelo sacerdócio Levítico (pelo qual o povo recebeu a lei), qual a necessidade de que enviasse outro Sacerdote? Mudou o Sacerdócio, necessariamente se faz mudança na Lei.

    A lei dos dízimos foI direcionada especificamente aos filhos de Levi, aos que receberam o sacerdócio e não havendo mais “Levitas”, nem “templo”, nem sacerdote a oferecer sacrifícios, pois O Salvador já o fez, logo,se aplicada aos crentes hoje, ela torna-se intempestiva e ilegítima, porque os “pastores” de hoje não são levitas nem foram proibidos de trabalhar, nem menos tiveram promessas de herança de dízimos para sustento por não ter tido herança nas distribução de terras prometidas ao povo israelita por herança.

    Outra particularidade, no capítulo 18 do livro de Números, o Senhor Deus adverte aos sacerdotes levitas dizendo: Na sua terra, possessão nenhuma terás, e no meio deles nenhuma parte possuirás; eu sou a tua parte e a tua herança no meio dos filhos de Israel.

    Gostaria de recomendar aos pregadores contemporâneos (os que querem se assemelhar aos sacerdotes levitas que recebiam dízimos), seria bom que guardassem os mandamentos do Senhor para aquela tribo, os quais não possuíam bens materiais, pois o Senhor era a herança dos sacerdotes levitas.

    Recapitulando: Hebreus 7 apenas faz a menção pós-Calvário de dizimar, numa explanação de porque o sacerdócio levítico deve ser substituído pelo sacerdócio de Cristo, porque o sacerdócio levítico era fraco e ineficiente. Estude Hebreus 7 e sigam a progressão do versículo 5 ao versículo 12 e ao versículo 19.

    Porém, líderes gananciosos insistem em apenas mostrar hebreus 7:8 aos membros, onde segundo eles, Jesus receberia dízimos dos cristãos: “Aliás, aqui são homens mortais os que recebem dízimos, porém ali, aquele de quem se testifica que vive” (hebreus 7:8)

    Apenas mostrando esse versículo isoladamente aos membros desavisados, querem dar a entender que esse versículo manda os cristãos ainda dizimarem, sem ler todo o real contexto do capítulo 7 de hebreus.

    Portanto hebreus 7:8 não fala de Jesus recebendo ainda dízimos dos cristãos, pois o contexto do capítulo 7 de hebreus fala na verdade da superioridade do sacerdócio de melquisedeque em relação ao levítico que era sustentado pelos dízimos. Cristãos não tem o mandamento bíblico de dizimarem.

    Considerações finais:

    Em Hebreus 7,8,9 e 10, neste 4 capítulos deixa bem claro a questão do sacerdócio perfeito, que, quando mudado o sacerdote Levítico, veio o Cristo, e mudando o sacerdócio se muda a lei ( Hebreus 7:12 ) portanto, notamos, que no novo testamento, não há ninguém dando dizimos em dinheiro, sendo que já existia, porque, Jesus foi traído por moedas, e a viúva ofertou moedas, mas dízimos, foi mencionado em alimentos, hortaliças ( Mateus 23.23 ) jamais em dinheiro, e o próprio Senhor Jesus, relatou que o dízimo era da lei para o povo de Israel , …”o mais importante DA LEI “. (Mateus 23:23)

    Paulo não mencionou dízimos, nem outro apóstolo qualquer deixou exemplo de tal prática. Em Corintios 9, Paulo pede donativos para suprir necessitados e não para manter despesas de instituições religiosas. Em Atos 4:32 em diante, notamos a generosidade dos irmãos,vendendo tudo e depositando aos pés dos apóstolos, para que se fosse feita DISTRIBUIÇÃO AOS NECESSITADOS, de forma a não haver necessitados entre eles ( esta é a justiça que excede a dos fariseus religiosos que apenas punham seus dízimos das hortaliças e achavam que estava, cumprindo sua parte) em Mateus 23:23 e Lucas 18:12. Tal prática dos fariseus, mostra religiosidade e eles não praticavam a fé, de fato, que , quem diz que dizimar é um ato de fé, é engano, porque os fariseus dizimavam , mas não praticavam a fé. O jovem rico, não foi indicado por JESUS a dizimar, e sim, vender e REPARTIR com os pobres. Jó nunca dizimou, e mesmo assim era próspero.

    Abraão só deu o dízimo uma só vez, e não foi em dinheiro, foi despojos, sobras de conquistas de guerra, dizimo de sangue, após matar os reis e tomar seus bens.

    Jacó prometeu dar o dízimo, ( um voto particular dele ) em Gênesis 28:20-22 , mas a bíblia não fala que ele cumpriu…

    Abraão não foi a “suposta” casa do tesouro ( igreja ) mas Melquisedeque lhe saiu ao encontro para receber sua parte, devido ser rei de Salém e receber por que passava em tal parte, imposto semelhante ao que Jesus nos ensinou a pagar a César (Mateus 22:21). Isto é, JESUS mandou sermos fiéis ao estado e não sonegar impostos.

    Os cobradores de impostos ao se converter, restituíram 4 vezes mais aos que haviam defraudado, e foi nisto que Jesus afirmou: “hoje houve salvação nesta casa” (Lucas 19:9)Repare que o Salvador não o mandou dar dízimos.Todas as vezes que você quiser dar algo á Deus, e restituir a Deus com gratidão, faça isto dando ao seu próximo, pois assim,estará cumprindo a palavra na íntegra, conforme Mateus 25 deixa bem claro esta questão.

    No sétimo ano, Israel, não trazia dízimos, devido ser o ano sabático,a terra descansava (Levítico 25:4) Mas e será que a igreja atual faz isto? Fica sem receber dizimos no sétimo ano?

    O DÍZIMO era vendido POR DINHEIRO,devido a distância de levar onde o Senhor escolhera, para santificar seu nome, e o próprio dizimista COMIA DOS SEUS DÍZIMOS, administrava o dízimo, hoje em dia quem come dos dízimos são os pastores, que administram os dízimos, dando ordem quê e no que será empregado os dízimos do povo. Estes ditos “sacerdotes” ( pastores) não são levíticos, nem exercem função sacerdotal superior a qualquer irmão que seja, e muito menos têm eles o direito de administrar o dízimo pessoal de cada um.

    Quanto a sacerdotes, sabemos todos nós somos, depois de Cristo nos fazer um sacerdócio real, nação santa , povo eleito de DEUS, passamos a ter livre acesso ao Pai através de CRISTO que , na sua morte, o que nos separava foi rasgado do alto abaixo, a saber o véu que separava o lugar santo,( local onde entravam os sacerdotes) do lugar santíssimo (onde só entrava o sumo sacerdote 1 vez por ano para pferecer acrificio pelo pecado do povo).

    Paulo recebeu muitas vezes ajuda da igreja, mas era para se manter, e não era salário mensal como se estivesse numa empresa. Paulo trabalhava (atos 18:3) , e em nada pesava os irmãos e a igreja.

    Se Paulo disse: “sede meus imitadores como eu sou de Cristo”, será que nesta parte, os pastores que exigem dízimos imitam à Paulo? Vemos Jesus ou Paulo recolhendo ou ensinando sobre dízimos?Em 2Coríntios 9:9, Paulo cita o salmo 112:9, onde fala da generosidade com os mais pobres: “Conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres; A sua justiça permanece para sempre”. (2 Coríntios 9:9)

    Nada falou de dízimos em dinheiro, e sim, contribuições voluntárias , para “suprir” os que não tem, algo que, é totalmente visto por Deus. Paulo faz uma coleta para “DISTRIBUIR”, hoje em dia se faz uma distribuição (de envelopes) para ajuntar, não para os pobres, mas, para os cofres de uma instituição, que se preocupa mais com a posição social, status, templos, fama, nome, competição, horários de TV, rádios, sites, eventos, shows, viagens, lazer para líderes, carrões, mansões, aviões, e ainda se diz que é expansão da obra de Deus…

    Cada dia os patrimônios religiosos estão ainda maiores, e o evangelho mais distante do que a igreja primitiva pregava e vivia, tudo por causa de dinheiro. A biblia fala para não reter e sim dar. Será que a igreja faz isto? Ou antes retém,para construir seu império e se fortalecer mais e mais, visando dominar a maior parte possível do globo terrestre, e arrebanhar o maior número de pessoas possível, como se tudo fosse uma partida de competição: “Quem tiver mais membros é o vencedor”

    Paulo afirma: “Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus; antes, em Cristo é que falamos na presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus” (2Coríntios 2:17)

    Deus abençoe a todos que leram este estudo e que o Espírito Santo tenha conduzido a leitura e o entendimento para compreender que dízimos não são mais obrigatórios.

    “Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno” (2Pedro 3:18)

    • Excelente estudo irmão!

      Já li o livro que tem essas perguntas que o irmão coloca, A Ordem de Deus, é uma bênção, recomendadíssimo.

      Se o irmão permite, posso compartilhar o Estudo seu em meu blog, o que acha?

      • Ricardo Braz

        Esse estudo, serve para desmascarar essa farsa que é esse ensino de dízimos para os cristãos, e como o objetivo dele é alertar aos incautos que são explorados por essa falsa doutrina, este estudo pode sim ser reproduzido e distribuido em outros sites, comentários e blogs, uma vez que o autor não assume para si a autoria integral do mesmo, visto ele ser uma compilação de ponderações de outros irmãos reunidos num inovador formato de 10 tópicos.

        E porque a idéia de fazer 10 tópicos? porque não é dito por aí que o dízimo é 10% ? então o Espírito Santo me deu a inspiração de fazer uma compilação das 10 maiores mentiras ditas sobre essa mentira do dízimo nos arraiais evangélicos por aí.

        Não é necessário citar o autor do mesmo, visto eu não procurar mérito pela confecção do mesmo, lembrando mais uma vez, que o estudo só é uma junção de vários outros textos e estudos de outros irmãos, portanto não posso assumr a total autoria do estudo.

        Até hj nenhuma pessoa conseguiu contradizer biblicamente ao menos 1 tópico desse estudo, e olha que ele tem 10! Esse estudo causou tanta repercussão no site, inclusive com ameaças a minha pessoa, que em resposta, lancei um novo desafio, reproduzido abaixo:

        “ATENÇÃO: DEVIDO A REPERCUSSÃO DO ESTUDO QUE DESMASCARA A FARSA DOS DÍZIMOS TER CAUSADO POLÊMICA E ATAQUES FEROZES DOS QUE SE RECUSAM A ACEITAR A VERDADE BÍBLICA SOBRE ESSA DOUTRINA MERCANTILISTA, VAMOS FAZER UM DESAFIO AOS “PRÓ-DÍZIMOS”…

        A falsa doutrina dos dízimos nos dias de hoje, ensina basicamente isso: Que todo cristão tem o mandamento bíblico de separar 10% de sua renda ( salários e ganhos diversos em dinheiro ) e entregar numa denominação evangélica aos cuidados de um suposto homem de Deus (notadamente, um pastor ou similar). A não entrega desse valor, chamado por eles de dízimo, pode acarretar, segundo essa doutrina, a sujeição do cristão aos ataques de um demônio chamado “devorador”, ser espiritual este, segundo ainda esta doutrina o mesmo mencionado em malaquias 3:11. O que não se sujeita a entregar os dízimos conforme especificado acima, também estaria pondo sua própria salvação em risco, pois ainda segundo essa doutrina, quem não dá dízimo é ladrão.

        Agora, porém, em confronto com essa doutrina de dízimos ainda perdurar e segundo eles ser obrigatória aos cristãos, estaremos fazendo 10 perguntas que os pastores que insistem em receber dizimos não conseguem responder:

        1 – Dízimo na bíblia sempre foi alimento (Levíticos 27:30,32 ; Deuteronômio 12:17)… aonde na bíblia ele se tornou dinheiro?

        2 – Dízimo era mandamento do velho testamento somente para os israelitas ( Levíticos 27:30-34) … aonde no novo testamento da bíblia, foi confirmado esse mesmo mandamento aos cristãos?

        3 – Dízimo deveria ser entregue somente aos sacerdotes levitas (Números 18:26, hebreus 7:5)… aonde na bíblia, os pastores de hoje substituiram esses sacerdotes levitas para poderem tomar dízimos?

        4 – Dízimo era destinado ao sustento dos levitas, dos órfãos, estrangeiros e viúvas (Deuteronômio 26:12)… aonde na bíblia ele se tornou exclusivo dos pastores e bispos das denominações evangélicas?

        5 – Se o mandamento do dízimo é anterior a lei de moisés, e abraão é exemplo de “dizimista fiel” antes da lei, então porque Abraão entregou dízimo somente dos despojos da guerra que ele venceu ( genesis 14:20; hebreus 7:4 ), e não de toda a sua riqueza já acumulada? (genesis 13:2 )

        6 – Se ” a césar o que é de césar e a Deus o que é de Deus “, é uma citação de Jesus sendo favorável ao pagamento de impostos desse mundo e da mesma forma pagamento de dízimos à Deus, então porque Jesus mencionou o pagamento do imposto de césar antes do “imposto de Deus”, visto que o dízimo deveria ser a primeira coisa a ser separada? Jesus disse ” a césar o que é de césar” e Jesus deu exemplo disso, ao pagar o imposto de césar (Mateus 17:24-27), para dar o exemplo que se deve pagar o imposto de césar ( impostos desse mundo ) mas se “a Deus o que é de Deus” se refere à dízimo, aonde Jesus devolveu dízimo, para nos esse exemplo, da mesma forma que fez ao pagar o imposto de césar?

        7 – Se devemos dizimar porque Jesus não falou nada contra o dízimo, então devemos nos circuncidar também? visto que Jesus também não falou contra a circuncisão aos israelitas e a circuncisão também é mencionada antes da lei de moisés (genesis 17:10).

        8 – Se quem é dizimista será salvo, então porque o Senhor Jesus precisou vir aqui na terra, cumprir a lei de moisés e morrer pelos nossos pecados? os israelitas já tinham o mandamento de dizimar (levíticos 27:30-32)… não bastava eles somente continuarem dizimando para serem salvos? quem nos dá a salvação? Quem salva é Jesus ou o dízimo ?

        9 – Aonde vemos Jesus e/ou os apóstolos, recebendo dízimos dos cristãos para que a obra de Deus fosse feita? aonde vemos no novo testamento que o dízimo é obrigatório para manutenção de um templo físico ?

        10 – No velho testamento vemos claramente os israelitas recebendo o mandamento de dizimarem e entregando o dízimo ( Levítico 27:30-32; II Crônicas 31:6; Neemias 13:12 ), Mas aonde no novo testamento vemos os cristãos recebendo a ordem de dizimar e um seguidor de Jesus, ou seja, um cristão dizimando?

        CONCLUSÃO: Eu já fiz estas 10 perguntas à vários pastores que insistem no erro de ensinar que dízimos são obrigatórios para os cristãos, mas nunca obtive uma resposta. O que comprova que realmente, essa doutrina mercantilista dos dízimos não passa de doutrina criada por homens, sem embasamento bíblico.

        O Senhor Jesus já advertiu sobre esse tipo de erro: “E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens” (Marcos 7:7)

        Mas graças a Deus, cada vez mais as pessoas estão conhecendo a verdade sobre a mentira que é a doutrina do dízimo, e deixando de dizimar por obrigação conforme malaquias 3:10, que era uma advertência que dizia a respeito somente ao povo de israel e passando a ofertar por amor e liberalidade conforme 2 corintios 9:7″

        Ricardo Braz, Sinta-se a vontade para reproduzir o texto acima com as dez perguntas sobre dízimo caso haja divergencias em seu site quanto ao estudo das 10 maiores mentiras sobre o dízimo. Não é necessário citar o autor, nem onde vc obteve esse texto. À Deus seja a glória por essa revelação para nós!

        Caso deseje mais esclarecimentos, deixe recado aqui.

    • Este post já rendeu muita conversa e observo o seguinte:

      que há duas correntes, uma defendendo a obrigatoriedade e outra entendendo que o dizimo não é obrigatório para um cristão.

      Aquele que defende a obrigatoriedade se prende em um ou dois versículos, enquanto que a corrente inversa tem um fundamento mais criterioso.

      Bom, alguns nasceram para ser cabeça e outros cauda. Quem nasceu para ser cabeça, naturalmente, é uma pessoa que tem o senso crítico apurado e se posiciona de forma a quebrar costumes e sistemas já ultrapassados. O que nasceu para ser cauda, simplesmente aceita o que lhe é imposto e, com o devido respeito, esse é o caso do dizimista que, inclusive, é a maioria.

      Os que nasceram para serem cabeça, se dividem em dois grupos na igreja: os que afrontam a sistemática do dízimo e, enfim, os que mamam o leitinho, ou seja, aqueles que, de fato, dividem o que sobram após o pagamento de água e luz e algumas migalhas de aluguel (não há impostos).

      ESTES NÃO SÃO APENAS CABEÇA SÃO “OS CABEÇÃO”: POLÍTICOS, ALGUNS MAÇONS ESPERTINHOS (“E ESTÃO CERTOS”) E ATÉ ATEUS – RSRSSRSSSS

      OS “CAUDAS” CONTINUARÃO A SEREM CAUDAS ATÉ A MORTE E DARÃO DÍZIMOS PARA ELITES QUE POUCO ESTÃO SE IMPORTANDO COM A CRENÇA!

  37. O SEGREDO DO DÍZIMO!

    Sempre vejo pessoas discutirem o DIZIMO exigido pelas igrejas. Uns aprisionados com ambição pelo dinheiro esquecem que, o dizime é para ser usado de forma que desperte nosso espírito para que se conecte com o de DEUS.

    Os que não se contentaram com meras explicações dadas por ignorantes, entenderam que o dizimo é para ajudar as pessoas, os necessitados e doentes. Dessa forma geramos amor, paz, união e muitas outras formas de felicidade que o homem só experimenta guando esta conectado com o CRIADOR…

    “A verdadeira religião é esta: AJUDAR viúvas, órfãos e os necessitados nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo.”
    Tiago 1:27

    Dizima á DEUS é usar seu 10% para ajudar alguns desses grupos: “Viúvas, órfãos e os necessitados” se assim fizeres estará sempre de consciência aberta para se conectar com DEUS através do AMOR ao PRÓXIMO.
    Esta era uma missão que foi dada para os que se chamam pastores, bispos, profetas ou sei lá o que mais, porem, os poucos que fazem não fazem corretamente.

    “Homens cuja MENTE PERVERTIDA e privada da verdade, supondo que a PIEDADE é FONTE de LUCRO…”2Tm 6.5

    Em particular faça um compromisso com DEUS, diga para qual grupo você vai direcionar os seus 10%, não tens de dizer o porquê do que fazes. Faça em secreto entre você é o CRIADOR.

    Garanto que ficaras feliz em entender que dizima da forma correta pode ser a melhor forma de se manter conectado com Deus através do amor ao próximo…

    Você mesmo pode fazer isso. Você pode ajudar moradores de rua, vizinho necessitado, alguém doente, use seu dízimo para alegrar ao próximo que necessita,

    “Necessitei de roupas, e vocês me vestiram; estive enfermo, e vocês cuidaram de mim; estive preso, e vocês me visitaram.
    Então os justos lhe responderão: ‘Senhor, quando te vimos com fome e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber?
    Quando te vimos como estrangeiro e te acolhemos, ou necessitado de roupas e te vestimos?
    Quando te vimos enfermo ou preso e fomos te visitar?’
    O Rei responderá: Digo a verdade: Os que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram.”
    Mateus 25:36-40.

    Não sejamos ignorantes sobre os mandamentos do SENHOR. Tente acionar o espírito que existe em você e compreenderas que dizimar da forma correta é a melhor coisa que devemos fazer.

    “Honra as viúvas que são verdadeiramente viúvas. Mas, se alguma viúva tiver filhos, ou netos, aprendam eles primeiro a exercer piedade para com a sua própria família, e a recompensar seus progenitores; porque isto é agradável a Deus. Ora, a que é verdadeiramente viúva e desamparada espera em Deus, e persevera de noite e de dia em súplicas e orações; mas a que vive em prazeres, embora viva, está morta. Manda, pois, estas coisas, para que elas sejam irrepreensíveis.”
    1 Timóteo 5:3-7

    Carlos Freitas. *I*I*

  38. Em Jesus disse: Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir.
    Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei, sem que tudo seja cumprido. Mateus 5:17-18. Estão dizendo que o dízimo é coisa da lei e só pode ser cobrado no ministério de levitas, olha só o que Hebreus diz a esse respeito…Porque este Melquisedeque, que era rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou; A quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz; Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre. Considerai, pois, quão grande era este, a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos dos despojos. E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão. Mas aquele, cuja genealogia não é contada entre eles, tomou dízimos de Abraão, e abençoou o que tinha as promessas. Hebreus 7:1-6. Considerai essas coisas, se Jesus é rei e sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque então concluam por vocês mesmos, tenho certeza de que Jesus não aboliu os dízimos. Chamado por Deus sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque. Hebreus 5:10

    Como também diz, noutro lugar: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque. Hebreus 5:6

    Porque ele assim testifica: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque. Hebreus 7:17

    Jurou o Senhor, e não se arrependerá: tu és um sacerdote eterno, segundo a ordem de Melquisedeque. Salmos 110:4. Se não querem dar não critiquem quem quer, Jesus não disse que era para parar de dizimar, Abraão deu o dízimo quando não existia templo, se somos herdeiros em Abraão, servimos ao Sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque, então sejamos como Abraão. A paz seja convosco!

      • Abraão deu dízimo à melquisedeque pq ele deu dízimo somente dos despojos da guerra que ele venceu, e de tudo que ele tomou dos reis ( hebreus 7:4 ).

        Abraão nunca deu dízimo de sua riqueza pessoal.

        E vale lembrar que melquisedeque além de sacerdote era REI de salém, então é de se considerar que abraão pagou uma espécie de imposto ( pedágio ) para cruzar aquelas terras.

          • Weverton da Cruz Estevam

            Um fato que nunca é comentado é que melquisedeque era um rei (genesis 14:18)… sempre se apega ao fato de ele ser apenas um sacerdote do Senhor.

            Mas é bíblico que os que cruzavam terras de um reino, deveriam pagar um tributo específico para isso, no caso abraão deu a décima parte do que tinha tomado da guerra contra os outros reis ( e não de sua riqueza particular ).

            Jesus mesmo deu um exemplo claro de que os reis cobravam taxas de estrangeiros que pisavam em seus domínios:

            “Ao entrar Pedro em casa, Jesus se lhe antecipou, perguntando: Que te parece, Simão? De quem cobram os reis da terra imposto ou tributo? dos seus filhos, ou dos estrangeiros?Quando ele respondeu: Dos estrangeiros, disse-lhe Jesus: Logo, são isentos os filhos” (mateus 17:25-26)

            logo, comprovadamente, era prática reis cobrarem impostos dos estrangeiros… como foi o caso de melquisedeque ( rei de salém )em relação à abraão ( estrangeiro ).

            Na condição de estrangeiro, Abraão deu o décimo dos despojos da guerra (hebreus 7:4 ), e como rei de salém melquisedeque recebeu esse dízimo ( imposto ), mas como ele também era sacerdote de Deus, abençoou a abraão e lhe deu pão e vinho.

            entendeu agora?

            portanto, dízimo nada tem a ver com o evangelho. Jesus nunca recebeu dízimo, nem mandou ninguém recolher dízimo em nome Dele, como fazem nos arraiais evangélicos por aí.

            esse ensino de que cristão é obrigado a dizimar em dinheiro senão vai ser vitima do devorador e não será salvo está caindo por terra. Esse ensino herético passou da hora de ser desmascarado.

            Mas graças a Deus já está sendo.

          • Stardust,

            O problema de tudo isso é não há separação entre a Torah e a graça, não houve abolição dos estatutos eternos dados pelo próprio Deus a Israel, isso é ensino Católico. Se vocês realmente querem acabar com heresias, deveriam estudar um pouco mais sobre a bíblia sem levar em conta as tradições e ensinos Católicos aí sim teriam a interpretação correta.

            Obs… Só respondi agora porque só li a sua resposta agora.

            Volte ao princípio, retorne a Israel e a Igreja Primitiva que não era Romana e aí sim você vai acabar entendendo a Palavra de Hashem!

            Shalom

  39. MEUS IRMÃOS PAULO FALA MUITO EM SUAS CARTAS SOBRE OFERTAS.
    TEM OFERTA QUE É MAIOR QUE O DIZIMO, QUANDO VC OFERTA E DA O DIZIMO
    SEM IMPOSSIÇÃO, MAIS DA VOLUNTARIAMENTE, VC ESTA DIZENDO PARA DEUS
    QUE O DINHEIRO NÃO É O SEU deus.

    DE PELA FÉ , E AMOR…..E DEUS ESTARÁ TE ABENÇOANDO!

  40. o dizimo da época Lei, foi levantado pela Lei, para comprar pão e vinho para os levitas que cuidavam da casa de Deus.
    os levitas não receberam terras para cultivar alimentos devido a isso, foi posto uma lei para o povo de Israel doar dez por cento de suas colheitas e dos seus animais para servir ao templo.
    mas quando veio o verdadeiro templo de Deus que é o senhor, o verdadeiro tabernaculo feito pela mão de Deus, então foi ele substituido pelo verdadeiro tabernaculo, O cristo de Deus). no segundo tabernaculo que é cristo não temos que pagar nada, pois o primeiro era o modelo do segundo que haveria de surgir no tempo determinado por Deus.
    Jesus é o segundo templo, e a gloria do segundo templo é maior do que a do primeiro, sendo assim, nesse segundo templo não se escreveu mais nenhum outro mandamento além do que foi determinado para o Apostolo Paulo, escreveu no seu evangelho da graça. pois a graça nos basta, passou disso vem do maligno.

  41. o dizimo foi levantado para sustentar os homens que morrem na carne, Jesus não morre, e não se alimenta das coisas carnais, pois ele é um espirito em nós.
    o nosso alimento vem do céu e não dos homens, na casa de Deus há muitos alimentos suficiente para alimentar as nossas almas.
    dizimo é para satisfazer a vontade da carne e as obrigações terrestres, pois cristo é o nosso verdadeiro dizimo a quem devemos pagá-lo com os nossos sacrificios de louvores.

  42. os dez mandamentos é simbolo de dizimo, os quais foi resumido em dois mandamentos.
    quando nós não cumprimos os dez mandamentos embutidos nos dois mandamentos então realmente estamos roubando a Deus.
    dai a cesar o que é de cesar e dai a Deus o que é de Deus.
    o que é de Deus são frutos espirituais e não carnais.

  43. O dízimo, segundo a Palavra de Deus

    Em nenhum lugar nas Escrituras Sagradas você vai encontrar pessoas devolvendo dízimos em dinheiro. Na Bíblia, o dízimo está associado a cereais e rebanhos, ou seja, frutos da terra em geral. Antes do período da lei, Abrão (mais tarde chamado Abraão) deu os dízimos dos bens que havia conquistado dos inimigos (Gênesis 14:16-20) durante uma batalha. Melquesedeque saiu ao encontro de Abraão porque era rei de Salém, e recebeu o tributo. Isso aconteceu uma única vez e não há mais registros de que Abraão tenha dizimado depois.

    Quando as Escrituras Sagradas começaram a ser redigidas (por volta do ano 1500 antes de Cristo), o dinheiro (em hebraico כסף) já existia, conforme Gênesis 17:12, Deuteronômio 14:25, Êxodo 12-44, Números 3:49, 1 Reis 21:2, etc. Apesar disso, o povo deveria seguir as determinações de Deus e dizimar apenas dos rebanhos e cereais, conforme escrito em Deuteronômio 14:22, Levítico 27:30, Êxodo 34:2; 26, 1 Samuel 8:17, etc.

    “Também todas as dízimas do campo, da semente do campo, do fruto das árvores, são do SENHOR; santas são ao SENHOR.” (Levítico 27:30)

    Desse modo, as pessoas que exerciam outras profissões, tais como artesãos (Êxodo 31:3-5), copeiros e padeiros (Gênesis 40:1-2), carpinteiros e pedreiros (II Samuel 5:11), músicos (I Reis 10:12), alfaiates (Êxodo 28:3), mestres-de-obras (I Reis 5:16), ourives, pescadores, mercadores, coletores de impostos, guardas, cozinheiros, não poderiam dar dízimos, mas apenas ofertar.

    Na Bíblia, Deus não recebeu dízimo em dinheiro, apesar de existir o dinheiro, e ninguém pode provar o contrário. Observe:

    “Separem o dízimo de tudo o que a terra produzir anualmente. Comam o dízimo do cereal, do vinho novo e do azeite, e a primeira cria de todos os seus rebanhos na presença do Senhor, o seu Deus, no local que ele escolher como habitação do seu Nome, para que aprendam a temer sempre o Senhor, o seu Deus. Mas, se o local for longe demais e vocês tiverem sido abençoados pelo Senhor, pelo seu Deus, e não puderem carregar o dízimo, pois o local escolhido pelo Senhor para ali pôr o seu Nome é longe demais, troquem o dízimo por prata, e levem a prata ao local que o Senhor, o seu Deus, tiver escolhido. Com prata comprem o que quiserem: bois, ovelhas, vinho ou outra bebida fermentada, ou qualquer outra coisa que desejarem. Então juntamente com suas famílias comam e alegrem-se ali, na presença do Senhor, do seu Deus.” (Deuteronômio 14:22-26)

    Como vimos, Deus não aceitaria a prata no lugar do dízimo, ou seja, o dinheiro no lugar dos frutos da terra, mas permitiria, por causa de uma longa distância, a troca do dízimo por prata, por ser fácil de transportar, mas com a condição de o dizimista (homem do campo), já no local indicado por Deus, comprar o que quiser para ali “comer do seu dízimo” e se alegrar na presença do Senhor Deus, o nosso mantenedor.

    Quem não era fazendeiro poderia colaborar com ofertas de alimentos, incenso, utensílios (Neemias 13:5) e também dinheiro:

    “E disse Joás aos sacerdotes: Todo o dinheiro das coisas santas que se trouxer à casa do Senhor, a saber, o dinheiro daquele que passa o arrolamento, o dinheiro de cada uma das pessoas, segundo a sua avaliação, e todo o dinheiro que trouxer cada um voluntariamente para a casa do Senhor,” (2 Reis 12:4)

    Algumas ofertas deveriam ser feitas obrigatoriamente em dinheiro, como a do arrolamento citado na referência acima, em obediência ao escrito em Êxodo 30:13-16.

    Consideradas essas coisas, podemos concluir que a igreja, no período atual, vem utilizando a palavra “dízimos” equivocadamente e fora do seu contexto original.

    Atualmente, muitas denominações ensinam que os crentes devem dar 10% do salário, caso desejem ter uma vida financeira abundante e intocada pelo devorador. Quem não dá o dízimo, dizem alguns, está sujeito à ação do devorador, é ladrão e está roubando a Deus. Para sustentar esse ensinamento equivocado, utilizam indevidamente o capítulo 3 de Malaquias, que não está dirigido à igreja, mas apenas à nação de Israel, sob o regime da lei (Malaquias 4:4).

    A Palavra de Deus nos ensina, no entanto, que toda maldição (inclusive a do devorador) foi desfeita com o sacrifício de Cristo (Gálatas 3:13), pelo menos para os que creem nisso. Porém se o crente ainda deseja se justificar pelas obras da lei, o tal permanece sobre o efeito de qualquer maldição (Gálatas 3:10), inclusive a do devorador.

    É importante esclarecer que o devorador não é um demônio, como alguns pensam, mas sim uma espécie de gafanhoto. Observe essa passagem:

    “O que o gafanhoto cortador deixou o gafanhoto peregrino comeu; o que o gafanhoto peregrino deixou o gafanhoto devastador comeu; o que o gafanhoto devastador deixou o gafanhoto devorador comeu.” (Joel 1:4) Nova Versão Internacional.

    As Escrituras Sagradas nos alertam para a possibilidade de passarmos até por alguns apertos. O próprio apóstolo Paulo padeceu necessidades, enfrentando até mesmo a fome, porque não tinha dinheiro:

    “porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.” (Filipenses 4:11-12)

    O profeta Malaquias não se dirigiu à igreja, do contrário Deus estaria entrando em uma irreparável contradição ao prometer bênçãos e prosperidade, mas ao mesmo tempo permitindo que os crentes, inclusive dizimistas, enfrentassem necessidades tão grandes, como as que Paulo enfrentou.

    Outra questão importante é acerca da legitimidade para receber dízimos (frutos do campo). Quem pode atualmente tomar dízimos, segundo a Palavra de Deus?

    “E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão.” (Hebreus 7:5)

    Portanto atualmente ninguém no mundo tem autorização, segundo a lei, para tomar dízimos do povo. Nem mesmo entre os judeus legalistas em Israel, pois não há mais templo e levitas servindo como sacerdotes.

    Considerando que o dízimo só poderia ser dado por agricultores e criadores de rebanhos, e que o Senhor Jesus Cristo cumpriu toda a lei com perfeição e sem cometer qualquer tipo de pecado, podemos concluir que Jesus não dizimou no templo e nem cobrou dízimos de qualquer pessoa por dois motivos muito simples: o primeiro é porque Ele exerceu o ofício de carpinteiro (Marcos 6:3), e não de produtor rural; o segundo é porque não pertenceu à tribo de Levi, mas a de Judá.

    “Visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, e concernente a essa tribo nunca Moisés falou de sacerdócio.” (Hebreus 7:14)

    Desse modo, é incorreto afirmar que Jesus Cristo, em Mateus 23:23, esteja cobrando dízimos da igreja. Nessa passagem, o Senhor repreendeu duramente os escribas e os fariseus por se preocuparem com as coisas mínimas da lei, mas desprezarem as que importavam mais: o juízo, a misericórdia e a fé.

    “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas.” (Mateus 23:23)

    Repare que o dízimo dado pelos fariseus e pelos escribas era constituído apenas de produtos do campo. Eles eram tão meticulosos que se preocupavam com coisas mínimas, mas esqueciam das mais importantes. Perceba que o Senhor Jesus não incluiu o dinheiro na relação, apesar de haver grande circulação de moedas romanas naquele tempo (Mateus 22:19-21).

    O fato de Jesus Cristo ter falado para os fariseus não omitirem o pagamento dos dízimos não dá respaldo algum para o pagamento de dízimos pelos crentes, e ainda mais em dinheiro. É preciso compreender que o Senhor Jesus está se dirigindo a pessoas que viviam sob o regime da lei.

    Dizer que a igreja deve devolver dízimos só porque a palavra dízimos apareceu no evangelho não é um argumento válido. Nem tudo que está no evangelho se aplica para a igreja ou para a sua vida. Por exemplo, o evangelho informa que o Senhor Jesus foi circuncidado ao oitavo dia (Lucas 2:21), mas isso não significa que você tenha que fazer o mesmo só porque esse texto está no Novo Testamento. Observe ainda a passagem abaixo, retirada também do evangelho:

    “E, eis que veio um leproso, e o adorou, dizendo: Senhor, se quiseres, podes tornar-me limpo. E Jesus, estendendo a mão, tocou-o, dizendo: Quero; sê limpo. E logo ficou purificado da lepra. Disse-lhe então Jesus: Olha, não o digas a alguém, mas vai, mostra-te ao sacerdote, e apresenta a oferta que Moisés determinou, para lhes servir de testemunho.” (Mateus 8:2-4)

    Atualmente, se alguém é curado milagrosamente por Deus, o que recebeu a cura não precisa guardar segredo e nem muito menos pagar a oferta determinada por Moisés. Hoje ela deve contar isso para o maior número de pessoas, a fim de dar testemunho do poder do SENHOR para honra e glória de Deus.

    Para compreender as Escrituras Sagradas, é necessário obter inspiração do Espírito Santo, considerando o contexto, o momento histórico, os destinatários, costumes locais (como rasgar as vestes, lançar poeira para o alto), etc.

    Na Bíblia não existe qualquer mandamento para a igreja no sentido de arrecadar dízimos e muito menos que esses dízimos sejam dados ou devolvidos em dinheiro.

    Todavia, encontramos algumas instruções no sentido de a pessoa contribuir para socorrer os mais carentes (1 Coríntios 16:1-3). Hoje, as contribuições podem ser utilizadas para alimentar e vestir os mais necessitados, distribuir exemplares da Bíblia e mensagens de evangelismo, possibilitar a pregação da Palavra de Deus nos pontos mais distantes (existem custos), permitir o funcionamento dos locais de reunião (limpeza, água, luz, aluguel), custear a vida sem extravagâncias de obreiros (Mateus 10:10; 1 Timóteo 5:18) que vivam exclusivamente em prol da obra de Deus. Se o obreiro de Deus possuir emprego, há recomendação bíblica para que não seja pesado aos demais. Tudo deve ser feito com muita transparência e temor a Deus.

    O valor a ser destinado para a obra é pessoal (2 Coríntios 9:7), conforme a renda (1 Coríntios 16:2), liberal (2 Coríntios 9:5) e, por mais incrível que pareça, dentro das possibilidades financeiras (2 Coríntios 8:12), a fim de que não se sobrecarregue financeiramente (2 Coríntios 8:13). Leia as referências bíblicas indicadas e constate por si mesmo.

    Ao observarmos o capítulo 4 de Atos, do versículo 32 ao 35, não encontraremos qualquer indício de que a igreja primitiva devolvesse dízimos. Segundo as Escrituras Sagradas, os membros possuíam todas as coisas em comum. Quando chegava um novo convertido, este vendia suas herdades, apresentava o valor diante dos apóstolos e dos demais e imediatamente o valor era dividido entre todos, inclusive entre os membros, de acordo com a necessidade de cada um, o que justifica o fato de não haver necessitado na igreja. Esse modelo de igreja acabou muito rápido.

    Colabore com a sua congregação, ajude sua família, socorra os mais necessitados, faça tudo dentro das suas possibilidades.

    O “dízimo em dinheiro” foi inventado no século V, pela igreja Católica, embora essa prática tenha adquirido força somente a partir do século VII. É importante lembrar que a igreja evangélica surgiu da católica, o que justifica o fato de esse procedimento ter sido preservado, juntamente com alguns outros incorretos.

    Atualmente, o dízimo em dinheiro é mais comum nas Américas e em parte da Europa. No Brasil, é difícil encontrar uma congregação que não mencione o dízimo, mas isso não é motivo para não congregar.

    “Reparte com sete, e ainda até com oito, porque não sabes que mal haverá sobre a terra.” (Eclesiastes 11:2)

    Espero que o Espírito de Deus possa falar melhor ao seu coração.

  44. Eu fui criado ate os 15 anos em uma igreja pentecostal , Depois fui para outra denominação neo-pentecostal percebi que os membros dessas igrejas tem pouca instrução e não sabem interpretar textos e a grande maioria não tem interesse por estudar a bíblia ,por isso aceitam qualquer coisa que os falarem ,durante muito tempo achei que estava em pecado quando não pagava o meu dizimo mas depois de estudar o novo testamento vi que não há citações que condene quem não paga o dizimo , acho temos que dar uma oferta de acordo com que o coração mandar e dentro das nossas condições . cristão não segue lei e sim os ensinamentos de cristo que foi o primeiro a quebrar a lei me refiro ao sábado , essa historia de dizimo no momento esta ligada a teoria da prosperidade que só funciona para os lideres e bispos de tais denominação , ame ao próximo e a Deus acredite em Jesus leia a bíblia e viva de acordo com os conselhos de cristo , o que passar dai é balela gente supersticiosa aposto paulo pregava muito sobre esse tipo de gente que ” misturava a lei com a graça ” não é preciso ter uma faculdade de teologia bíblica para saber isso fiquem na paz de cristo.

    • Não posso dizer o que eu penso, mas sim, o que está escrito para o cumprimento de todos que vivem a nova aliança;
      Quem nasceu de novo tem a liberdade de colaborar com a obra de Deus segundo o seu coração. Ajudar para construção de belos templos é jogar dinheiro fora. Pois somos o verdadeiro Templo de Cristo.
      Sou a favor somente da igreja local. Toda organização religiosa se transformou em império e são sustentada pela ignorância dos dizimistas.
      “OS FIEIS DIZIMISTAS SÃO OS MENTORES DOS FALSOS PROFETAS E SEUS MEGAS TEMPLOS.

      • “Não posso dizer o que eu penso”.

        Mas isso que você está dizendo é o que você pensa! A interpretação de textos supostamente sagrados é subjetiva. O que está escrito só tem importância a partir do momento em que você acredita no que está escrito. Para um islâmico ou ateu, por exemplo, isso que está escrito tem muito menos relevância e verossimilhança do que para você.

  45. Paz seja com Todos! Em meu parecer eu creio que somos salvos pela graça de Deus , em Cristo Jesus, e esta graça não impõem ordenanças alguma que seja da lei , a não ser as apostólicas que foram dadas a nós os gentios! Então se estamos na graça , e fomos salvos por Cristo , como se contradiz ao dizerem se o Cristão não der o dízimo rouba a Deus ? Ora no meu entender quem rouba é ladrão , e ladrão não tem parte no reino de Deus , a não ser se crer em Jesus e arrepender-se de seus pecados! Então quem não dizima é ladrão , e o crer em Jesus , e o arrependimento que teve na graça , fica tudo por terra? Não! Eu creio que em matéria de partes financeiras para igrejas deve ser conforme escrito no novo testamento, aquilo que voce sentir de der no seu coração , de o melhor pra obra de Deus, e Ele te recompensará,! Mas não necessariamente o dízimo! Voce já é um salvo em Cristo , as doações voce escolhe de coração! Existem igrejas com templos belos e não ensinam o dízimo , e seus membros são abençoados muito . Como explicar isto? Eles dão por fé , e Deus abençoa suas comunidades , e mais seus ministros não recebem salário também ! Não quero citar igrejas , mas finalizo , que , se somos da graça de Deus vivamos na graça! Agora , quem guarda sábados, não come tipos de alimentos e coisas assim , pra estes que estão na lei , até é reconhecível dar os dízimos, porque vivem sobre a lei! Eu prefiro viver pela graça ! Paz seja com todos!

  46. Bem! Com relação ao dizimo, não sou contra, mas talvez depois de ler o que ou mencionar você terá outra ideia do sobre o dizimo. 1º- o dizimo de Malaquias era entregue em especie, em alimento para os levitas que moravam no templo de dependia das doações, e a praga que Deus referia e sobre gafanhotos e outros era de fato pragas de invertebrados. 2º- Mateus 23-23, e chamados de HIpocritas as pessoas que pagam o dízimos de aluns produtos, (Hortelã, cominho e endro) e omite o que ha de mais importante na lei. Subtende -se que o dizimo esta vinculado a lei, se você e dizimista você tem que fazer tudo o que esta lei. (So Jesus).
    Colossense: 2- 14. Havendo riscado o escrito da divida que havia contra nos nas suas ORDENANÇAS, a qual nos eram contrario, removeu-o do meio de nos, cravando-o na cruz. Neste caso subente que “TRAZEI´´ Ha uma discrepância com a palavra Ordenança, ou seja trazei e uma ordem, como li em um comentário anterior o dizimo deve ser de coração não uma obrigação. Outro comentário que li sobre a viuvá que deu mais que todos foi uma pequena oferta. Meu comentário: eu continuo sendo dizimista, por que entendo que o terreno e fértil para ser semeado, não quero ter duvidas. Gosto mais das ofertas voluntarias que pela misericórdia tenho feito, e Deus tem me honrado.
    Abraços Queridos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>